Uma Época de Fazer Escolhas

Thomas S. Monson


Tomem o Senhor como guia. Não dêem ouvidos à voz persuasiva do maligno ( . . . ) Lembrem-se do convite dócil e sempre legítimo do Redentor: “Vem, e segue-me.”

Que multidão impressionante e inspiradora de moças, com suas mães e líderes, reunidas esta noite, nesta ocasião sagrada. Todos nos sentimos inspirados pela beleza, sim, pela grandiosidade do que escutamos, vimos e sentimos no decorrer desta conferência. Peço o auxílio do Pai Celestial ao ter este privilégio de dirigir-vos algumas palavras.

Sei que é importante para mim ter em mente sua perspectiva. Aprendi essa verdade com uma neta de sua idade. Falava eu a sua família a respeito da importância de ter-se um número suficiente de rapazes e moças em uma ala, a fim de aumentar as oportunidades sociais e de juntos aprenderem os princípios do evangelho. Comentei: “Sabem que quando o Élder Joseph Wirthlin era bispo aqui na cidade de Salt Lake, ele tinha um quórum de sacerdotes completo, com quarenta e oito rapazes?”

Minha neta, que escutava sem muito falar, exclamou de repente: “Que maravilha!”

Aprendi a dar valor à importância de ter-se o ponto de vista correto. Já se disse que os jovens querem mudar o mundo e os mais velhos querem mudar os jovens!

Oh, os sonhos de nossa juventude! Quão belos são e quão efêmeros! Nos dias de hoje, entretanto, alguns jovens vagam num mar de incertezas, com as ondas da tentação ameaçando tragá-los. Um jornalista de destaque nacional nos Estados Unidos descreveu a situação da seguinte maneira: “Os fatos refletem os dias em que vivemos ( . . . ) dias em que se fazem concessões, em que os princípios se enfraquecem; dias em que se rotula o pecado como sendo apenas um erro, em que a moralidade é relativa e em que o materialismo valoriza o oportunismo e a redução de responsabilidades.

As moças perguntam em silêncio: “O que posso fazer para garantir minha felicidade eterna? Pode ajudar-me?” Ofereço quatro sugestões:

  1. 1.

    Estudem com diligência;

  2. 2.

    Escolham com cuidado;

  3. 3.

    Orem com fervor;

  4. 4.

    Ajam com sabedoria.

Primeiro, estudar com diligência. Tudo o que se disse esta noite indica as sagradas escrituras como um guia infalível em nossa vida. Familiarizem-se com as lições ensinadas pelas escrituras. Aprendam o contexto das parábolas do Mestre e as admoestações dos profetas. Estudem-nas como se lhes falassem diretamente, pois isso é verdade. Por exemplo: Escutemos o calmo mas persuasivo apelo do Apóstolo Paulo ao aconselhar o jovem Timóteo: “Ninguém despreze a tua mocidade; mas sê o exemplo dos fiéis, na palavra, no trato, no amor, no espírito, na fé, na pureza.” 1

Fazer um curso intensivo de escrituras não tem a mesma eficiência que a leitura diária e a aplicação das escrituras em nossa vida. Além disso, aprendemos muitas lições ao estudarmos a boa literatura. Um dos mais conhecidos musicais de nossos tempos é Um Violinista no Telhado, de Joseph Stein.

A alegria da dança, o ritmo da música, a excelente representação dos atores, tudo isso cede lugar quando Tevye, o pai, diz o que, em minha opinião, torna-se a mensagem da peça. Ele reúne suas encantadoras filhas perto de si e, na simplicidade do cenário rural, dá-lhes conselhos enquanto pensam a respeito do futuro. “Lembrem-se: em Anatevka, cada um de nós lembra-se de quem é e do que Deus espera que se torne.” Considerando nossa vida terrena, será que não poderíamos levar em consideração a afirmativa de Tevye e replicar: “Aqui, cada uma de nós sabe quem é e o que Deus espera que ela se torne.” Estudem com diligência.

Em segundo lugar, escolher com cuidado. Todas principiaram um empreendimento vital e assombroso quando partiram do mundo espiritual e entraram no estágio da mortalidade. Pais amorosos deram-lhes as boas-vindas. Professores inspirados ensinaram-lhes a verdade. Amigos verdadeiros deram-lhes conselhos. Ainda assim, as escolhas na vida são individuais. Não há escolhas insignificantes, pois nos tornamos aquilo em que pensamos. As escolhas determinam nosso destino.

Muitos anos atrás, tive em minhas mãos um guia para tais escolhas. Era um volume de escrituras comumente chamado de Combinação Tríplice, contendo o Livro de Mórmon, Doutrina e Convênios e a Pérola de Grande Valor. O livro fora presente de um pai extremoso à bela filha, que crescia e se desenvolvia e que, cuidadosamente, seguia os conselhos do pai. Na primeira folha do livro, o pai escrevera, de próprio punho, estas inspiradas palavras:

Minha querida Maurine:

Para que tenha uma medida constante para julgar entre a verdade e os erros das filosofias dos homens e cresça em espiritualidade, aumentando seu conhecimento, dou-lhe este livro sagrado para que o leia com freqüência e o preze por toda a vida.

