Manual 2:
Administração da Igreja

 

21.1 Normas Administrativas

 21.1.1

Prevenção de Acidentes e Atuação em Caso de Acidentes

Ver item 13.6.20.

 21.1.2

Normas Referentes a Atividades

Ver item 13.6.

 21.1.3

Filhos Adotivos e Seus Pais Biológicos

As questões referentes a troca de informações e contato entre os filhos adotivos e seus pais biológicos devem ser tratadas com muito tato. Os direitos legais e as necessidades emocionais de todas as partes envolvidas precisam ser levadas em consideração.

 21.1.4

Adoção e Guarda de Menores

Os membros que pretendem adotar filhos ou assumir a guarda de menores devem observar estritamente todas as exigências legais de seu país (e das subdivisões governamentais pertinentes). Eles são incentivados a utilizar os serviços de um órgão licenciado e autorizado.

 21.1.5

Material Audiovisual

Os membros podem utilizar materiais audiovisuais tais como CDs, DVDs e apresentações em computador na Igreja, com as seguintes restrições:

  1. 1.

    Não podem ser usados na reunião sacramental nem na sessão geral da conferência de estaca (embora um acompanhamento musical gravado possa ser usado, caso não haja piano, órgão ou alguém que os toque).

  2. 2.

    Não podem ser usados se tiverem os direitos autorais reservados de modo a proibir essa utilização (ver 21.1.12).

  3. 3.

    Não podem ser usados se contiverem material inadequado para uso na Igreja.

O material audiovisual que atender a esses critérios pode ser usado no salão sacramental em reuniões que não sejam a reunião sacramental ou a sessão geral da conferência da estaca, se esse material for parte importante da reunião.

 21.1.6

Autógrafos e Fotografias de Autoridades Gerais e Setentas de Área

Os membros da Igreja não devem pedir autógrafos às Autoridades Gerais ou aos Setentas de Área nem pedir que assinem suas escrituras, seus hinários e seus programas de reuniões e eventos. Isso descaracteriza a natureza sagrada de seu chamado e afeta o espírito das reuniões. Pode também impedir esses líderes de cumprimentar outros membros.

Os membros não devem tirar fotografias das Autoridades Gerais ou dos Setentas de Área no salão sacramental.

 21.1.7

Bíblia

Os membros cujo idioma seja o inglês devem usar a edição SUD da Versão do Rei Jaime da Bíblia. Essa edição inclui uma chave bíblica, notas de rodapé, trechos da Tradução de Joseph Smith, referências remissivas a outras passagens da Bíblia e ao Livro de Mórmon, Doutrina e Convênios e Pérola de Grande Valor e outros auxílios para estudo. Embora outras versões da Bíblia talvez sejam mais fáceis de ler, em questões doutrinárias, as revelações modernas apoiam a Versão do Rei Jaime e lhe dão preferência sobre outras traduções inglesas.

Os membros cujo idioma seja o espanhol devem usar a edição SUD da Bíblia Reina-Valera. Essa edição inclui auxílios para estudo semelhantes às encontradas na edição SUD em inglês.

Em muitos outros idiomas, a Igreja aprovou uma edição não SUD da Bíblia para uso nas reuniões e aulas da Igreja. Os membros devem usar essa edição da Bíblia.

A maneira mais confiável de avaliar a correção de qualquer tradução bíblica não é comparar diferentes textos entre si, mas comparar o texto com o Livro de Mórmon e com as revelações modernas.

Exemplares da edição aprovada da Bíblia podem ser adquiridos nos Centros de Distribuição da Igreja. Na página da Internet scriptures.LDS.org, também podem ser encontrados o texto eletrônico e gravações de áudio de edições SUD das escrituras.

 21.1.8

Livro de Mórmon

A Igreja desaconselha a criação de versões mais fáceis ou modernas do Livro de Mórmon. A Primeira Presidência afirmou:

“Quando um texto sagrado é traduzido para outro idioma ou reescrito em uma linguagem mais acessível, existe um risco considerável de que esse processo venha a introduzir erros doutrinários ou obscurecer as evidências de sua origem antiga. Para evitar esses riscos, a Primeira Presidência e o Conselho dos Doze supervisionam de perto, pessoalmente, a tradução das escrituras do inglês para outras línguas e não autorizam qualquer tentativa de expressar o conteúdo doutrinário do Livro de Mórmon em linguagem mais acessível ou moderna. (Isso não se aplica a publicações da Igreja para as crianças.)” (Ensign, abril de 1993, p. 74.)

 21.1.9

Revistas da Igreja

A Primeira Presidência constantemente incentiva os membros da Igreja a lerem as revistas da Igreja. Os líderes locais da Igreja devem incentivar os membros a terem as revistas da Igreja em casa. Essas revistas contêm a orientação do Senhor dada por intermédio dos profetas atuais. As revistas da Igreja fortalecem a fé no Salvador e proporcionam orientação inspirada para dificuldades e problemas pessoais.

O presidente da estaca e o bispo podem encarregar seus secretários executivos de coordenar o trabalho de coletar assinaturas das revistas da Igreja (ver Manual 1, itens 13.3.4 e 13.4.4). O bispado também pode chamar um representante de A Liahona da ala e indicar outras pessoas para auxiliarem. Se um representante de A Liahona da ala for chamado, ele deve ajudar a planejar e dirigir campanhas de assinaturas das revistas da Igreja, ajudar os membros a fazerem ou renovarem suas assinaturas e ensinar a eles os benefícios de se ter uma assinatura das revistas da Igreja.

Os membros podem assinar as revistas da Igreja por meio dos Centros de Distribuição da Igreja. Em algumas áreas, os membros podem fazer a assinatura preenchendo um formulário no site das revistas da Igreja.

 21.1.10

Nome e Logotipo da Igreja

Os principais identificadores da Igreja são seu nome e logotipo. Eles são marcas registradas no mundo inteiro ou contam com outros tipos de proteção legal, e só devem ser usados de acordo com as seguintes diretrizes:

O nome escrito da Igreja (não o logotipo) pode ser usado em unidades locais, desde que sejam cumpridas as seguintes condições:

  1. 1.

    A atividade ou o evento a que o nome esteja associado (por exemplo: o programa da reunião sacramental) seja oficialmente promovido pela unidade.

  2. 2.

    O nome da unidade local da Igreja anteceda o nome da Igreja (por exemplo: Ala Vila Sônia de A Igreja de Jesus Cristo dos Santos dos Últimos Dias).

  3. 3.

    O tipo de letra usado não imite o do logotipo oficial nem se assemelhe a ele.

O logotipo oficial da Igreja (ver a capa deste manual) só deve ser usado em artigos aprovados pelo Departamento de Correlação da sede da Igreja. Alguns exemplos desses artigos são:

  1. 1.

    Publicações e papel de carta oficiais da Igreja.

  2. 2.

