New Experience
Outubro 2015 | Ser um Exemplo e uma Luz

Ser um Exemplo e uma Luz

Outubro 2015 Conferência Geral

Ao seguirmos o exemplo do Salvador, teremos a oportunidade de ser uma luz na vida das pessoas.

Irmãos e irmãs, como é bom estar novamente com vocês. Como sabem, desde que nos reunimos em abril, ficamos tristes com a perda de três de nossos queridos apóstolos: O Presidente Boyd K. Packer, o Élder L. Tom Perry e o Élder Richard G. Scott. Eles retornaram a seu lar celeste. Sentimos saudades deles. Temos imensa gratidão pelo seu exemplo de amor cristão e pelos ensinamentos inspirados que deixaram para todos nós.

Damos calorosas boas-vindas a nossos mais novos apóstolos, o Élder Ronald A. Rasband, o Élder Gary E. Stevenson e o Élder Dale G. Renlund. São homens dedicados à obra do Senhor. Estão muito bem qualificados para ocupar o importante cargo para o qual foram chamados.

Recentemente, ao ler e ponderar as escrituras, duas passagens em particular me chamaram a atenção. Conhecemos bem as duas. A primeira é do Sermão da Montanha: “Assim resplandeça a vossa luz diante dos homens, para que vejam as vossas boas obras, e glorifiquem a vosso Pai, que está nos céus”.1 A segunda é uma escritura que me veio à mente enquanto eu ponderava o significado da primeira. É da epístola do Apóstolo Paulo para Timóteo: “Sê o exemplo dos fiéis, na palavra, no trato, na caridade, no espírito, na fé, na pureza”.2

Creio que a segunda escritura explica, em grande parte, como podemos cumprir a primeira. Tornamo-nos exemplos dos fiéis vivendo o evangelho de Jesus Cristo na palavra, no trato, na caridade, no espírito, na fé, na pureza. Ao fazermos isso, nossa luz vai brilhar para que as pessoas a vejam.

Cada um de nós que veio à Terra recebeu a Luz de Cristo. Ao seguirmos o exemplo do Salvador e vivermos como Ele viveu e como Ele ensinou, essa luz vai arder dentro de nós e iluminar o caminho para outras pessoas.

O Apóstolo Paulo fez uma lista de seis atributos de um fiel, os quais permitem que nossa luz brilhe. Vamos examinar cada um deles.

Mencionarei os dois primeiros atributos juntos: ser um exemplo na palavra e no trato. As palavras que usamos podem elevar e inspirar, ou podem magoar e humilhar. No mundo atual, há um supercrescimento de profanidades pelo qual parecemos estar cercados em quase toda direção. É difícil não ouvir o nome de Deus ser usado de modo descuidado e irrefletido. Comentários rudes tornaram-se comuns nos programas de televisão, filmes, livros e músicas. Proferem-se livremente insultos e retórica irada. Falemos com as pessoas com amor e respeito, sempre mantendo a linguagem pura e abstendo-nos de usar palavras ou comentários que magoem ou ofendam. Sigamos o exemplo do Salvador, que falou com tolerância e bondade durante todo o Seu ministério.

O atributo seguinte mencionado por Paulo é a caridade, que foi definido como “o puro amor de Cristo”.3 Tenho certeza de que dentro de nossa esfera de influência há pessoas solitárias, enfermas e desanimadas. Temos a oportunidade de ajudá-las e de elevar-lhes o espírito. O Salvador deu esperança ao desesperançado, e forças ao fraco. Ele curou os enfermos, fez o coxo andar, o cego ver, o surdo ouvir. Chegou até a reviver os mortos. Durante todo o Seu ministério, Ele estendeu a mão com caridade a todos os necessitados. Ao imitarmos Seu exemplo, abençoaremos vidas, inclusive a nossa.

Em seguida, temos que ser um exemplo no espírito. Para mim, isso significa que nos esforçamos para ter bondade, gratidão, perdão e boa vontade em nossa vida. Essas qualidades nos proporcionam um espírito que toca a vida das pessoas a nosso redor. Tive oportunidade ao longo dos anos de conviver com inúmeras pessoas que tinham um espírito assim. Sentimos algo especial quando estamos com elas, um sentimento que nos faz querer estar na companhia delas e seguir seu exemplo. Elas irradiam a Luz de Cristo e nos ajudam a sentir o amor Dele por nós.

Para ilustrar que a luz que emana de um espírito puro e amoroso é reconhecida pelas pessoas, vou contar-lhes uma experiência pessoal que tive há muitos anos.

Naquela época, os líderes da Igreja se reuniram com líderes governamentais de Jerusalém para elaborar um acordo de arrendamento do local onde seria construído o Centro da Igreja em Jerusalém. Para obter a permissão necessária, a Igreja teve que concordar com a exigência de que nenhum trabalho de proselitismo seria realizado por nossos membros que utilizariam o centro. Depois que esse acordo foi firmado, um dos líderes governamentais israelenses, que conhecia bem a Igreja e seus membros, comentou que ele sabia que a Igreja honraria o acordo de não fazer proselitismo. “Mas”, disse ele, referindo-se aos alunos que frequentariam o local, “o que vamos fazer em relação à luz nos olhos deles?”4 Que essa luz especial sempre brilhe dentro de nós para que possa ser reconhecida e valorizada pelas pessoas.

