Manual 2:
Administração da Igreja

 

17.2 Circunstâncias Que Podem Permitir Adaptações Locais

Os presidentes de estaca, bispos e presidentes de ramo podem, a seu critério, fazer adaptações simples em certos programas da Igreja. Quando necessário, as seguintes adaptações podem ser feitas:

  1. 1.

    No quadro de chamados e nos programas das auxiliares

  2. 2.

    No formato e na frequência das reuniões de liderança

  3. 3.

    No formato e na frequência das atividades

Ao ponderar quais adaptações podem ser adequadas, os membros da presidência da estaca, do bispado ou da presidência de ramo deliberam entre si e também com o conselho da estaca, ala ou do ramo. Também consultam a autoridade presidente imediata, caso as circunstâncias justifiquem uma adaptação considerável ou incomum. Os líderes sempre devem buscar a orientação do Espírito ao fazer adaptações.

Os líderes podem levar em consideração os seguintes fatores no processo de determinar que adaptações podem ser adequadas.

 17.2.1

Situação das Famílias

Ao fazer chamados, marcar reuniões de liderança e planejar atividades, os líderes devem levar em consideração a situação da família dos membros. O serviço e a participação na Igreja sempre exigem um certo sacrifício. Contudo, é essencial que a Igreja tenha famílias fortes, e não se deve exigir que os membros sacrifiquem demasiadamente a família para servir ou apoiar programas ou atividades.

Um dos fatores a serem levados em consideração é o chamado (ou chamados) da Igreja exercido pelo cônjuge do membro em questão. As famílias não devem ser sobrecarregadas com responsabilidades da Igreja. Outro fator a ser levado em consideração é a demanda de tempo que os membros têm para sustentar a família e cuidar de outros assuntos pessoais. Em algumas regiões do mundo, os membros precisam ter dois ou três empregos. Essas são questões legítimas que os líderes devem considerar ao fazer chamados, programar reuniões de liderança e planejar atividades.

 17.2.2

Transporte e Comunicação

Algumas estacas ou alas abrangem grandes áreas geográficas, exigindo que os membros viajem longas distâncias para chegar às reuniões e atividades. Ao avaliar a necessidade de reuniões e atividades, os líderes devem levar em consideração o tempo e os gastos de viagem.

Em muitas partes do mundo, não é comum as pessoas terem automóvel, e as pessoas se locomovem a pé, de bicicleta, ônibus e bonde. Se as distâncias forem grandes, essas condições podem exigir que os líderes adaptem os programas da Igreja e as reuniões da liderança para facilitar a participação dos membros.

Mesmo nos lugares em que haja ampla disponibilidade de automóveis, os líderes devem estar atentos ao custo de viajar longas distâncias de carro. Em alguns casos, como ao tratar de assuntos do sumo conselho, os líderes podem usar recursos de teleconferência, e-mail e Internet para reduzir os custos de transporte. Quando utilizarem esses recursos, os líderes devem tomar especial cuidado para garantir o sigilo.

O acesso aos transportes geralmente varia muito para os membros de diversas faixas etárias. Os jovens adultos solteiros, por exemplo, geralmente têm mais mobilidade do que as famílias com filhos, e muitas vezes têm os recursos para viajar distâncias maiores. Nos lugares em que o dispêndio de tempo e dinheiro necessário para que os jovens adultos solteiros se reúnam seja razoável, devem-se realizar atividades multiestacas com frequência moderada (ver 13.3.1).

Em algumas partes do mundo, os telefones são muito caros e muitos membros não o têm. Da mesma forma, o acesso a e-mail e Internet são raros em algumas áreas. Se esses recursos forem caros ou se o acesso a eles não for amplo e geral, os líderes devem fazer as adaptações necessárias.

Nos lugares em que o transporte seja difícil ou caro e os recursos de comunicação sejam inadequados, o trabalho dos mestres familiares e das professoras visitantes é mais difícil. Nesses casos, os líderes podem fazer adaptações, conforme o explicado nos itens 7.4.3 e 9.5.3.

 17.2.3

Classes ou Quóruns Pequenos

Élderes e Sumos Sacerdotes

Se o número de élderes ou sumos sacerdotes da ala que consegue comparecer à reunião do sacerdócio no domingo for muito pequeno, eles podem reunir-se em conjunto. Contudo, não se deve de modo algum criar um quórum único do Sacerdócio de Melquisedeque. Enquanto houver élderes e sumos sacerdotes ordenados na ala, devem-se organizar tanto o quórum de élderes como o grupo de sumos sacerdotes.

Como os distritos não têm quórum de sumos sacerdotes, os ramos de distrito não têm grupo de sumos sacerdotes. Os sumos sacerdotes que frequentam esses ramos participam da reunião do quórum de élderes.

