Conferência Geral: Fortalecer a Fé e o Testemunho

Do Quórum dos Doze Apóstolos


Oh, como precisamos da conferência geral! Por meio das conferências, nossa fé é fortalecida e nosso testemunho se aprofunda.

Obrigado, Presidente Monson, por seus ensinamentos, por seu exemplo de serviço cristão e por confiar a todos nós a responsabilidade de ser missionários. Oramos sempre por você.

Em nossa dispensação, o Salvador Jesus Cristo Se referiu a uma reunião dos santos como “minha conferência geral”.1

Onde quer que estejamos no mundo, seja como for que recebamos estas mensagens, testifico que estamos reunidos na conferência Dele. Também testifico que ouviremos Sua palavra, porque Ele disse: “Seja pela minha própria voz ou pela voz de meus servos, é o mesmo”.2

As conferências sempre fizeram parte da Igreja verdadeira de Jesus Cristo. Adão reuniu sua posteridade e profetizou a respeito de coisas que estavam por vir. Moisés reuniu os filhos de Israel e lhes ensinou os mandamentos que havia recebido. O Salvador ensinou multidões reunidas tanto na Terra Santa quanto no continente americano. Pedro reuniu crentes em Jerusalém. A primeira conferência geral destes últimos dias foi realizada apenas dois meses depois que a Igreja foi organizada e as conferências continuam até o dia de hoje.

Essas conferências sempre são realizadas sob a direção do Senhor e guiadas por Seu Espírito.3 Como oradores, não nos é designado um tópico específico. Ao longo de semanas e meses, com frequência em noites de insônia, esperamos no Senhor. Por meio de jejum, oração, estudo e reflexão, ficamos sabendo a mensagem que Ele quer que transmitamos.

Alguns podem perguntar: “Por que a inspiração não vem de modo mais fácil e rápido?” O Senhor ensinou a Oliver Cowdery: “Deves estudá-lo bem em tua mente; depois me deves perguntar se está certo”.4 As mensagens da conferência nos chegam após fervorosa preparação, por meio do Espírito Santo.

Esse princípio se aplica a todos os membros da Igreja, quando nos preparamos para participar de conferências de ala, de estaca e gerais. Estudamos em nossa mente o que precisamos e desejamos do Pai Celestial e oramos para compreender e aplicar o que nos é ensinado. Quando chega a ocasião da conferência, sacrificamos outras atividades, “[deixando] as coisas deste mundo [para] buscar as coisas de um melhor”.5 Depois, reunimos nossa família para ouvir a palavra do Senhor, como fez o povo do rei Benjamim.6

As crianças e os jovens adoram ser incluídos. Cometemos um grave erro se presumimos que a conferência está acima do intelecto e da sensibilidade espiritual deles. Para os jovens membros da Igreja, prometo que se ouvirem, sentirão o Espírito crescer dentro de vocês. O Senhor lhes dirá o que Ele quer que vocês façam com sua vida.

Nas conferências, podemos receber a palavra do Senhor que vem especificamente para nós. Um membro testificou: “Quando ouvi seu discurso, fiquei admirado. (…) Seu discurso foi uma revelação pessoal diretamente do Senhor para minha família. Nunca senti uma manifestação tão forte do Espírito em minha vida quanto naqueles minutos em que o Espírito Santo falou diretamente para mim”.

Outro disse: “Nunca senti tão profundamente que um discurso estava sendo feito para mim”.

Isso é possível porque o Espírito Santo leva a palavra do Senhor a nosso coração em termos que possamos compreender.7 Quando faço anotações durante a conferência, nem sempre escrevo exatamente o que o orador está dizendo. Anoto a instrução personalizada que o Espírito está dando para mim.

O que é dito não é tão importante quanto o que é ouvido e sentido.8 É por isso que fazemos um esforço para vivenciar a conferência num ambiente em que a voz calma e mansa do Espírito possa ser ouvida, sentida e compreendida claramente.

