Manual 2:
Administração da Igreja

O Trabalho de Salvação na Ala e na Estaca

Os membros da Igreja de Jesus Cristo foram enviados “a fim de trabalharem em sua vinha para a salvação da alma dos homens” (D&C 138:56). Esse trabalho de salvação inclui o trabalho missionário dos membros, a retenção de conversos, a ativação de membros menos ativos, o trabalho do templo e de história da família e o ensino do evangelho. O bispado dirige esse trabalho na ala, auxiliado por outros membros do conselho da ala.

Embora o bispo tenha a responsabilidade final nessas áreas, o líder da missão da ala coordena o trabalho missionário dos membros. O líder de grupo de sumos sacerdotes coordena o trabalho do templo e de história da família. O presidente da Escola Dominical ajuda os outros líderes da ala a melhorar o aprendizado e o ensino do evangelho. O bispo pode designar um de seus conselheiros para coordenar a retenção de conversos e o outro para coordenar o trabalho de ativação. Todo líder do sacerdócio ou de auxiliar ajuda a levar adiante o trabalho de salvação em sua respectiva organização.

 

5.1 Trabalho Missionário dos Membros

 5.1.1

Bispo e Seus Conselheiros

O bispo dirige o conselho da ala na preparação e no cumprimento do plano de missão da ala, conforme descrito no item 5.1.8.

O bispo chama e designa por imposição de mãos um portador do Sacerdócio de Melquisedeque para servir como líder da missão da ala. O bispo e seus conselheiros podem chamar e designar por imposição de mãos outros membros para servir como missionários de ala.

O bispo e seus conselheiros dão prioridade ao trabalho missionário dos membros. Ensinam as doutrinas do trabalho missionário regularmente, incentivam os membros da ala a trabalharem com os missionários de tempo integral para encontrar, ensinar e batizar pesquisadores. Eles dão o exemplo, procurando e preparando pessoas e famílias para serem ensinadas pelos missionários.

O bispo e seus conselheiros ajudam os potenciais missionários de tempo integral, inclusive as mulheres e os casais, a prepararem-se para servir como missionários.

 5.1.2

Conselho da Ala

O trabalho missionário dos membros é mais eficaz quando os membros do conselho da ala estão plenamente engajados na obra missionária. Nos quóruns e nas auxiliares, eles incentivam os membros a participar do trabalho missionário da seguinte maneira:

  1. 1.

    Encontrando e preparando pessoas para serem ensinadas.

  2. 2.

    Auxiliando os missionários quando eles ensinarem (na casa dos membros, se possível).

  3. 3.

    Integrando os pesquisadores.

  4. 4.

    Preparando-se e preparando os filhos para servir como missionários de tempo integral.

Na reunião do conselho da ala, os membros do conselho desenvolvem e analisam o plano de missão da ala (ver 5.1.8). Analisam os candidatos ao batismo, outros pesquisadores e outros assuntos da Ficha de Progresso preparada pelos missionários de tempo integral. Fazem planos para ajudar cada pesquisador a progredir e oferecem conselhos sobre possíveis mestres familiares e professoras visitantes para os pesquisadores que estão preparando-se para o batismo e para a confirmação.

Conforme recomendado pelo líder da missão da ala, o bispo pode ocasionalmente convidar os missionários de tempo integral a comparecer à reunião do conselho da ala.

 5.1.3

Líder da Missão da Ala

Sob a direção do bispo, o líder da missão da ala tem as seguintes responsabilidades:

Coordenar o trabalho da ala de encontrar, ensinar e batizar pesquisadores. Ele coordena esse trabalho com o dos missionários de tempo integral e o dos missionários da ala. Nas reuniões do conselho da ala, o bispo pode pedir que ele dirija o debate sobre o trabalho missionário.

Realiza as reuniões de coordenação missionária e dirige o trabalho dos missionários da ala.

Consegue o maior número possível de oportunidades de ensino para os missionários de tempo integral a cada semana.

