Manual 2:
Administração da Igreja

Princípios e Liderança de Bem-Estar

 

6.1 Propósitos do Bem-Estar da Igreja

Os propósitos do bem-estar da Igreja são ajudar os membros a tornarem-se autossuficientes, cuidar dos pobres e necessitados, e prestar serviço.

Em 1936, a Primeira Presidência estabeleceu um plano de bem-estar para a Igreja, e disse: “Nosso principal propósito foi estabelecer (…) um sistema sob o qual a praga da ociosidade fosse banida, os males da dependência assistencialista abolidos e a independência, industriosidade, frugalidade e o autorrespeito fossem mais uma vez estabelecidos entre nosso povo. O objetivo da Igreja é ajudar as pessoas a se ajudarem. O trabalho deve ser reentronizado como o princípio governante da vida dos membros de nossa Igreja” (Conference Report, outubro de 1936, p. 3 – tradução atualizada).

 6.1.1

Autossuficiência

Autossuficiência é a capacidade, o compromisso e o esforço de satisfazer as necessidades espirituais e materiais da vida para si próprio e a família. À medida que se tornam autossuficientes, os membros também estão mais capacitados a servir e cuidar dos outros.

Os membros da Igreja são responsáveis por seu próprio bem-estar espiritual e material. Tendo sido abençoados com o dom do arbítrio, eles têm o privilégio e o dever de determinar o próprio rumo, resolver seus próprios problemas e esforçar-se para tornarem-se autossuficientes. Os membros fazem isso sob a inspiração do Senhor e por meio do próprio trabalho.

Quando os membros da Igreja estão fazendo tudo o que podem para sustentar-se, mas ainda assim não conseguem satisfazer suas necessidades básicas, em geral, devem primeiramente recorrer à própria família em busca de ajuda. Quando isso não for suficiente ou viável, a Igreja estará pronta para ajudar.

Algumas das áreas nas quais os membros devem tornar-se autossuficientes são explicadas nos parágrafos a seguir:

Saúde

O Senhor ordenou que os membros mantivessem saudáveis o corpo e a mente. Eles devem obedecer à Palavra de Sabedoria, comer alimentos nutritivos, exercitar-se regularmente, controlar o peso e ter um sono adequado. Devem banir substâncias ou práticas que prejudiquem o corpo ou a mente e que causem dependência. Devem adotar bons hábitos de higiene e limpeza e providenciar cuidados médicos e odontológicos adequados. Devem também esforçar-se para desenvolver um bom relacionamento com os familiares e com o próximo.

Educação

A educação proporciona conhecimento e habilidades que podem ajudar as pessoas a desenvolver a autossuficiência. Os membros da Igreja devem estudar as escrituras e outros bons livros. Devem melhorar sua capacidade de ler, escrever e de fazer cálculos matemáticos básicos. Devem obter toda a instrução possível, por meio inclusive da formação acadêmica ou de cursos técnicos, se possível. Isso vai ajudá-los a desenvolver os talentos, encontrar empregos adequados e a contribuir significativamente na família, na Igreja e na comunidade.

Emprego

O trabalho é a base sobre a qual repousam a autossuficiência e o bem-estar material. Os membros devem preparar-se e escolher cuidadosamente uma ocupação conveniente, seja um emprego ou um trabalho por conta própria, que lhes permita sustentar a si mesmos e a família. Eles devem tornar-se qualificados em seu trabalho, ser diligentes e dignos de confiança, e trabalhar honestamente pelo pagamento e pelos benefícios que recebem.

Armazenamento Doméstico

Para ajudar a cuidar de si mesmos e da própria família, os membros devem armazenar alimentos que façam parte de sua dieta normal em quantidade suficiente para três meses. Nos lugares em que as leis e circunstâncias locais permitirem, eles devem gradualmente fazer armazenamento de alimentos básicos para sustento da vida em quantidades que supram suas necessidades por períodos prolongados. Também devem armazenar água potável para o caso de interrupção do fornecimento de água ou contaminação da água fornecida (ver Preparar Todas as Coisas Necessárias: Armazenamento Doméstico, p. 3).

