Manual 2:
Administração da Igreja

 

18.2 Reuniões da Ala

O bispo supervisiona as reuniões da ala. Ele preside essas reuniões a menos que um membro da presidência da estaca, um Setenta de Área ou uma Autoridade Geral esteja presente. Seus conselheiros podem dirigir as reuniões da ala, podem também presidi-las caso o bispo esteja ausente. As autoridades presidentes e os sumos conselheiros visitantes devem ser convidados a sentar-se ao púlpito. Os sumos conselheiros não presidem quando assistem às reuniões das alas.

Se tanto o bispo como seus dois conselheiros estiverem ausentes, o presidente da estaca designa quem presidirá a reunião sacramental. Normalmente, ele designa o líder de grupo de sumos sacerdotes, mas pode autorizar outro portador do sacerdócio a fazê-lo.

 18.2.1

Programa das Reuniões Dominicais

As reuniões dominicais proporcionam um período de vital importância para que os membros tomem o sacramento, adorem ao Senhor, aprendam o evangelho, aprendam seus deveres e prestem serviço. Pessoas interessadas que não sejam membros da Igreja podem assistir a essas reuniões.

A ala deve realizar as seguintes reuniões dominicais em um período de três horas (para opções de programação das reuniões, ver o quadro “Programação das Reuniões Dominicais”, na página 162):

  1. 1.

    Reunião Sacramental

  2. 2.

    Reunião do sacerdócio (para todos os portadores do sacerdócio, élderes em perspectiva e rapazes não ordenados em idade do Sacerdócio Aarônico; ver 18.2.4)

  3. 3.

    Sociedade de Socorro (para todas as mulheres com 18 anos ou mais e mulheres mais jovens que sejam casadas)

  4. 4.

    Moças (para as moças de 12 a 18 anos)

  5. 5.

    Primária (para as crianças de 3 a 11 anos; também para as crianças de 18 meses a 2 anos, se tiver sido organizado um berçário na unidade e se os pais quiserem deixar os filhos no berçário)

  6. 6.

    Escola Dominical (para todos os que têm 12 anos ou mais; para informações sobre os rapazes e as moças de 12 anos que frequentam a Escola Dominical, ver 11.4.3)

 18.2.2

Reunião Sacramental

Propósitos da Reunião Sacramental

Toda reunião sacramental deve ser uma experiência espiritual na qual os membros da Igreja renovam seus convênios batismais tomando o sacramento. Outros propósitos da reunião sacramental são adorar, ensinar o evangelho, realizar ordenanças, tratar de assuntos da ala e fortalecer a fé e o testemunho.

Como Planejar e Dirigir a Reunião Sacramental

Os membros do bispado planejam as reuniões sacramentais e dirigem-nas de modo reverente e digno. Eles supervisionam a distribuição do sacramento, escolhem o tema dos discursos e da música, escolhem e orientam os oradores e convidam membros para fazer a primeira e a última oração. Não é necessário realizar uma reunião de oração antes da reunião sacramental.

O bispado assegura-se de que a reunião sacramental comece e termine no horário marcado. As reuniões não devem ter um número excessivo de itens programados. Segue-se um exemplo de programação:

  1. 1.

    Prelúdio musical (ver 14.4.3 para diretrizes)

  2. 2.

    Saudações e boas-vindas

  3. 3.

    Reconhecimento das autoridades presidentes ou sumos conselheiros visitantes que estejam presentes

  4. 4.

    Anúncios (se possível, deve-se imprimir a maioria dos anúncios, para não tomar tempo da reunião sacramental; o bispado pode citar brevemente os anúncios essenciais antes do hino de abertura)

  5. 5.

    Hino de abertura e primeira oração

  6. 6.

    Assuntos da ala e da estaca, tais como:

  7. 7.

    Dar nome e bênção a crianças (geralmente na reunião de jejum e testemunhos), confirmar membros novos e conferir-lhes o dom do Espírito Santo

  8. 8.

    Hino sacramental e distribuição do sacramento

  9. 9.

    Mensagens do evangelho, hino cantado pela congregação e números musicais especiais

  10. 10.

    Último hino e última oração

  11. 11.

    Poslúdio musical

Ocasionalmente, o líder presidente pode sentir que é necessário esclarecer algo inesperado que ocorreu durante a reunião. Quando isso acontecer, ele deve fazer todos os esclarecimentos necessários, tomando cuidado para não causar constrangimento.

Tempo Que Precede a Reunião Sacramental

Os líderes devem dar exemplo de reverência durante o tempo que precede a reunião sacramental. O bispado e os oradores devem estar em seus lugares pelo menos cinco minutos antes do início da reunião. Esse não é o momento para conversas ou o envio de recados. O exemplo de reverência dado incentiva a congregação a estar espiritualmente preparada para uma experiência de adoração.