Oh, como precisamos da conferência geral! Por meio das conferências, nossa fé é fortalecida e nosso testemunho se aprofunda. E quando somos convertidos, fortalecemos uns aos outros para que sejamos fortes em meio aos flamejantes dardos destes últimos dias.9

Nas décadas recentes, a Igreja foi grandemente poupada da terrível incompreensão e perseguição que sofreram os primeiros santos. Nem sempre será assim. O mundo está se afastando do Senhor mais rápido e para mais distante do que nunca. O adversário está solto na Terra. Observamos, ouvimos, lemos, estudamos e compartilhamos as palavras dos profetas para que sejamos prevenidos e protegidos. Por exemplo: “A Família: Proclamação ao Mundo” foi dada muito antes de vivenciarmos os desafios que hoje a família enfrenta. “O Cristo Vivo: Testemunho dos Apóstolos” foi preparado bem antes de quando mais seria necessário.

Talvez não saibamos todos os motivos pelos quais os profetas e os oradores abordam certos tópicos na conferência, mas o Senhor sabe. O Presidente Harold B. Lee ensinou: “A única segurança que temos como membros da Igreja é (…) dar ouvidos às palavras e mandamentos que o Senhor nos dá por intermédio de Seu profeta. (…) Algumas coisas exigirão paciência e fé. Talvez nem tudo o que provenha das autoridades da Igreja seja de seu inteiro agrado. Pode ser que vá de encontro a seus pontos de vista [pessoais] ou sociais. Algumas coisas talvez interfiram em sua vida social. Mas se vocês ouvirem tais palavras como se saíssem da boca do próprio Senhor, com paciência e fé, a promessa é que ‘as portas do inferno não prevalecerão contra vós; (…) e o Senhor Deus afastará de vós os poderes das trevas e fará tremerem os céus para o vosso bem e para a glória de seu nome’ (D&C 21:6)”.10

Como o Presidente Lee sabia o que enfrentaríamos em nossos dias? Ele sabia porque era um profeta, vidente e revelador. E se dermos ouvidos e obedecermos aos profetas hoje, inclusive aqueles que vão falar nesta mesma conferência, seremos fortalecidos e protegidos.

Recebemos as maiores bênçãos da conferência geral depois que ela chega ao fim. Lembrem-se do padrão registrado com frequência nas escrituras: reunimo-nos para ouvir as palavras do Senhor e voltamos para casa para vivê-las.

Depois que o rei Benjamim ensinou seu povo, “despediu a multidão; e voltaram, cada um com sua família, para suas próprias casas”.11 Em sua época, o rei Lími fez o mesmo.12 Depois de ensinar e ministrar ao povo no templo, em Abundância, o Salvador disse ao povo: “Ide para vossas casas, meditai sobre as coisas que eu disse e pedi ao Pai, em meu nome, que as possais entender; e preparai a mente para amanhã e eu virei a vós outra vez”.13

Aceitamos o convite do Salvador quando ponderamos e oramos para compreender o que nos foi ensinado e depois vamos e fazemos a vontade Dele. Lembrem-se das palavras do Presidente Spencer W. Kimball: “Determinei em minha mente que, quando voltar para casa desta conferência [geral] (…) há muitas e muitas áreas de minha vida que posso aperfeiçoar. Fiz uma lista mental delas e espero começar a trabalhar nelas assim que terminarmos”.14 O Presidente Monson disse recentemente: “Incentivo a todos a ler os discursos e a (…) ponderar sobre as mensagens neles ensinadas. Em minha própria vida, descobri que tiro maior proveito desses sermões inspirados quando os estudo em maior profundidade”.15

Além de convidar-nos para o estudo das escrituras pessoal e em família, o Pai Celestial quer que estudemos regularmente e coloquemos em prática o que aprendemos na conferência. Testifico que aqueles que depositam sua confiança no Senhor e dão ouvidos a esse conselho com fé vão adquirir mais força para abençoar sua própria vida e sua família por gerações no futuro.

