Dançar Conforme a Música Jamaicana

Megan Withers

Imprimir Compartilhar

    Numa noite quente em Kingston, Jamaica, talvez você esbarre com Samuel (dez anos de idade) e Giordayne (sete anos) saltando na rua com seus dois irmãos. Ao pularem, cantam afinados:

    1, 2, 3, Tia Lulu,

    4, 5, 6, Tia Lulu,

    7, 8, 9, Tia Lulu,

    10, Tia Lulu,

    10, Tia Lulu,

    Samuel e Giordayne são duas crianças felizes e com talentos em várias áreas. Gostam de praticar esportes, estudar bastante na escola, ajudar nas tarefas domésticas e ser exemplos para as pessoas a sua volta com seus grandes sorrisos e atitude positiva.

    Dias Especiais na Escola

    Na Jamaica, as escolas comemoram todos os anos o Dia dos Meninos e o Dia das Meninas. No Dia das Meninas, os meninos não vão à escola. Por outro lado, as mães podem acompanhar as filhas. Há um show de talentos, um concurso de ortografia e outras atividades recreativas.

    Giordayne foi escolhida por sua classe para competir no concurso de ortografia e venceu. “A palavra que mais gosto de soletrar é environment (meio ambiente)”, diz Giordayne.

    No Dia dos Meninos, cada menino pode levar o pai ao colégio. Samuel inscreveu-se no concurso de redações. Escreveu um texto sobre como demonstra respeito a si mesmo e aos outros. Também tirou o primeiro lugar.

    Visita ao Templo

    Samuel aguarda com ansiedade o dia em que poderá ir ao templo. Para muitas famílias jamaicanas, frequentar o templo é um grande sacrifício, pois não há templo no país. É caro ir aos Estados Unidos para frequentar o templo.

    Felizmente, a família de Samuel e Giordayne pôde ir. Samuel conta: “Minhas melhores férias em família foram quando viajamos a Nova York para visitar minha tia. Vimos o Templo de Manhattan. É o único templo que já vi na vida”.

    A família inteira vibrou quando o Templo da Cidade do Panamá, no Panamá, foi dedicado em 2008, pois é bem mais fácil ir lá. Uma ou duas vezes por ano, uma caravana com membros da Jamaica vai ao Templo da Cidade do Panamá. “Não vejo a hora de ir ao templo quando fizer doze anos”, entusiasma-se Samuel.

    Resposta a Orações

    Tempos atrás, a firma onde trabalhava o pai deles estava prestes a fechar. Giordayne incentivou a família a pedir ajuda ao Pai Celestial. “Giordayne é muito diligente em suas orações. Sempre ajuda a família lembrar o que pedir ao Senhor em oração”, conta a mãe. As orações da família foram respondidas quando o pai conseguiu outro emprego. “Eu sabia que, se orássemos, tudo terminaria bem”, relata Giordayne, cheia de confiança.

    Dois Grandes Professores

    O sonho de Samuel é ser professor quando crescer. Quer ensinar suas matérias favoritas: matemática e ciências. Giordayne, que admira muito o irmão mais velho, também quer ser professora.

    Samuel e Giordayne já são professores hoje, pois dão um ótimo exemplo aos amigos. Em sua escola, poucas crianças são membros da Igreja.

    “Quando alguém faz algo errado, como brigar, digo que devem fazer o que é certo”, explica Samuel.

    Samuel e Giordayne gostam de prestar testemunho, e a presidente da Primária sabe que pode contar com eles para discursar caso o orador do dia falte. Nas manhãs de domingo, eles se levantam bem cedinho só para preparar um discurso para substituir alguém em caso de necessidade.

    Samuel e Giordayne tentam servir ao Senhor fielmente em tudo o que fazem. Giordayne diz: “Sei que se tiver fé, não vou perecer, mas voltarei a viver com o Pai Celestial e Jesus Cristo”.

    fotografIas da faMÍlIa e das crIanças: cortesia da família; IMageM da BandeIra JaMaIcana: © noVa deVeloPMent; fotografIa de PalMeIras: © gettY IMages