Deve-se ensinar os membros a transformar o tempo que precede a reunião sacramental em um período de meditação e oração em que se preparam espiritualmente para o sacramento.

O bispado incentiva cada família a chegar no horário e a sentar-se junta.

Bênção e Distribuição do Sacramento

O bispado cuida para que o sacramento seja abençoado e distribuído com reverência e ordem. A mesa do sacramento deve ser preparada antes do início da reunião. Para instruções sobre como preparar, abençoar e distribuir o sacramento, ver 20.4.

Escolha dos Temas dos Discursos e da Música

O bispado escolhe o tema dos discursos e a música da reunião sacramental. Os discursos e a música devem enfocar temas do evangelho que ajudem os membros a edificar a fé e o testemunho.

Escolha e Orientação dos Participantes

Escolha dos Participantes. O bispado escolhe os membros que atuarão na reunião sacramental. A maioria das oportunidades de discursar são dadas aos membros da ala. Se o bispado convidar algum membro de fora da ala para falar, devem ser seguidas as diretrizes do item 21.1.20.

Os membros do bispado convidam regularmente os jovens de 12 a 18 anos para discursar na reunião sacramental. Os jovens devem fazer um discurso breve (aproximadamente cinco minutos cada) sobre o tema do evangelho que lhes for designado. Devem preparar seus próprios discursos, embora o bispado possa incentivar os pais a ajudar.

O bispado geralmente convida os membros da ala que saem em missão para falar na reunião sacramental pouco antes de partirem para a missão e no seu retorno (ver Manual 1, itens 4.8.1 e 4.10.3). O bispado deve deixar claro que essa é uma reunião sacramental normal e que não se trata de uma reunião de despedida ou de boas-vindas do missionário. O bispado planeja e dirige essas reuniões. Os membros da família e amigos do missionário não são convidados a falar. Contudo, outras pessoas que estejam de partida para o campo missionário ou tenham acabado de retornar dele, bem como outros membros, podem ser convidados a discursar.

O bispado insere os discursos dos sumos conselheiros na programação de acordo com as designações do presidente da estaca. O presidente da estaca determina a frequência desses discursos. Não é necessário que um sumo conselheiro discurse na reunião sacramental todos os meses.

O bispado reserva uma reunião sacramental por ano para as crianças apresentarem um programa da Primária (ver 11.5.4).

Ocasionalmente o bispado pode convidar os missionários de tempo integral que servem na área para discursar.

O bispado não pode passar a direção da reunião sacramental para as auxiliares nem para grupos musicais de fora. Contudo, as auxiliares podem ser convidadas a participar ativamente da reunião, sob a direção do bispado.

Os membros do bispado devem convidar com bastante antecedência os oradores que discursarão na reunião sacramental.

Orientação aos Participantes. Os membros do bispado devem orientar as pessoas que participarão ativamente da reunião sacramental. Devem expor os propósitos da reunião sacramental e explicar que todos os discursos e a música devem ser condizentes com a natureza sagrada do sacramento.

Ao convidar os membros para discursar, um membro do bispado deve explicar claramente o tema do discurso e o tempo que a pessoa terá para falar. Deve aconselhar os oradores a ensinar as doutrinas do evangelho, relatar experiências que inspirem a fé, prestar testemunho de verdades reveladas por Deus e usar as escrituras (ver D&C 42:12; 52:9). Os oradores devem ensinar com amor, depois de prepararem-se em espírito de oração. Não devem falar de assuntos especulativos, controversos ou que não estejam em harmonia com a doutrina da Igreja.

Para manter uma atmosfera de adoração reverente na reunião sacramental, quando os oradores utilizarem as escrituras como parte de seus discursos, não devem pedir à congregação que abra seus próprios livros na escritura citada.

Os membros que participam ativamente da reunião sacramental devem permanecer até o final da reunião.

Música

Ver itens 14.4.3 e 14.4.4.

Apresentação de Novos Membros

Quando a ala receber registros de membro e quando conversos forem batizados e confirmados, um membro do bispado deve apresentar esses novos membros e dar-lhes as boas-vindas na reunião sacramental seguinte. Ele deve ler o nome de cada pessoa, convidar a pessoa a ficar de pé e pedir aos membros da congregação que expressem sua plena aceitação do membro na ala, erguendo a mão. Os registros de membros da mesma família são lidos em conjunto. Se um membro souber de algum motivo pelo qual certa pessoa não deva ser plenamente aceita na ala, ele deve conversar com o bispo em particular.

