Mudar o Mundo Mudando Uma Mulher Virtuosa por Vez

Heather WhittleRevistas da Igreja

Imprimir Compartilhar

    Em abril de 2008, a recém-chamada presidência geral das Moças — Elaine S. Dalton, Mary N. Cook e Ann M. Dibb — estiveram no alto do Pico Ensign, no extremo norte de Salt Lake City, e observaram o vale.

    Daquele ponto, a figura do anjo Morôni brilhava sobre o Templo de Salt Lake, e elas entenderam, então, o que o Senhor tinha em mente para as moças da Igreja.

    As três mulheres fixaram no topo da montanha uma haste em que tremulava um xale peruano dourado: sua bandeira e estandarte para as nações — um chamado para o retorno à virtude.

    “Não há como falar sobre o novo valor, Virtude, sem explicar que o templo é a razão desse valor”, disse a irmã Dalton. “E o templo é a razão para tudo o que fazemos nas Moças, pois ele ajudará essas jovens a virem a Cristo.”

    A virtude foi acrescentada oficialmente aos valores das Moças em novembro de 2008. No livreto Progresso Pessoal, esse valor é definido como “um padrão de pensamento e comportamento com base em padrões morais elevados. Ele inclui a castidade e a pureza” (Progresso Pessoal das Moças [2009], no livreto p. 70; no encarte, p. 2).

    Esse valor é peculiar, uma vez que é requerido que todas as experiências e os projetos de valor sejam realizados, diferentemente dos outros valores, que permitem que as moças escolham entre várias opções. Além disso, pela primeira vez, as mães foram convidadas a completar com as filhas o programa de Progresso Pessoal e a obter o medalhão para si mesmas.

    No ano passado, nossas moças e muitas outras no mundo todo responderam entusiasticamente ao chamado de retornar à virtude, inundando o escritório da presidência geral das Moças com cartas e fotografias das jovens que responderam ao chamado. Muitas escalaram montanhas e desfraldaram as próprias bandeiras.

    Um grupo de moças em Hannibal, no Missouri, EUA, desejando um local elevado para assumir o compromisso de serem virtuosas e não conseguindo encontrar uma montanha próxima, escalaram uma torre de 36 andares, hastearam sua bandeira e comprometeram-se a viver virtuosamente.

    No México, o nome do Reconhecimento das Moças traduz-se como “O Reconhecimento da Jovem Virtuosa”. As moças no México ficaram entusiasmadas com o acréscimo da virtude como valor; a irmã Dalton disse que é um valor com o qual elas já estavam familiarizadas.

    “O chamado à virtude foi recebido com aplausos calorosos sob todos os aspectos, tanto na Igreja como fora dela”, disse a irmã Cook. “As líderes se entusiasmaram; os líderes do sacerdócio o enfatizaram; as mães e avós ficaram gratas pela inclusão.”

    O projeto do valor Virtude é seguir a admoestação do Senhor de aprender Dele (ver D&C 19:23), lendo o Livro de Mórmon inteiro e registrando regularmente os pensamentos em um diário.

    Um e-mail de uma irmã na Inglaterra para a presidência das Moças, diz: “Infelizmente, precisamos nos desculpar. Não poderemos completar isso com a rapidez que pretendíamos. A razão é que minha filha e eu estamos estudando o Livro de Mórmon como nunca fizemos antes. É uma experiência tão boa, que queremos aproveitar o tempo”.

    O Livro de Mórmon ensina a respeito de sociedades que prosperaram e foram felizes enquanto eram virtuosas e puras, mas que caíram quando abandonaram a virtude, disse a irmã Dibb.

    Tanto homens como mulheres sentiram-se entusiasmados com o novo valor, disse a presidência das Moças, citando exemplos de grupos inteiros de rapazes e alas de solteiros que trabalharam juntos nesse valor.

    A irmã Dibb acentuou que tanto homens como mulheres devem centrar-se na virtude para obter as maiores bênçãos. “Os homens não têm poder ou força para exercer o sacerdócio que recebem, se não forem moralmente puros”, disse ela. “E as mulheres recebem esse poder e força para cumprir seus chamados divinos como esposas, mães e como mulheres, ao praticarem a virtude.”

    A irmã Dalton disse crer que o valor Virtude foi guardado até esta época, ocasião em que o mundo faz tudo e qualquer coisa — menos promover a virtude.

    “Para nós é desolador que neste mundo tantas moças se esqueçam de sua identidade como filhas de Deus”, disse a irmã Cook. “Estamos apenas lembrando-as disso, e também do fato de que, se vocês tiverem cometido um erro, podem arrepender-se.”

    O compromisso de manter-se uma pessoa virtuosa e pura é possível graças ao poder ativo e redentor da Expiação do Salvador, disse a irmã Dibb. A quarta experiência do valor centraliza-se no arrependimento.

    No ano passado, muitas mulheres — tanto idosas como jovens — expressaram o desejo de voltarem a ser mulheres virtuosas. A irmã Cook disse: “[O acréscimo do valor Virtude] tornou-se um incentivo para as mulheres que fizeram escolhas ruins no passado. Muitas disseram: ‘Posso ser uma mulher virtuosa novamente. (…) Ainda é possível’”.

    Muitas dessas mulheres, que desejam ser novamente virtuosas, talvez se perguntem por onde devem começar. A presidência das Moças gostaria de dar-lhes a seguinte fórmula: Orem à noite e pela manhã. Leiam o Livro de Mórmon por cinco minutos ou mais, todos os dias. E sorriam.

    “Pensem em como seria o mundo em cinco anos, se todas as mulheres da Igreja e do mundo fizessem isso”, disse a irmã Dalton. “Nós acreditamos realmente que moças virtuosas, orientadas pelo Espírito, podem mudar o mundo.”

    As moças da Estaca Santo Domingo República Dominicana Independência e suas líderes escalaram Cambita Garabito, uma montanha na República Dominicana, onde desfraldaram a própria bandeira da virtude, em agosto de 2009.

    Fotografia: cortesia de Iván Heredia