Fortalecer o Lar e a Família


Mary N. Cook
O Senhor conta com você para trazer as bênçãos do evangelho a sua família.

Todos os domingos, da Mongólia a Manchester e de Manchester ao Mississipi, as moças da Igreja repetem estas palavras inspiradas:

“Estaremos preparadas para fortalecer o lar e a família, fazer e guardar convênios sagrados, receber as ordenanças do templo e desfrutar as bênçãos da exaltação” (“Tema das Moças”, Progresso Pessoal das Moças [livreto, 2002], p. 5).

Embora esse seja o tema das Moças, ele se aplica a toda a juventude da Igreja. Espero que ele os ajude a compreender, rapazes e moças, como suas ações individuais têm o poder de fortalecer seu lar e sua família, sejam quais forem as circunstâncias. Entendo, por exemplo, que muitos de vocês talvez sejam o único membro da Igreja na família.

Para o Vigor da Juventude nos lembra que “ser parte de uma família é uma grande bênção. (…) Nem todas as famílias são iguais, mas cada uma delas é importante para o plano do Pai Celestial” [(livreto, 2002), p. 10].

Todas as famílias precisam-se fortalecer, da ideal à mais problemática. Esse fortalecimento pode vir de você. Na verdade, em algumas famílias, você pode ser a única fonte de força espiritual. O Senhor conta com você para trazer as bênçãos do evangelho a sua família.

É importante estabelecer padrões de retidão em sua própria vida; com isso, você conseguirá ser um bom exemplo para sua família, seja qual for o modo como ela esteja constituída.

Seu exemplo de retidão na vida fortalecerá sua família. O Presidente Hinckley deu às moças um “programa simples de quatro pontos” na Reunião Geral das Moças na última conferência, que não só “garantirá a felicidade” de sua família, mas também a abençoará. Ele aconselhou cada um de nós, dizendo: “(1) orem; (2) estudem; (3) paguem o dízimo; e (4) assistam às reuniões” (“Que a Virtude Adorne Teus Pensamentos Incessantemente”, A Liahona, maio de 2007, p. 115).

Buscar a ajuda do Senhor diariamente por meio da oração trará grandes bênçãos a sua família. Pergunte a si mesmo: “Em minha família, quem poderia se beneficiar da minha oração pessoal?” “O que posso fazer para apoiar e incentivar a oração familiar?”

Ao estudar as escrituras individualmente, você conhecerá o Salvador e Seus ensinamentos. Pelo exemplo que Ele deixou, você saberá como amar, servir e perdoar os membros de sua família. Reflita sobre como você poderia compartilhar sua compreensão das escrituras com sua família.

Em várias ocasiões, o Presidente Hinckley admoestou-nos a “[obter] toda a instrução que [pudermos]” (A Liahona, maio de 2007, p. 116). Sua instrução acadêmica trará benefícios a sua família agora e, com certeza, abençoará sua família futura. O que você pode fazer hoje para planejar sua formação e preparar-se para obter uma boa instrução?

O Presidente Hinckley nos ensinou: “Embora o dízimo seja pago com dinheiro, o mais importante é que ele seja pago com fé” (A Liahona, maio de 2007, p. 117). Vocês estão recebendo as bênçãos de pagar o dízimo com fé? Se obedecerem a esse mandamento, o Senhor abrirá “as janelas do céu” (Malaquias 3:10) para abençoar vocês e sua família.

De que forma assistir às reuniões — em especial as reuniões sacramentais — abençoa você e sua família? Partilhar regularmente do sacramento vai ajudá-lo a guardar seus convênios batismais. Vivendo de maneira digna e renovando esse convênio todas as semanas, você se qualificará para receber a companhia do Espírito. O Espírito Santo será seu guia e lhe ensinará o que fazer para abençoar sua família.

Se assumir o compromisso de cumprir esses padrões de retidão, você será abençoado por toda a vida e desenvolverá uma base espiritual com a qual poderá fortalecer sua família pelo exemplo. Em I Timóteo, Paulo nos ensina a respeito do exemplo: “Ninguém despreze a tua mocidade; mas sê o exemplo dos fiéis, na palavra, no trato, no amor, no espírito, na fé, na pureza” (I Timóteo 4:12).

