O que Espero que Minhas Netas (e Netos) Compreendam sobre a Sociedade de Socorro

Julie B. Beck

Presidente Geral da Sociedade de Socorro


Julie B. Beck
Desde o dia em que o evangelho começou a ser restaurado nesta dispensação, o Senhor precisou da participação de mulheres fiéis como Suas discípulas.

É um privilégio falar a vocês nesta reunião histórica. É uma bênção estarmos aqui reunidas. No tempo em que tenho servido como presidente geral da Sociedade de Socorro, desenvolvi um profundo amor pelas irmãs da Sociedade de Socorro desta Igreja, e o Senhor ampliou minha visão de como Ele Se sente sobre nós e o que espera de nós.

Dei a meu discurso o título de: “O que Espero que Minhas Netas (e Netos) Compreendam sobre a Sociedade de Socorro”. Minhas netas mais velhas estão empenhadas no Progresso Pessoal, desenvolvendo hábitos e características de mulheres justas. Em breve, elas e suas colegas serão responsáveis por esta grande irmandade mundial.

Espero que minhas palavras deem a elas e a todas que me ouvem, ou que lerem, uma clara compreensão do que o Senhor tinha em mente para Suas filhas quando a Sociedade de Socorro foi organizada.

Um Antigo Padrão de Discipulado

Espero que minhas netas compreendam que a Sociedade de Socorro é organizada hoje segundo um padrão de discipulado que existia na Igreja antigamente. Quando o Salvador organizou Sua Igreja, na época do Novo Testamento, “havia mulheres que participavam de modo vital no [Seu] ministério”.1Ele visitou Marta e Maria, duas de Suas seguidoras mais dedicadas, na casa de Marta. Enquanto Marta O ouvia e O servia de acordo com o costume da época, Ele a ajudou a ver que poderia fazer mais que isso. Ele ajudou Marta e Maria a compreender que podiam escolher “a boa parte”, que não lhes seria tirada. 2Aquele bondoso comentário serviu de convite para que participassem do ministério do Senhor. Mais tarde, no Novo Testamento, o forte testemunho que Marta tinha da divindade do Salvador nos deu um vislumbre de sua fé e seu discipulado.3

Ao lermos mais o Novo Testamento, vemos que os apóstolos continuaram a estabelecer a Igreja do Senhor. Também ficamos sabendo de mulheres fiéis, cujo discipulado contribuiu para o crescimento da Igreja. Paulo falou de discípulas que moravam em Éfeso4 e em Filipos.5Mas, quando a Igreja do Senhor se perdeu em apostasia, esse padrão de discipulado também se perdeu.

Quando o Senhor começou a restaurar Sua Igreja por intermédio do Profeta Joseph Smith, Ele novamente incluiu as mulheres em um padrão de discipulado. Poucos meses depois que a Igreja foi formalmente organizada, o Senhor revelou que Emma Smith deveria ser designada como líder e professora na Igreja e como ajudante oficial do marido, o Profeta.6No chamado que recebeu para ajudar a edificar Seu reino, foram dadas a ela instruções sobre como aumentar sua fé e retidão pessoal, como fortalecer sua família e seu lar, e como servir ao próximo.

Espero que minhas netas compreendam que desde o dia em que o evangelho começou a ser restaurado nesta dispensação, o Senhor precisou da participação de mulheres fiéis como Suas discípulas.

Apenas um exemplo da extraordinária contribuição delas foi o que fizeram no trabalho missionário. O grande crescimento da Igreja em seus primórdios foi possível graças a homens fiéis que se dispuseram a deixar a família para viajar a lugares desconhecidos e sofrer privações e dificuldades a fim de ensinar o evangelho. Contudo, aqueles homens sabiam que sua missão não seria possível sem a plena fé e o companheirismo das respectivas mulheres, que cuidaram do lar e dos negócios, ganhando o sustento para a família e para os missionários. As irmãs também cuidavam dos milhares de conversos que se reuniam em suas comunidades. Estavam profundamente comprometidas com um novo estilo de vida, ajudando a edificar o reino do Senhor e participando em Sua obra de salvação.

