Pular para a Navegação Principal
Outubro 2015 | Enfrentar os Desafios do Mundo Atual

Enfrentar os Desafios do Mundo Atual

Outubro 2015 Conferência Geral

As escolhas que fizerem — missão, estudos, casamento, carreira e serviço na Igreja — vão moldar seu destino eterno.

Muito foi dito e escrito sobre a geração atual de jovens adultos. As pesquisas mostram que muitos resistem à religião organizada. Muitos estão com dívidas e desempregados. A maioria gosta da ideia do casamento, porém muitos relutam em dar esse passo. Um número crescente deles não quer ter filhos. Sem o evangelho e a orientação inspirada, muitos vagam errantes por caminhos estranhos e perdem o rumo.

Felizmente, os jovens adultos da Igreja estão bem menos envolvidos nessas tendências perturbadoras, em parte porque são abençoados com o plano do evangelho. Esse plano eterno inclui o empenho de agarrar-nos à barra de ferro — apegar-nos à palavra de Deus e à palavra de Seus profetas. Precisamos agarrar-nos com mais força à barra que nos leva de volta à presença Dele. Este é o “dia de escolha”1 para todos nós.

Quando eu era jovem, sempre que estava prestes a tomar uma decisão sem pensar muito bem, meu pai às vezes dizia: “Robert, endireite-se e voe no rumo certo!” Você já passou por isso. No espírito dessa abordagem direta que ele usava, gostaria de falar especificamente a vocês, nossos nobres jovens, e nobres jovens adultos, porque “minha alma se deleita em esclarecer (…), para que [aprendamos]”.2

Vocês estão vivendo em um período crítico de sua vida. As escolhas que fizerem — missão, estudos, casamento, carreira e serviço na Igreja — vão moldar seu destino eterno. Isso significa que vocês vão estar sempre olhando adiante — para o futuro.

Como piloto da Força Aérea americana, aprendi este princípio: nunca voe deliberadamente para dentro de uma tempestade de raios. (Não vou dizer como descobri isso.) Em vez disso, voe ao redor dela, pegue outra rota ou espere a tempestade passar antes de aterrissar.

Amados jovens irmãos e irmãs, quero ajudá-los a “voar no rumo certo” em meio às tempestades que se formam nos últimos dias. Vocês são o piloto. Sua responsabilidade é pensar nas consequências de cada decisão que tomam. Perguntem-se: “Se eu tomar essa decisão, qual é a pior coisa que pode acontecer?” Suas decisões justas vão impedi-los de sair do rumo.

Pensem nisso: Se decidirem não tomar bebidas alcoólicas, não se tornarão alcoólatras! Se decidirem nunca fazer dívidas, vão evitar a possibilidade de uma falência!

Um dos propósitos das escrituras é mostrar-nos como as pessoas justas reagem à tentação e ao mal. Em resumo, elas os evitam! José fugiu da esposa de Potifar.3 Leí pegou a família e saiu de Jerusalém.4 Maria e José fugiram para o Egito para escapar da trama iníqua de Herodes.5 Em todos esses casos, o Pai Celestial advertiu esses fiéis. De modo semelhante, Ele vai ajudar-nos a saber se devemos lutar, fugir ou seguir o fluxo das circunstâncias que se apresentam diante de nós. Ele falará conosco por meio da oração e, ao orarmos, teremos o Espírito Santo, que nos guiará. Temos as escrituras, os ensinamentos dos profetas vivos, a bênção patriarcal, o conselho inspirado de pais, líderes do sacerdócio e das auxiliares e, acima de tudo, da voz mansa e delicada do Espírito.

O Senhor sempre cumpre Sua promessa: “Eu vos guiarei”.6 A única pergunta é: Será que vamos permitir que Ele nos conduza? Será que vamos ouvir Sua voz e a voz de Seus servos?

