Minha Alma Se Deleita nas Escrituras


Julie B. Beck
Caso ainda não tenham desenvolvido o hábito de estudar as escrituras diariamente, comecem agora e continuem a estudá-las.

Quando eu era recém-casada, pedi a minha sogra, que é uma excelente cozinheira, que me ensinasse a preparar seu delicioso pão-de-minuto. Com um brilho nos olhos ela respondeu que levara 25 anos para aprender a fazer um bom pãozinho! Então acrescentou: “É melhor que comece a fazê-los agora”. Segui seu conselho e agora comemos pães-de-minuto bem gostosos lá em casa.

Mais ou menos nessa época fui convidada a participar de um almoço, com todas as irmãs da Sociedade de Socorro de minha ala que haviam lido o Livro de Mórmon ou um livro com a história da Igreja resumida. Eu não lia as escrituras com consistência, então qualifiquei-me a participar do almoço por ler o livro de história, porque era mais fácil e rápido. Enquanto almoçava, senti com grande intensidade que, embora o livro de história fosse bom, eu deveria ter lido o Livro de Mórmon. O Espírito Santo inspirou-me a mudar meus hábitos de leitura. Naquele mesmo dia, comecei a ler o Livro de Mórmon diariamente e nunca mais parei de lê-lo. Embora não me considere uma perita, adoro ler as escrituras e sou grata por ter adquirido o hábito de lê-las permanentemente. Seria impossível aprender as lições contidas nas escrituras simplesmente lendo-as uma vez ou estudando versículos específicos em uma aula.

Saber preparar pães-de-minuto é uma excelente habilidade doméstica. Demonstro o amor que sinto por minha família ao compartilhar algo que eu criei. Quando estudo as escrituras, o Espírito do Senhor toma conta do meu lar. Ganho um entendimento importante, que então compartilho com a minha família e meu amor por eles aumenta. O Senhor nos disse que “[devemos] dedicar [nosso] tempo ao estudo das escrituras” (D&C 26:1) e que “o Livro de Mórmon e as santas escrituras são dadas (…) para [nossa] instrução”. (D&C 33:16) Toda mulher pode ser uma instrutora de doutrina do evangelho em seu lar e toda irmã da Igreja precisa ter conhecimento do evangelho como líder e como professora. Caso ainda não tenham desenvolvido o hábito de estudar as escrituras diariamente, comecem agora e continuem a estudá-las a fim de estarem preparadas para suas responsabilidades nesta vida e na eternidade.

Minhas tentativas iniciais de fazer pão-de-minuto e de ler as escrituras nem sempre foram bem-sucedidas, mas ficaram mais fáceis com o passar do tempo. Precisei aprender técnicas adequadas e saber utilizar os ingredientes corretos. A chave era praticar continuamente. Uma boa maneira de começar a estudar as escrituras é a de “[aplicá-las]” a nós mesmos. (Ver 1 Néfi 19:23.) Algumas pessoas começam escolhendo no Guia para Estudo das Escrituras, um assunto que precisam aprender. Ou lêem um livro de escritura desde o início e buscam ensinamentos específicos enquanto o fazem.

Por exemplo, quando fui chamada para servir como líder das Moças, comprei um novo jogo de escrituras e, à medida em que lia e marcava tais escrituras, eu procurava coisas que iriam ajudar-me nesse chamado. Às vezes coloco papéis coloridos em minhas escrituras, para acesso rápido a tópicos ou temas que esteja estudando. Tenho marcadores em minhas escrituras para muitos de meus versículos favoritos sobre arrependimento e Expiação, para encontrá-los facilmente enquanto pondero durante o sacramento a cada semana. Normalmente tomo nota do que estiver aprendendo. Algumas vezes deixo essas observações em minhas escrituras e outras vezes anoto em um caderno separado o que estiver aprendendo.

De vez em quando compro outra cópia do Livro de Mórmon. Quando começo a ler o novo livro, faço anotações nas margens para ter um registro do que estou aprendendo enquanto estudo. Para ajudar-me a lembrar do que estou aprendendo, faço linhas que conectam as idéias, marco versículos e sublinho palavras-chave. Quando encontro idéias que têm relação umas com as outras, faço uma lista de escrituras que ligam essas idéias. (Ver Ensino, Não Há Maior Chamado, 1999, pp. 58.) Gosto de pensar em minhas escrituras como sendo livros de exercícios; então, em determinadas ocasiões anoto em que lugar me encontro quando surge alguma idéia ou anoto o nome da pessoa que me ensinou. Dessa forma a experiência permanece viva em minha mente quando releio aquele trecho.