Ligadas ao Sacerdócio

Espero que minhas netas compreendam que o Senhor inspirou o Profeta Joseph Smith a organizar as mulheres da Igreja “sob o sacerdócio, segundo o padrão do sacerdócio”7 e a ensinar-lhes “como viriam a ter os privilégios, dons e bênçãos do sacerdócio”.8

Quando a Sociedade de Socorro foi oficialmente organizada, Emma Smith continuou em seu chamado de líder. Foi nomeada presidente da organização, com duas conselheiras para servir com ela em uma presidência. Em vez de ser escolhida por voto popular, como era comum nas organizações de fora da Igreja, aquela presidência foi chamada por revelação, apoiada por aquelas a quem ela lideraria, e designada por líderes do sacerdócio para servir em seus chamados, sendo assim “[chamada] por Deus, por profecia e pela imposição de mãos, por quem possua autoridade”. 9O fato de terem sido organizadas sob o sacerdócio possibilitou que a presidência recebesse orientação do Senhor e de Seu profeta para um trabalho específico. A organização da Sociedade de Socorro permitiu que o armazém de talentos, de tempo e de recursos do Senhor fosse administrado com sabedoria e ordem.

Aquele primeiro grupo de mulheres compreendia que havia recebido autoridade para ensinar, inspirar e organizar as irmãs como discípulas, para auxiliar no trabalho de salvação estabelecido pelo Senhor. Em suas primeiras reuniões, as irmãs aprenderam os propósitos orientadores da Sociedade de Socorro: aumentar a fé e a retidão pessoais, fortalecer a família e o lar, e procurar os necessitados e ajudá-los.

Espero que minhas netas compreendam que a organização da Sociedade de Socorro foi uma parte essencial da preparação dos santos para os privilégios, as bênçãos e dádivas que só são encontrados no templo. O Presidente Joseph Fielding Smith ensinou que a Sociedade de Socorro é uma “parte vital do reino de Deus na Terra” e que seu “desígnio e funcionamento ajudam seus membros fiéis a alcançar a vida eterna no reino de nosso Pai”.10 Podemos imaginar o que deve ter sido para aquelas irmãs estar na loja de tijolos vermelhos de Joseph Smith, naquelas primeiras reuniões da Sociedade de Socorro, à vista da colina onde um templo estava sendo construído, enquanto o Profeta lhes ensinava que “[deveriam] ser uma sociedade seleta, separada de todos os males do mundo, especial, virtuosa e santa”. 11

Espero que minhas netas valorizem o templo como fizeram as irmãs da primeira Sociedade de Socorro, que acreditavam que as bênçãos do templo eram o grande prêmio e a grande meta de toda mulher santo dos últimos dias. Espero que, como as primeiras irmãs da Sociedade de Socorro, minhas netas se esforcem diariamente para tornarem-se amadurecidas o suficiente para fazer e guardar os convênios sagrados do templo e para que, quando forem ao templo, prestem atenção a tudo o que é dito e feito ali. Por meio das bênçãos do templo, elas serão armadas de poder12 e terão a bênção de receber “a chave do conhecimento de Deus”.13 Por meio das ordenanças do sacerdócio que só se encontram no templo, elas terão a bênção de cumprir suas responsabilidades divinas e eternas e prometerão viver como discípulas comprometidas. Sinto-me grata por ver que um dos propósitos primordiais do Senhor na organização da Sociedade de Socorro foi dar às mulheres a responsabilidade de ajudarem-se umas às outras a prepararem-se para “as bênçãos maiores do sacerdócio encontradas nas ordenanças e nos convênios do templo”.14

O Refúgio e a Influência de uma Irmandade Mundial

Espero que minhas netas venham a compreender a importância da influência e da capacidade da grande irmandade mundial da Sociedade de Socorro. Desde 1842, a Igreja expandiu-se para além de Nauvoo, e a Sociedade de Socorro hoje se encontra em mais de 175 países, nos quais as irmãs falam mais de 80 idiomas. Todas as semanas, novas alas e novos ramos são organizados, e novas Sociedades de Socorro tornam-se parte de uma irmandade que cresce cada vez mais, espalhada “por todos os continentes”.15 Quando a Sociedade de Socorro era relativamente pequena em número e estava organizada principalmente em Utah, suas líderes podiam concentrar grande parte de sua organização e de seu discipulado em programas sociais locais e no trabalho interligado de auxílio ao próximo. Desenvolveram a produção doméstica e realizaram projetos para a construção de hospitais e celeiros. Aqueles primeiros projetos da Sociedade de Socorro ajudaram a estabelecer padrões de discipulado que hoje se aplicam no mundo inteiro. À medida que a Igreja cresce, a Sociedade de Socorro é agora capaz de cumprir seus propósitos em todas as alas e ramos, em todas as estacas e distritos, à medida que se adapta a um mundo que está sempre em transição.

