Nossa Crença

A Escrituras Ensinam e Testificam sobre Jesus Cristo


As Escrituras Ensinam e Testificam sobre Jesus Cristo

As escrituras trazem conselhos de profetas, relatos inspirados da interação de Deus com a humanidade e revelações de Deus a Seus profetas. As escrituras ensinam que somos filhos do Pai Celestial, que nos ama. Como parte de Seu plano para nossa felicidade eterna, viemos à Terra. Enquanto estamos aqui, as escrituras servem de elo entre nós e o Pai Celestial e Jesus Cristo.

O propósito primordial das escrituras é testificar a respeito de Cristo, ajudando-nos a achegar-nos a Ele e a receber a vida eterna (ver João 5:39). Os profetas modernos nos aconselham a estudar as escrituras diariamente, tanto individualmente quanto em família. O Presidente Thomas S. Monson exortou-nos: “[Estudem] diariamente as escrituras. Ler muito de uma vez só não dá nem de longe tão bons resultados como a leitura e aplicação diária das escrituras a nossa vida. Familiarizem-se com as lições que as escrituras ensinam. (…) Estudem-nas como se fossem dirigidas a vocês, porque, na verdade, são”. 1

Por meio das palavras das escrituras, podemos conhecer e amar nosso Pai Celestial e o Salvador Jesus Cristo. Podemos ler Seus mandamentos e, consequentemente, aprender a distinguir o certo do errado. Ganhamos força para resistir à tentação de pecar. Aumentamos nosso desejo de obedecer às leis de Deus. As escrituras nos consolam e nos ensinam enquanto estamos na Terra e mostram-nos o caminho de volta a nosso lar celestial.

Os membros da Igreja de Jesus Cristo dos Santos dos Últimos Dias aceitam as seguintes escrituras:

  1. 1.

    A Bíblia é um conjunto de escrituras sagradas que contém revelações de Deus a profetas antigos da Terra Santa. Nossa oitava regra de fé afirma: “Cremos ser a Bíblia a palavra de Deus, desde que esteja traduzida corretamente”.

  2. 2.

    O Livro de Mórmon: Outro Testamento de Jesus Cristo contém revelações de Deus a antigos profetas das Américas. Ele contém a plenitude do evangelho de Jesus Cristo (ver D&C 20:9).

  3. 3.

    Doutrina e Convênios é um livro de revelações sobre a Restauração do evangelho de Jesus Cristo, concedidas a profetas modernos a partir de Joseph Smith.

  4. 4.

    A Pérola de Grande Valor contém revelações adicionais de Deus a Moisés, Abraão e Joseph Smith.

  5. 5.

    Deus continua a revelar verdades aos profetas vivos por meio da inspiração do Espírito Santo. Essas verdades são consideradas escritura (ver D&C 68:4). Chegam a nós principalmente na conferência geral, realizada no primeiro fim de semana de abril e de outubro, quando os membros da Igreja do mundo inteiro ouvem discursos de nosso profeta e de outros líderes da Igreja.

Para mais informações, ver Princípios do Evangelho, 2009, pp. 45–51, e Sempre Fiéis, 2004, pp. 67–71.

“Toda a Escritura é divinamente inspirada, e proveitosa para ensinar, para redarguir, para corrigir, para instruir em justiça” (II Timóteo 3:16).

“O propósito central de toda escritura é encher nossa alma de fé em Deus, o Pai, e em Seu Filho Jesus Cristo. 

(…) A fé vem pelo testemunho do Santo Espírito a nossa alma, de Espírito para espírito, quando ouvimos ou lemos a palavra de Deus. E a fé amadurece quando nos banqueteamos continuamente na palavra. 

(…) Estudem as escrituras cuidadosa e deliberadamente. Ponderem-nas e orem a respeito delas. As escrituras são revelação e proporcionam mais revelação.”

Élder D. Todd Christofferson, do Quórum dos Doze Apóstolos, “A Bênção das Escrituras”, A Liahona, maio de 2010, p. 34.

Em sentido horário, a partir do alto, à esquerda: ilustração fotográfica de Derek Israelsen © 2002; Cristo no Getsêmani, de Harry Anderson © IRI; Três Nefitas, de Gary Kapp © 1996 IRI; Jesus Cristo Aparece ao Profeta Joseph Smith e Oliver Cowdery, de Walter Rane, cortesia do Museu de História da Igreja; A Primeira Visão, de Del Parson © 1987 IRI; fotografia de Craig Dimond © IRI; ilustração fotográfica de Christina Smith © IRI

Exibir Referências

    Nota

  1.   1.

    Thomas S. Monson, “Dê o Melhor de Si”, A Liahona, maio de 2009, p. 68.