    Crachás de missionários.

  3. 3.

    Placas externas das capelas.

O logotipo não pode ser usado como decoração ou como protetor de tela de computadores. Também não pode ser utilizado em qualquer artigo de uso pessoal, comercial ou promocional, como livros de história da família, camisetas, botões ou faixas. As dúvidas podem ser encaminhadas para:

Intellectual Property Office 50 East North Temple Street, Room 1888 Salt Lake City, UT 84150-0018 Telefone: 1-801-240-3959 ou, somente nos Estados Unidos e no Canadá, 1-800-453-3860, ramal 2-3959 Fax: 1-801-240-1187 E-mail: cor-intellectualproperty@ldschurch.org

 21.1.11

Computadores

Com a autorização dos conselhos presidentes da Igreja, algumas unidades da Igreja recebem computadores para serem utilizados para certos fins, como, por exemplo, para a manutenção de registros e para a história da família. O presidente da estaca supervisiona a instalação e a utilização dos computadores da estaca. As diretrizes para a obtenção e a administração de computadores podem ser pedidas à sede da Igreja ou ao escritório administrativo designado. Essas diretrizes fornecem informações sobre questões como equipamentos e programas de informática, doação de computadores, conexões com a Internet, redes, consertos, descarte de computadores, computadores roubados ou danificados, segurança e utilização pelos membros.

Onde necessário, o presidente da estaca deve tomar as providências para permitir que os membros utilizem os computadores da ala e da estaca para fazer uso de programas computadorizados de história da família. Não é autorizado qualquer outro uso pessoal desses computadores.

Para proteger as informações confidenciais que se encontram nos computadores, os líderes e secretários devem usar senhas para proteger o acesso aos sistemas de manutenção de registros da Igreja. Ver o Manual 1, itens 13.8 e 13.9 para mais instruções sobre como proteger informações confidenciais.

Os computadores devem estar instalados em um lugar que permita que os membros do bispado e os secretários tenham privacidade para processar as contribuições semanais dos membros.

Para restrições referentes à cópia de programas de computador, ver o item 21.1.12.

 21.1.12

Material com Direitos Autorais

As leis que regem as obras criativas e a permissão para utilizá-las variam de um país para outro. As normas da Igreja explicadas nesta seção são condizentes com os tratados internacionais aplicáveis na maioria dos países. Esta seção se refere aos direitos autorais. Contudo, alguns desses direitos podem ser conhecidos por nomes diferentes em certos países.

O direito autoral é a proteção garantida por lei aos criadores de obras intelectuais originais existentes em forma tangível, como, por exemplo:

  1. 1.

    Obras literárias, musicais, teatrais e coreográficas.

  2. 2.

    Obras de arte, fotografias e esculturas.

  3. 3.

    Obras audiovisuais (tais como filmes, vídeos, CDs e DVDs).

  4. 4.

    Programas ou jogos de computador.

  5. 5.

    Bancos de dados da Internet ou de outros meios eletrônicos.

Os membros da Igreja devem obedecer rigorosamente a todas as leis de direitos autorais. Geralmente, apenas o proprietário do direito autoral pode autorizar a duplicação (cópia), distribuição, apresentação e exibição pública, ou obras derivadas da sua obra. A utilização de uma obra de qualquer uma dessas maneiras sem a autorização do proprietário do direito autoral é contrária às normas da Igreja e pode também sujeitar a Igreja ou o usuário a ações legais.

O usuário de uma obra deve sempre presumir que ela tenha o devido registro dos direitos autorais. As obras publicadas geralmente incluem um aviso de direitos autorais como “© 1959 João da Silva”. (Para gravações de som o símbolo é ℗.). Contudo, mesmo as obras que não tenham esse aviso podem estar protegidas pelas leis de direitos autorais. Além disso, o simples fato de um material não estar mais sendo publicado não anula seu direito autoral nem justifica sua cópia, distribuição, apresentação, exibição ou a criação de obras derivadas sem a devida permissão.

O Escritório de Propriedade Intelectual da Igreja [Church’s Intellectual Property Office — IPO] auxilia no processamento de pedidos de utilização de materiais e programas da Igreja que tenham direitos autorais , inclusive daqueles que pertençam à Intellectual Reserve, Inc. (IRI), uma empresa independente sem fins lucrativos que detém os direitos autorais das obras utilizadas pela Igreja. Informações adicionais sobre pedidos de utilização de materiais de propriedade da Igreja podem ser encontrados no link “Rights and Use Information”em LDS.org.

As perguntas e respostas a seguir podem ajudar os membros a compreender e seguir as leis de direitos autorais ao utilizar material com essa proteção na Igreja e no lar. Se tiverem dúvidas que não forem esclarecidas nessas diretrizes, os membros podem entrar em contato com:

Intellectual Property Office 50 East North Temple Street, Room 1888 Salt Lake City, UT 84150-0018 Telefone: 1-801-240-3959 ou, somente nos Estados Unidos e no Canadá, 1-800-453-3860, ramal 2-3959 Fax: 1-801-240-1187 E-mail: cor-intellectualproperty@ldschurch.org

Posso copiar gravuras das revistas da Igreja? As gravuras das publicações da Igreja geralmente podem ser copiadas para uso não comercial na Igreja, no lar e pela família. Contudo, não podem ser copiadas para fins comerciais sem permissão específica por escrito do IPO. Se houver restrição para a cópia de uma determinada gravura, haverá um aviso de “reprodução proibida” nos créditos da imagem.

Posso copiar materiais publicados pela Igreja? As publicações da Igreja geralmente podem ser copiadas para uso na Igreja, no lar e pela família. Os materiais da Igreja não podem ser utilizados para fins comerciais sem permissão específica por escrito do IPO.

Posso copiar músicas? Há leis específicas de direitos autorais que se aplicam a músicas. É permitido copiar músicas de Hinos, de Músicas para Crianças e das revistas da Igreja para uso não comercial na Igreja, no lar e pela família, exceto quando houver um aviso indicando expressamente a proibição da cópia do hino ou da música. A cópia de partituras ou músicas sem a autorização do proprietário do direito autoral não é aprovada pelas normas da Igreja. Músicas que foram copiadas de modo contrário a essas normas não podem ser utilizadas para propósitos da Igreja.

Posso alterar, copiar ou segmentar os produtos audiovisuais produzidos pela Igreja? Não, a menos que esse uso tenha sido especificamente autorizado pelo IPO. Os produtos audiovisuais produzidos pela Igreja devem ser usados de acordo com as instruções explicadas nos manuais e na embalagem do material.

Posso copiar material que não pertença à Igreja? Geralmente não. As leis de direitos autorais regem o uso de material de propriedade particular. Geralmente há restrições que precisam ser seguidas antes de copiar um material com direitos autorais que não seja de propriedade da Igreja. Essas restrições geralmente estão explicadas no início da publicação. Os membros devem seguir rigorosamente todas as leis referentes a direitos autorais.