Rapazes e Moças

Em alas ou ramos com poucos rapazes, os quóruns do Sacerdócio Aarônico podem assistir às aulas e participar das atividades em conjunto (ver 8.11 e 8.13.1). Contudo, cada quórum deve ser organizado separadamente, com líderes chamados e apoiados para cada quórum.

Em ala ou ramo com poucas moças, todas podem reunir-se em um só grupo para as aulas e atividades (ver 10.6.2 e 10.8.1). Uma presidência de classe pode ser chamada para cada faixa etária, ou pode-se chamar uma única presidência de classe para as três faixas etárias combinadas até que seja possível organizar cada grupo de moças em sua respectiva classe.

Se houver poucos líderes adultos, a presidência dos Rapazes pode dar as aulas dominicais e administrar o programa de atividades sem consultores adjuntos. A presidência das Moças pode fazer o mesmo em sua organização. Em uma unidade muito pequena, o presidente dos Rapazes e a presidente das Moças podem ser os únicos líderes adultos em suas organizações. Nesse caso, eles dão as aulas dominicais e supervisionam as atividades para todos os rapazes e as moças. Assim que possível, devem ser chamados conselheiros(as) e um(a) secretário(a) para a respectiva organização.

Como os jovens geralmente se beneficiam com o convívio social em grupos maiores, os rapazes e as moças de duas ou mais alas ou ramos pequenos podem reunir-se ocasionalmente para atividades conjuntas. Se alas e ramos vizinhos tiverem poucos rapazes ou moças, os bispos e presidentes de ramo podem autorizar os jovens a reunirem-se para as atividades semanais conjuntas. Ao ponderar essas opções, os líderes devem levar em conta fatores como a distância e os custos de transporte.

A realização periódica de atividades de estaca ou multiestacas é especialmente importante nos lugares em que alas e ramos tenham poucos jovens (ver 13.3 e 13.4).

Em estacas e distritos pequenos, o presidente dos Rapazes pode ser o único líder dos Rapazes da estaca ou do distrito. O mesmo pode acontecer com a presidente das Moças da estaca ou do distrito. Assim que possível, devem ser chamados conselheiros(as) e um(a) secretário(a) para a respectiva organização.

Primária

Em ala ou ramo com poucas crianças, a presidência da Primária pode decidir organizar um número menor de classes, combinando diferentes faixas etárias.

Em alas e ramos pequenos, as integrantes da presidência da Primária podem ser as únicas líderes e professoras da Primária. Em uma unidade muito pequena, a presidente da Primária pode ser a única líder da Primária. Nesse caso, ela realiza o tempo de compartilhar e dá aula para todas as crianças. Assim que possível, mais líderes e professores devem ser chamados, conforme explicado no item 11.7.

Em estacas e distritos pequenos, a presidente da Primária pode ser a única líder da Primária da estaca ou do distrito. Assim que possível, outros líderes devem ser chamados, conforme explicado no item 11.7.

 17.2.4

Disponibilidade de Liderança

Se não houver um número suficiente de líderes qualificados para ocupar todos os cargos de liderança, os líderes presidentes podem preencher apenas os mais essenciais. Além de chamar membros ativos e experientes para cargos de liderança, os líderes presidentes devem buscar inspiração para encontrar outros líderes em potencial entre os membros novos, membros inexperientes e membros menos ativos que podem voltar à atividade na Igreja. Os membros da Igreja não precisam ser experientes ou altamente qualificados para receber um chamado. Ter um chamado é um meio importante para que sirvam e cresçam espiritualmente.

Se não houver número suficiente de membros para servir nos cargos de liderança, os líderes presidentes podem organizar a estaca, a ala ou o ramo em escala menor. Para isso, é possível, por exemplo, chamar apenas um presidente e um conselheiro para determinadas organizações, pedir a um conselheiro que também sirva como secretário e simplificar alguns programas.

Em um ramo muito pequeno que não tenha presidente das Moças ou da Primária, a presidente da Sociedade de Socorro pode ajudar os pais a organizar as aulas para as moças e para as crianças até serem chamadas uma presidente das Moças e uma presidente da Primária.

Os líderes de ramos muito pequenos seguem as diretrizes do Guia do Programa de Unidade Básica.

 17.2.5

Segurança

Em algumas regiões do mundo, o índice de criminalidade é muito alto ou prevalece um estado de agitação política. Se os líderes dessas áreas sentirem que não é aconselhável que os membros viajem à noite, podem cancelar as atividades noturnas. Isso pode significar uma redução do número de atividades da Igreja e a realização de algumas atividades nos fins de semana.

Se a falta de segurança ou os custos de viagem forem problemas sérios, os líderes podem marcar algumas atividades dos jovens para o domingo. Essas atividades devem ser separadas da programação de reuniões dominicais e devem ser condizentes com o espírito do Dia do Senhor.