Permanecer Firmes em Lugares Sagrados

Élder Robert D. Hales

Do Quórum dos Doze Apóstolos


Se nos mantivermos obedientes e firmes na doutrina de nosso Deus, permaneceremos em lugares santos, porque Sua doutrina é sagrada e não mudará.

Irmãos, é uma honra estar com os portadores do real sacerdócio de Deus. Vivemos nos últimos dias, em “tempos trabalhosos”.1 Como portadores do sacerdócio, temos a responsabilidade de manter-nos firmes com um escudo de fé contra os dardos inflamados do adversário. Somos um exemplo para o mundo, protegendo os inalienáveis direitos e a liberdade que recebemos de Deus. Temos que defender nosso lar e nossa família.

Quando eu estava na nona série, voltei de meu primeiro jogo realizado fora da cidade com a equipe titular de beisebol. Meu pai percebeu que na longa viagem de ônibus eu havia testemunhado linguagem e conduta que não eram condizentes com os padrões do evangelho. Sendo artista profissional, ele se sentou e fez o desenho de um cavaleiro — um guerreiro capaz de defender castelos e reinos.

À medida que ele desenhava e lia as escrituras, aprendi a ser um fiel portador do sacerdócio — para proteger e defender o reino de Deus. As palavras do Apóstolo Paulo foram meu guia:

“Portanto, tomai toda a armadura de Deus, para que possais resistir no dia mau e, havendo feito tudo, ficar firmes.

Estai, pois, firmes, tendo cingidos os vossos lombos com a verdade, e vestida a couraça da justiça;

E calçados os pés na preparação do evangelho da paz;

Tomando sobretudo o escudo da fé, com o qual podereis apagar todos os dardos inflamados do maligno.

Tomai também o capacete da salvação, e a espada do Espírito, que é a palavra de Deus”.2

Irmãos, se formos fiéis no sacerdócio, essa armadura nos será concedida como dom de Deus. Precisamos dessa armadura!

Rapazes, seus pais e avós jamais enfrentaram tentações como as que vocês enfrentam regularmente. Vocês estão vivendo nos últimos dias. Se seu pai quisesse problemas, teria que sair à procura deles. Isso não acontece mais! Hoje em dia, as tentações vão atrás de vocês! Lembrem-se disso! Satanás deseja possuí-los, e “o pecado jaz a porta”.3 Como é que vocês vão resistir às táticas agressivas dele? Vestindo toda a armadura de Deus.

Deixem-me ensinar-lhes algo que aprendi com outra experiência pessoal que tive na vida:

Em janeiro de 1982, falei em um devocional realizado no campus da BYU, em Provo, Utah. Convidei os alunos a imaginar que a Igreja estivesse de um lado do púlpito, bem aqui, e o mundo estivesse a apenas meio metro do outro lado. Aquilo representava “a distância bem curta entre onde estava o mundo e onde estavam os padrões da Igreja”, na época em que eu estava na faculdade. Então, dirigindo-me aos alunos, 30 anos depois, ergui as mãos da mesma maneira e expliquei: “O mundo foi para bem longe. Não dá nem para ver. Ele foi para muito, muito longe, para fora deste [edifício], pelo mundo afora. (…) O que nós, nossos filhos e nossos netos precisamos lembrar é que esta Igreja permanecerá constante, [ela continua exatamente no mesmo lugar] embora o mundo continue a se mover — essa lacuna vai [se tornar] cada vez mais ampla. (…) Portanto, tomem muito cuidado. Se julgarem suas ações e os seus padrões da Igreja com base no lugar onde o mundo se encontra e para onde ele está indo, vocês vão acabar indo parar onde não deveriam estar”.4

Naquela época, eu não podia imaginar quão distante e quão rapidamente o mundo se afastaria de Deus; era impossível compreender isso, [distanciando-se] da doutrina, dos princípios e mandamentos dados. Mas os padrões de Cristo e Sua Igreja não mudaram. Como Ele disse: “A verdade permanece para todo o sempre”.5 Se compreendermos e aceitarmos isso, estaremos preparados para enfrentar a pressão social, as zombarias e até a discriminação que virão do mundo e de alguns que se dizem amigos.

A maioria de nós conhece alguém que diria: “Se quiser ser meu amigo, terá que aceitar meus valores”. Um amigo verdadeiro não pede que escolhamos entre o evangelho e sua amizade. Usando as palavras de Paulo: “Destes afasta-te”.6 Um amigo de verdade nos fortalece para que permaneçamos no caminho estreito e apertado.