Posso mostrar material audiovisual comercial nas atividades da Igreja? Geralmente não. Os membros da Igreja não devem violar as advertências e restrições colocadas em produtos audiovisuais comerciais. A utilização de produtos audiovisuais comerciais em atividades da Igreja geralmente requer permissão do proprietário do direito autoral.

Posso baixar ou copiar programas de computador e outros programas para uso na Igreja? Geralmente não. Os programas de computador e outros softwares não podem ser copiados da Internet ou de outra fonte a menos que as devidas licenças tenham sido adquiridas de modo apropriado. Como exceção, os programas de história da família da Igreja podem ser copiados da Internet gratuitamente.

Posso baixar materiais encontrados nos websites da Igreja e distribuí-los? A Igreja criou vários websites, como LDS.org, Mormon.org e FamilySearch.org. A menos que haja indicação em contrário, todos os materiais encontrados nos websites da Igreja, inclusive auxílios visuais, textos, ícones, exposições, bancos de dados e informações gerais podem ser visualizados, copiados e impressos somente para uso não comercial na Igreja, no lar e pela família. Os materiais desses sites não podem ser transcritos ou incluídos em outros websites ou redes de computador sem a permissão do IPO.

Os sites de propriedade da Igreja e todas as informações neles contidas, inclusive o nome e endereço das pessoas que enviaram as informações, não podem ser usados para vender nem promover produtos ou serviços, recrutar clientes ou qualquer outro propósito comercial.

Para mais informações, ver os direitos de utilização de informações dos websites.

Que permissão é necessária para apresentar uma produção musical ou teatral? As produções de propriedade da Igreja ou da IRI podem ser apresentadas na Igreja sem permissão da sede da Igreja. Caso a produção com direitos autorais não seja de propriedade da Igreja, os membros precisam conseguir a permissão de quem tem o direito autoral para apresentá-la integral ou parcialmente na Igreja. Geralmente, esse autor exige o pagamento de uma taxa ou de royalties, mesmo que não se cobre entrada para as apresentações. Todas as apresentações devem ter a aprovação dos líderes locais do sacerdócio.

 21.1.13

Material Curricular

A Igreja disponibiliza escrituras, revistas, manuais, livros e outros materiais para ajudar os membros a aprenderem e viverem o evangelho de Jesus Cristo.

Os líderes do sacerdócio e das auxiliares incentivam os membros a adquirir seus exemplares das escrituras e outros materiais curriculares para uso no lar e na Igreja.

Os líderes asseguram-se de que os professores utilizem materiais aprovados pela Igreja nas aulas dos quóruns e das classes. A publicação Instruções sobre o Currículo fornece informações sobre como organizar as aulas de domingo e quais materiais usar nas aulas.

 21.1.14

Agências de Namoro e Encontros para Membros Solteiros

As agências de namoro ou encontros oferecem com frequência seus serviços aos membros solteiros da Igreja. As capelas, as aulas ou os programas da Igreja não podem ser usados para promover quaisquer empreendimentos comerciais particulares, inclusive os que envolvam agências de namoro ou de encontros. Também não se devem fornecer listas de grupos da Igreja ou outras informações sobre os membros a essas agências.

 21.1.15

Catálogos de Endereços

Podem-se publicar catálogos de endereços da estaca e das alas de acordo com as seguintes instruções:

O nome, endereço e o número do telefone podem ser incluídos no catálogo somente se constarem da lista telefônica comercial ou, caso não constem, se o membro der a permissão. Somente podem ser incluídos endereços de e-mail com a permissão do membro.

Usa-se o fundo de orçamento da ala ou da estaca para pagar a impressão desses catálogos, que não podem incluir propagandas.

Os líderes não podem distribuir os catálogos fora dos limites da estaca ou ala nem permitir seu uso para fins comerciais ou políticos.

No início de cada catálogo, deve haver a declaração de que ele só pode ser usado para propósitos da Igreja e não pode ser copiado sem a permissão do bispo ou do presidente da estaca.

 21.1.16

Emigração de Membros

De modo geral, os membros são incentivados a permanecer em sua terra natal para edificar e fortalecer a Igreja. As oportunidades de atividade na Igreja e de receber as bênçãos do evangelho e levá-las ao próximo estão aumentando muito em todo o mundo. Quando os membros permanecem em sua própria terra natal e se empenham em edificar a Igreja ali, eles próprios e a Igreja recebem grandes bênçãos. As estacas e alas do mundo inteiro são fortalecidas, permitindo que as bênçãos do evangelho sejam levadas a um número ainda maior de filhos do Pai Celestial.

A experiência mostrou que, com frequência, as pessoas que emigram encontram dificuldades financeiras, culturais e em relação ao idioma, resultando em decepção e problemas pessoais e familiares.

Os missionários não devem pedir a seus pais, parentes ou outras pessoas que contribuam financeiramente para a emigração dos membros que desejem deixar o próprio país.

Os membros que emigrarem para qualquer país devem cumprir todas as leis a ele pertinentes.

Quando viajarem para os Estados Unidos ou para outros países com visto de estudante ou turista, os membros não devem fazê-lo com a intenção de conseguir emprego ou de obter um visto permanente após sua entrada no país.

Para candidatar-se a um emprego na Igreja em qualquer país, a pessoa precisa cumprir todas as condições impostas pelas leis de imigração e naturalização. A Igreja não patrocina imigrações por meio de empregos na Igreja.

 21.1.17

Dia de jejum

A devida observância do dia de jejum normalmente consiste em abster-se de ingerir alimentos e líquidos por duas refeições consecutivas em um período de 24 horas, assistir à reunião de jejum e testemunhos e fazer uma oferta de jejum generosa para ajudar as pessoas necessitadas.

 21.1.18

Levantamento de Fundos

Ver item 13.6.8.

 21.1.19

Jogos de Azar e Loterias

A Igreja opõe-se a qualquer tipo de jogo de azar, inclusive as loterias promovidas pelo governo.

 21.1.20

Oradores ou Professores Convidados

Na maioria das reuniões da Igreja, os oradores e professores devem pertencer à ala ou estaca local.

É necessária a aprovação do bispo antes que oradores ou professores convidados de outra ala ou estaca (ou não membros) possam atuar em qualquer das reuniões da ala, inclusive das auxiliares. Se a reunião for da estaca, é necessária a aprovação do presidente da estaca.

O bispo ou o presidente da estaca deve selecionar cuidadosamente os oradores ou professores convidados de outras unidades assim como os assuntos que serão apresentados. Isso pode incluir entrar em contato com o bispo da pessoa. O bispo ou o presidente da estaca deve assegurar-se de que:

  1. 1.

    O conteúdo apresentado esteja em harmonia com a doutrina da Igreja.

  2. 2.