Quando crianças que sejam membros registrados forem batizadas e confirmadas, um membro do bispado anuncia o batismo e a confirmação de cada uma delas na reunião sacramental. Não se pede aos membros da ala que expressem sua aceitação em relação a essas crianças porque elas já são membros.

Auxílios e Material Audiovisual

Ver itens 18.4 e 21.1.5.

Serviço Sacramental em Situações Incomuns

Todos os membros necessitam das bênçãos espirituais que advêm de tomar o sacramento. Se os membros não puderem assistir à reunião sacramental por estarem restritos à moradia, em casa de repouso ou hospital, o bispo pode designar alguns portadores do sacerdócio para preparar, abençoar e ministrar o sacramento a esses membros.

Ocasionalmente os membros podem ficar impossibilitados de assistir à reunião sacramental devido à distância até a capela. Em situações incomuns, o bispo pode ocasionalmente autorizar que o serviço sacramental seja realizado fora da capela. Ele só pode autorizar esse serviço dentro dos limites de sua ala. O membro que o bispo autorizar a realizar o serviço precisa ser portador do Sacerdócio de Melquisedeque ou ser sacerdote no Sacerdócio Aarônico, precisa também ser digno de abençoar e distribuir o sacramento. O portador do sacerdócio que dirigir o serviço informa o bispo após sua realização.

Quando os membros estiverem viajando ou residindo temporariamente fora de sua ala normal, devem esforçar-se sinceramente para assistir à reunião sacramental e às outras reuniões dominicais em uma ala ou um ramo da Igreja.

Os serviços sacramentais não devem ser realizados como parte de reuniões de família ou outras atividades ao ar livre.

 18.2.3

Reunião de Jejum e Testemunhos

Geralmente no primeiro domingo de cada mês, a reunião sacramental é uma reunião de jejum e testemunhos. A conferência geral e a conferência da estaca podem fazer com que a reunião de jejum e testemunhos tenha que ser realizada em outro domingo.

Sob a direção do bispo, pode-se dar nome e bênção a crianças e podem-se realizar confirmações nessa reunião, antes da ministração do sacramento.

Após o sacramento, o membro do bispado que dirige a reunião presta um breve testemunho. Em seguida, convida os membros a prestar testemunhos sinceros e a contar experiências que inspirem a fé. O bispado deve incentivar os membros a prestar testemunhos breves para que mais pessoas tenham a oportunidade de participar.

Seria mais apropriado que as criancinhas aprendessem a prestar testemunho na noite familiar ou ao fazer discursos na Primária até que tenham idade suficiente para fazê-lo na reunião de jejum e testemunhos sem a ajuda dos pais, de um irmão ou de outra pessoa.

 18.2.4

Reunião do Sacerdócio

Todos os portadores do sacerdócio se reúnem para uma breve abertura antes de se separarem para suas reuniões de quórum ou grupo. Os élderes em perspectiva e os rapazes que já têm idade suficiente mas ainda não foram ordenados ao Sacerdócio Aarônico também podem assistir a essa abertura. Um membro do bispado dirige a abertura.

Ela deve incluir um hino de abertura e uma oração. Também pode incluir assuntos do sacerdócio, instruções, breves anúncios e apresentação de membros novos e visitantes. A abertura não deve ser usada para anúncios ou relatos longos. O máximo de tempo deve ser reservado ao ensino do evangelho nas reuniões dos quóruns.

O bispo pode convidar o líder de grupo de sumos sacerdotes, o presidente do quórum de élderes, os assistentes do quórum de sacerdotes, o presidente do quórum de mestres e o presidente do quórum de diáconos a sentar-se com o bispado na abertura.

Depois da abertura, os portadores do sacerdócio se separam e seguem para as reuniões de quórum e grupo para tratar de assuntos do sacerdócio, aprender os deveres do sacerdócio e estudar o evangelho. Os membros do bispado normalmente assistem às reuniões dos quóruns do Sacerdócio Aarônico, embora ocasionalmente assistam às classes das Moças. Às vezes, o bispado pode juntar o grupo de sumos sacerdotes e o quórum de élderes, os quóruns do Sacerdócio Aarônico ou todos os portadores do sacerdócio para a instrução nesse período.

Não se deve marcar outras reuniões para o horário da reunião do sacerdócio.

Para mais informações sobre as reuniões do quórum e grupos do sacerdócio, ver 7.8 e 8.11.

 18.2.5

Conferência da Ala

A presidência da estaca marca e dirige uma conferência por ano para cada ala. Os membros da presidência da estaca, do sumo conselho e das auxiliares da estaca participam das sessões da conferência da ala, conforme orientados pelo presidente da estaca. Os propósitos da conferência da ala são fortalecer a fé e o testemunho, ensinar o evangelho, tratar de assuntos da ala e avaliar o nível de atividade.

