Pular para a Navegação Principal
Abril 2017 | “Deixo-vos a Minha Paz”

“Deixo-vos a Minha Paz”

Abril 2017 Conferência Geral

O Senhor prometeu paz a Seus discípulos quando estava prestes a deixá-los. Ele prometeu o mesmo a nós.

Minhas amadas irmãs, fomos abençoados pelo Espírito de Deus esta noite. As mensagens inspiradas dessas poderosas líderes e a música fortaleceram nossa fé e aumentaram nosso desejo de guardar os convênios sagrados que fizemos com nosso amado Pai Celestial. Sentimos que nosso amor pelo Senhor Jesus Cristo aumentou e sentimos gratidão pela dádiva maravilhosa de Seu sacrifício expiatório.

Minha mensagem hoje é simples. Todos nós sentimos paz esta noite. Todos nós gostaríamos de sempre ter essa paz conosco, com nossa família e com as pessoas a nosso redor. O Senhor prometeu paz a Seus discípulos quando estava prestes a deixá-los. Ele prometeu o mesmo a nós. Porém, Ele afirmou que concederia paz à Sua maneira, e não à maneira do mundo. Ele descreveu Seu modo de enviar paz:

“Mas aquele Consolador, o Espírito Santo, que o Pai enviará em meu nome, esse vos ensinará todas as coisas, e vos fará lembrar de tudo quanto vos tenho dito.

Deixo-vos a paz, a minha paz vos dou; não vo-la dou como o mundo a dá. Não se turbe o vosso coração, nem se atemorize” (João 14:26–27).

Os filhos de Mosias precisaram dessa paz quando saíram para sua missão entre os lamanitas. Com muita ansiedade, ao entenderem a grandeza de sua tarefa, oraram pedindo consolo. E “o Senhor os visitou com seu Espírito e disse-lhes: Consolai-vos; e eles foram consolados” (Alma 17:10; ver também Alma 26:27).

Às vezes vocês podem ansiar por paz ao enfrentar incertezas e desafios que podem parecer iminentes. Os filhos de Mosias aprenderam a lição que o Senhor ensinou a Morôni. É uma orientação para todos nós: “E se os homens vierem a mim, mostrar-lhes-ei sua fraqueza. E dou a fraqueza aos homens a fim de que sejam humildes; e minha graça basta a todos os que se humilham perante mim; porque caso se humilhem perante mim e tenham fé em mim, então farei com que as coisas fracas se tornem fortes para eles” (Éter 12:27).

Morôni disse: “Tendo ouvido estas palavras, senti-me confortado” (Éter 12:29). Essas palavras podem consolar a todos nós. Aqueles que não enxergam suas próprias fraquezas não progridem. Ter consciência de nossas próprias fraquezas é uma bênção porque faz com que permaneçamos humildes e em busca do Salvador. O Espírito não somente nos conforta, mas é também o meio pelo qual a Expiação realiza uma mudança em nossa natureza. Então as coisas fracas se tornam fortes.

Às vezes sua fé será desafiada por Satanás; isso acontece com todos os discípulos de Jesus Cristo. Sua defesa contra esses ataques é manter o Espírito Santo como seu companheiro. O Espírito dará paz à sua alma. Ele as exortará a prosseguir com fé. E Ele trará de volta a lembrança das ocasiões em que vocês sentiram a luz e o amor de Jesus Cristo.

Lembrar talvez seja um dos dons mais preciosos que o Espírito pode lhes conceder. Ele “vos fará lembrar de tudo quanto [o Senhor tem vos] dito” (João 14:26). A lembrança pode ser de uma oração atendida, da realização de uma ordenança do sacerdócio, da confirmação de seu testemunho ou de um momento em que viram a orientação de Deus em sua vida. Talvez, em um dia futuro, quando precisarem de força, o Espírito poderá trazer à sua memória os sentimentos que tiveram durante esta reunião. Oro para que isso aconteça.

