Pular para a Navegação Principal
Outubro 2017 | Valorizadas além da medida

Valorizadas além da medida

Outubro 2017 Conferência Geral

Podemos com frequência saborear os doces sussurros do Espírito Santo confirmando a verdade de nosso valor espiritual.

Em uma visita à Serra Leoa, no oeste da África, participei de uma reunião conduzida por uma líder da Primária da estaca. Mariama conduziu a reunião com tanto amor, tanta graça e confiança que foi fácil concluir que ela era membro da Igreja havia muito tempo. No entanto, ela havia se convertido recentemente.

Mariama e sua filha

Sua irmã mais nova se uniu à Igreja e a convidou para assistir a uma aula da Igreja com ela. Mariama ficou profundamente impressionada com a mensagem. A lição foi sobre a lei da castidade. Ela pediu que os missionários a ensinassem mais, e logo recebeu um testemunho sobre o profeta Joseph Smith. Ela foi batizada em 2014 e sua filha foi batizada no mês passado. Imaginem: os dois ensinamentos fundamentais que levaram Mariama a se converter foram a lei da castidade e o profeta Joseph Smith; dois pontos que o mundo geralmente vê como irrelevantes, ultrapassados ou inconvenientes. Mas Mariama testificou que se sentiu como uma mariposa atraída pela luz. Ela disse: “Quando encontrei o evangelho, encontrei a mim mesma”. Ela descobriu seu valor por meio de princípios divinos. Seu valor como filha de Deus lhe foi revelado por meio do Espírito Santo.

Agora vamos conhecer as irmãs Singh, da Índia. Renu, na extrema direita, a primeira das cinco irmãs a se unir à Igreja, compartilhou estas palavras:

As irmãs Singh

“Antes de começar a pesquisar a Igreja, eu não sentia que eu era tão especial. Eu era apenas uma entre muitas pessoas, nem minha sociedade, nem minha cultura ensinavam que eu tinha valor como pessoa. Aprender o evangelho e saber que sou filha de nosso Pai Celestial me transformou. De repente me senti muito especial; senti que Deus de fato me criou e criou minha alma com valor e propósito.

Antes de ter o evangelho, eu estava sempre tentando provar aos outros que era alguém especial. Mas, quando aprendi a verdade, que sou filha de Deus, vi que não tinha de provar nada para ninguém. Eu sabia que era especial. (…) Jamais pense que você não é ninguém”.

O presidente Thomas S. Monson disse isso perfeitamente quando declarou: “O valor de uma alma é a sua capacidade de tornar-se semelhante a Deus”.1

Taiana

Recentemente fui abençoada ao conhecer outra jovem que compreende essa verdade. O nome dela é Taiana. Eu a conheci em um hospital infantil, em Salt Lake City. Ela estava no Ensino Médio quando foi diagnosticada com câncer. Lutou bravamente por 18 meses antes de falecer poucas semanas atrás. Ela era cheia de luz e amor. Era conhecida por seu sorriso contagiante e sua marca registrada: os dois polegares sempre para cima. Quando lhe perguntavam: “Por que você, Taiana?”, ela respondia: “Por que não eu?” Ela procurou ser como o Salvador, a Quem ela amou profundamente. Durante nossas conversas, aprendi que ela compreendia seu valor divino. O fato de ela saber que era filha de Deus lhe deu paz e coragem para enfrentar sua devastadora provação da maneira positiva como o fez.

Mariama, Renu e Taiana nos ensinam que o Espírito confirma a cada uma de nós nosso valor divino. Saber verdadeiramente que você é filha de Deus vai afetar cada aspecto de sua vida e vai guiá-la no serviço que você presta todos os dias. O presidente Spencer W. Kimball explicou nestas belas palavras:

“Deus é nosso Pai. Ele ama você. Ele e sua mãe celestial o valorizam acima de qualquer medida. (…)Você é único, exclusivo, feito da inteligência eterna que lhe permite reivindicar a vida eterna.

Que não haja dúvida em sua mente sobre seu valor como indivíduo. O grande propósito do plano do evangelho é oferecer uma oportunidade para que cada um de nós alcance nosso potencial máximo, que é o progresso eterno e a possibilidade de sermos como Deus”.2

Deixem-me salientar a necessidade de diferenciarmos duas palavras fundamentais: valor e dignidade. Elas não têm o mesmo significado. Valor espiritual significa darmos a nós o valor que o Pai Celestial nos dá, não o valor que o mundo nos dá. Nosso valor foi determinado antes de virmos para a Terra. “O amor de Deus é infinito e vai durar para sempre.”3

Por outro lado, a dignidade é alcançada por meio da obediência. Se pecamos, somos menos dignas, mas jamais passamos a valer menos. Continuamos a nos arrepender e a nos esforçar para sermos como Jesus, com nosso valor inalterado. Conforme ensinou o presidente Brigham Young: “O menor e mais inferior de todos os espíritos que vivem sobre a Terra hoje (…) vale mais que muitos mundos”.4 Não importa o que aconteça, sempre temos valor diante dos olhos de nosso Pai Celestial.

