A Luz de Cristo

Imprimir Compartilhar

    “Eu sou o caminho, e a verdade, e a vida, Ninguém vem ao Pai, senão por mim.” (João 14:6)

    A Luz de Cristo

    O que produz luz? Uma vela, uma lanterna, uma lâmpada, as estrelas. Qual é, para nós, a maior fonte de luz? Não, não é o sol. É Jesus Cristo. Ele disse: “Eu sou a luz do mundo: quem me segue não andará em trevas, mas terá a luz da vida”. (João 8:12)

    Essa luz “é [concedida] a todos os homens para que possam distinguir o bem do mal”. (Morôni 7:16) Cada um de nós tem a Luz de Cristo para ajudar-nos a escolher o que é certo.

    O Élder Robert D. Hales, do Quórum dos Doze Apóstolos, lembra-nos de como podemos ter luz espiritual: “Quando era pequeno, eu voltava para casa de bicicleta à noite, depois do treino de basquete. Eu encostava um pequeno gerador em forma de pera no pneu da bicicleta. Então, ao pedalar, o pneu girava um pequeno rotor que produzia (…) um único e bem-vindo raio de luz. (…) Aprendi logo que se parasse de pedalar a bicicleta, a luz se apagaria. Aprendi também que quando estava “ocupado zelosamente” em pedalar, a luz se tornava mais forte e a escuridão à frente era [forçada a afastar-se]”.

    O Élder Hales explica que “a luz espiritual advém da pedalação espiritual diária. Ela vem da oração, do estudo das escrituras, do jejum e do serviço — de viver o evangelho e de obedecer os mandamentos”. (“Das Trevas para a Sua Maravilhosa Luz”, A Liahona , Julho de 2002, p. 78.)

    Quando vivemos o evangelho e guardamos os mandamentos, podemos ter a Luz de Cristo conosco permanentemente.

    Vitral

    Coloque uma folha de papel em branco sobre a gravura da página 6 e pinte a figura tracejada. Pincele um pouco de óleo vegetal (de oliva) sobre a figura e seque-a com uma toalha. O Élder Dieter F. Uchtdorf, da Presidência dos Setenta, disse que quando era pequeno, “sua capela tinha um vitral que representava Joseph Smith no Bosque Sagrado. Sempre que o sol batia no vitral, eu sentia que a história que ele ilustrava e o que eu havia aprendido na Primária sobre a Primeira Visão eram verdades”. ( A Liahona , Abril 1999, A3) Coloque a sua gravura em uma janela a fim de lembrar-lhe da luz que o Salvador proporciona à sua vida.

    Idéias para o Tempo de Compartilhar

    1. 1.

      1. Separe os alunos em grupos e peça a cada grupo para ler, ilustrar e compartilhar algo que Jesus fez ou ensinou, como, por exemplo, quando Ele alimentou a multidão (Mateus 15:32–38), foi compassivo (Mateus 14:14), honrou Sua mãe (João 19:26–27); orou (Mateus 6:9–13), foi batizado (Mateus 3:13–17). Explique-lhes que as crianças podem ajudar os outros sendo bondosas, contribuindo com ofertas de jejum, obedecendo aos pais e seguindo o Salvador. Trace uma linha no quadro e escreva em pontos diferentes da mesma “Satisfeito”, “Mais ou Menos Satisfeito” e “Insatisfeito”. Peça que leiam em voz alta Mateus 3:16–17. Coloque uma gravura de Jesus acima de “Satisfeito”. Pergunte: “Onde o mundo seria colocado nesta linha?” Faça com que as crianças, em silêncio, decidam onde seriam colocados sobre a linha e onde gostariam de ser colocados. Cante canções e hinos sobre o Salvador.

    2. 2.

      2. Em pedaços de papel no formato de velas, escreva situações como “Você encontra um cigarro. Você e seus amigos decidem experimentá-lo”, ou “Você vê sua mãe preparando o jantar e decide ajudá-la”. Fixe na parede gravuras grandes de uma colina e de um barril. Peça aos alunos que leiam Mateus 5:14–16 e discuta o significado de fazer com que suas luzes “brilhem diante dos homens”. Faça as crianças, uma de cada vez, escolherem uma vela e peça-lhes para decidir se a colocam sobre a colina ou dentro do barril. Cante canções ou hinos sobre escolher o certo.