Pular para a Navegação Principal
Abril 2014 | Precisa-se de: Mãos e Corações para Acelerar o Trabalho

Precisa-se de: Mãos e Corações para Acelerar o Trabalho

Abril 2014 Conferência Geral

Podemos oferecer mãos que ajudam e corações solícitos para acelerar a maravilhosa obra do Pai Celestial.

Minhas queridas irmãs, amamos vocês! Ao assistir a esse belo vídeo, vocês viram a sua própria mão estendida para ajudar alguém ao longo desse caminho do convênio? Eu estava pensando numa menininha da Primária chamada Brynn, que tem apenas uma das mãos, mas ainda assim ela a usa para ajudar e abençoar seus familiares e amigos: tanto os santos dos últimos dias quanto os de outras religiões. Ela não é linda? E vocês também são! Irmãs, podemos oferecer mãos que ajudam e corações solícitos para acelerar a maravilhosa obra do Pai Celestial.

Assim como nossas fiéis irmãs nas escrituras — Eva, Sara, Maria e muitas outras — conheciam sua identidade e seu propósito, Brynn sabe que é uma filha de Deus.1 Podemos também conhecer o nosso próprio legado divino como filhas amadas de Deus e o trabalho de vital importância que Ele deseja que realizemos.

O Salvador ensinou: “Se alguém quiser fazer a vontade dele, pela mesma doutrina conhecerá se ela é de Deus”.2 O que precisamos conhecer e fazer “para com Ele viver”?3 Podemos aprender com a história do jovem rico que perguntou a Jesus o que ele precisava fazer para receber a vida eterna.

Jesus respondeu: “Se queres (…) entrar na vida, guarda os mandamentos”.

O jovem perguntou quais eram os mandamentos que ele deveria guardar. Jesus, então, lembrou-o de vários dos Dez Mandamentos que todos conhecemos bem.

O jovem replicou: “Tudo isso tenho guardado desde a minha mocidade; que me falta ainda?

Disse-lhe Jesus: Se queres ser perfeito, vai, vende tudo o que tens e dá-o aos pobres, e terás um tesouro no céu; e vem, e segue-me”.4

Jesus o chamou para fazer parte de Sua obra: o trabalho de um discípulo. Nossa obra é a mesma. Devemos “deixar as coisas deste mundo e (…) [apegar-nos] aos [nossos] convênios”5 e achegar-nos a Cristo e segui-Lo. É isso que os discípulos fazem!

Ora, irmãs, não vamos começar a recriminar a nós mesmas porque o Salvador disse ao jovem rico que ele deveria tornar-se perfeito. A palavra perfeito nesse relato foi traduzida de uma palavra grega que significa “completo”. Ao procurarmos fazer o melhor que podemos para progredir no caminho do convênio, vamos nos tornar mais completas e perfeitas nesta vida.

Tal como o jovem rico da época de Jesus, às vezes somos tentadas a desistir ou a recuar por acharmos que não conseguiremos fazê-lo sozinhas. E estamos certas! Sem ajuda não podemos fazer as coisas difíceis que nos foram pedidas. Essa ajuda vem por meio da Expiação de Jesus Cristo, pela orientação do Espírito Santo e pelas mãos de outras pessoas.

Uma fiel irmã solteira testificou que, por meio da Expiação, ela encontrou forças para usar suas mãos que ajudam e um coração solícito a fim de criar os quatro filhos que sua irmã deixou ao morrer de câncer. Isso me lembra de algo que o Élder Neal A. Maxwell disse: “Todas as coisas fáceis que a Igreja tinha que fazer já foram feitas. De agora em diante, é uma grande aventura, e para seguir Cristo seremos testados de maneiras bem interessantes”.6 Vocês foram enviadas à Terra nesta dispensação dos tempos por causa de quem são e do que foram preparadas para fazer! Independentemente do que Satanás nos tente persuadir a pensar sobre quem somos, nossa verdadeira identidade é a de uma discípula de Jesus Cristo!

Mórmon foi um discípulo verdadeiro, que viveu numa época em que “o coração de todos endureceu-se (…) e nunca houve tão grande iniquidade entre todos os filhos de Leí”7. Será que vocês teriam gostado de viver naquela época? E, no entanto, Mórmon valentemente declarou: “Eis que sou discípulo de Jesus Cristo, o Filho de Deus”.8

Vocês não amam Mórmon? Ele sabia quem era e qual era sua missão, não se deixando distrair pelo mal que o rodeava. De fato, ele considerava seu chamado uma dádiva.9

Pensem em que grande bênção é sermos chamadas para oferecer nossa dádiva de discipulado diário ao Senhor, declarando por palavras e ações: “Eis que sou discípula de Jesus Cristo!”