    Os oradores ou professores convidados não recebam pagamento, não recrutem participantes e não busquem por clientes nem compradores.

  3. 3.

    As despesas de viagem dos oradores ou professores convidados não sejam pagas com dinheiro do fundo de orçamento local da unidade nem com contribuições particulares.

  4. 4.

    O evento, a aula ou a palestra obedeça às diretrizes para a utilização de propriedades da Igreja (ver 21.2).

 21.1.21

Imposto de Renda

Os membros da Igreja são obrigados pela décima segunda regra de fé a obedecer às leis tributárias do país em que residem (ver também D&C 134:5). Os membros que não concordarem com as leis tributárias podem procurar fazer com que sejam alteradas por meio de mudanças na legislação ou emendas na constituição. Os membros que tenham objeções legais bem fundamentadas referentes à cobrança de impostos podem questioná-la nos tribunais.

Os membros que se recusarem a fazer sua declaração de renda, pagar os impostos exigidos ou cumprir a decisão judicial final referente a uma questão tributária estão em conflito direto com a lei e com os ensinamentos da Igreja. Esses membros podem não se qualificar para uma recomendação para o templo e não devem ser chamados para cargos de grande responsabilidade na Igreja. Os membros que forem condenados por violar deliberadamente as leis tributárias do país estão sujeitos a uma ação disciplinar da Igreja, conforme as circunstâncias exigirem.

 21.1.22

Internet

Desde que utilizada com cuidado, a Internet pode ajudar a coordenar o trabalho da Igreja, fortalecer a fé e atender às necessidades das pessoas. Contudo, se possível, os membros devem assegurar-se de que a comunicação eletrônica não tome o lugar das oportunidades de contato direto, face a face.

Recursos Oficiais da Igreja na Internet

A Igreja criou alguns site oficiais e outros recursos da Internet para uso geral. Esses sites e recursos estão claramente identificados como oficiais por meio do logotipo da Igreja ou por outros meios. Eles também atendem às exigências legais e às normas de propriedade intelectual e de privacidade da Igreja.

Somente podem ser criados websites de estaca e de ala usando-se os recursos oficiais da Igreja na Internet. As estacas e alas não estão autorizadas a criar outros sites ou blogs ou a ter algum outro tipo de presença promovida pela Igreja na Internet.

Os sites de estaca e ala podem facilitar a coordenação e a comunicação com as unidades locais. Esses sites incluem notícias e anúncios, calendários, catálogos de líderes e membros e a programação de uso dos prédios da Igreja. Se for criado um site da estaca ou da ala, ele deve ser regularmente atualizado para atender os fins para os quais foi criado.

Para solicitar aprovação para usar os recursos oficiais da Igreja a fim de criar um site de estaca ou ala, o presidente da estaca entra em contato com este escritório na sede da Igreja:

Member and Statistical Records Division Attn: Local Unit Internet Resources 50 East North Temple Street, Room 1320 Salt Lake City, UT 84150-0013 Telefone: 1-801-240-3500 ou, somente nos Estados Unidos e no Canadá, 1-800-453-3860, ramal 2-3500 E-mail: msrmail@ldsmail.net

Diretrizes adicionais para os sites de estaca e de ala podem ser encontradas em “LDS Site Development Guide” no site LDS.org.

Ocasionalmente, pode ser aprovada a criação de sites oficiais da Igreja para outros propósitos, como projetos multiestacas, eventos especiais, atividades de jovens adultos solteiros e para organizar esses jovens. Para pedir aprovação para um site desse tipo, o líder do sacerdócio encarregado da organização envia um pedido a um membro da Presidência dos Setenta ou à Presidência de Área declarando a que o site se destina e por que ele é necessário.

Os templos, as missões e os centros de visitantes não estão autorizados a criar sites.

Utilização da Internet pelos Membros em Chamados da Igreja

Os membros podem criar sites ou blogs pessoais ou fazer uso de outros recursos adequados da Internet em seus chamados na Igreja, desde que incluam uma declaração tal como: “Este não é um site oficial de A Igreja de Jesus Cristo dos Santos dos Últimos Dias”. Os membros também precisam cumprir as seguintes diretrizes:

  1. 1.

    O logotipo da Igreja não pode ser usado nem imitado.

  2. 2.

    O site deve exibir o nome e os dados de contato do membro responsável.

  3. 3.

    Os membros não devem declarar nem dar a entender que seu website ou suas atividades são promovidos ou endossados pela Igreja.

  4. 4.

    Não se devem publicar obras de arte, música ou outros materiais de propriedade da Igreja, a menos que esse uso esteja claramente autorizado na página “Rights and Use Information” de um site oficial da Igreja ou pelo Escritório de Propriedade Intelectual da Igreja.

  5. 5.

    Não se devem exibir fotografias ou dados pessoais de outras pessoas sem o consentimento delas.

Utilização Individual da Internet

Os membros são incentivados a ser um exemplo de sua religião em todos os momentos e em todos os lugares, inclusive na Internet. Se usarem blogs, redes de relacionamento social e outras tecnologias da Internet, eles são incentivados a fortalecer as pessoas e ajudá-las a conhecer coisas úteis, boas e louváveis. Se adequado, os membros são incentivados a mencionar a Igreja, compartilhar material aprovado da Igreja e incluir atalhos ou links para esse material.

Se os membros utilizarem a Internet para outros propósitos que não sejam os chamados da Igreja, eles devem compreender que a mensagem que transmitem é pessoal. Não devem dar a impressão de que representam a Igreja ou são apoiados por ela.

Auxílios e diretrizes adicionais são fornecidos em “Internet Usage Helps for Members” no site LDS.org.

 21.1.23

Leis do País

Os membros devem cumprir, honrar e apoiar as leis do país em que residem ou para o qual viajem (ver D&C 58:21–22; Regras de Fé 1:12). Isso inclui as leis que proíbem o proselitismo.

 21.1.24

Comunicação entre Membros e a Sede da Igreja

Os membros da Igreja são desaconselhados a telefonar ou escrever cartas para Autoridades Gerais a respeito de questões doutrinárias ou assuntos pessoais. Com um número cada vez maior de membros da Igreja, responder pessoalmente a essas dúvidas seria uma tarefa quase impossível e dificultaria o cumprimento dos deveres pelos quais as Autoridades Gerais são exclusivamente responsáveis. As Autoridades Gerais amam os membros da Igreja e não desejam que eles se sintam carentes do apoio e da orientação de que necessitam. Contudo, todas as coisas precisam ser feitas com sabedoria e ordem.

O Senhor, em Sua sabedoria, organizou Sua Igreja de modo que cada membro tenha um bispo ou presidente de ramo e um presidente de estaca, distrito ou missão que servem como conselheiros espirituais e de assuntos materiais. Em virtude de seu chamado, os líderes locais têm direito ao espírito de discernimento e inspiração que lhes possibilita aconselhar os membros de sua jurisdição.

