É um Milagre

Élder Neil L. Andersen

Do Quórum dos Doze Apóstolos


Se vocês não são missionários de tempo integral com um crachá missionário preso ao paletó, está na hora de pintar uma plaqueta em seu coração — pintada, como Paulo disse, “não com tinta, mas com o Espírito do Deus vivo”.

A vida de Jesus Cristo na mortalidade foi repleta de milagres; uma mãe virgem, uma nova estrela, anjos aparecendo aos pastores, cegos vendo, coxos andando, anjos no Getsêmani e no sepulcro, e o maior milagre de todos: Sua gloriosa Ressurreição.

Imaginem como deve ter sido a ocasião em que os onze apóstolos, nos montes próximos da Galileia, quando o Senhor ressuscitado lhes visitou e disse: “Portanto paraID=e, fazei discípulos de todas as nações, batizando-os em nome do Pai, e do Filho, e do Espírito Santo”.1 “Ide por todo o mundo, pregai o evangelho a toda criatura”.2

“Todas as nações?” “Todo o mundo?” “Toda criatura?” Seria isso possível? Embora Jesus lhes assegurasse isso, eles devem ter se perguntado se realmente os milagres os acompanhariam ao pregarem o evangelho.3

A fé sobrepujou a dúvida, e Pedro ergueu a voz, dizendo:

“Todos os que habitais em Jerusalém, (…) escutai as minhas palavras. (…)

Jesus Nazareno, (…) [a quem] prendestes, crucificastes e matastes pelas mãos de injustos; (…)

Deus ressuscitou a este Jesus, (…) [e] todos nós somos testemunhas”.4

Houve uma inegável manifestação espiritual naquele dia, e 3.000 almas foram batizadas. Conforme Jesus prometera, sinais e milagres seguiram a fé daqueles que creram.

Quando a Igreja de Jesus Cristo foi restaurada na Terra, 183 anos mais tarde, o encargo dado pelo Senhor a Seu pequeno grupo de discípulos fez eco as Suas palavras, proferidas séculos antes: “A voz de advertência irá a todos os povos”.5 “Pois, em verdade, o som deverá partir (…) para todo o mundo e para os confins da Terra.”6

“Todos os povos”? “Todo o mundo”? “Para os confins da Terra”? Seria isso possível?

O Salvador assegurou a Seus santos dos últimos dias sobre isso,7 mas como é que eles poderiam prever a abrangência e o futuro desta obra maravilhosa? Eles devem ter se perguntado se realmente os milagres os acompanhariam ao pregarem o evangelho.

Novamente, a fé sobrepujou a dúvida, e milhares foram batizados. Na Inglaterra, o Élder Wilford Woodruff encontrou toda uma comunidade esperando sua chegada. O Espírito do Senhor desceu sobre ele, e ele batizou 45 pregadores e várias centenas de membros durante seu primeiro mês na fazenda Benbow.8

Não é diferente em nossos dias. Quando o Élder David A. Bednar e eu éramos missionários, há aproximadamente 40 anos (e posso lhes garantir que não somos os ex-missionários mais velhos que se sentam nestas poltronas vermelhas), havia 16.000 missionários. Conforme o Presidente Thomas S. Monson relatou ontem, temos atualmente 65.000 — mais do que jamais houve antes. Havia na época 562 estacas. Hoje há mais de 3.000. Naquela época, nossas alas e ramos estavam em 59 países. Hoje temos congregações em 189 das 224 nações e territórios do mundo. Somos poucos em número, como Néfi predisse.9 Porém, ao mesmo tempo, somos testemunhas do cumprimento das palavras proféticas de Daniel: “pedra (…) cortada, sem auxílio de mão, (…) [está enchendo] toda a terra”.10

Nossos dias são uma extraordinária época de milagres. Há seis meses, quando o Presidente Monson anunciou a mudança da paraID=ade para os rapazes e as moças que querem servir missão, houve uma inegável manifestação espiritual. A fé sobrepujou a dúvida e rapazes e moças se apresentaram. Na quinta-feira depois da conferência, fui designado a recomendar chamados missionários para a Primeira Presidência, e fiquei admirado de ver rapazes de 18 anos e moças de 19 anos que já tinham feito seus planos, consultado o médico, sido entrevistados pelo bispo e pelo presidente de estaca e enviado seus papéis para a missão — tudo isso em apenas cinco dias. Outros milhares se juntaram a eles agora. É um milagre.