Testifico que, se vocês se achegarem ao Senhor, Ele Se achegará a vocês.7 Se vocês O amarem e guardarem Seus mandamentos, terão Seu Espírito consigo para guiá-los. “Põe tua confiança naquele Espírito que leva a fazer o bem. (…) Por este meio saberás todas as coisas, relativas à retidão.”8

Com esses princípios como alicerce, quero deixar-lhes alguns conselhos práticos.

Muitos de sua geração estão enfrentando dívidas esmagadoras. Quando eu era jovem adulto, meu presidente de estaca trabalhava com aplicações na bolsa de valores. Ele me ensinou: “Você será rico se conseguir viver feliz dentro de suas possibilidades”. Como posso fazer isso? Paguem seu dízimo e depois economizem! Quando ganharem mais, economizem mais. Não briguem com os outros para terem brinquedos caros. Não comprem o que não puderem pagar.

Muitos jovens adultos do mundo estão fazendo dívidas para conseguir estudar, mas então descobrem que o custo dos estudos é maior do que eles conseguem pagar de volta. Procurem obter bolsas de estudo e subsídios. Arrumem um emprego de meio período, se possível, para ajudar a pagar suas despesas. Isso vai exigir algum sacrifício, mas vai ajudá-los a ter sucesso.

Os estudos os preparam para melhores oportunidades de emprego. Colocam-nos em melhor posição para servir e abençoar as pessoas a seu redor. Vão encaminhá-los na senda de aprendizado por toda a vida. Vão fortalecê-los ao lutarem contra a ignorância e o erro. Como Joseph Smith ensinou: “O conhecimento afasta as trevas, o suspense e a dúvida, porque essas coisas não podem existir onde houver conhecimento. (…) Há poder no conhecimento”.9 “É bom ser instruído, quando se dá ouvidos aos conselhos de Deus.”10 A educação formal vai prepará-los para o que está por vir, inclusive o casamento.

Novamente, posso ser franco? A senda que leva ao casamento passa pelo terreno que se chama namoro! Namorar é ter a oportunidade de conversar muito. Ao namorar, descubram tudo o que puderem um sobre o outro. Procurem conhecer a família um do outro se possível. Suas metas são compatíveis? Vocês compartilham dos mesmos sentimentos em relação aos mandamentos, ao Salvador, ao sacerdócio, ao templo, à criação de filhos, aos chamados na Igreja e ao serviço ao próximo? Observaram um ao outro nos momentos de estresse, como reagem ao sucesso e ao fracasso, como resistem à raiva e como lidam com revezes? A pessoa que vocês estão namorando humilha os outros ou eleva as outras pessoas? Em sua atitude, linguagem e conduta, com o que vocês gostariam de conviver cotidianamente?

Tendo dito isso, ninguém se casa com a perfeição; casamos com o potencial. O casamento certo não tem a ver apenas com o que eu quero. Tem também a ver com o que ela — que vai ser minha companheira — quer e precisa que eu seja.

Falando claramente, não namorem o tempo todo de sua juventude apenas para “divertirem-se”, adiando assim o casamento em favor de outros interesses e outras atividades. Por quê? Porque o namoro e o casamento não são destinos finais. São portas para onde vocês vão querer chegar no final. “Portanto, deixará o homem seu pai e a sua mãe, e apegar-se-á à sua mulher.”11

Sua responsabilidade agora é a de serem dignos da pessoa com quem querem se casar. Se quiserem se casar com uma pessoa íntegra, atraente, honesta, feliz, trabalhadora e espiritual, sejam esse tipo de pessoa. Se vocês forem essa pessoa e ainda não estiverem casados, sejam pacientes. Esperar no Senhor. Testifico que o Senhor conhece seus desejos e os ama por sua fiel devoção a Ele. Ele tem um plano para você, quer seja nesta vida ou na próxima. Ouvir Seu Espírito. “Não tenteis dar conselhos ao Senhor, mas, sim, recebei conselhos de sua mão.”12 Nesta vida ou na próxima, Suas promessas serão cumpridas. “Se estiverdes preparados, não temereis.”13