Todos os dias, as irmãs da Sociedade de Socorro no mundo inteiro passam por toda a gama de experiências e dificuldades da mortalidade. As mulheres e as famílias no mundo atual vivem face a face com expectativas não realizadas, enfermidades mentais, físicas e espirituais, acidentes e morte. Algumas irmãs sofrem de solidão e frustração, por não terem sua própria família, e outras sofrem com as consequências das más decisões de familiares. Algumas sofrem com guerras, com a fome ou com catástrofes naturais, e outras enfrentam os problemas decorrentes do vício, do desemprego ou da instrução insuficiente. Todas essas dificuldades têm o potencial de abalar os alicerces da fé e de exaurir as forças de pessoas e famílias. Um dos propósitos de organizar as irmãs em um discipulado foi a de oferecer auxílio que as elevasse acima de “tudo o que impeça a alegria e o progresso da mulher”.16 Em toda ala e todo ramo, há uma Sociedade de Socorro com irmãs que podem buscar e receber revelação e conselho junto a líderes do sacerdócio, fortalecer umas às outras e encontrar soluções aplicáveis em seu próprio lar e em sua comunidade.

Espero que minhas netas compreendam que, por meio da Sociedade de Socorro, seu discipulado se amplie e elas possam engajar-se com outras no tipo de trabalho extraordinário e heroico que o Salvador realizou. O tipo de trabalho que se pede às irmãs desta Igreja que façam hoje nunca foi de âmbito limitado ou sem importância para o Senhor. Por meio de sua fidelidade, elas podem sentir a aprovação Dele e serem abençoadas pela companhia de Seu Espírito.

Minhas netas também devem saber que a irmandade da Sociedade de Socorro pode oferecer um local de segurança, refúgio e proteção.17 À medida que nossa época se torna cada vez mais difícil, as irmãs da Sociedade de Socorro irão unir-se para proteger o lar de Sião das vozes estridentes do mundo e da influência predatória e provocativa do adversário. Por meio da Sociedade de Socorro, serão ensinadas, fortalecidas e, depois, mais ensinadas e mais fortalecidas, e a influência de mulheres justas pode abençoar muitos outros filhos de nosso Pai.

Um Discipulado de Zelo e Ministério

Espero que minhas netas compreendam que o trabalho de professoras visitantes é uma expressão de seu discipulado e um meio significativo de honrar seus convênios. Esse elemento de nosso discipulado deve ser bastante semelhante ao ministério de nosso Salvador. Nos primeiros dias da Sociedade de Socorro, um comitê visitante de cada ala recebeu a designação de avaliar as necessidades e de coletar doações para serem redistribuídas aos necessitados. Ao longo dos anos, as irmãs e líderes da Sociedade de Socorro aprenderam passo a passo e melhoraram sua capacidade de zelar umas pelas outras. Houve época em que as irmãs se concentravam mais em concluir as visitas, ensinar a lição e deixar bilhetes quando passavam na casa das irmãs. Essas práticas ajudaram as irmãs a aprender os padrões de como cuidar umas das outras. Assim como as pessoas da época de Moisés se concentravam no cumprimento de uma longa lista de regras, as irmãs da Sociedade de Socorro muitas vezes se impuseram muitas regras escritas e não escritas, em seu desejo de compreender como fortalecer umas às outras.

Com tanta necessidade de ajuda e resgate na vida das irmãs e de suas famílias atualmente, nosso Pai Celestial precisa que sigamos um caminho mais elevado e que demonstremos nosso discipulado cuidando sinceramente de Seus filhos. Com esse importante propósito em mente, as líderes são agora ensinadas a pedir um relatório do bem-estar espiritual e temporal das irmãs e de suas famílias e sobre o serviço prestado.18Agora as professoras visitantes têm a responsabilidade de “conhecer e amar sinceramente cada irmã, ajudar cada uma a fortalecer sua fé e prestar-lhe serviço”.19

Como discípulas comprometidas do Salvador, estamos melhorando nossa capacidade de fazer as coisas que Ele faria se estivesse aqui. Sabemos que para Ele é nosso cuidado que conta, por isso procuramos concentrar-nos em cuidar de nossas irmãs, em vez de completar listas de coisas a fazer. O verdadeiro ministério é medido mais pela profundidade de nossa caridade do que pela perfeição de nossas estatísticas. Saberemos que tivemos sucesso em nosso ministério como professoras visitantes quando nossas irmãs puderem dizer: “Minha professora visitante me ajuda a crescer espiritualmente”, e “Sei que minha professora visitante se importa profundamente comigo e com minha família”, e “quando tenho problemas, sei que minha professora visitante vai agir, sem esperar ser convidada”. As líderes que compreendem a importância de ministrar às pessoas vão aconselhar-se umas com as outras a fim de buscar e receber revelação sobre como edificar o trabalho de professoras visitantes e como organizar e desempenhar seu inspirado ministério.