Apesar dessa maravilhosa verdade, quantas de nós sofremos, de tempos em tempos, com pensamentos ou sentimentos negativos sobre nós mesmas? Eu sofro. É uma armadilha fácil. Satanás é o pai de todas as mentiras, especialmente quando se trata de interpretar erroneamente nossa natureza e nosso propósito divinos. Pensar que somos inferiores não nos traz nenhum benefício. Pelo contrário, impede-nos de progredir. Como frequentemente nos é ensinado: “Ninguém pode fazê-la se sentir inferior sem seu consentimento”.5 Podemos parar de comparar o nosso pior com o melhor de alguém. “A comparação rouba a alegria.”6

De modo contrário, o Senhor nos assegura de que, quando temos pensamentos virtuosos, Ele vai nos abençoar com confiança; sim, a confiança de sabermos quem realmente somos. Jamais houve uma época mais crucial para dar ouvidos às palavras do Senhor: “Que a virtude adorne teus pensamentos incessantemente”, disse Ele. “Então tua confiança se fortalecerá na presença de Deus; e (…) o Espírito Santo será teu companheiro constante.”7

O Senhor revelou esta verdade adicional ao profeta Joseph Smith: “Aquele que recebe de Deus, reconheça que é de Deus; e que se regozije por Deus considerá-lo digno de receber”.8 Quando sentimos o Espírito, como esse versículo explica, reconhecemos que o que sentimos vem de nosso Pai Celestial. Nós O reconhecemos e O louvamos por nos abençoar. Nós nos regozijamos por sermos consideradas dignas de receber.

Imagine que você está lendo as escrituras pela manhã e o Espírito lhe sussurra que o que você está lendo é verdade. Você é capaz de reconhecer o Espírito e ficar feliz por ter sentido Seu amor e sido considerada digna de receber?

Mães, talvez ao se ajoelharem ao lado de seu filhinho de 4 anos enquanto ele ora antes de dormir, percebam um sentimento fluir ao ouvirem a oração. Vocês sentem calor e paz. É um breve sentimento, mas vocês reconhecem que, naquele momento, são consideradas dignas de receber. Talvez raramente sintamos grandes manifestações espirituais, mas podemos com frequência saborear os doces sussurros do Espírito Santo confirmando a verdade de nosso valor espiritual.

O Senhor explicou o relacionamento entre nosso valor e Seu grandioso sacrifício expiatório quando disse:

“Lembrai-vos de que o valor das almas é grande à vista de Deus;

Pois eis que o Senhor vosso Redentor sofreu a morte na carne; portanto, sofreu a dor de todos os homens, para que todos os homens se arrependessem e viessem a ele”.9

Irmãs, devido ao que Ele fez por nós, “estamos ligadas a Ele por meio de laços de amor”.10 Ele disse: “E meu Pai enviou-me para que eu fosse levantado na cruz; e depois que eu fosse levantado na cruz, pudesse atrair a mim todos os homens”.11

O rei Benjamim também explicou essa ligação com nosso Salvador: “E eis que sofrerá tentações e dores corporais, fome, sede e cansaço maiores do que o homem pode suportar sem morrer; eis que sairá sangue de cada um de seus poros, tão grande será a sua angústia pelas iniquidades e abominações de seu povo”.12 Esse sofrimento e o resultado dele preenchem nosso coração com amor e gratidão. O élder Paul E. Koelliker ensinou: “Ao removermos as distrações que nos puxam para o mundo e exercermos nosso arbítrio para [buscar a Deus], abrimos o coração a uma força celestial que nos conduz a Ele”.13 Se o amor que sentimos pelo Salvador e o que Ele fez por nós forem maiores que a energia que canalizamos para a fraqueza, para as nossas inseguranças ou para os maus hábitos, Ele vai nos ajudar a vencer aquilo que nos traz sofrimento. Ele nos salva de nós mesmas.

Deixem-me enfatizar: Se a atração do mundo for maior que a fé e a confiança que temos no Salvador, a atração do mundo prevalecerá sempre. Se escolhermos nos concentrar em nossos pensamentos negativos e duvidarmos de nosso valor, em vez de nos ligarmos ao Salvador, será mais difícil sentir as impressões do Espírito Santo.

Irmãs, não sejamos confusas sobre quem somos! Apesar de geralmente ser mais fácil nos mostrar espiritualmente passivas do que empregar o esforço espiritual para nos lembrar de nossa identidade divina e a aceitar, não podemos nos dar o direito a essa complacência nestes últimos dias. Que nós, como irmãs, “[sejamos fiéis] em Cristo (…) [e] possa [Ele] animar-[nos]; e os seus sofrimentos e a sua morte (…) e sua misericórdia e longanimidade e a esperança de sua glória e da vida eterna permaneçam em [nossa] mente para sempre”.14 À medida que o Salvador nos conduz a um patamar mais elevado, vemos mais claramente não apenas quem somos, mas também que estamos mais próximas Dele do que jamais imaginamos. No sagrado nome de Jesus Cristo. Amém.

Exibir ReferênciasOcultar Referências