A seção sobre a família, no livreto Para o Vigor da Juventude, sugere algumas maneiras excelentes de você ser “o exemplo dos fiéis” em sua própria casa:

“Sejam agradáveis, úteis e atenciosos com os outros. (…) Interessem-se pelas necessidades de outras pessoas da família. (…)

Honrem seus pais, demonstrando-lhes amor e respeito e sendo obedientes. (…) Participem de atividades da família e de suas tradições, inclusive da oração familiar, noites familiares e leitura das escrituras em família. Essas tradições fortalecem e unificam as famílias. (…)

Fortaleçam o relacionamento com seus irmãos e irmãs. Eles podem tornar-se seus melhores amigos” (Para o Vigor da Juventude, pp. 10–11).

O exemplo geralmente é o melhor professor. Quem em sua família poderia se beneficiar com seu exemplo — um irmão?, uma irmã?, sua mãe?, seu pai?

Gostaria de contar-lhes uma experiência de minha própria vida e de como os padrões de retidão do meu irmão e seu exemplo resultaram em bênçãos eternas para nossa família.

Meu irmão e eu nascemos “de bons pais” (1 Néfi 1:1) que nos amavam e faziam muitos sacrifícios por nós dois, mas nossa família ainda não tinha sido abençoada com as sagradas ordenanças do templo.

Muitos anos atrás, em fins de dezembro, recebemos uma carta do meu irmão que servia na Missão Califórnia Norte. Do lado de fora do envelope, havia um aviso: “Não abram até que todos estejam juntos!!”

Quando meu pai, minha mãe e eu nos reunimos para abrir sua carta de sete páginas datilografadas, lemos seu testemunho sobre a oração. Com base nas escrituras, ele nos ensinou a doutrina a respeito das famílias eternas. Lemos sua experiência de como o jejum e a oração ajudaram seus pesquisadores a se prepararem para receber a ordenança do batismo. Ele nos garantiu que nossa família também poderia ser abençoada por meio do jejum e da oração. Depois, fez o seguinte desafio:

“Alguns meses atrás, o bispo da ala Stanford falou sobre um assunto que causou um grande impacto em mim. (…) Seu discurso fez-me pensar sobre as metas que eu quero alcançar na vida. A mais importante é a que desejo alcançar com minha própria família (…) que, é claro, é ser selado a vocês, mamãe e papai, para esta vida e para a eternidade na Casa do Senhor. Eu amo vocês, muito, e quero que nossa família fique unida para toda a eternidade (…).”

As últimas palavras da carta foram: “Que o Senhor os guie nessa importante decisão e que vocês orem juntos em família, é minha oração”.

Quando eu era adolescente, também orei que essa bênção fosse dada a minha família. Essa carta trazia a esperança de realizar meu desejo justo.

O ano seguinte foi uma oportunidade para nossa família fazer algumas mudanças. Nos vários meses que se seguiram, estabelecemos padrões de retidão para nossa família. Oramos juntos, estudamos sobre as ordenanças do templo, pagamos o dízimo e fomos às reuniões regularmente — todos juntos, em família. Pouco depois de meu irmão voltar da missão, estávamos preparados para receber as ordenanças do templo. Eu soube que o Senhor ouvira e respondera às orações do meu irmão e a minhas orações, quando nos ajoelhamos ao redor do altar no templo e fomos selados como família, para esta vida e para toda a eternidade.

Será que você pode fazer diferença na sua família? Claro que pode! Muitas vezes penso em como estaria o progresso eterno da minha família se meu irmão não tivesse escrito aquela carta tão significativa. Seus padrões de retidão e exemplo mudaram nossa vida.

O Élder Robert D. Hales disse: “Se o exemplo que recebemos de nossos pais não é bom, temos a responsabilidade de quebrar o ciclo. (…) Todos podem aprender a buscar um caminho melhor e, ao fazê-lo, abençoar a vida dos familiares e ensinar tradições corretas às gerações futuras” (“Como Seremos Lembrados por Nossos Filhos?”, A Liahona, janeiro de 1994, p. 10).

Lembrem-se: “A família é essencial ao plano do Criador para o destino eterno de Seus filhos” (A Família — Proclamação ao Mundo, A Liahona, outubro de 2004, p. 49). As famílias eternas são feitas de pessoas. “[Faça a] sua parte para edificar um lar feliz” (Para o Vigor da Juventude, p. 10). Estabeleça padrões de retidão em sua vida e seja o exemplo dos fiéis. O Senhor conta com você para ajudar na exaltação de sua família eterna.

Sei que Jesus Cristo vive. Ele conhece vocês e os ama. Ele abençoou a mim e a minha família, e sei que abençoará vocês e a sua família. Isso testifico humildemente, em nome de Jesus Cristo. Amém.