Seu pai que a ama, Harold B. Lee

Moças, escolham os amigos com cuidado, pois eles ajudam a determinar seu futuro. Esforcem-se para honrar pai e mãe, como o Pai Celestial deseja que o façam. Eles as amam e, conscientemente, não as desviariam do caminho certo.

No clássico de Lewis Carroll, Alice no País das Maravilhas, Alice encontra-se em uma encruzilhada com dois caminhos diante dela, ambos seguindo em frente, mas em direções opostas. Ao deparar-se com um gato, Alice pergunta: “Que caminho devo tomar?”

Responde o gato: “Depende de onde queres ir. Se não sabes aonde queres chegar, não importa o caminho que sigas.”

Diferentemente de Alice, cada uma de nossas moças sabe aonde quer chegar. O caminho que tomamos faz toda a diferença, pois aquele que seguirmos nesta vida certamente conduzirá ao que seguiremos na próxima. Escolham com cuidado.

Em terceiro lugar, orar com fervor. Cada uma de nossas moças é uma filha de Deus, criada a Sua imagem. Sua jornada é celestial. O Pai Celeste deseja que entrem em contato com Ele freqüentemente, por meio de oração sincera e fervorosa. Lembrem-se: Nunca estão sós. Não se esqueçam jamais que são amadas. Não tenham dúvida: Alguém, certamente, importa-se com vocês.

Seus desafios são reais; suas preocupações, importantes; sua neces-⌦sidade de obter respostas, vital. A juventude deve familiarizar-se com a seção 9 de Doutrina e Convênios. Ela contém uma lição para cada uma. Ao ponderarem sobre uma decisão, dirijam-se ao Pai Celestial da maneira aconselhada ao Profeta Joseph Smith pelo Senhor. O Senhor diz ao Profeta Joseph Smith na seção 9: “Mas, eis que Eu te digo, deves ponderar em tua mente; depois Me deves perguntar se é correto e, se for, Eu farei arder dentro de ti o teu peito; hás de sentir assim, que é certo.” E o Senhor continua: ⌦“ Mas, se não for correto não sentirás isso, mas terá um estupor de pensamento que te fará esquecer o que for errado ( . . . )” 2

Este conselho irá guiá-las. Ele tem-me guiado sempre. Orem com fervor.

Em quarto e último lugar, ajam com sabedoria. Tomem o Senhor como guia. Não dêem ouvidos à voz persuasiva do maligno, que as induz a afastarem-se dos padrões, dos ensinamentos recebidos no lar e da filosofia de vida que adotaram. Lembrem-se do convite dócil e sempre legítimo do Redentor: “Vem, e segue-me.” 3 Sigam-No, e estarão agindo com sabedoria e serão eternamente abençoadas.

Em sua jornada pela vida, notarão que não são as únicas viajantes. Há outros que necessitam de sua ajuda. Há pés a firmar, mãos a segurar, mentes a estimular, corações a inspirar e almas a salvar.

Estive recentemente com uma amiga adolescente, Jami Palmer, minha conhecida há muitos anos, que se está recuperando de um câncer. Ela resistiu ao diagnóstico; ⌦submeteu-se à cirurgia e à dolorosa quimioterapia. Hoje, está resplandecente, bela e olhando para o futuro cheia de confiança e fé. Fiquei sabendo que no momento mais ⌦difícil, quando o futuro lhe parecia sombrio, a perna onde se localizava o câncer necessitava de diversas cirurgias. Um passeio planejado ⌦por sua classe das Moças muito tempo antes, incluindo uma íngreme subida, estava fora de cogitação—pensava ela. Jami disse às amigas ⌦que teriam de fazer o passeio ⌦sem ela. Tenho certeza que sua ⌦voz estava embargada e o coração decepcionado. As outras moças, ⌦no entanto, responderam com ⌦firmeza: “Não, Jami, você vai ⌦conosco!”

“Mas não consigo andar”, foi sua resposta aflita.

“Então vamos carregá-la até lá em cima!” E assim o fizeram.

Hoje, o passeio é apenas uma lembrança, mas a realidade significa muito mais. O poeta escocês James Barrie declarou: “Deus deu-nos as lembranças para que tivéssemos ⌦as rosas do verão no inverno de nossa vida.” Nenhuma dessas ⌦preciosas moças esquecerá jamais o dia extraordinário em que, tenho certeza, um Pai Celestial cheio de amor olhou em sua direção, aprovando-as com um sorriso e demonstrando Sua alegria.

Que nosso Pai Celestial as abençoe sempre, valiosas moças, que Ele inspire sempre suas queridas mães, guie suas professoras e cuide sempre de vocês, é minha sincera oração, em nome de Jesus Cristo. Amém. 9

Exibir Referências

  1.  

    1. I Timóteo 4:12.

  2.  

    2. Doutrina e Convênios 9:8,9.

  3.  

    3. Lucas 18:22.