Pular para a Navegação Principal
Abril 2017 | Confiai em Deus sem Vacilar

Confiai em Deus sem Vacilar

Abril 2017 Conferência Geral

Se formos constantes na fé e não vacilarmos, o Senhor vai aumentar nossa capacidade de sobrepujar as dificuldades da vida.

Queridos irmãos e irmãs, gostaria de começar minha mensagem hoje testificando que sei que o Presidente Thomas S. Monson é o profeta de Deus para nossos dias. Seus conselheiros na Primeira Presidência e os Doze Apóstolos também são, de fato, profetas, videntes e reveladores. Eles representam o Senhor Jesus Cristo e, portanto, têm o direito de declarar a mente e a vontade do Senhor conforme lhes são reveladas. Testifico que estaremos seguros ao seguirmos seus conselhos. O Senhor tem inspirado nossos profetas a enfatizar a importância de fortalecermos nossa fé no Pai Celestial, em Seu Filho, Jesus Cristo, e em Sua Expiação para que não vacilemos ao nos depararmos com os desafios desta época em que vivemos.

No Livro de Mórmon, lemos a respeito de um homem chamado Amon, que foi enviado da cidade de Zaraenla para a terra de Leí-Néfi a fim de inquirir acerca de seus irmãos. Lá ele encontrou o rei Lími e seu povo sob o cativeiro dos lamanitas. O rei Lími sentiu-se muito encorajado após ter ouvido as coisas que Amon lhe contou a respeito de seu povo em Zaraenla. O coração dele encheu-se de tanta esperança e alegria que ele reuniu seu povo no templo e disse:

“Portanto, levantai a cabeça e regozijai-vos e ponde vossa confiança em Deus (…).

Se vos voltardes para o Senhor com todo o coração (…) e o servirdes com toda diligência de vossa mente, (…) ele vos livrará do cativeiro, de acordo com a sua própria vontade e prazer”.1

A fé do povo do rei Lími foi tão profundamente afetada pelas palavras de Amon que eles fizeram convênio com Deus de servi-Lo e de guardar Seus mandamentos a despeito das difíceis circunstâncias em que viviam. Devido à fé que exerceram, eles foram capazes de arquitetar um plano para escapar das mãos dos lamanitas.2

Irmãos e irmãs, pensem por um momento sobre a importância do convite que o rei Lími fez ao povo e sua relevância para nós. Ele disse: “Levantai a cabeça e regozijai-vos e ponde vossa confiança em Deus”. Por meio dessas palavras, Lími convidou seu povo a olhar para o futuro com os olhos da fé, a substituir o medo pela esperança que advém da fé e a não vacilar em sua confiança em Deus, a despeito de qualquer situação.

A vida mortal é um período de provações em que seremos testados para ver se faremos todas as coisas que o Senhor nosso Deus nos ordenar.3 Isso vai exigir fé inabalável em Cristo até mesmo em épocas de grande dificuldade. Vai exigir também que prossigamos adiante com fé resoluta em Cristo, sendo guiados pelo Espírito e confiando que Deus proverá as nossas necessidades.4

Ao término de Seu ministério terreno, pouco antes de ser aprisionado, o Salvador ensinou a Seus discípulos: “No mundo tereis aflição, mas tende bom ânimo, eu venci o mundo”.5

Ponderem comigo por um momento: Jesus Cristo, o Filho Unigênito do Pai, viveu uma vida sem pecado e sobrepujou todas as tentações, as dores, os desafios e as aflições do mundo. Derramou gotas de sangue no Getsêmani, sofreu dores terríveis, acima de qualquer descrição. Ele tomou sobre Si todas as nossas dores e enfermidades. Ele está pronto para nos ajudar — ajudar cada um de nós — a aliviar nossos fardos. Por meio de Sua vida, de Seu sofrimento, de Sua morte e de Sua Ressurreição, Ele removeu tudo o que nos impediria de regozijar-nos e de encontrar paz nesta Terra. Os benefícios de Seu sacrifício expiatório estendem-se a todos os que O aceitam e negam a si mesmos, e a todos os que tomam Sua cruz e O seguem como Seus verdadeiros discípulos.6 Portanto, ao exercermos fé em Jesus Cristo e em Sua Expiação, seremos fortalecidos, nossos fardos serão aliviados e, por meio Dele, venceremos o mundo.