Somos gratos pela revigorante fé das nossas sísteres, pelo crescente número de missionários de vários países do mundo todo e pelo crescente número de casais prontos para servir. Cinquenta e oito novas missões foram anunciadas, e nosso lotado centro de treinamento missionário de Provo surpreendentemente ganhou um novo companheiro na Cidade do México.

O Presidente Thomas S. Monson afirmou: “Levamos muito a sério o mandado do Salvador, que disse: ‘Portanto, paraID=e, fazei discípulos de todas as nações, batizando-os em nome do Pai, e do Filho, e do Espírito Santo’”.11 “Esta (…) causa (…) continuará a progredir, mudando e abençoando vidas. (…) Nenhuma causa, nenhuma força no mundo inteiro pode parar a obra de Deus.”12

Estamos testemunhando os milagres do Senhor à medida que Seu evangelho é pregado no mundo todo.

Irmãos e irmãs, tão seguramente quanto o Senhor inspirou mais missionários a servir, Ele também está despertando a mente e abrindo o coração de mais pessoas boas e sinceras para que recebam Seus missionários. Vocês já os conhecem ou vão conhecer. Eles estão em sua família e moram em sua vizinhança. Passam por vocês na rua, sentam-se a seu lado na escola e conectam-se a vocês na Internet. Vocês também são uma parte importante desse milagre que está acontecendo.

Se vocês não são missionários de tempo integral com um crachá missionário preso ao paletó, está na hora de pintar uma plaqueta em seu coração — pintada, como Paulo disse, “não com tinta, mas com o Espírito do Deus vivo”.13 E os ex-missionários, que encontrem sua antiga plaqueta de missionário. Não a usem, mas coloquem-na onde possam vê-la. O Senhor precisa de vocês, agora mais do que nunca, para que sejam instrumentos em Suas mãos. Todos nós temos uma contribuição a fazer para esse milagre.

Todo membro digno da Igreja já pensou em como compartilhar o evangelho. Alguns compartilham o evangelho naturalmente, e podemos aprender muito com eles.14 Alguns têm dificuldades e se perguntam como poderiam melhorar, querendo afastar o sentimento de culpa que às vezes nos ocorre.

Nosso desejo de compartilhar o evangelho nos faz cair de joelhos, o que é bom, porque precisamos da ajuda do Senhor.

O Presidente Monson pediu que orássemos por aquelas “áreas onde nossa influência é limitada e onde não temos permissão para livremente compartilhar o evangelho neste momento”.15 Se nos unirmos para pedir ao Pai Celestial com sinceridade, o Senhor vai continuar a abrir importantes portas para nós.

Também oramos por nossas próprias oportunidades de compartilhar o evangelho. O Apóstolo Pedro disse: “Estai sempre preparados para responder (…) a qualquer que vos pedir a razão da esperança que há em vós”.16

Com a confusão17 e a comoção18 de nossos dias, não é de surpreender que cada vez menos pessoas frequentem seus locais de adoração. Embora muitos desejem estar mais próximos de Deus e compreender melhor o propósito da vida, eles têm dúvidas que não foram respondidas. Muitos têm o coração aberto para a verdade, mas como o profeta Amós descreveu, “[correm] por toda a parte, buscando a palavra do Senhor, mas não a [acham]”. 19 Vocês podem ajudar a responder as perguntas deles. Em suas conversas do dia a dia, vocês podem “acrescentar algo” à fé que eles têm em Cristo.20

O Salvador disse: “Levantai vossa luz para que brilhe perante o mundo. Eis que eu sou a luz que levantareis”.21

Prometo que se orarem para saber com quem devem falar, nomes e rostos lhes virão à mente. As palavras a serem ditas lhes serão dadas no exato momento em que precisar delas.22 Oportunidades surgirão para vocês. A fé sobrepujará a dúvida e o Senhor os abençoará com os milagres que necessitarem.