A sessão principal da conferência da ala é realizada na reunião sacramental. Normalmente a programação é semelhante à das outras reuniões sacramentais. O presidente da estaca preside, e geralmente a presidência da estaca planeja a reunião; um membro do bispado geralmente a dirige. Antes do sacramento, um membro da presidência da estaca ou do sumo conselho utiliza o formulário de Líderes Apoiados (preparado pelo secretário da ala) para apresentar o nome dos líderes gerais da Igreja, bem como os da estaca e da ala para o voto de apoio dos membros. Depois do sacramento, geralmente entre os oradores incluem-se o bispo e o presidente de estaca.

A ala geralmente realiza as reuniões regulares do sacerdócio e das auxiliares, como parte da conferência da ala. Os líderes da estaca podem dar instruções e assistência durante essas reuniões.

Como parte da conferência da ala, a presidência da estaca reúne-se com o bispado para analisar o progresso de pessoas e organizações da ala. Essa reunião pode ser realizada no domingo da conferência da ala ou em outro dia.

 18.2.6

Reunião do Bispado

O bispado geralmente se reúne pelo menos uma vez por semana. O secretário da ala e o secretário executivo da ala assistem a essa reunião. O secretário mantém um registro das designações dadas e das decisões tomadas. Outras pessoas podem ser convidadas pelo bispo para essa reunião, quando necessário.

Durante essa reunião, os membros do bispado debatem em conselho os assuntos da ala, planejam maneiras de fortalecer as pessoas e famílias e avaliam os quóruns, as auxiliares, os programas e as atividades. Também planejam como implementar os ensinamentos das escrituras, dos líderes da Igreja e dos manuais.

Nessa reunião, os membros do bispado identificam os membros a serem chamados para servir na ala. Também identificam os membros que estão se aproximando da idade em que podem receber ordenanças, inclusive as ordenações do sacerdócio, e quais irmãos serão recomendados ao presidente da estaca para ser ordenados élderes e sumos sacerdotes e para servir como missionários.

Outros itens da agenda para essa reunião podem incluir prestar contas de designações, planejar reuniões, examinar o calendário e o orçamento da ala.

 18.2.7

Reunião do Comitê Executivo do Sacerdócio da Ala

Ver item 4.3.

 18.2.8

Reunião do Conselho da Ala

Ver item 4.6.

 18.2.9

Reunião do Comitê da Juventude do Bispado

O bispo preside o comitê da juventude do bispado. Esse comitê é formado pelo bispado, por um dos assistentes do bispo no quórum de sacerdotes, o presidente do quórum de mestres e o do quórum dos diáconos, as presidentes das classes das Moças, o presidente dos Rapazes e a presidente das Moças.

O bispado pode convidar outras pessoas a participar da reunião do comitê, quando necessário. Essas pessoas podem incluir o outro assistente do quórum de sacerdotes, os conselheiros da presidência de quóruns e classes, os secretários dos quóruns e das classes, os conselheiros da presidência dos Rapazes, as conselheiras da presidência das Moças, o secretário dos Rapazes e a secretária das Moças.

O comitê geralmente se reúne uma vez por mês. O bispo pode dirigir a reunião, ou pode designar um de seus conselheiros, um de seus assistentes no quórum de sacerdotes ou a presidente da classe das Lauréis para dirigi-la. Antes de cada reunião, o bispo analisa e aprova a agenda com a pessoa que vai dirigir a reunião. A agenda pode incluir os seguintes itens:

  1. 1.

    Identificar as necessidades e os interesses de cada jovem da ala. Planejar maneiras de ajudar a atender a essas necessidades. Planejar maneiras de ajudar os jovens a viver e promover os padrões da Igreja.

  2. 2.

    Planejar maneiras de incentivar cada jovem a participar das reuniões e atividades da Igreja, inclusive do seminário. Planejar o trabalho de integração de jovens que são menos ativos, recém-batizados e que são pesquisadores da Igreja, e prestar contas desse trabalho.

  3. 3.

    Marcar e planejar atividades para os jovens que sejam condizentes com as necessidades que foram identificadas. Essas atividades incluem atividades conjuntas do Sacerdócio Aarônico e das Moças e conferências de jovens da ala. Os líderes adultos devem incluir o máximo possível os jovens no planejamento e na execução dessas atividades.

  4. 4.

    Avaliar as atividades passadas para ver se os propósitos visados foram cumpridos.

Essas reuniões do comitê devem oferecer oportunidades de liderança e aprendizado para os jovens.

 18.2.10

Reunião do Comitê de Jovens Adultos Solteiros da Ala

Ver item 16.3.4.

 18.2.11

Reunião de Coordenação Missionária

Ver item 5.1.5.