Os membros que necessitarem de orientação espiritual, tiverem problemas pessoais graves ou dúvidas a respeito da doutrina devem esforçar-se diligentemente, inclusive por meio de oração sincera e fervorosa e estudo das escrituras, para encontrar as soluções por si mesmos. Os membros da Igreja são aconselhados a buscar a orientação do Espírito Santo para ajudá-los em sua vida pessoal e em suas responsabilidades em relação à família e à Igreja.

Se ainda assim precisarem de ajuda, devem procurar primeiramente aconselhar-se com o bispo. Se necessário, ele pode encaminhá-los ao presidente da estaca.

Na maioria dos casos, toda correspondência enviada por membros às Autoridades Gerais é encaminhada de volta para os líderes locais. Os presidentes de estaca que precisarem de mais esclarecimento sobre questões referentes à doutrina ou a outros assuntos da Igreja podem escrever em nome de seus membros para a Primeira Presidência.

 21.1.25

Profissão e Emprego dos Membros e Outras Atividades ou Grupos a Que Estejam Ligados

O batismo na Igreja, as ordenações ao sacerdócio e a emissão de uma recomendação para o templo baseiam-se na dignidade individual de cada pessoa, que é avaliada numa entrevista cuidadosa realizada por seus líderes locais do sacerdócio. Os membros da Igreja devem procurar envolver-se em atividades e empregos para os quais possam, de consciência limpa, pedir as bênçãos do Senhor e que sejam condizentes com os princípios do evangelho e os ensinamentos do Salvador.

 21.1.26

Membros com Deficiências

Os membros da Igreja são incentivados a seguir o exemplo do Salvador dando esperança, compreensão e amor aos que têm deficiências. Os líderes do sacerdócio e das auxiliares devem procurar conhecer as pessoas com deficiências e demonstrar sincero interesse e preocupação por elas.

Os líderes do sacerdócio e das auxiliares também identificam membros que possam necessitar de mais cuidados por terem pai, mãe, filho ou irmão com deficiência. Cuidar de um familiar com deficiência pode ser um processo de aperfeiçoamento que desenvolve a fé, mas também pode contribuir para o surgimento de problemas financeiros, conjugais e familiares.

Os líderes do sacerdócio e das auxiliares também procuram os membros com deficiências que moram em casas de repouso e outras instituições, sem seus familiares.

Aumentar a Conscientização e Compreensão

Os líderes, professores e outros membros devem procurar entender a deficiência da pessoa e todas as necessidades a ela associada. Eles podem aumentar sua compreensão conversando com a pessoa e seus familiares. Também podem ler discursos de líderes da Igreja, artigos das revistas da Igreja e encontrar recursos na Internet em disabilities.LDS.org.

Prestar Assistência

Os líderes do sacerdócio e das auxiliares avaliam as necessidades das pessoas com deficiências e das pessoas que cuidam delas. Esses líderes determinam como os recursos da ala e da estaca podem ser usados de forma adequada para ajudar a atender a essas necessidades. Os líderes incentivam os membros a prestar assistência e ajudar com amor e amizade. O bispado ou a presidência da estaca pode chamar na ala ou na estaca um especialista de assistência a pessoas com deficiências para ajudar essas pessoas e seus familiares.

Os líderes também podem identificar recursos da comunidade que podem ajudar as pessoas com deficiências e seus familiares.

Para informações adicionais sobre como ajudar pessoas com deficiências, os líderes e membros podem entrar no site disabilities.LDS.org. Os líderes também podem entrar em contato com os Serviços Familiares SUD (onde houver).

Os líderes e membros não devem tentar explicar por que a deficiência atingiu a família. Jamais devem sugerir que ela foi um castigo de Deus (ver João 9:2–3). Tampouco devem sugerir que é uma bênção ter um filho com deficiência.

Realização de Ordenanças

Ao cogitar a realização de ordenanças por uma pessoa com deficiência mental, os líderes do sacerdócio devem seguir as diretrizes do Manual 1, item 16.1.8.

Oportunidades de Servir e Participar

Muitos membros com deficiência podem servir em quase qualquer designação da Igreja. Em espírito de oração, os líderes do sacerdócio e das auxiliares devem avaliar a capacidade e o desejo de cada pessoa e então proporcionar-lhe oportunidades adequadas de servir. Os líderes também devem consultar a família da pessoa e levar em conta os efeitos que um chamado da Igreja teria para a pessoa e para sua família ou para as pessoas que cuidam dela.

Ao cogitar a possibilidade de dar designações ou chamados na Igreja para os que cuidam de pessoas com deficiências, os líderes devem levar cuidadosamente em conta as circunstâncias da pessoa e da família.

Os líderes e professores devem incluir o mais plenamente possível, nas reuniões, aulas e atividades, os membros com deficiência. As aulas, os discursos e os métodos didáticos devem ser adaptados para atender às necessidades de cada pessoa. Para informações sobre como adaptar aulas, ver disabilities.LDS.org.

O bispado pode chamar um professor adjunto para ajudar determinada pessoa de uma classe. O bispado pode também pedir que alguém ajude a pessoa numa reunião ou atividade.

Se a pessoa não puder participar de uma reunião, aula ou atividade, os líderes e os professores devem consultar a família sobre os meios de atender às necessidades da pessoa. O presidente da estaca ou o bispo pode aprovar a organização de classes ou programas especiais para membros com deficiências (ver “Organização de Classes, Programas ou Unidades Especiais” abaixo). Se a pessoa não puder assistir às reuniões da Igreja, podem ser-lhe fornecidos materiais impressos ou gravações das aulas e dos discursos.

Os líderes do sacerdócio incentivam os homens que são portadores do sacerdócio a participar de ordenanças, quando adequado. Os portadores do sacerdócio e as irmãs com 12 anos ou mais, que foram batizados(as) e confirmados(as) e que são dignos(as) podem receber no templo o batismo e a confirmação em favor dos mortos. As diretrizes sobre o recebimento das ordenanças próprias do templo por membros com deficiências encontram-se no Manual 1, item 3.3.3.

Organização de Classes, Programas ou Unidades Especiais

Os membros com deficiências e necessidades especiais são incentivados a assistir às reuniões dominicais em sua ala regular, a menos que residam em casas ou instituições de assistência nas quais os programas da Igreja estejam organizados.

Se houver membros com deficiências semelhantes numa ala, num grupo de alas, numa estaca ou num grupo de estacas, os líderes podem organizar uma Mutual, classes da Primária ou programas especiais para eles. Os líderes também podem organizar classes da Escola Dominical e outras classes. Essas classes ou programas complementam o programa da ala da pessoa.

Para organizar uma classe ou um programa especial que abranja várias estacas, é necessária a aprovação da Presidência de Área ou de um membro da Presidência dos Setenta. Esses líderes designam um presidente de estaca para ser o agente que supervisionará a implementação e o funcionamento da classe ou do programa por um período de tempo determinado.