O Salvador nos ensinou a compartilhar o evangelho. Gosto da história de André, que perguntou: “Mestre, onde moras?”23 Jesus poderia ter respondido dizendo onde ficava o lugar em que morava. Mas em vez disso, Ele disse a André: “Vinde e vede”.24 Gosto de pensar que o Salvador estava dizendo: “Vem e vê não apenas onde moro, mas como eu vivo. Vem e vê quem sou. Vem e sente o Espírito”. Não conhecemos tudo a respeito daquela época, mas sabemos que, quando André encontrou seu irmão Simão, ele declarou: “Achamos o (…) Cristo”.25

Para os que demonstrarem interesse em nossa conversa, podemos seguir o exemplo do Salvador, convidando-os a vir e ver. Alguns aceitarão nosso convite, outros não. Todos conhecemos alguém que foi convidado várias vezes antes de aceitar um convite de vir e ver. Pensemos também naqueles que estiveram conosco, mas que hoje raramente vemos, convidando-os a voltar e a ver de novo.

Respeitamos as escolhas e o momento de cada pessoa. O Senhor disse: “Que todo homem escolha por si mesmo”.26 A falta de interesse de uma pessoa não diminui nossos laços de amizade e amor. Quer o convite seja aceito ou não, ao convidar as pessoas para vir e ver, vocês sentirão a aprovação do Senhor, e com essa aprovação, receberão uma medida extra de fé para compartilhar suas crenças continuamente.

Para aqueles que usam a Internet e telefones celulares, existem novas maneiras de convidar as pessoas a vir e ver. Tornemos o compartilhamento de nossa fé online uma parte mais presente em nosso cotidiano. Os sites LDS.org, Mormon.org, o Facebook, Twitter… todos oferecem oportunidades.

A fim de compartilhar o evangelho, alguns membros jovens de Boston começaram vários blogs.27 Aqueles que se uniram à Igreja começaram seu aprendizado online antes de receber as lições com os missionários. Essa experiência também ajudou os jovens a ter mais fé ao falar do evangelho pessoalmente. Um deles disse: “Isso não é trabalho missionário. É diversão missionária”.28

Estamos todos juntos nesse trabalho. Com os outros membros da ala e os missionários, planejamos, oramos e ajudamos uns aos outros. Tenham sempre os missionários de tempo integral em seus pensamentos e em suas orações. Confiem a eles seus familiares e amigos. O Senhor confia neles e os chamou para ensinar e abençoar aqueles que O buscam.

O Presidente Paulo Kretly, da Missão Moçambique Maputo, contou-me esta experiência pessoal: “É comum em Moçambique os casais morarem juntos [sem ser casados] porque a tradição africana exige um dote bem alto para alguém se casar, um dote que a maioria dos casais não consegue pagar”.29

Os membros e os missionários pensaram muito e oraram sobre como poderiam ajudar.

A resposta a suas orações foi que eles deveriam enfatizar a lei da castidade e a importância do casamento e da família eterna. Enquanto ajudavam os casais a se arrepender e a se casar legalmente, ensinaram a felicidade que advém somente quando seguimos Jesus Cristo.

Esta é uma fotografia de casais de duas cidades de Moçambique. Tendo-se casado na sexta-feira, eles foram batizados com seus filhos mais velhos no sábado.30 Os amigos e familiares foram convidados a vir e ver, e centenas deles realmente vieram e viram.

Depois do batismo, uma irmã disse: “Precisávamos escolher se iríamos seguir as tradições de nossos pais ou seguir Jesus Cristo. Decidimos seguir Cristo”.31

Pode ser que vocês não morem em Moçambique, mas a seu próprio modo, em sua própria cultura, vocês podem compartilhar o evangelho de Jesus Cristo.

Orem ao Pai Celestial. Esta é Sua obra sagrada. Ele os guiará para saber o que fazer. Ele abrirá portas, removerá barreiras e os ajudará a vencer obstáculos. O Senhor declarou: “E a voz de advertência irá a todos os povos pela boca de meus discípulos, (…) e ninguém os deterá”.32

Testifico que “a voz do Senhor [chegará] aos confins da Terra, para que ouçam os que quiserem ouvir”.33 É um milagre. É um milagre. Em nome de Jesus Cristo. Amém.

Exibir Referências

  1.  

    1. Mateus 28:19.

  2.  

    2. Marcos 16:15.

  3.  

    3. Ver Mateus 28:20; Marcos 11:17–18.

  4.  

