Preparar-se para um Casamento Celestial


Robert D. Hales

A expressão “casamento no templo” refere-se ao lugar aonde vamos para a realização de um casamento eterno. Temos um casamento celestial quando somos fiéis aos convênios sagrados feitos na cerimônia do casamento no templo, quando vivemos os princípios celestiais no relacionamento matrimonial.

Para ter um casamento celestial, depois que os votos são feitos, é indispensável levar uma vida digna e contínua de consagração que leva à felicidade e exaltação. Se vivermos as leis adequadamente, poderemos, com outro indivíduo e com nossa família, fazer da Terra um pedacinho do céu.

Algo tão maravilhoso como o casamento celestial não acontece por acaso.

Na história de Lewis Carroll, Alice no País das Maravilhas, Alice pergunta ao Gato que Ri: “Por favor, poderia dizer-me que caminho devo tomar?”

O Gato responde: “Depende muito do lugar para onde você quer ir”.

A menina diz: “Confesso que tanto faz”.

O Gato replica: “Nesse caso não importa por onde você vá, não é?”

“Contanto que eu chegue a algum lugar…” responde Alice.

O gato revela então uma verdade interessante: “É claro que chegará, se você continuar a andar por tempo suficiente”.

Quantos de nós passamos pela vida dizendo a nós mesmos: “Se continuarmos em frente por tempo suficiente, chegaremos a algum lugar”, mas, sem definir exatamente onde é esse lugar a que queremos chegar? “Algum lugar” não é suficiente. Precisamos saber aonde queremos ir e ter a firme determinação de chegar lá. Temos que adquirir esse conhecimento e essa determinação o quanto antes.

Alma declarou: “Oh! lembra-te, meu filho, e aprende sabedoria em tua mocidade; sim, aprende em tua mocidade a guardar os mandamentos de Deus”! (Alma 37:35) Isso diz tudo. Façam isso agora.

Recomendação para o Templo

Uma vez que nos determinemos a ter um casamento celestial, precisamos entender e fazer as coisas que levam a isso.

Para entrar no templo, é preciso ter uma recomendação. Primeiro, passamos por uma entrevista pessoal feita pelo bispo ou presidente do ramo, e depois pelo presidente da estaca ou missão. Eis algumas das perguntas que eles farão:

“Você tem fé em Deus, o Pai Eterno; em Seu Filho, Jesus Cristo; e no Espírito Santo? Tem um testemunho Deles?”

“Você tem um testemunho da Expiação de Cristo e de Seu papel como Salvador e Redentor?”

“Você tem testemunho da Restauração do evangelho nestes últimos dias?”

“Você apóia o Presidente de A Igreja de Jesus Cristo dos Santos dos Últimos Dias como o profeta, vidente e revelador e como a única pessoa na Terra que possui e está autorizada a exercer todas as chaves do sacerdócio? Você apóia os membros da Primeira Presidência e do Quórum dos Doze Apóstolos como profetas, videntes e reveladores? Você apóia as outras Autoridades Gerais e as autoridades locais da Igreja?”

“Você vive a lei da castidade?”

“Existe algo em seu comportamento para com seus familiares que não esteja em harmonia com os ensinamentos da Igreja?”

“Você se esforça para guardar os convênios feitos, assistir às reuniões sacramentais e as do sacerdócio e manter sua vida em harmonia com as leis e mandamentos do evangelho?”

“Você é honesto ao tratar com seus semelhantes?”

“Você é dizimista integral?”

“Você guarda a Palavra de Sabedoria?”

“Há algum pecado ou erro em sua vida que devesse ter sido resolvido com as autoridades do sacerdócio, mas não o foi?”

“Você se considera digno de entrar na casa do Senhor e de participar das ordenanças do templo?”

A importância de pensar nessa recomendação em relação ao casamento é que, quando escolhemos o companheiro com quem vamos viver agora e na eternidade, devemos perguntar: “Tenho certeza de que ele é capaz de viver de acordo com os requisitos desta recomendação?”