Ser um exemplo na fé significa que confiamos no Senhor e em Sua palavra. Significa que possuímos e nutrimos as crenças que vão guiar nossos pensamentos e nossas ações. Nossa fé no Senhor Jesus Cristo e em nosso Pai Celestial vai influenciar tudo o que fizermos. Em meio à confusão de nossa época, os conflitos de consciência e o tumulto da vida cotidiana, uma fé duradoura se torna uma âncora em nossa vida. Lembrem-se de que a fé e a dúvida não podem existir na mente ao mesmo tempo, pois uma dissipa a outra. Reitero o que já foi dito repetidas vezes: para adquirir e manter a fé que nos é necessária, é essencial que leiamos, estudemos e ponderemos as escrituras. A comunicação com nosso Pai Celestial por meio da oração é vital. Não podemos nos dar ao luxo de negligenciar essas coisas, porque o adversário e suas hostes estão implacavelmente buscando uma fenda em nossa armadura, um lapso em nossa fidelidade. O Senhor disse: “Buscai diligentemente, orai sempre e sede crentes; e todas as coisas contribuirão para o vosso bem”.5

Por fim, temos que ser puros, o que significa ser limpos de corpo, mente e espírito. Sabemos que nosso corpo é um templo e que deve ser tratado com reverência e respeito. Nossa mente deve encher-se de pensamentos elevados e enobrecedores, sendo mantida livre de coisas que a poluam. Para termos o Espírito Santo como nosso companheiro constante, precisamos ser dignos. Irmãos e irmãs, a pureza nos proporciona paz de consciência e nos qualifica para recebermos as promessas do Salvador. Ele disse: “Bem-aventurados os puros de coração, porque eles verão a Deus”.6

Ao provarmos ser exemplos na palavra, no trato, na caridade, no espírito, na fé e na pureza, vamos nos qualificar para ser uma luz para o mundo.

Quero dizer a todos, particularmente a vocês, jovens, que, à medida que o mundo se afasta cada vez mais dos princípios e das diretrizes que nos foram dados por um amoroso Pai Celestial, destacamo-nos da multidão por sermos diferentes. Destacamo-nos porque nos vestimos com recato. Seremos diferentes porque não dizemos palavrões e porque não fazemos uso de substâncias prejudiciais a nosso corpo. Seremos diferentes porque nos abstemos de dizer piadas impróprias e fazer comentários degradantes. Seremos diferentes ao decidirmos não encher a mente com as opções da mídia que são vulgares e degradantes e que afastam o Espírito de nosso lar e de nossa vida. Sem dúvida vamos nos destacar ao fazermos escolhas em relação à moralidade — escolhas condizentes com os princípios e padrões do evangelho. Essas coisas que nos tornam diferentes da maioria do mundo também nos proporcionam a luz e o espírito que vão brilhar em um mundo cada vez mais tenebroso.

Geralmente é difícil ser diferente e destacar-se na multidão. É natural ter medo do que os outros vão pensar ou dizer. Consoladoras são as palavras do salmo: “O Senhor é a minha luz e a minha salvação; a quem temerei? O Senhor é a força da minha vida; de quem me recearei?”7 À medida que fizermos de Cristo o ponto central de nossa vida, nossos temores serão substituídos pela coragem de nossa convicção.

A vida não é perfeita para ninguém, e às vezes os desafios e as dificuldades que enfrentamos podem tornar-se avassaladores, fazendo com que nossa luz enfraqueça. Contudo, com a ajuda de nosso Pai Celestial, aliada ao apoio de outras pessoas, podemos readquirir a luz que vai iluminar nosso próprio caminho novamente e prover a luz que outros podem precisar.

Para ilustrar, compartilho com vocês as tocantes palavras de um poema favorito que li pela primeira vez há muitos anos:

Encontrei à noite um estranho

cuja lâmpada se apagara.

Parei e deixei que acendesse

sua lâmpada na minha.

Uma tempestade irrompeu mais tarde,

fazendo o mundo tremer.

E quando o vento cessou,

minha lâmpada estava apagada!

Mas o estranho voltou até onde eu estava,

com a sua lâmpada brilhando forte.

Ergueu sua preciosa chama

e acendeu a minha.8

Meus irmãos e irmãs, estamos cercados de oportunidades de brilhar a cada dia, sejam quais forem as circunstâncias em que nos encontremos. Ao seguirmos o exemplo do Salvador, teremos a oportunidade de ser uma luz na vida das pessoas, sejam nossos próprios familiares e amigos, nossos colegas de trabalho, meros conhecidos ou pessoas totalmente desconhecidas.

Para cada um de vocês, digo: Você é um filho ou uma filha de nosso Pai Celestial. Você veio da presença Dele para viver nesta Terra por algum tempo, para refletir o amor e os ensinamentos do Salvador, deixando corajosamente sua luz brilhar para que todos a vejam. Quando esse período na Terra terminar, se tiver feito sua parte, você terá a gloriosa bênção de voltar a viver com Ele para sempre.

Como são reconfortantes as palavras do Salvador: “Eu sou a luz do mundo; quem me segue não andará em trevas, mas terá a luz da vida”.9 Presto testemunho Dele. Ele é nosso Salvador e Redentor, nosso Advogado junto ao Pai. Ele é nosso Exemplo e nossa força. Ele é “a luz que resplandece nas trevas”.10 Que cada um de nós ao alcance da minha voz se comprometa a segui-Lo, tornando-se assim uma luz resplandecente para o mundo, é minha oração em Seu santo nome, sim, Jesus Cristo, o Senhor. Amém.

Exibir ReferênciasOcultar Referências