Para organizar uma classe ou um programa especial que abranja várias alas, é necessária a aprovação da presidência da estaca. O presidente da estaca designa um bispo para ser o agente que supervisionará a implementação e o funcionamento da classe ou do programa por um período de tempo determinado.

O presidente da estaca ou bispo agente consulta os outros presidentes de estaca ou bispos participantes para estabelecer uma norma para o apoio financeiro a essas classes ou esses programas. Os pais ou pessoas que cuidam dos deficientes são responsáveis pelo transporte.

Se for organizado um programa ou uma classe para várias estacas, o presidente de cada estaca participante pode indicar um sumo conselheiro para ajudar a coordenar a tarefa de matricular os membros que querem participar, encontrar líderes e professores e aplicar as normas financeiras estabelecidas pelo presidente de estaca agente.

Os membros que servem em uma classe ou um programa especial são chamados e designados por imposição de mãos sob a direção do presidente da estaca ou bispo agente. Esses líderes seguem os procedimentos normais da Igreja para fazer chamados e desobrigações. Os líderes e professores das classes ou dos programas especiais transmitem as informações sobre as atividades e realizações dos membros aos líderes das respectivas alas de origem, nas quais são guardados os registros permanentes e nas quais podem ser feitos reconhecimentos.

Quando convidados pelo presidente da estaca ou bispo agente, os líderes das classes ou dos programas especiais podem assistir às reuniões de liderança da estaca ou ala. Eles também podem realizar suas próprias reuniões para planejar as atividades da classe ou do programa.

Os líderes podem entrar em contato com os administradores dos Seminários e Institutos de Religião para informar-se a respeito de classes para membros com deficiências que possam ser organizadas pelo Sistema Educacional da Igreja.

Podem ser criadas alas ou ramos para membros surdos ou deficientes auditivos. Ou pode-se pedir a uma ala que abrigue um grupo para surdos ou deficientes auditivos de uma determinada área geográfica. Essas alas, ramos ou grupos ajudam esses membros a participar plenamente das oportunidades de serviço e de aprendizado do evangelho. As instruções para a organização dessas unidades se encontram no Manual 1, itens 9.1.4 e 9.1.10.

Os membros que usam a linguagem de sinais e seus familiares podem decidir deixar seu registro de membro da Igreja em um dos seguintes lugares: (1) sua ala regular, (2) na ala que tenha sido designada para abrigar o grupo para membros surdos ou deficientes auditivos, ou (3) na ala ou no ramo organizado para membros surdos ou deficientes auditivos.

Intérpretes para Membros Surdos ou Deficientes Auditivos

Os membros surdos ou deficientes auditivos enfrentam obstáculos à comunicação no aprendizado de princípios e doutrinas do evangelho. Se usarem a linguagem de sinais, eles precisam de intérpretes para ajudá-los a participar plenamente das reuniões da Igreja, ordenanças do sacerdócio, do trabalho do templo, dos testemunhos, das entrevistas e das atividades.

Os membros surdos ou deficientes auditivos são incentivados a ser autossuficientes e tomar a iniciativa de trabalhar com seus líderes do sacerdócio na coordenação dos serviços de interpretação de que necessitam. Em preparação para situações delicadas como entrevistas pessoais ou conselhos disciplinares da Igreja, os líderes do sacerdócio consultam o membro para determinar se vão utilizar um intérprete ou não. Nesse tipo de situação, os líderes devem procurar um intérprete que não seja da família (se possível) e salientar a necessidade de sigilo.

Se não houver intérpretes suficientes, os líderes podem organizar classes na ala ou estaca para ensinar a linguagem de sinais usada localmente. Os líderes podem chamar membros qualificados para dar aulas nessas classes. Os membros surdos ou deficientes auditivos que usam a linguagem de sinais como idioma nativo devem ser os primeiros a ser cogitados para dar aulas nessas classes. Uma fonte de consulta útil é o Dictionary of Sign Language Terms for The Church of Jesus Christ of Latter-day Saints.

Somente membros dignos devem interpretar nas reuniões sacramentais, reuniões do sacerdócio e entrevistas. Se não houver um portador do sacerdócio para atuar como intérprete numa reunião do sacerdócio, o líder presidente pode pedir a uma mulher que faça a interpretação. Temporariamente, pessoas que não são da Igreja podem servir de intérpretes como voluntárias nas atividades e na maioria das outras reuniões, até que os membros desenvolvam a capacidade de interpretar.

O líder presidente pode pedir a um portador do sacerdócio que interprete uma ordenança ou bênção, se a pessoa que vai recebê-la for surda ou deficiente auditiva. Se não houver um portador do sacerdócio para interpretar, o líder presidente pode pedir a uma mulher que o faça.

Nas aulas ou reuniões, o intérprete deve ficar na frente da sala de aula ou do salão sacramental, mas não no púlpito. Ele deve também ficar mais afastado do orador para que não crie uma distração visual. Como a compreensão melhora se os membros surdos ou deficientes auditivos virem os lábios e a linguagem corporal do orador, a disposição deve ser tal que esses membros consigam ver o intérprete e também enxergar o orador ou o professor com sua visão periférica. Se houver um número suficiente de intérpretes, os líderes podem pedir que eles se revezem a cada 30 minutos, para evitar o cansaço.

Durante uma ordenança do sacerdócio ou entrevista, o intérprete deve ficar perto da pessoa que realiza a ordenança ou faz a entrevista.

Se os membros surdos ou deficientes auditivos não usarem a linguagem de sinais e precisarem de um intérprete oral para ajudá-los na leitura de lábios, os líderes usam os mesmos procedimentos que seguiriam para encontrar um intérprete para a linguagem de sinais.

Privacidade

Os líderes devem respeitar a privacidade dos membros com deficiências durante as reuniões de liderança nas quais serão discutidas necessidades individuais, e também depois delas.

Recursos

Os recursos para membros com deficiências, para suas famílias e pessoas que cuidam deles, e para líderes e professores encontram-se em disabilities.LDS.org. Esse site oferece:

  1. 1.

    Informações para ajudar a ampliar a compreensão dos desafios enfrentados por aqueles que têm deficiências.

  2. 2.

    Seções sobre deficiências específicas e respostas para perguntas frequentes.

  3. 3.

    Consolo para membros com deficiência e seus familiares por meio de escrituras, citações e atalhos ou links para informações úteis.

  4. 4.

    Listas de materiais para ajudar os membros com deficiência em seu empenho em viver o evangelho de Jesus Cristo e servir na Igreja.

Os materiais da Igreja para membros com deficiência estão alistados no Church Materials Catalog e em disabilities.LDS.org.