Depois de obter uma recomendação, podemos ir ao templo e receber a investidura. Antes de se casar ou se selar no templo ao marido ou à mulher, a pessoa recebe a ordenança da investidura.

Nós, os membros de A Igreja de Jesus Cristo dos Santos dos Últimos Dias, temos o privilégio de planejar um casamento celestial e preparar-nos para ele.

Ao escolher o companheiro ou companheira, assegure-se de que vocês dois tenham o desejo de unir-se num casamento celestial, o desejo de ter uma família para a eternidade, o desejo de ter um companheiro para a eternidade e de viver na presença do Pai Celestial.

Apoio Mútuo

O casamento é como a escalada de uma montanha. Você se amarra a um companheiro e começa a subir a montanha da vida. Quando nasce um filho, você o amarra à mãe e ao pai e continua a jornada. As cordas manterão todos os alpinistas juntos; mas há muitas dificuldades ” — o vento, a chuva, a neve e o gelo — todos os elementos do mundo irão contra vocês para fazê-los sair da montanha eterna. Como chegar ao topo?

Alguém disse o seguinte: “Tu me elevas, e eu te elevo, e subiremos juntos”. O que significa isso?

Lembro-me de uma experiência minha que ilustra essa idéia. Eu estudava na Harvard Business School. Estava-me esforçando ao máximo. No primeiro ano de um aluno nessa instituição, os professores fazem com que os alunos percam toda a autoconfiança que tiverem, não importa a experiência que tenham adquirido antes de chegarem lá, para que aprendam o que é ter que se esforçar mais do nunca na vida.

Numa época importante dos meus estudos, um presidente de missão pediu-me que fosse o presidente do quórum de élderes. Foi a única vez em toda a minha vida que questionei um chamado. Algum dia, todos vocês se depararão com a questão: “Qual é o momento certo para servir”? A única resposta que posso dar é: “Quando forem chamados”.

Então fui para casa e disse a minha esposa: “É possível que eu seja reprovado se eu me tornar o presidente do quórum de élderes”. O que ela me disse me ajudou por muitos anos: “Bob, prefiro ter um portador do sacerdócio ativo a ter um homem com um título de mestre de Harvard”; mas ela me abraçou e disse: “Vamos fazer as duas coisas”. Isso é parceria eterna.

Em Doutrina e Convênios (queria que todos vocês escrevessem esse versículo e o levassem no bolso, para usá-lo sempre que tiverem esses momentos difíceis), lemos: “Portanto fortalece teus irmãos em todas as tuas conversas, em todas as tuas orações, em todas as tuas exortações e em todos os teus feitos” (D&C 108:7). Em outras palavras, todos os dias vocês se ajudam mutuamente com palavras, orações, exortações e em tudo o que fazem.

Traçar uma Rota Eterna

Sei como é importante traçar uma rota, saber aonde estamos indo. Saiam com várias pessoas diferentes. Conheçam o tipo de pessoa com quem querem estar. Não deixem de ajudar as pessoas com quem vocês têm contato. Ensinem-nas a fazer muitos amigos.

Estejam certos de saber, antes de se casarem, o que a outra pessoa realmente quer ser. Para isso vocês podem observar se a pessoa freqüenta as reuniões, se ela tem um testemunho e consegue conversar com você agora sobre metas eternas.

Rogo que o Senhor os abençoe. Sei que Deus vive e que Jesus é o Cristo. Testifico-lhes que os momentos da minha vida em que fiquei infeliz, deprimido ou muito triste, ocorreram quando me desviei, mesmo que só um pouquinho, dos ensinamentos do Senhor. Oro para que vocês tenham a verdadeira felicidade e encontrem a alegria de um casamento celestial e tenham um pedacinho do céu na Terra.

De um discurso de devocional feito em 9 de novembro de 1976, na Universidade Brigham Young.