Organiza a reunião batismal de conversos, auxiliado pelos missionários de tempo integral (ver 20.3.4).

Ajuda a coordenar a confirmação de membros novos na reunião sacramental.

Participa com os missionários de tempo integral do ensino e da integração dos pesquisadores.

Assiste às aulas de Princípios do Evangelho e pode dar as aulas nessa classe, quando designado pelo bispado.

Um portador do Sacerdócio de Melquisedeque pode ser chamado para assistente do líder da missão da ala.

 5.1.4

Missionários de Ala

O bispado e o líder da missão da ala determinam quantos missionários de ala são necessários na unidade. Os missionários da ala servem sob a direção deles. Podem servir como missionários de ala: portadores do sacerdócio, mulheres e casais. Eles não precisam ter um companheiro fixo, mas não devem ir sozinhos visitar as pessoas em casa. Um homem e uma mulher não podem fazer visitas como dupla de missionários de ala, a menos que sejam marido e mulher.

Os missionários de ala são chamados por um tempo de serviço determinado, como, por exemplo, dois anos. Normalmente não têm outras responsabilidades na Igreja, exceto suas designações como mestres familiares ou professoras visitantes, preferencialmente de famílias nas quais nem todos são membros ou de famílias menos ativas. Eles não usam plaquetas de missionário.

Os missionários da ala encontram e preparam pessoas para os missionários de tempo integral ensinarem. Também auxiliam na integração e no ensino de pesquisadores.

Os missionários da ala visitam os membros em casa para incentivá-los a buscar experiências missionárias, identificar pessoas que os missionários possam ensinar e preparar as pessoas para serem ensinadas.

 5.1.5

Reunião de Coordenação Missionária

O líder da missão da ala realiza a reunião de coordenação missionária com os missionários de ala e com os missionários de tempo integral. Essa reunião é realizada regularmente. Se os missionários de tempo integral estiverem a serviço de diversas alas, eles participam da reunião de acordo com suas possibilidades.

Nessa reunião, o líder da missão da ala coordena o trabalho dos missionários de tempo integral e dos membros da ala. O líder da missão da ala também pode conduzir os debates sobre como implementar o plano de missão da ala, marcar o máximo possível de compromissos de ensino para os missionários e providenciar para que haja membros presentes, sempre que possível, quando um pesquisador for ensinado.

 5.1.6

Membros e Missionários de Tempo Integral Trabalhando em Conjunto

O presidente da missão tem as chaves do batismo e da confirmação de conversos. Sob sua direção, os missionários de tempo integral são os principais responsáveis por ensinar os pesquisadores. Os missionários de tempo integral também realizam a entrevista para o batismo e a confirmação de cada candidato e autorizam a realização das ordenanças.

O bispo deve conhecer todos os pesquisadores e acompanhar seu progresso. Embora ele não entreviste os candidatos ao batismo, ele deve conhecê-los pessoalmente antes de serem batizados. Ele também supervisiona o trabalho dos membros da ala na integração dos pesquisadores. É mais provável que os pesquisadores sejam batizados e confirmados e permaneçam ativos se tiverem feito boas amizades com os membros da Igreja.

Normalmente, as duplas de missionários de tempo integral não se separam para trabalhar com os membros da ala. No entanto, eles podem separar-se para trabalhar com membros quando for necessário cumprir um grande número de compromissos de ensino. Nesses casos, o líder da missão da ala certifica-se de que os membros que forem trabalhar como companheiros dos missionários de tempo integral compreendam e aceitem as regras da missão. Ele os instrui a nunca deixar um missionário de tempo integral sem um companheiro autorizado.

 5.1.7

Reunião Batismal e Confirmação

A reunião batismal deve ser marcada assim que um pesquisador se comprometer a ser batizado. A reunião normalmente não deve ser adiada, a menos que a pessoa não esteja preparada. Batismos de membros da família não devem ser adiados para que o pai possa receber o sacerdócio a fim de realizá-los pessoalmente.

