“Esta É Minha Obra e Minha Glória”

Élder M. Russell Ballard

Do Quórum dos Doze Apóstolos


Deus concedeu livremente Seu poder aos que aceitam e honram Seu sacerdócio, que conduz às bênçãos prometidas da imortalidade e da vida eterna.

Presidente Packer, estamos ansiosos pela versão de 98 daquele magnífico poema. Que maravilhosas instruções ele nos dá.

Há poucas semanas, numa noite fria e escura de inverno, minha mulher, Barbara, e eu olhamos com assombro para o céu. Milhões de estrelas pareciam excepcionalmente brilhantes e belas. Abri então a Pérola de Grande Valor e li novamente, maravilhado, o que o Senhor Deus disse a Moisés: “E mundos incontáveis criei; e também os criei para meu próprio intento; e criei-os por meio do Filho, o qual é meu Unigênito” (Moisés 1:33).

Em nossos dias, o telescópio de espaço profundo Hubble confirmou a magnitude do que Moisés viu. Os cientistas do Hubble dizem que a Galáxia Via-Láctea, da qual nossa Terra e o Sol são apenas uma ínfima porção, é apenas uma dentre mais de 200 bilhões de galáxias semelhantes. Para mim, isso é difícil de compreender, impossível de imaginar, de tão grandes e vastas que são as criações de Deus.

Irmãos e irmãs, o poder pelo qual os céus e a Terra foram e são criados é o poder do sacerdócio. Aqueles de nós que são membros da Igreja sabem que a fonte desse poder do sacerdócio é o Deus Todo-Poderoso e Seu Filho, Jesus Cristo. O sacerdócio não apenas é o poder pelo qual os céus e a Terra foram criados, mas é também o poder que o Salvador usou em Seu ministério mortal para realizar milagres, abençoar e curar enfermos, trazer os mortos de volta à vida e, como o Filho Unigênito do Pai, padecer a insuportável dor do Getsêmani e do Calvário — cumprindo, assim, a lei da justiça e a da misericórdia, realizando uma Expiação infinita e vencendo a morte física por meio da Ressurreição.

Foram as chaves dessa autoridade do sacerdócio e seu correspondente poder que Ele entregou a Pedro, Tiago e João e a Seus outros apóstolos para abençoar as pessoas e para ligar no céu o que for ligado na Terra.

O poder do sacerdócio é uma dádiva sagrada e essencial de Deus. Ele difere da autoridade do sacerdócio, que é a autorização para agir em nome de Deus. A autorização ou ordenação é concedida pela imposição de mãos. O poder do sacerdócio somente advém quando aqueles que o exercem são dignos e agem de acordo com a vontade de Deus. Conforme declarou o Presidente Spencer W. Kimball: “O Senhor concedeu a todos nós, portadores do sacerdócio, parte de sua autoridade, mas somente podemos ter acesso aos poderes do céu com base em nossa retidão pessoal” (“Boys Need Heroes Close By”, Ensign, maio de 1976, p. 45).

Durante os dias gloriosos da Restauração e do restabelecimento da Igreja de Jesus Cristo no mundo atual, João Batista, Pedro, Tiago e João, Moisés, Elias, e Elias, o profeta, vieram à Terra e restauraram por intermédio do Profeta Joseph Smith todas as chaves e toda a autoridade do sacerdócio para a obra de Deus nestes últimos dias.

É por meio dessas chaves, dessa autoridade e desse poder que a Igreja de Jesus Cristo está organizada hoje com Cristo à frente, auxiliado por Seu profeta vivo, Thomas S. Monson, e pelos apóstolos devidamente chamados e ordenados.

No grande plano do Pai Celestial que concede o sacerdócio aos homens, estes têm a responsabilidade especial de administrar o sacerdócio, mas não são o sacerdócio. Os homens e as mulheres têm papéis diferentes, porém igualmente valorizados. Assim como uma mulher não pode conceber um filho sem um homem, da mesma forma um homem não pode exercer plenamente o poder do sacerdócio para estabelecer uma família eterna sem uma mulher. Em outras palavras, na perspectiva eterna, tanto o poder de procriação quanto o poder do sacerdócio são compartilhados pelo marido e pela mulher. E como marido e mulher, um homem e uma mulher devem se esforçar para seguir nosso Pai Celestial. As virtudes cristãs do amor, da humildade e da paciência devem ser o enfoque deles, ao buscarem as bênçãos do sacerdócio em sua vida e para sua família.