Se não tiverem recursos abundantes, não se preocupem. Um membro maravilhoso da Igreja me disse recentemente: “Não criei meus filhos com dinheiro. Criei-os com fé”. Há uma profunda verdade nisso. Comecem a exercer sua fé em todas as áreas de sua vida. Se não o fizerem, acabarão sofrendo do que eu chamaria de “atrofia da fé”. A própria força necessária para exercerem sua fé vai diminuir. Por isso exerçam a fé todos os dias, assim vocês vão “[tornar-se] cada vez mais fortes (…) e cada vez mais firmes na fé em Cristo”.14

Para estarem prontos para o casamento, certifiquem-se de estarem dignos de tomar o sacramento e de ter uma recomendação para o templo. Frequentem o templo assiduamente. Sirvam na Igreja. Além de seus chamados na Igreja, sigam o exemplo do Salvador, que simplesmente “andou fazendo o bem”.15

Ora, vocês podem ter sérias dúvidas em relação às escolhas que têm pela frente. Quando eu era jovem adulto, procurei o conselho de meus pais e de fiéis consultores em quem eu confiava. Um deles foi um líder do sacerdócio. Outro foi um professor que acreditava em mim. Ambos me disseram: “Se quiser meu conselho, esteja preparado para segui-lo”. Compreendo o que queriam dizer. Escolha em espírito de oração alguns mentores que tenham o bem-estar espiritual de vocês no coração deles. Tenham cuidado ao aceitar conselho dos amigos de sua idade. Se quiserem ter mais do que têm hoje, busquem no alto, e não para os lados!16

Lembrem-se de que ninguém pode escalar para o alto em seu lugar. Somente sua própria fé e suas orações farão com que vocês se elevem e tenham uma vigorosa mudança no coração. Somente sua própria determinação de ser obedientes pode mudar sua vida. Graças ao Sacrifício Expiatório do Salvador por vocês, o poder está em vocês.17 Vocês têm seu arbítrio e, se forem obedientes, têm um testemunho forte e podem seguir o Espírito, que os guia.

Recentemente, um jovem cineasta disse que sentiu que fazia parte de uma “geração de pródigos” — uma geração que está “em busca de esperança, alegria e realização, mas que as procura em todos os lugares errados e das maneiras erradas”.18

Na parábola do filho pródigo contada pelo Salvador, o filho tinha muitas bênçãos reservadas para ele, mas, antes de poder usufruí-las, teve de examinar mais atentamente sua própria vida, suas escolhas e suas circunstâncias. O milagre que aconteceu em seguida é descrito nas escrituras com uma frase bem simples: “Caindo em si”.19 Quero incentivá-los a cair em si mesmos. Na Igreja, quando é preciso tomar decisões importantes, geralmente realizamos reuniões de conselho. Os conselhos de família têm um propósito semelhante. Vocês podem realizar o que vou chamar de “conselho pessoal”. Depois de orarem, passem algum tempo a sós. Pensem no que está por vir. Perguntem a si mesmos: “Que outras áreas da minha vida quero fortalecer para poder fortalecer outros? Onde quero estar daqui a um ano? Daqui a dois anos? Que decisões devo tomar para chegar lá?” Mas lembrem-se: vocês são o piloto, vocês estão no comando. Testifico que, ao caírem em si mesmos, seu Pai Celestial Se achegará a vocês. Pela mão consoladora de Seu Santo Espírito, Ele vai ajudá-los.

Presto meu testemunho de que Deus vive. Presto meu testemunho especial de que o Salvador os ama. “Não prosseguiremos [na] grande causa [Dele]? Ide avante e não para trás.”20 Se vocês O seguirem, Ele vai fortalecê-los e sustê-los. Ele vai levá-los para cima até seu mais alto lar. Em nome de Jesus Cristo. Amém.

Exibir ReferênciasOcultar Referências