Uma lembrança que o Espírito muitas vezes traz à minha mente é a de uma reunião sacramental realizada há muitos anos em um galpão de metal em Innsbruck, na Áustria. O galpão ficava embaixo de um trilho de trem. Havia apenas cerca de uma dúzia de pessoas presentes, sentadas em cadeiras de madeira. A maioria eram mulheres, algumas mais jovens e outras mais idosas. Vi lágrimas de gratidão enquanto o sacramento era distribuído àquela pequena congregação. Senti o amor do Salvador por aqueles membros da Igreja, e eles também o sentiram. No entanto, o milagre do qual me recordo com mais clareza foi ver a luz que parecia se espalhar por aquele galpão de metal, trazendo consigo um sentimento de paz. Era noite e não havia janelas, mas o lugar estava iluminado como se fosse meio-dia.

A luz do Espírito Santo brilhava e nos envolvia aquela noite. E a janela que deixava essa luz entrar era o coração humilde daqueles santos que estavam perante o Senhor, buscando o perdão de seus pecados e comprometendo-se a sempre se lembrarem Dele. Não foi difícil me recordar do Senhor naquele momento, e minha memória daquela experiência sagrada fez com que, nos anos seguintes, fosse mais fácil para mim lembrar-me Dele e de Sua Expiação. Naquela noite, a promessa feita na oração sacramental, de que o Espírito estará conosco, foi cumprida e trouxe sentimentos de luz e paz.

Assim como vocês, sou grato às muitas maneiras pelas quais o Senhor me confortou com o Consolador quando precisei de paz. E nosso Pai Celestial está preocupado não somente com nosso consolo, mas ainda mais com nosso progresso contínuo. “Consolador” é apenas uma das maneiras usadas nas escrituras para descrever o Espírito Santo. Outra forma é: “E agora, em verdade, em verdade eu te digo: Põe tua confiança naquele Espírito que leva a fazer o bem” (D&C 11:12). Muitas vezes, o bem que Ele as levará a fazer envolverá ajudar alguém a receber o consolo de Deus.

Em Sua sabedoria, o Senhor reúne vocês em organizações e em classes na Igreja Dele. Ele faz isso para aumentar o poder que vocês têm de fazer o bem. Nessas organizações, vocês têm responsabilidades específicas de servir ao próximo em favor do Senhor. Por exemplo, se você é uma moça, seu bispo ou sua líder das Moças podem pedir a você que ajude uma Laurel que se tornou “menos ativa”, como costumamos dizer às vezes. Você pode conhecê-la melhor do que o bispo ou a líder da organização das Moças. Você pode saber se ela tem problemas em casa, na escola ou talvez em ambos os lugares. Seus líderes talvez não saibam por que se sentiram inspirados a lhe pedir que estendesse a mão a ela, mas o Senhor sabe, e Ele dirige esta obra por meio da inspiração de Seu Espírito.

Para ter sucesso em seus esforços, será necessário um milagre de mudança tanto no seu coração como no coração da moça que você foi designada a resgatar, e isso requer a companhia do Espírito Santo. O Espírito pode permitir que você veja a Laurel menos ativa como o Senhor a vê. O Senhor conhece o coração dela e o seu, e Ele sabe que o coração pode ser mudado. Ele pode influenciar vocês duas com Seu Espírito a fim de inspirar humildade, perdão e amor.

Esse Espírito pode inspirar as palavras, as obras e a paciência necessárias para que você convide um cordeiro a voltar ao rebanho. E Ele pode tocar o coração das moças que fazem parte do rebanho da classe das Lauréis para que amem e acolham a ovelha perdida a fim de que, quando ela retornar, sinta-se em casa.

Seu poder de fazer o bem como um grupo de filhas de Deus vai depender, em grande parte, da união e do amor que existem entre vocês. Esse é outro dom de paz que vem por meio do Espírito Santo.