É essencial que compreendamos que o Pai Celestial proveu um meio para que todos os Seus filhos e Suas filhas tenham acesso às bênçãos do poder do sacerdócio e sejam fortalecidos por ele. Um ponto central do plano de Deus para Seus filhos espirituais é Sua própria declaração: “Esta é minha obra e minha glória: Levar a efeito a imortalidade e vida eterna do homem” (Moisés 1:39).

Na revelação concedida ao Profeta Joseph Smith na seção 81 de Doutrina e Convênios, o Senhor explica que o poder do sacerdócio deve ser usado para “[socorrer] os fracos, [erguer] as mãos que pendem e [fortalecer] os joelhos enfraquecidos” (versículo 5).

“Assim agindo, farás o maior dos bens a teus semelhantes e promoverás a glória daquele que é teu Senhor” (D&C 81:4).

Ao visualizar como seria socorrer os fracos, erguer as mãos que pendem e fortalecer os joelhos enfraquecidos, isso me faz lembrar de uma querida menina de sete anos que mostrou ao avô um pequeno tomateiro que ela havia ajudado a fazer crescer a partir de uma semente, como parte de seu projeto escolar da segunda série.

Ela explicou que de uma minúscula semente sairia uma planta. E que se cuidássemos da planta, ela daria muitos tomates, cada qual com muitas sementes.

Explicou ainda: “E se todas essas sementes fossem plantadas e dessem mais tomates, e se plantássemos todas essas sementes, em poucas estações teríamos milhões de tomates”.

Tudo isso”, disse ela, admirada, “a partir de uma única sementinha”.

Mas, então, confessou ela: “Quase matei minha planta. Eu a deixei num quarto escuro e me esqueci de regá-la. Quando me lembrei da planta, ela estava toda murcha e parecia morta. Chorei, porque pensei em todos aqueles milhões de tomates que jamais cresceriam”.

Depois, ela ficou entusiasmada ao contar ao avô o “milagre” que havia acontecido.

Explicou: “Mamãe disse que talvez a planta não estivesse morta. Talvez tudo de que precisasse fosse um pouco de água e luz para voltar à vida.

Ela tinha razão! Dei um pouco de água para a planta e a coloquei na janela para receber luz. E adivinhe o que aconteceu?”, perguntou ela. “Ela voltou à vida, e agora vai dar milhões de tomates!”

Seu pequeno tomateiro, tão cheio de potencial, mas tão enfraquecido e murcho por causa de uma negligência não intencional, foi fortalecido e revivido pela simples administração de água e luz pelas mãos amorosas e cuidadosas de uma garotinha.

Irmãos e irmãs, por sermos literalmente filhos espirituais de nosso amoroso Pai Celestial, temos um potencial ilimitado e divino. Mas, se não formos cuidadosos, podemos nos tornar como o tomateiro murcho. Podemos nos afastar da doutrina verdadeira e do evangelho de Cristo e nos tornar espiritualmente desnutridos e murchos, afastando-nos da luz divina e das águas vivas do amor eterno do Salvador e do poder do sacerdócio.

Aqueles que portam o sacerdócio e deixam de ser constantes em honrá-lo ao servir à família e a outras pessoas serão como aqueles que não recebem as bênçãos inerentes ao poder do sacerdócio e certamente vão murchar espiritualmente, tendo privado a si mesmos dos nutrientes espirituais essenciais da luz e do poder de Deus em sua vida — tal como o tomateiro tão cheio de potencial, mas negligenciado e murcho.

O mesmo poder do sacerdócio que criou mundos, galáxias e o Universo pode e deveria ser parte de nossa vida para socorrer, fortalecer e abençoar nossa família, nossos amigos e nossos vizinhos — em outras palavras, para fazer as coisas que o Salvador faria se Ele estivesse ministrando entre nós hoje.

E o principal propósito desse poder do sacerdócio é o de nos abençoar, santificar-nos e purificar-nos, para que assim possamos viver com nossa família na presença de nossos pais celestiais, unidos pelo selamento do sacerdócio, participando da obra maravilhosa de Deus e Jesus Cristo ao expandirem eternamente a luz e a glória Deles.

Para encerrar, há alguns meses tive a oportunidade de ajudar a preparar uma apresentação de vídeo que teve como base um treinamento mundial de liderança, chamado Fortalecer as Famílias e a Igreja por Meio do Sacerdócio.