A reunião batismal proporciona uma oportunidade de encontrar e incentivar outros pesquisadores. Os conversos devem ser incentivados a convidar seus familiares, outros parentes e amigos. Os líderes e missionários da Igreja também podem convidar outros pesquisadores que estão sendo ensinados, pesquisadores em potencial e líderes e membros que passarão a trabalhar com os membros novos. Outros membros da ala também podem participar.

Os conversos são confirmados em uma reunião sacramental da ala em que residem, de preferência no domingo seguinte ao batismo.

As diretrizes para a realização de reuniões batismais e confirmações, inclusive para o batismo e a confirmação de crianças de 8 anos de idade, encontram-se no item 20.3.

 5.1.8

Plano de Missão da Ala

Sob a direção do bispo, o conselho da ala desenvolve um plano de missão da ala. O plano deve ser curto e simples. Deve incluir metas específicas e atividades para ajudar os portadores do sacerdócio e os membros das organizações auxiliares da ala a participarem da obra missionária, da retenção e da ativação. O conselho da ala coordena o plano de missão da ala com os planos dos missionários de tempo integral que trabalham na ala. Os seguintes passos podem ser úteis nesse processo de planejamento:

  1. 1.

    Levar em conta as necessidades e os recursos da ala (inclusive a disponibilidade de missionários de tempo integral) na obra missionária, na retenção e na ativação realizadas pelos membros.

  2. 2.

    Estabelecer metas específicas para o trabalho missionário dos membros, para a retenção e a ativação, a serem cumpridas no ano seguinte.

  3. 3.

    Determinar como cumprir as metas. Os líderes podem planejar meios de elevar a visão e a atitude dos membros com referência ao trabalho missionário. Podem desenvolver ideias para atividades que ajudem os missionários de tempo integral a encontrar, ensinar e batizar mais pesquisadores. Podem também planejar meios de fazer amizade com os membros novos e fortalecê-los, e de melhorar a ativação dos membros menos ativos.

O conselho da ala analisa o plano de missão da ala regularmente e faz alterações, quando necessário.

 5.1.9

Líderes da Estaca

Presidente da Estaca e Seus Conselheiros

O presidente da estaca e seus conselheiros dão prioridade ao trabalho missionário. Ensinam regularmente as doutrinas do trabalho missionário e incentivam os membros da estaca a trabalharem com os missionários de tempo integral para encontrar, ensinar e batizar pesquisadores. Dão o exemplo encontrando e preparando pessoas e famílias para os missionários ensinarem.

Em sua entrevista regular com cada bispo, o presidente da estaca pede um relatório sobre o progresso dos pesquisadores da ala daquele bispo.

O presidente da estaca reúne-se regularmente com o presidente da missão para coordenar o trabalho dos missionários de tempo integral da estaca. Os assuntos a serem discutidos incluem o número e o local de trabalho dos missionários, o papel dos membros no trabalho missionário, o auxílio dos missionários no trabalho de retenção e ativação, o auxílio dos missionários no treinamento de membros locais e as refeições, a moradia e o transporte dos missionários.

Sumo Conselheiro Designado para o Trabalho Missionário

A presidência da estaca designa um sumo conselheiro com espírito missionário para auxiliar na supervisão do empenho da estaca em encontrar, ensinar, batizar e confirmar pesquisadores. Esse sumo conselheiro pode tratar desses tópicos nas reuniões do comitê executivo do sacerdócio da estaca, nas reuniões do conselho da estaca, nas reuniões de liderança do sacerdócio da estaca e em outras reuniões da estaca.

O sumo conselheiro designado para o trabalho missionário orienta os líderes de missão de ala recém-chamados. Também oferece treinamento e incentivo contínuos a todos os líderes de missão de ala, tanto individualmente quanto em grupo. Com a aprovação do presidente da estaca, ele pode treinar os líderes e missionários das alas.