Deus é nosso Pai Celestial, o Pai de nosso espírito. Com Ele, na Trindade, estão Jesus Cristo e o Espírito Santo. Eles são seres separados e distintos, tendo diferentes papéis, mas são um em propósito. Essa verdade, bem como muitas outras, foi perdida após a morte de Jesus Cristo e Seus Apóstolos, durante um período conhecido como Apostasia.

O Senhor começou a restaurar essas verdades perdidas na primavera de 1820, quando Joseph Smith, de 14 anos, orou num bosque próximo a sua casa, no município de Manchester, Nova York, para saber a qual igreja devia filiar-se. Em resposta a sua oração, ele viu Deus, o Pai, e Jesus Cristo. Mais tarde, o Profeta Joseph Smith escreveu o seguinte sobre sua visão: “Um deles falou-me, chamando-me pelo nome, e disse, apontando para o outro: Este é Meu Filho Amado. Ouve-O!” (Joseph Smith—História 1:17).

Em 16 de fevereiro de 1832, o Profeta e Sidney Rigdon receberam uma revelação. Como introdução da revelação, eles testificaram a respeito de Jesus Cristo e de Deus, o Pai, dizendo: “E agora, depois dos muitos testemunhos que se prestaram dele, este é o testemunho, último de todos, que nós damos dele: Que ele vive! Porque o vimos, sim, à direita de Deus; e ouvimos a voz testificando que ele é o Unigênito do Pai” (D&C 76:22–23).

Doutrinas que prestam testemunho de Deus, o Pai:

  1. Fomos criados à imagem de Deus (ver Moisés 2:26).

  2. Deus é o Supremo Criador e “todas as coisas mostram que existe um Deus” (Alma 30:44).

  3. Deus é nosso Pai Celestial, literalmente nosso pai espiritual (ver Hebreus 12:9).1

  4. Deus, o Pai, tem um corpo tangível de carne e ossos (ver D&C 130:22).

  5. Nosso Pai Celestial deu-nos o plano de salvação (ver Alma 34:9).

Maneiras pelas quais podemos conhecer o Pai Celestial:

  1. Banquetear-nos nas escrituras (ver 2 Néfi 32:3).

  2. Conhecer Jesus Cristo (ver João 14:9).

  3. Obedecer aos mandamentos de Deus e seguir os profetas (ver João 14:21; D&C 1:38).

  4. Com fé, orar a Deus em nome de Jesus Cristo (ver Tiago 1:5; 3 Néfi 18:20).

Reserve um tempo para contemplar o céu, no qual o curso das estrelas e planetas são uma prova de “Deus movendo-se em sua majestade e poder” (ver D&C 88:41–47).

À esquerda: fotografia de planeta: cortesia da NASA/JPL; fotografia de estrelas © NASA e STScI; ilustração: Robert T. Barrett; ilustração fotográfica: Wei-Hsiang Wang; à direita: pintura de animais: Stanley Galli; ilustração do Pai Celestial com filhos: Paul Mann; detalhe de A Primeira Visão de Del Parson; ilustração fotográfica de família: Welden C. Andersen; ilustração fotográfica de um homem: Welden C. Andersen; fotografia do Presidente Monson: Craig Dimond; Ilustração fotográfica de mulher: Ruth Sipus

Exibir Referências

Nota

  1. 1.

    Ver Ensinamentos dos Presidentes da Igreja: Joseph Smith, (curso de estudos do Sacerdócio de Melquisedeque e da Sociedade de Socorro, 2007), p. 42.