Esse DVD inovador e instrutivo está traduzido para 66 paraID=iomas. Ele ensina como o poder do sacerdócio pode abençoar, vivificar e revitalizar nossa vida, a vida de nossa família e a vida de todos os membros da Igreja.

Ele mostra como todos nós — homens, mulheres, crianças; casados, viúvos ou solteiros; não importam quais sejam nossas circunstâncias — podemos ser participantes das bênçãos do sacerdócio. Há vários segmentos de oito a doze minutos que explicam as chaves, a autoridade e o poder do sacerdócio e como ele fortalece as pessoas, a família e a Igreja.

Uma cena em particular foi filmada no pequeno lar pioneiro de minha bisavó materna, Mary Fielding Smith. Ela era a viúva de Hyrum, o irmão mais velho do Profeta Joseph. Criando os filhos sozinha, por meio de sua forte fé no sacerdócio, ela reivindicou esse poder e confiou nele para criar e abençoar os filhos com amor e na luz do evangelho. Hoje, sua posteridade de milhares de fiéis líderes e membros da Igreja são gratos a ela por sua fé, coragem e exemplo.

Esse novo treinamento de liderança está agora disponível na Internet no site lds.org para que todos o vejam e conheçam (wwlt.lds.org). Você pode vê-lo diretamente no lds.org ou pode baixá-lo em seu computador, smartphone ou tablet.

A Primeira Presidência pediu às “presidências de estaca e aos bispados que dediquem uma ou mais reuniões do conselho da estaca ou ala para ver o DVD [inteiro]. Os conselhos de estaca e ala devem discutir como implementar os ensinamentos apresentados” (carta da Primeira Presidência, 1º de fevereiro de 2013).

O conteúdo vai inspirar e motivar os membros nas aulas dos quóruns do sacerdócio, da Sociedade de Socorro, da Escola Dominical, dos Rapazes, das Moças (especialmente os que estiverem se preparando para a missão) e da Primária ou das reuniões combinadas do quinto domingo. Os membros do conselho poderão então incentivar as pessoas e os pais a usar essa apresentação em sua própria família. Irmãos e irmãs, esse treinamento de liderança é para todo membro da Igreja. Pais, analisem, compartilhem e discutam com seus filhos o que aprenderem e sentirem, e deixem-nos ver e fazer o mesmo com vocês, para que sua família seja fortalecida por meio do sacerdócio.

Jesus disse:

“Se alguém tem sede, venha a mim, e beba” (João 7:37).

“Mas aquele que beber da água que eu lhe der nunca terá sede, porque a água que eu lhe der se fará nele uma fonte de água que salte para a vida eterna” (João 4:14).

“Eu sou a luz do mundo; quem me segue (…) terá a luz da vida” (João 8:12).

Se algum de vocês sentir que sua fé ou seu testemunho do plano do Pai Celestial é menor do que você sabe que deveria ser, então, volte-se mais plenamente ao Salvador. Deixe que Sua luz e Sua água viva façam por você e sua família o que um pouco de água e luz fizeram para trazer de volta à vida o tomateiro enfraquecido.

Comecei falando do assombro diante das criações de Deus realizadas pelo poder do sacerdócio. Pergunto-me, como suponho que a maioria de vocês deva se perguntar, se o poder de Deus para instruir e abençoar poderá algum dia ser plenamente compreendido. Ele é tão grande, tão majestoso, tão poderoso.

Joseph Smith disse: “O Sacerdócio é um princípio eterno e existiu com Deus desde a eternidade e existirá por toda a eternidade, sem princípio de dias ou fim de anos” (Ensinamentos dos Presidentes da Igreja: Joseph Smith, 2007, p. 109).

Deus concedeu livremente Seu poder aos que aceitam e honram Seu sacerdócio, que conduz às bênçãos prometidas da imortalidade e da vida eterna.

Testifico que a obra de Jesus Cristo é realizada por meio do sacerdócio. Ele é o poder pelo qual nosso Pai Celestial e Seu Filho Amado criaram esta Terra e puseram em ação o grande plano de felicidade para nós. Sejamos sábios e busquemos força em nossa própria vida, na vida de nossos familiares e na Igreja de Jesus Cristo dos Santos dos Últimos Dias por meio do poder do sacerdócio de Deus, é minha humilde oração, em nome de Jesus Cristo. Amém.