O Pai Celestial proveu-nos o meio. Nesta conferência, 97% da Igreja pode ouvir estas mensagens em seu próprio idioma. Milhões de membros em 197 países vão assistir a esta conferência em 95 idiomas. Em apenas dois ou três dias, as mensagens começarão a aparecer no LDS.org em inglês, e dentro de uma semana, elas começarão a ser disponibilizadas em 52 idiomas. Agora, recebemos as revistas impressas da Igreja dentro de três semanas após a conferência geral. Já não temos que esperar meses para que os discursos cheguem pelo correio. Em um computador, no celular ou em outro dispositivo eletrônico, podemos ler, ouvir, ver e compartilhar os ensinamentos dos profetas. A qualquer momento, em qualquer lugar, podemos ampliar nosso conhecimento, fortalecer nossa fé e nosso testemunho, proteger nossa família e conduzi-los em segurança ao lar.

As mensagens desta conferência também estarão incluídas no currículo dos jovens, na Internet. Pais, vocês mesmos precisam acessar as lições dos jovens no site LDS.org. Descubram o que seus filhos estão aprendendo, e façam disso um tema de seu próprio estudo, das conversas em família, das noites familiares, dos conselhos de família e das entrevistas pessoais com cada filho, levando em conta o que cada um precisa aprender em particular.

Incentivo todos os membros a usar os recursos dos sites e aplicativos móveis da Igreja. Eles estão sendo continuamente aprimorados para que sejam de mais fácil uso ou mais relevantes para nossa vida. No site LDS.org vocês encontrarão recursos para ajudá-los a estudar o evangelho, fortalecer seu lar e sua família e servir em seus chamados. Vocês podem também localizar seus antepassados que precisam das ordenanças do templo e há recursos para apoiá-los no trabalho de salvação, inclusive para compartilhar o evangelho. Os pais podem assumir a liderança de preparar os filhos para o batismo, para o sacerdócio, para a missão de tempo integral e para o templo. Eles podem ajudá-los a trilhar o caminho estreito e apertado das ordenanças e dos convênios do templo e a qualificar-se para a bênção da vida eterna.

Na conferência de abril passado, na reunião geral do sacerdócio, contei a respeito do desenho que meu pai fez de um guerreiro em sua armadura para ensinar-me sobre como vestir toda a armadura de Deus e a proteção espiritual que ela proporciona.

Depois do término daquela sessão, um pai contou para sua família o que ele havia aprendido. Inspirado, seu jovem filho Jason procurou no LDS.org para ouvir ele mesmo a mensagem. Poucos dias depois, ele quis compartilhar a lição na noite familiar com seus irmãos e irmãs: E aqui está ele.

Uma simples mensagem de conferência, inspirada pelo Senhor, recebida por uma criança, foi ensinada para uma família de modo pessoal e vigoroso. Adoro este peitoral de retidão. Adoro este escudo de fé que desvia os dardos inflamados do adversário. Essas são as bênçãos da conferência.

Meus irmãos e irmãs, presto meu testemunho especial de que o Senhor Jesus Cristo vive e dirige esta Igreja. Esta é a conferência geral Dele. Prometo, em nome Dele, que se orarem com o sincero desejo de ouvir a voz de seu Pai Celestial nas mensagens desta conferência, descobrirão que Ele falou para ajudá-los, para fortalecê-los e guiá-los de volta ao lar à presença Dele. Em nome de Jesus Cristo. Amém.

Exibir Referências

  1.  

    1. Doutrina e Convênios 124:88; grifo do autor.

  2.  

    2. Doutrina e Convênios 1:38.

  3.  

    3. Ver Doutrina e Convênios 46:2.

  4.  

    4. Doutrina e Convênios 9:8.

  5.  

    5. Doutrina e Convênios 25:10.

  6.  

    6. Ver Mosias 2:5.

  7.  

    7. Ver 2 Néfi 33:1.

  8.  

    8. Ver Spencer W. Kimball, Conference Report, Conferência de Área Tonga, 1976, p. 27.

  9.  

    9. Ver Lucas 22:31–32.

  10.  

    10. Ensinamentos dos Presidentes da Igreja: Harold B. Lee, 2000, pp. 84–85.

  11.  

    11. Mosias 6:3.

  12.  

    12. Ver Mosias 8:4.

  13.  

    13. 3 Néfi 17:3.

  14.  

    14. Spencer W. Kimball, “Spoken from Their Hearts”, Ensign, novembro de 1975, p. 111.

  15.  

    15. Thomas S. Monson, “Deus Vos Guarde”, A Liahona, novembro de 2012, p. 110.