Adoro a história que o Presidente Boyd K. Packer contou sobre uma irmã que foi ridicularizada por seguir o conselho dado pelo profeta de armazenar alimentos. A pessoa que a criticou sugeriu que, se a situação ficasse desesperadora, os líderes dela pediriam que ela compartilhasse seu armazenamento de alimentos. A simples e resoluta resposta de uma verdadeira discípula foi: “Pelo menos terei algo para oferecer”.10

Amo as mulheres da Igreja, as jovens e as idosas. Vi a força que vocês têm. Vi sua fé. Vocês têm algo para oferecer e estão dispostas a fazê-lo. Fazem isso sem alarde nem publicidade, chamando a atenção para o Deus a Quem adoramos, e não para si mesmas, e sem pensar no que vão receber.11 É isso que as discípulas fazem!

Conheci recentemente uma moça das Filipinas cuja família se tornou menos ativa na Igreja quando ela tinha apenas sete anos de idade, deixando-a sozinha para caminhar por uma estrada perigosa até a Igreja, semana após semana. Ela contou que aos 14 anos decidiu que permaneceria fiel a seus convênios para que fosse digna de criar sua futura família num lar “abençoado pelo poder do sacerdócio”.12 A melhor maneira de fortalecer um lar, no presente ou no futuro, é guardar os convênios, assim como as promessas que fizemos uns aos outros e a Deus.

É isso que as discípulas fazem!

Uma fiel irmã japonesa e o marido visitaram nossa missão na Coreia. Ela não falava coreano e sua fluência no inglês era bem limitada, mas tinha um coração solícito e estava disposta a usar seus dons especiais e suas mãos que ajudam para fazer o trabalho do Senhor. É isso o que fazem os discípulos! Ela ensinou nossos missionários a fazer um origami bem simples: uma boca que abria e fechava. Então, usou as poucas palavras que conhecia em inglês para ensinar os missionários a “abrir a boca” para compartilhar o evangelho: uma lição que eles nunca esquecerão, tampouco eu.

Visualizem por um instante vocês e eu juntas com outros milhões de irmãs e irmãos na Igreja Dele, indo avante com destemor, fazendo o que fazem os discípulos — servindo e amando como o Salvador. O que significa para vocês serem discípulas de Jesus Cristo?

Os coletes e as camisetas do programa Mãos Que Ajudam foram usados por centenas de milhares de generosos discípulos de Jesus Cristo que aceitaram a oportunidade de prestar serviço temporal. Mas há outras maneiras de servir como discípulas devotadas. Imaginem comigo alguns dos possíveis cartazes espirituais de “precisa-se” relacionados ao trabalho de salvação.

  • Precisa-se de: pais que criem os filhos em luz e verdade

  • Precisa-se de: filhas e filhos, irmãs e irmãos, tias e tios, primas e primos, avós e amigos verdadeiros para servir como mentores e para oferecer as mãos que ajudam ao longo do caminho do convênio

  • Precisa-se de: pessoas que ouçam os sussurros do Espírito Santo e ajam conforme as inspirações recebidas

  • Precisa-se de: pessoas que vivam o evangelho diariamente de maneira simples

  • Precisa-se de: oficiantes do templo e de história da família para unir as famílias para sempre

  • Precisa-se de: missionárias e membros para pregar as “boas novas” — o evangelho de Jesus Cristo

  • Precisa-se de: resgatadoras para encontrar os que se perderam

  • Precisa-se de: pessoas que cumpram o convênio de defender firmemente a verdade e o certo

  • Precisa-se de: verdadeiras discípulas do Senhor Jesus Cristo

Há vários anos, o Élder M. Russell Ballard fez soar um toque de clarim convocando as irmãs da Igreja ao dizer:

“De hoje até o dia da Segunda Vinda do Senhor, Ele precisará de mulheres em todas as famílias, todas as alas, todas as comunidades e todas as nações que, em retidão, se disponham a dizer com palavras e atos: ‘Eis-me aqui, envia-me’.

Minha pergunta é: ‘Vocês estarão entre essas mulheres?’”13

Espero que cada uma de nós responda com um sonoro “Sim!” Encerro com a letra de um hino da Primária:

[Somos filhas] do convênio, temos dons pra dar.

Nosso exemplo o evangelho irá ensinar.

E, por nossas obras, sim, testificar

Que servimos a Cristo Jesus.14

Como verdadeiras discípulas, ofertemos nosso coração solícito e nossas mãos que ajudam para acelerar a Sua obra. Não importa se, tal como Brynn, temos somente uma das mãos. Não importa se ainda não somos perfeitas e completas. Somos discípulas devotadas que estendem a mão e que se ajudam mutuamente ao longo do caminho. Nossa irmandade se estende pelas gerações até as irmãs fiéis que nos precederam. Juntas, como irmãs e em união com os profetas, videntes e reveladores vivos que possuem as chaves do sacerdócio, podemos ser unidas como discípulas e andar como servas com um coração solícito e mãos que ajudam para acelerar o trabalho de salvação. Ao fazermos isso, vamos nos tornar mais semelhantes ao Salvador. Disso testifico, em nome de Jesus Cristo. Amém.

Exibir ReferênciasOcultar Referências