    4. Atos 2:14, 22–23, 32.

  5.  

    5. Doutrina e Convênios 1:4.

  6.  

    6. Doutrina e Convênios 58:64.

  7.  

    7. Ver Doutrina e Convênios 1:5.

  8.  

    8. Ver  Ensinamentos dos Presidentes da Igreja: Wilford Woodruff , 2004, pp. 91–101.

  9.  

    9. Ver 1 Néfi 14:12.

  10.  

    10. Daniel 2:34–35.

  11.  

    11. Thomas S. Monson, “Bem-Vindos à Conferência”, A Liahona, maio de 2009, p. 4.

  12.  

    12. Thomas S. Monson, “Ao Reunir-nos Novamente”, A Liahona, maio de 2012, p. 4.

  13.  

    13. II Coríntios 3:3.

  14.  

    14. Ver Clayton M. Christensen, The Power of Everyday Missionaries: The What and How of Sharing the Gospel, 2013.

  15.  

    15. Thomas S. Monson, “Bem-Vindos à Conferência”, A Liahona, novembro de 2009, p. 4.

  16.  

    16. I Pedro 3:15.

  17.  

    17. Eles observam verdades de longa data serem redefinidas ou ignoradas; ver Doutrina e Convênios 1:16; ver também Doutrina e Convênios 132:8.

  18.  

    18. Ver Doutrina e Convênios 45:26; 88:91.

  19.  

    19. Amós 8:12.

  20.  

    20. O Profeta Joseph Smith disse: “Os presbiterianos têm alguma verdade? Sim. Os batistas, metodistas, etc, [têm] alguma verdade? Sim (…). Devemos reunir todos os princípios bons e verdadeiros do mundo e entesourá-los” (History of the Church, 5:517). “Não pedimos a ninguém que jogue fora qualquer coisa boa que possua; só pedimos que venham e recebam algo mais. O que aconteceria se o mundo inteiro aceitasse este evangelho? Veriam então olho a olho, e as bênçãos de Deus seriam derramadas sobre as pessoas, e isso é o que desejo do fundo da alma.” Ensinamentos dos Presidentes da Igreja: Joseph Smith, 2007, p. 162. O Presidente Gordon B. Hinckley disse: “Quero dizer que apreciamos a verdade que existe em todas as igrejas e também o bem que elas fazem. Dizemos ao povo, de fato, tragam consigo todo o bem que tiverem e depois veremos se podemos acrescentar algo a ele. Esse é o espírito desta obra. Esta é a essência do serviço missionário” (Palavras do Profeta Vivo”, A Liahona, abril de 1999, p. 19). “Devemos ser um povo amigável. Devemos reconhecer o bem em todas as pessoas. Não saímos por aí falando mal das outras igrejas. Pregamos e ensinamos de maneira positiva. Dizemos àqueles de outras religiões: ‘tragam consigo todo o bem que possuem e veremos se poderemos acrescentar algo a ele’. Em resumo, esta é a essência de nossa grande obra missionária, e ela produz resultados” (“Messages of Inspiration from President Hinckley”, Church News, 7 de novembro de 1998, p. 2; ver ldschurchnews.com).

  21.  

    21. 3 Néfi 18:24.

  22.  

    22. Ver Doutrina e Convênios 84:85; 100:6.

  23.  

    23. João 1:38.

  24.  

    24 João 1:39.

  25.  

    25. João 1:41.

  26.  

    26. Doutrina e Convênios 37:4.

  27.  

    27. Ver, por exemplo, youngandmormon.com.

  28.  

    28. Conversa telefônica com Jackson Haight, em 22 de março de 2013.

  29.  

    29. E-mail pessoal do Presidente Paulo V. Kretly, 6 de março de 2013.

  30.  

    30. Fotos enviadas pelo Presidente Paulo V. Kretly. O primeiro grupo era de Maputo; casaram-se em 30 de novembro de 2012 e foram batizados em 1º de dezembro de 2012. O segundo grupo era de Beira; casaram-se em 1º de março de 2013 e foram batizados em 2 de março de 2013.

  31.  

    31. E-mail pessoal do Presidente Paulo V. Kretly, 6 de março de 2013.

  32.  

    32. Doutrina e Convênios 1:4–5.

  33.  

    33. Doutrina e Convênios 1:11.