Alma compreendeu isso. É por esse motivo que ele suplicou aos de seu povo “que não contendessem entre si, mas que olhassem para a frente com um único fito, tendo uma fé e um batismo, tendo os corações entrelaçados em unidade e amor uns para com os outros” (Mosias 18:21).

Precisamos de unidade a fim de termos o Espírito em nossa classe e em nossa família. No entanto, vocês sabem por experiência própria, assim como eu sei, que essa unidade de amor é difícil de ser mantida. É necessário ter o Espírito Santo como nosso companheiro para abrir nossos olhos e abrandar nossos sentimentos.

Lembro que, certa vez, um de nossos filhos, quando tinha 7 ou 8 anos, estava pulando na cama com tanta força que achei que ele fosse quebrá-la. Em um momento de frustração, agi rapidamente para colocar a casa em ordem. Segurei meu filho por seus pequenos ombros e levantei-o até a altura de meus olhos.

O Espírito trouxe algumas palavras à minha mente. Pareceu-me ser uma voz mansa, mas ela penetrou meu coração: “Você está segurando uma pessoa grandiosa”. Gentilmente coloquei meu filho sentado de volta na cama e me desculpei.

Ele se tornou o grande homem que, há 40 anos, o Espírito Santo me mostrou que seria. Sinto-me eternamente grato pelo Senhor ter me resgatado de meus sentimentos hostis ao enviar o Espírito Santo para que eu pudesse ver um filho de Deus como Ele o vê.

A união que buscamos em nossa família e na Igreja se tornará real quando permitirmos que o Espírito Santo influencie o que vemos ao olharmos uns para os outros e até ao pensarmos uns nos outros. O Espírito vê por meio do puro amor de Cristo. Ouçam as palavras que Mórmon usou para descrever a caridade. Pensem em ocasiões em que vocês a sentiram:

“E a caridade é sofredora e é benigna e não é invejosa e não se ensoberbece; não busca seus interesses, não se irrita facilmente, não suspeita mal e não se regozija com a iniquidade, mas regozija-se com a verdade; tudo sofre, tudo crê, tudo espera, tudo suporta.

De modo que, meus amados irmãos, se não tendes caridade, nada sois, porque a caridade nunca falha. Portanto, apegai-vos à caridade, que é, de todas, a maior, porque todas as coisas hão de falhar —

Mas a caridade é o puro amor de Cristo e permanece para sempre; e para todos os que a possuírem, no último dia tudo estará bem.

Portanto, meus amados irmãos, rogai ao Pai, com toda a energia de vosso coração, que sejais cheios desse amor que ele concedeu a todos os que são verdadeiros seguidores de seu Filho, Jesus Cristo; que vos torneis os filhos de Deus; que quando ele aparecer, sejamos como ele, porque o veremos como ele é; que tenhamos esta esperança; que sejamos purificados, como ele é puro” (Morôni 7:45–48).

Esse é o objetivo que seu Pai Celestial tem para vocês, Suas filhas preciosas. Pode lhes parecer um objetivo distante, mas, da perspectiva Dele, vocês não estão muito longe. Portanto, Deus vem por meio de Seu Espírito a fim de nos consolar, incentivar e inspirar a seguir em frente.

Deixo-lhes meu firme testemunho de que o Pai as conhece — conhece suas necessidades e sabe seu nome —, as ama e ouve suas orações. Seu Amado Filho convida vocês a virem a Ele. E o Pai e o Filho enviam o Espírito Santo para auxiliá-las em seus esforços de servir ao próximo por Eles.

Graças à Expiação de Jesus Cristo, a companhia constante do Espírito Santo terá um efeito santificador e purificador em seu espírito, e vocês sentirão a paz que o Salvador prometeu deixar a Seus discípulos. Com essa paz, receberão uma viva esperança e um sentimento de luz e de amor vindo do Pai e de Seu Filho Amado, o qual lidera Seu reino na Terra por meio de revelações a Seu profeta vivo. Presto testemunho disso no nome do Senhor Jesus Cristo. Amém.