Muitos de vocês estudam outros idiomas. Talvez apreciem ler o Livro de Mórmon em outra língua. Ao lerem as escrituras em outro idioma, vocês aprendem o significado das palavras de uma nova maneira. Algumas pessoas começam a encontrar resposta a suas perguntas. Elas querem saber quem são e o que deveriam fazer a respeito de sua vida. Um amigo meu sugeriu que eu começasse a procurar as perguntas que o Senhor nos faz nas escrituras e ponderar a respeito delas. (Ver John S. Tanner, “Responding to the Lord’s Questions”, Ensign, abril de 2002, p. 26) Desde que descobri muitas perguntas importantes como: “Que desejas tu?” (1 Néfi 11:2) e “O que pensais vós do Cristo?” (Mateus 22:42) Tenho uma lista daquelas perguntas na contracapa das minhas escrituras. Com freqüência escolho uma delas para refletir, nos momentos tranqüilos, porque ponderar ilumina minha mente para que eu “[compreenda] as Escrituras”. (Lucas 24:45) Quando não estou com as escrituras por perto, começo meu estudo revisando os ensinamentos que memorizei. Ao recitar as Regras de Fé ou outros versículos para mim mesma, consigo mantê-los em meu banco de memória.

Seja qual for a maneira como alguém começa a estudar as escrituras, a chave para a revelação de conhecimentos importantes é continuar a estudar. Jamais me canso de descobrir os preciosos tesouros de verdade nas escrituras, porque elas ensinam com “(…) clareza, sim, tão claramente quanto o podem ser as palavras”. (2 Néfi 32:7) As escrituras testificam de Cristo. (Ver João 5:39.) Elas dizem todas as coisas que devemos fazer. (Ver 2 Néfi 32:3.) Elas “podem fazer-[nos sábios] para a salvação”. (II Timóteo 3:15)

Por meio da leitura das escrituras e da oração que acompanha meu estudo, adquiro um conhecimento que me traz paz e ajuda a manter minhas energias voltadas para as prioridades eternas. Por ter começado a ler as escrituras diariamente, aprendi a respeito de meu Pai Celestial, de Seu Filho Jesus Cristo e do que preciso fazer para tornar-me como Eles. Aprendi a respeito do Espírito Santo e de como ser digna de Sua companhia. Aprendi a respeito de minha identidade como filha de Deus. Essencialmente, aprendi quem sou, porque estou aqui na Terra e o que devo fazer a respeito da minha vida.

Quando jovem, o Profeta Joseph Smith tinha uma pergunta que o perturbava. Ele começou a ler as escrituras e encontrou a solução na Bíblia. (Ver Tiago 1:5.) Ele disse: “Jamais uma passagem de escritura penetrou com mais poder no coração de um homem do que essa, naquele momento, no meu”. Ele refletiu “repetidamente sobre ela”. (Joseph Smith—História 1:12) Porque Joseph praticou o que lera nas escrituras, ele aprendeu a respeito do Pai Celestial, de Seu Filho Jesus Cristo, do Espírito Santo e de sua identidade como filho de Deus. Joseph aprendeu quem era, por que estava aqui na Terra e o que precisava fazer nesta vida.

As escrituras são tão importantes que Néfi arriscou sua vida para obter uma cópia delas. Ele queria “ver e ouvir e conhecer”. (1 Néfi 10:17) Ele “[examinou (as escrituras) e viu] que eram de grande valor”. (1 Néfi 5:21). Nas escrituras ele aprendeu a respeito do que “o Senhor havia feito em outras terras entre os povos antigos”. (1 Néfi 19:22). Ele passou a estudá-las e aprendeu a respeito do Pai Celestial, de Seu Filho Jesus Cristo, do Espírito Santo e de sua identidade como filho de Deus. Aprendeu quem era e o que deveria fazer.

Tenho grande confiança nas jovens da Igreja. Através do hábito diário do estudo das escrituras, vocês serão “[levadas] a acreditar nas santas escrituras, sim, nas profecias dos santos profetas que estão escritas”. (Helamã 15:7) Vocês serão mães e líderes que ajudarão a preparar a próxima geração, tendo a compreensão e o testemunho do evangelho. Seus filhos serão homens e mulheres de fé, que continuarão a edificar o reino de Deus na Terra devido ao que vocês lhes ensinam por meio das escrituras.

Caso a leitura das escrituras ainda não seja um hábito para vocês, hoje é um ótimo dia para começar. Na realidade, não levarão 25 anos para aprender a fazer pães-de-minuto deliciosos. Eu só precisei de incentivo para começar. Pãezinhos caseiros trouxeram muito prazer a minha família. Mas a alegria maior veio do hábito, que iniciei há tantos anos, de ler as escrituras diariamente. Alguns dias tenho muito tempo para meditar sobre as escrituras. Outros dias reflito a respeito de uns poucos versículos. Assim como comer e respirar sustêm o meu corpo físico, as escrituras nutrem e dão vida ao meu espírito. Faço minhas as palavras de Néfi: “(…) minha alma se deleita nas escrituras e meu coração nelas medita (…). Eis que minha alma se deleita nas coisas do Senhor; e meu coração medita continuamente nas coisas que vi e ouvi”. (2 Néfi 4:15–16) Em nome de Jesus Cristo. Amém.