Para esclarecer dúvidas sobre os materiais para membros com deficiência entre em contato com:

Members with Disabilities 50 East North Temple Street Salt Lake City, UT 84150-0024 Telefone: 1-801-240-2477 E-mail: specialcurriculum@ldschurch.org

 21.1.27

Outras Religiões

Há muitas coisas inspiradoras, nobres e dignas do mais alto respeito em outras religiões. Os missionários e outros membros da Igreja devem expressar tato e respeito para com as crenças de outras pessoas e procurar não ofendê-las. Os presidentes de missão e de estaca que tiverem dúvidas a respeito do relacionamento com as religiões não cristãs devem entrar em contato com um membro da Presidência dos Setenta ou com a Presidência de Área. Os demais líderes que tiverem essas dúvidas devem entrar em contato com o presidente da missão ou da estaca.

 21.1.28

Atividades com Pernoite

Ver itens 13.6.12 e 21.2.8.

 21.1.29

Atividade Política e Cívica

Na qualidade de cidadãos, os membros da Igreja são incentivados a participar dos assuntos políticos e governamentais, inclusive do envolvimento no partido político de sua escolha. Também são incentivados a envolverem-se ativamente em causas justas para melhorar sua comunidade no intuito de fazer dela um bom lugar para morar e criar a família.

De acordo com as leis de seus respectivos governos, os membros são incentivados a cadastrar-se como eleitores, estudar as questões e os candidatos políticos com muito cuidado e votar nas pessoas que acham que agirão com integridade e bom senso. Os santos dos últimos dias, especialmente, têm a obrigação de buscar, apoiar e dar seu voto a líderes que sejam honestos, bons e sábios (ver D&C 98:10).

Embora defenda o direito de expressão nas questões políticas e sociais, a Igreja é politicamente neutra em relação a partidos, plataformas ou candidatos a cargos políticos. Ela não endossa nenhum partido, plataforma ou candidato político. Também não aconselha aos membros como votar. Contudo, em algumas ocasiões excepcionais, a Igreja assume uma posição em relação a uma lei específica, particularmente quando concluir que questões morais estão envolvidas. Somente a Primeira Presidência pode falar pela Igreja ou fazer com que a Igreja assuma o compromisso de apoiar uma lei específica ou de opor-se a ela, ou de procurar intervir em questões judiciais. Caso contrário, os presidentes de estaca e outros líderes locais não devem organizar os membros para que participem de questões políticas nem devem tentar influenciar a forma como eles participam delas.

Os membros da Igreja são incentivados a considerar a possibilidade de servir em cargos públicos eletivos ou nomeados no governo local ou nacional. Os candidatos a um cargo político não devem dar a entender que sua candidatura é endossada pela Igreja ou por seus líderes. Os líderes e membros da Igreja não devem fazer nenhuma declaração nem agir de modo que possa ser interpretado como endosso da Igreja a um partido, uma plataforma, uma política ou um candidato.

Os membros são incentivados a apoiar medidas que fortaleçam a estrutura moral da sociedade, especialmente as que visem manter e fortalecer a família como unidade fundamental da sociedade.

Os registros, os catálogos e as listas de endereço da Igreja e outros materiais semelhantes não podem ser usados para fins políticos.

Os prédios da Igreja não podem ser usados para fins políticos. Contudo, eles podem ser usados como local de cadastramento de eleitores ou de votação, caso não haja uma alternativa razoável (ver 21.2).

 21.1.30

Normas Postais

Nos Estados Unidos e em alguns outros países, é uma violação das normas postais colocar nas caixas de correio qualquer material que não esteja selado. Essa restrição se aplica aos boletins de notícias da ala ou estaca, anúncios, convites e a outros materiais relacionados com a Igreja. Os líderes da Igreja devem instruir os membros e os missionários a não colocar esses artigos nas caixas de correio.

 21.1.31

Privacidade dos Membros

Os líderes da Igreja têm a obrigação de proteger a privacidade dos membros. Os registros, os relatórios, as listas da Igreja e outros materiais semelhantes não podem ser usados para fins pessoais, comerciais ou políticos (ver também 21.1.15).

 21.1.32

Publicações Particulares

Os membros não devem pedir às Autoridades Gerais ou aos Setenta de Área que sejam coautores de livros ou outras publicações de conteúdo relacionado à Igreja nem que endossem essas publicações.

 21.1.33

Gravação de Discursos ou Palestras de Autoridades Gerais e Setentas de Área

Os membros não devem gravar discursos de Autoridades Gerais e Setentas de Área proferidos em conferências de estaca, reuniões de missionários e outras reuniões, mas podem gravar as transmissões da conferência geral com equipamento doméstico para uso pessoal, não comercial.

 21.1.34

Referência à Igreja e a Seus Membros

À medida que a Igreja se espalha por vários países, culturas e línguas, o uso de seu nome revelado, A Igreja de Jesus Cristo dos Santos dos Últimos Dias (ver D&C 115:4), torna-se cada vez mais importante em face da responsabilidade que a Igreja e seus membros têm de proclamar o nome do Salvador ao mundo inteiro. Consequentemente, a referência à Igreja deve incluir seu nome completo sempre que possível. Após uma referência inicial ao nome completo da Igreja, as abreviações “a Igreja” ou “a Igreja de Jesus Cristo” são aceitáveis.

Desencoraja-se os termos “a Igreja Mórmon”, “a Igreja dos Santos dos Últimos Dias”ou “a Igreja SUD”, com referência à Igreja.

Ao referir-se aos membros da Igreja, é preferível usar a expressão “membros da Igreja de Jesus Cristo dos Santos dos Últimos Dias”. Como referência abreviada, “santos dos últimos dias” é preferível, e “mórmons” é aceitável.

A palavra mórmon continuará a ser usada em nomes próprios como o Livro de Mórmon ou o Coro do Tabernáculo Mórmon. Também continuará a ser usada como adjetivo em expressões como “pioneiros mórmons”. Além disso, pode ser necessário usar a palavra mórmon para identificar a Igreja, conforme ela é mais conhecida em alguns países.

 21.1.35

Estudos e Pesquisas Realizados na Igreja

A única entidade de pesquisas autorizada da Igreja é a Divisão de Dados de Pesquisa do Departamento de Correlação. Os representantes desse departamento utilizam questionários e entrevistas para colher dados referentes a assuntos de interesse das Autoridades Gerais. Quando os pesquisadores autorizados pela Igreja entram em contato com os membros, fornecem o número de telefone da Igreja para ligações gratuitas e o nome de um contato na sede da Igreja. Além disso, eles sempre dão ao entrevistado a opção de não responder a quaisquer perguntas da pesquisa.

As reuniões da Igreja não podem ser usadas por pessoas ou entidades não autorizadas para a coleta de informações. Também não se deve fornecer o nome de membros da Igreja para essas pessoas ou entidades. Se os líderes locais quiserem verificar a autorização de um questionário ou uma entrevista, eles devem entrar em contato com a Divisão de Dados de Pesquisa (1-801-240-2727 ou, 1-800-453-3860, ramal 2-2727, somente nos Estados Unidos e no Canadá).

