Ninguém sabe o que um pouco de bondade pode gerar. Em janeiro de certo ano, enquanto servia em Akure, na Missão Nigéria Lagos, eu tinha um pequeno presente que desejava dar a alguém. Pensei: “Quem se beneficiaria mais com esse presente?” Levei o presente para a Igreja dois domingos seguidos, mas não consegui me decidir.

No terceiro domingo, fui para a Igreja achando que o daria para um bom amigo. Esse amigo não foi à Igreja naquele dia, mas tive o sentimento de que havia outra pessoa que precisava dele. Ao olhar em volta, na capela, vi um menino cujos pais não eram membros da Igreja. Ele me parecia muito solitário. Senti que devia dar o presente a ele. Foi o que fiz, e senti-me muito feliz.

Algo maravilhoso aconteceu. A mãe dele foi à Igreja no domingo seguinte. Agradeceu-me pelo presente. Ela disse: “Eu havia prometido a meu filho que um dia viria à Igreja. Vim hoje para expressar minha gratidão pelo presente”. Foi assim que meu companheiro e eu a conhecemos. E ela acabou por filiar-se à Igreja. O menino ficou muito feliz ao ver sua mãe finalmente ser batizada.

Sei que, por meio de pequenas coisas, grandes coisas acontecem.