Irmãos e irmãs, ao contemplarmos a força e a esperança que podemos receber do Salvador, temos motivos para levantar a cabeça, regozijar-nos e prosseguir com fé, sem vacilar, “porque o que duvida é semelhante à onda do mar, que é levada pelo vento, e lançada. (…) O homem de ânimo dobre é inconstante em todos os seus caminhos”.7

O rei Lími também exortou: “[Voltai-vos] para o Senhor com todo o coração (…) e [servi-o] com toda diligência de vossa mente, [pois] se assim fizerdes ele vos livrará do cativeiro, de acordo com a sua própria vontade e prazer”.8

Ouçam as palavras de súplica do próprio Salvador:

“Não se turbe o vosso coração; credes em Deus, crede também em mim. (…)

Se me amais, guardai os meus mandamentos. (…)

Aquele que tem os meus mandamentos e os guarda, esse é o que me ama; e aquele que me ama será amado de meu Pai, e eu o amarei, e me manifestarei a ele”.9

Deus nos abençoa de acordo com nossa fé.10 A fé é a fonte do viver com propósito divino e perspectiva eterna. A fé é um princípio prático que inspira diligência. É uma força viva e vital que se manifesta em nossa atitude positiva e em nosso desejo de fazer de bom grado tudo o que Deus e Jesus Cristo nos pedem. A fé nos impulsiona a cair de joelhos implorando ao Senhor por orientação e nos faz levantar e agir com confiança a fim de realizar as coisas de acordo com a vontade Dele.

Há alguns anos, quando eu servia como presidente de missão, recebi um telefonema dos pais de um dos nossos queridos missionários informando sobre a morte da irmã dele. Recordo-me que aquele missionário e eu conversamos sobre o maravilhoso Plano de Salvação que Deus tem para Seus filhos e sobre como esse conhecimento poderia consolá-lo naquele momento de pesar.

Embora ele estivesse atordoado e entristecido devido à adversidade, esse missionário, em lágrimas e repleto de fé em Deus, regozijou-se com a vida da irmã. Ele demonstrou confiança inabalável nas ternas misericórdias do Senhor. Com determinação, ele me disse que continuaria a servir sua missão com toda a fé e diligência a fim de ser digno das promessas que Deus tinha para ele e sua família. Naquele momento de dificuldade, esse missionário fiel voltou o coração a Deus, colocou toda a sua confiança Nele e renovou seu compromisso de servir ao Senhor com fé e com toda a diligência.

Irmãos e irmãs, se não estivermos arraigados na firme confiança em Deus e no desejo de servi-Lo, as dolorosas experiências da mortalidade podem nos levar a sentir que estamos carregando um fardo muito pesado, e podemos perder a motivação para viver plenamente o evangelho. Sem fé, acabaremos perdendo a capacidade de desfrutar os desígnios de nosso Deus com respeito às coisas que virão mais tarde em nossa vida.11

Nesses momentos de provação, o adversário — que está sempre à espreita — tenta usar a lógica e a razão contra nós. Ele tenta nos convencer de que é inútil viver os princípios do evangelho. Lembrem-se de que a lógica do homem natural “não compreende as coisas do Espírito de Deus, porque lhe parecem loucura”.12 Lembrem-se de que Satanás “é inimigo de Deus e luta constantemente contra ele e [nos] convida e incita a pecar e a fazer continuamente o mal”.13 Não podemos permitir que ele nos engane; do contrário, fraquejaremos na fé e perderemos a capacidade de obter as bênçãos de Deus.

Se formos constantes na fé e não vacilarmos, o Senhor vai aumentar nossa capacidade de sobrepujar as dificuldades da vida. Seremos capazes de dominar os impulsos negativos e desenvolveremos a capacidade de vencer até mesmo os obstáculos aparentemente insuperáveis. Foi isso que permitiu ao povo do rei Lími escapar de maneira espetacular do cativeiro lamanita.

Irmãos e irmãs, convido vocês a colocarem toda a sua confiança em Deus e nos ensinamentos de nossos profetas. Convido vocês a renovarem seus convênios com Deus, a servirem a Ele de todo o coração, independentemente das situações complexas da vida. Testifico que, por meio do poder da fé inabalável em Cristo, vocês se tornarão livres do cativeiro do pecado, da dúvida, da descrença, da infelicidade e do sofrimento, e receberão todas as bênçãos prometidas por nosso amoroso Pai Celestial.

Testifico que Deus é real. Ele vive. Ele nos ama. Ele ouve nossas orações nos momentos de felicidade e nos momentos de dúvida, tristeza e desespero. Testifico que Jesus Cristo é o Salvador do mundo. Ele é o Redentor.

Encerro meu discurso hoje com a letra do hino “Agora Não, Mas Logo Mais”, que se encontra no hinário em português:

Se nuvens em lugar de sol sombreiam nosso coração;

Se a dor vier nos afligir, depois veremos a razão.

Jesus, que sabe o porquê, com sua mão nos guiará;

Se escutarmos sua voz, mais tarde ele nos dirá.

Confiai em Deus, sem vacilar, e sua mão vos guiará;

Cantai-lhe glória sem cessar. Mais tarde ele vos dirá.14

Digo essas coisas em nome de Jesus Cristo. Amém.

Exibir ReferênciasOcultar Referências