 21.1.36

Vendedores

Os líderes locais não devem aceitar a palavra de vendedores que aleguem que a Igreja ou um líder da Igreja os autorizou a ligar para os líderes ou membros locais para vender seus produtos.

 21.1.37

Equipamento de Vídeo e Satélite

Os equipamentos de recepção de satélite e de vídeo da Igreja só podem ser usados para fins não comerciais e relacionados com a Igreja, quando autorizado pela presidência da estaca ou pelo bispado. Não se pode usar esse equipamento para gravar programas de televisão, a cabo ou transmissões via satélite que não sejam promovidos pela Igreja. Além disso, o equipamento de recepção via satélite não pode ser usado para assistir a programas que não sejam da Igreja. Os membros não podem direcionar a antena de um satélite ou retransmissor para outro sem a autorização da sede da Igreja.

Só pessoas treinadas para operar esses equipamentos podem utilizá-los. Os jovens não podem ajudar a operá-los sem a supervisão de adultos.

Todos os equipamentos devem permanecer guardados sob chave quando não estiverem em uso e não podem ser retirados da capela para uso doméstico ou pessoal.

 21.1.38

Solicitação de Fundos

Os programas estabelecidos pela Igreja proporcionam assistência financeira para pessoas dignas e causas justificadas. A assistência da Igreja é administrada pelo bispo, que conhece a situação e pode evitar a duplicação de assistência ou abusos. Os membros, portanto, não devem solicitar assistência financeira adicional à sede da Igreja ou aos líderes ou membros locais.

Se os membros receberem uma solicitação de doações, podem responder dizendo que já contribuíram em sua própria ala para que a assistência financeira seja oferecida de acordo com os princípios de bem-estar da Igreja.

 21.1.39

Declarações Atribuídas a Líderes da Igreja

De tempos em tempos, são divulgadas declarações incorretamente atribuídas a líderes da Igreja. Muitas dessas declarações distorcem os ensinamentos atuais da Igreja e são baseadas em rumores e suposições. Nunca são transmitidas oficialmente, mas boca a boca, por e-mail ou outros meios informais. Os membros da Igreja não devem jamais ensinar ou passar adiante essas declarações sem verificar se provêm de fontes aprovadas pela Igreja, como declarações, comunicados e publicações oficiais.

Quaisquer anotações feitas quando Autoridades Gerais, Setentas de Área ou outros líderes gerais da Igreja falam em conferências de estaca ou outras reuniões não devem ser distribuídas sem o consentimento do orador. As anotações pessoais são exclusivamente para uso individual.

 21.1.40

Simpósios e Reuniões Semelhantes

A Igreja alerta os membros contra os simpósios ou as reuniões semelhantes que incluam apresentações que (1) ridicularizem, depreciem, tratem com leviandade ou de modo inadequado os assuntos sagrados ou (2) possam prejudicar a Igreja, desviar de sua missão ou colocar em risco o bem-estar de seus membros. Os membros não devem permitir que seu cargo ou situação na Igreja seja utilizado para promover ou sugerir endosso a essas reuniões.

 21.1.41

Atividades Sujeitas a Impostos

Os líderes das alas e da estaca devem assegurar-se de que nenhuma atividade local da Igreja coloque em risco a isenção de impostos da Igreja. Para diretrizes, ver o item 21.2.

 21.1.42

Roupas do Templo e Garments

Os membros com investidura são incentivados a comprar suas roupas do templo para serem usadas quando forem realizar ordenanças do templo. Essas roupas sagradas podem ser compradas por intermédio dos Centros de Distribuição da Igreja. Alguns templos também dispõem de roupas do templo para alugar. Se o templo não tiver um serviço de aluguel de roupas, os membros precisam levar suas próprias roupas.

Os membros somente poderão confeccionar seus próprios aventais do templo se utilizarem o kit aprovado de bordado e costura de avental à disposição nos Centros de Distribuição da Igreja. As outras roupas cerimoniais do templo e os garments não podem ser confeccionados pelos membros.

Os membros da Igreja que foram vestidos com o garment no templo assumiram por convênio a obrigação de usá-lo de acordo com as instruções recebidas na investidura. O garment é uma lembrança constante dos convênios feitos no templo. Se for usado da maneira adequada, ele proporciona proteção contra a tentação e o mal. Além disso, seu uso é uma manifestação externa de um compromisso íntimo de seguir o Salvador.

Os membros com investidura devem usar o garment do templo dia e noite. Não devem removê-lo, completa ou parcialmente, para trabalhar em jardins ou em outras atividades que possam ser adequadamente realizadas com o garment da forma correta por baixo da roupa. Também não devem retirá-lo para ficar à vontade em casa, vestindo apenas um traje de banho ou roupas indecorosas. Sempre que tiverem de retirar o garment, como, por exemplo, quando forem nadar, devem vesti-lo novamente assim que possível.

Os membros não devem ajustar o garment ou vesti-lo de modo contrário às instruções recebidas, no intuito de adaptá-lo a diferentes estilos de moda. Também não devem alterar o modelo autorizado do garment. Quando forem usados garments de duas peças, os membros devem sempre vestir ambas as peças.

O garment é sagrado e deve sempre ser manuseado com respeito. Não deve ser deixado no chão e deve ser mantido limpo e bem cuidado. Depois de lavado, o garment não deve ser pendurado para secar em locais públicos. Também não deve ser exposto ou deixado à vista de pessoas que não compreendam seu significado.

Os membros que fizeram convênios no templo devem ser guiados pelo Santo Espírito para encontrarem as respostas para suas próprias dúvidas a respeito do uso do garment.

Ao descartar os garments gastos, os membros devem recortar e destruir as marcas. Em seguida, devem cortar o tecido restante, de modo que ele não possa ser identificado como um garment. Uma vez removidas as marcas, o tecido deixa de ser considerado sagrado.

Para jogar fora as roupas do templo que estiverem gastas, os membros devem cortá-las de forma que seu uso original não possa ser reconhecido.

Os membros podem doar os garments e as roupas do templo que estejam em boas condições para outros membros dignos com investidura. O bispo pode ajudá-los a identificar as pessoas que precisem dessas roupas. Os membros não podem, em hipótese alguma, doar os garments ou as roupas do templo para os centros de distribuição de roupas usadas (CDRUs) ou as lojas da Deseret Industries (onde houver), para o armazém do bispo ou para instituições de caridade.

As informações sobre como adquirir roupas do templo e garments para pessoas em situação especial (como membros que servem nas forças armadas, membros acamados ou membros com deficiências) encontram-se no Manual 1, item 3.4.

 21.1.43

Normas Quanto a Viagens

Ver item 13.6.24.