O fato de permanecermos no caminho do evangelho de convênios, mandamentos e ordenanças nos protege e nos prepara para realizarmos a obra de Deus neste mundo. Quando obedecemos à Palavra de Sabedoria, nosso arbítrio é protegido da dependência de substâncias como as bebidas alcoólicas, as drogas e o fumo. Ao pagarmos o dízimo, estudarmos as escrituras, recebermos o batismo e a confirmação, vivermos de modo a ter a companhia constante do Espírito Santo, tomarmos o sacramento dignamente, obedecermos à lei da castidade, prepararmo-nos para receber o Sacerdócio de Melquisedeque e o recebermos, e fazermos convênios sagrados no templo, estaremos então preparados para servir.

No templo, somos preparados para viver a lei da consagração e prometemos vivê-la. Os rapazes aptos começam a viver essa lei buscando um chamado para a missão — dando o dízimo dos primeiros anos de sua vida no serviço de tempo integral do Senhor. Esse sacrifício os fortalece para prosseguirem até o mais elevado convênio da vida — para muitos, isso significa casar e ser selados no templo e começar uma família eterna.

Ao prosseguirmos com firmeza pelo caminho estreito e apertado, edificamos uma progressiva força espiritual — a força de usar nosso arbítrio para agir por nós mesmos. Tanto para os rapazes quanto para as moças, esse crescimento é auxiliado à medida que eles aprendem a doutrina e prestam testemunho no novo currículo online: Vem, e Segue-me.

Além disso, usem seu arbítrio para desenvolverem-se pessoalmente. Ao descobrirem seus dons e talentos, lembrem-se de que seus pais e mentores podem ajudá-los, mas vocês precisam permitir que o Espírito os guie. Façam escolhas e ajam por si mesmos. Tenham motivação interior. Tracem um plano para sua vida, incluindo a instrução formal ou a formação profissional. Explorem seus interesses e suas habilidades. Trabalhem e tornem-se autossuficientes. Estabeleçam metas, superem erros, adquiram experiência e terminem o que começaram.

Ao longo do caminho, não deixem de participar das atividades da família, do quórum, da classe e da Mutual conjunta. Desfrutem juntos as diversões sadias. Por meio dessas vivências vocês aprenderão a respeitar e a valorizar os dons espirituais uns dos outros e a natureza eterna e complementar dos filhos e das filhas de Deus.

Acima de tudo, tenham fé no Salvador! Não temam! Ao vivermos diligentemente o evangelho, tornamo-nos fortes no Senhor. Com Sua força, conseguimos rejeitar os anticristos que dizem: “Comei, bebei e diverti-vos”, porque Deus “justificará a prática de pequenos pecados; (…) não há mal nisso (…) porque amanhã morreremos”.7 Na força do Senhor podemos resistir a quaisquer filosofias ou credos que negam o Salvador e contradizem o grande e eterno plano de felicidade para todos os filhos de Deus.

Não estamos autorizados a negociar as condições desse plano eterno. Lembrem-se de Neemias, que estava encarregado de construir uma muralha para proteger Jerusalém. Algumas pessoas queriam que ele descesse e fizesse concessões, mas Neemias se recusou. Ele não foi intolerante com as pessoas. Simplesmente explicou: “Faço uma grande obra, de modo que não poderei descer; por que cessaria esta obra, enquanto eu a deixasse, e fosse ter convosco?”8

Às vezes, tornamo-nos o foco das atenções e precisamos suportar o escárnio e a zombaria por apegar-nos aos padrões de Deus e por realizar Sua obra. Testifico que não precisamos temer, se estivermos alicerçados em Sua doutrina. Podemos sofrer incompreensão, críticas e até acusações falsas, mas nunca estaremos sozinhos. Nosso Salvador foi “desprezado, e o mais rejeitado entre os homens”.9 É nosso sagrado privilégio estar com Ele!