Além disso, o trabalho das professoras visitantes é uma extensão do encargo do bispo de cuidar do rebanho do Senhor. O bispo e a presidente da Sociedade de Socorro precisam do serviço de professoras visitantes inspiradoras para ajudá-los a cumprir suas responsabilidades. Por meio do ministério das professoras visitantes, a presidente da Sociedade de Socorro pode estar ciente do bem-estar de cada irmã da ala e falar do bem-estar delas ao conversar com o bispo.

O Presidente Thomas S. Monson ensinou que “quando nos qualificamos por nossa dignidade, quando nos esforçamos com fé sem hesitar para cumprir os deveres a nós designados, quando buscamos a inspiração do Todo-Poderoso no desempenho de nossas responsabilidades, podemos realizar milagres”.20 Espero que minhas netas participem de milagres ao ajudarem o trabalho das professoras visitantes a tornar-se um padrão de discipulado que o Senhor reconhecerá quando voltar.

Cumprir os Propósitos da Sociedade de Socorro

Esses e outros ensinamentos essenciais sobre a Sociedade de Socorro estão agora disponíveis para minhas netas estudarem no manual Filhas em Meu Reino: A História e o Trabalho da Sociedade de Socorro. Esse livro contém um registro do legado da Sociedade de Socorro e das mulheres desta Igreja. Ele vai unir e alinhar uma irmandade mundial aos propósitos da Sociedade de Socorro e aos padrões e privilégios dos discípulos. É um testemunho do papel essencial das mulheres no plano de felicidade de nosso Pai e provê um padrão imutável daquilo em que cremos, das coisas que fazemos e daquilo que defendemos. A Primeira Presidência incentivou-nos a “estudar este livro e a permitir que suas verdades sempre atuais e seus exemplos inspiradores influenciem [nossa] vida”.21

Sabendo que a organização da Sociedade de Socorro foi criada por Deus, o Presidente Joseph F. Smith disse às irmãs da Sociedade de Socorro: “Vocês é que devem liderar o mundo e, em especial, as mulheres do mundo. (…) Vocês devem ir à frente, não atrás”.22 À medida que se aproxima a volta do Senhor, espero que minhas netas se tornem mulheres fortes e fiéis, que aplicam os princípios e padrões da Sociedade de Socorro em sua vida. À medida que a Sociedade de Socorro se tornar um estilo de vida para elas, espero que elas sirvam em união com outras para cumprir seus propósitos divinos. Tenho testemunho da Igreja restaurada de Jesus Cristo e sinto-me grata pelo padrão de discipulado que foi restaurado quando o Senhor inspirou o Profeta Joseph Smith a organizar a Sociedade de Socorro. Em nome de Jesus Cristo. Amém.

Exibir Referências

  1.  

    1.  Filhas em Meu Reino: A História e o Trabalho da Sociedade de Socorro, 2011, p. 3.

  2.  

    2. Ver Lucas 10:38–42.

  3.  

    3. Ver João 11:20–27.

  4.  

    4. Ver Atos 18:24–26; Romanos 16:3–5.

  5.  

    5. Ver Filipenses 4:1–4.

  6.  

    6. Ver Doutrina e Convênios 25.

  7.  

    7. Joseph Smith, Filhas em Meu Reino, p. 12.

  8.  

    8. Joseph Smith, History of the Church, vol. 4, p. 602.

  9.  

    9.  Regras de Fé 1:5.

  10.  

    10. Joseph Fielding Smith, em Filhas em Meu Reino, p. 105.

  11.  

    11. Joseph Smith, Filhas em Meu Reino, pp. 15–16.

  12.  

    12. Ver Doutrina e Convênios 109:22; ver também Sheri L. Dew, Filhas em Meu Reino, p. 140.

  13.  

    13.  Doutrina e Convênios 84:19; ver também Ezra Taft Benson, em Filhas em Meu Reino, p. 141.

  14.  

    14.  Filhas em Meu Reino, p. 144.

  15.  

    15. Boyd K. Packer, em Filhas em Meu Reino, p. 107.

  16.  

    16. John A. Widtsoe, emFilhas em Meu Reino, p. 26.

  17.  

    17. Ver Filhas em Meu Reino, pp. 94–95.

  18.  

    18. Ver Manual 2: Administração da Igreja, 2010, item 9.5.4.

  19.  

    19.  Manual 2, 9.5.1.

  20.  

    20. Thomas S. Monson, em Filhas em Meu Reino, p. 99.

  21.  

    21. Primeira Presidência, em Filhas em Meu Reino, p. ix.

  22.  

    22. Joseph F. Smith, em Filhas em Meu Reino, p. 72.