Finanças

Para tornarem-se financeiramente autossuficientes, os membros da Igreja devem pagar o dízimo e as ofertas, evitar dívidas desnecessárias, elaborar um orçamento e viver de maneira planejada. Devem gradualmente fazer uma poupança economizando regularmente uma parte de sua renda (ver Preparar Todas as Coisas Necessárias: Finanças da Família, p. 3).

Vigor Espiritual

O vigor espiritual é essencial para o bem-estar material e eterno das pessoas. O vigor espiritual dos membros aumenta à medida que desenvolvem o testemunho, exercem fé no Pai Celestial e em Jesus Cristo, obedecem aos mandamentos de Deus, oram diariamente, estudam as escrituras e os ensinamentos dos profetas modernos, assistem às reuniões e servem em chamados e cargos na Igreja.

 6.1.2

O Papel dos Membros no Trabalho de Cuidar dos Pobres e Necessitados e Prestar Serviço

O Senhor providenciou um meio de cuidarmos dos pobres e necessitados por meio de Sua Igreja. Ele pediu aos membros da Igreja que fizessem doações generosas de acordo com o que receberam Dele. Outro pedido que Ele fez a Seu povo foi que “[visitassem] os pobres e os necessitados e [ministrassem-lhes] auxílio” (D&C 44:6). Os membros da Igreja são incentivados a prestar serviço com amor e compaixão aos necessitados. Eles devem “ocupar-se zelosamente numa boa causa” e servir sem serem solicitados ou designados (ver D&C 58:26–27).

O Senhor estabeleceu a lei do jejum e das ofertas de jejum para abençoar Seu povo e proporcionar-lhe um meio de servir aos necessitados (ver Isaías 58:6–12; Malaquias 3:8–12). Quando os membros jejuam, pede-se que doem à Igreja uma oferta de jejum que seja pelo menos igual ao valor do alimento que deixaram de ingerir. Se possível, eles devem ser generosos e doar mais. As bênçãos associadas à lei do jejum incluem a proximidade ao Senhor, maior força espiritual, bem-estar material, maior compaixão e maior desejo de servir.

Algumas oportunidades de cuidar dos necessitados vêm por meio dos chamados da Igreja. Existem outras oportunidades nas casas, no bairro e na comunidade dos membros. Os membros também podem ajudar os pobres e necessitados de todos os credos do mundo inteiro contribuindo para os serviços humanitários da Igreja.

Prover à maneira do Senhor torna o rico humilde, enobrece o pobre e santifica a ambos (ver D&C 104:15–18). O Presidente J. Reuben Clark Jr. ensinou:

“O objetivo de longo prazo do Plano de Bem-Estar é a formação do caráter dos membros da Igreja, tanto de quem dá como de quem recebe, resgatando o que há de melhor em cada um e fazendo florescer e frutificar as riquezas latentes do espírito, que, afinal, são a missão, o propósito e a razão de ser desta Igreja” (reunião especial de presidentes de estaca, 2 de outubro de 1936).

 6.1.3

O Armazém do Senhor

Em alguns lugares, a Igreja estabeleceu edifícios chamados de armazéns do bispo. Depois de receberem permissão do bispo, os membros podem ir ao armazém do bispo para conseguir roupas e alimentos; mas o armazém do Senhor não se limita a um edifício usado para distribuir alimentos e roupas para os pobres. Também inclui os recursos doados pelos membros da Igreja seja ofertando seu tempo, seus talentos e sua compaixão ou bens materiais e recursos financeiros que ficam à disposição do bispo para ajudar a cuidar dos pobres e necessitados. Portanto, o armazém do Senhor existe em toda ala. Essas ofertas devem ser lançadas “no armazém do Senhor, (…) todo homem procurando os interesses de seu próximo e fazendo todas as coisas com os olhos fitos na glória de Deus” (D&C 82:18–19). O bispo é o agente do armazém do Senhor.