Ironicamente, para manter-nos firmes, às vezes temos que evitar e até fugir do mundo. O Salvador declarou: “Vai-te para trás de mim, Satanás”.10 José do Egito fugiu das tentações da mulher de Potifar,11 e Leí deixou Jerusalém e levou sua família para o deserto.12

Estejam seguros de que todos os profetas antes de nós permaneceram firmes em sua época:

Néfi realizou a incomum obra do Senhor apesar das bofetadas de Satanás e da perseguição de Lamã e Lemuel, seus irmãos.13

Abinádi prestou testemunho de Cristo, enfrentando suspeitas, zombarias e a morte certa.14

Os 2 mil jovens guerreiros defenderam suas famílias contra os que desprezavam os valores do evangelho.15

Morôni ergueu o estandarte da liberdade para preservar as famílias e a liberdade religiosa de seu povo.16

Samuel subiu em uma muralha e profetizou a vinda de Cristo, enquanto era atacado com pedras e flechas.17

O Profeta Joseph Smith restaurou o evangelho do Salvador, selando seu testemunho com o próprio sangue.18

E os pioneiros mórmons permaneceram firmes diante de violenta oposição e dificuldades, seguindo um profeta em sua grande jornada e estabelecimento no Oeste.

Esses grandes servos e santos de Deus conseguiram permanecer firmes porque estavam com o Salvador. Ponderem como o Salvador permaneceu firme:

Quando jovem, Jesus cuidou fielmente dos negócios de Seu Pai, pregando o evangelho aos sábios, no templo19. Ao longo de Seu ministério, Ele realizou a obra do sacerdócio — ensinando, curando, servindo, abençoando e erguendo as pessoas. Quando adequado, combateu destemidamente o mal, até limpando o templo.20 Também defendeu a verdade — seja com palavras ou com solene silêncio. Quando os principais dos sacerdotes O acusaram perante Pilatos, Jesus Se recusou sábia e corajosamente a responder às inverdades e Se manteve calado.21

No Jardim do Getsêmani, nosso Salvador e Redentor não recuou, bebendo da taça amarga da Expiação.22 E na cruz, sofreu novamente para fazer a vontade de Seu Pai, até poder, por fim, dizer: “Está consumado”.23 Ele tinha perseverado até o fim. Em resposta à perfeita obediência do Salvador em permanecer firme, nosso Pai Celestial declarou: “Eis aqui meu Filho Amado, em quem me comprazo e em quem glorifiquei meu nome”.24

Meus amados irmãos do sacerdócio, jovens e paraID=osos, glorifiquemos o nome de Deus permanecendo firmes com nosso Salvador Jesus Cristo. Presto meu testemunho especial de que Ele vive e que fomos “chamados com uma santa vocação”25 para participar de Sua obra. “Portanto permanecei em lugares santos e não sejais movidos.”26 Se nos mantivermos obedientes e firmes na doutrina de nosso Deus, permaneceremos em lugares santos, porque Sua doutrina é sagrada e não mudará com os ventos sociais e políticos de nossos dias. Declaro, como fez o Apóstolo Paulo: “Vigiai, estai firmes na fé; portai-vos varonilmente, e fortalecei-vos”.27 Essa é minha fervorosa oração por vocês, no sagrado nome de Jesus Cristo. Amém.

Show References

  1.  

    1. II Timóteo 3:1.

  2.  

    2. Efésios 6:13–17; grifo do autor.

  3.  

    3. Moisés 5:23.

  4.  

    4. Robert D. Hales, “This Is the Way; and There Is None Other Way”, Brigham Young University 1981–82 Speeches, 1982; disponível em speeches.byu.edu.

  5.  

    5. Doutrina e Convênios 1:39; grifo do autor.

  6.  

    6. II Timóteo 3:5.

  7.  

    7. 2 Néfi 28:8.

  8.  

    8. Neemias 6:3.

  9.  

    9. Isaías 53:3; Mosias 14:3.

  10.  

    10. Lucas 4:8.

  11.  

    11. Ver Gênesis 39:7–12.

  12.  

    12. Ver 1 Néfi 2.

  13.  

    13. Ver, por exemplo, 1 Néfi 18.

  14.  

    14. Ver Mosias 11–17.

  15.  

    15. Ver Alma 53.

  16.  

    16. Ver Alma 46:11–13.

  17.  

    17. Ver Helamã 13–16.

  18.  

    18. Ver Doutrina e Convênios 135.

  19.  

    19. Ver Lucas 2:46–49.

  20.  

    20. Ver Mateus 21:12–13.

  21.  

    21. Ver Mateus 26:59–63.

  22.  

    22. Ver Doutrina e Convênios 19:16–19.

  23.  

    23. João 19:30.

  24.  

    24. 3 Néfi 11:7.

  25.  

    25. Alma 13:3; ver também II Timóteo 1:9.

  26.  

    26. Doutrina e Convênios 87:8.

  27.  

    27. I Coríntios 16:13.