O Senhor Precisa de Missionários

Na conferência geral de outubro passado pedi mais missionários. Todo rapaz digno e capaz deve preparar-se para servir em uma missão. Esse serviço é um dever do sacerdócio — uma obrigação que o Senhor espera de nós, que tanto recebemos Dele. Rapazes, eu os admoesto a prepararem-se para servir como missionários. Mantenham-se limpos, puros e dignos de representar o Senhor. Mantenham sua saúde e suas forças. Estudem as escrituras. Onde for possível, participem do seminário ou do instituto. Procurem conhecer bem o guia missionário Pregar Meu Evangelho.

Moças, embora não tenham a mesma responsabilidade de servir como missionárias de tempo integral, como os rapazes do sacerdócio têm, vocês também fazem uma valiosa contribuição como missionárias, e ficamos felizes quando decidem servir.

Aos irmãos e às irmãs de mais idade, lembro que o Senhor necessita de um número muitíssimo maior de vocês no serviço missionário de tempo integral. Aos que ainda não estão na idade de servir como casal missionário, peço-lhes que se preparem agora para o dia em que você e seu cônjuge poderão fazê-lo. Há poucas ocasiões em sua vida em que desfrutarão o doce espírito e a satisfação de servirem juntos em tempo integral na obra do Mestre.

Alguns de vocês talvez sejam tímidos por natureza ou se considerem incapazes de aceitar um chamado para servir. Lembrem que esta é a obra do Senhor e, quando estamos a serviço do Senhor, temos o direito de receber a ajuda Dele. O Senhor moldará o ombro para que suporte o fardo nele depositado.

Outras pessoas, ainda que dignas para servir, talvez achem que há prioridades mais importantes. Lembro-me bem da promessa do Senhor: “Porque aos que me honram honrarei” (I Samuel 2:30). Nenhum de nós honrará mais o Pai Celestial e o Salvador do que servindo como missionários dedicados e compassivos.

Um exemplo desse tipo de serviço foi a experiência missionária de Juliusz e Dorothy Fussek, que foram chamados para servir como missionários na Polônia. O irmão Fussek nasceu na Polônia. Falava o idioma. Amava o povo. Já a irmã Fussek era inglesa, pouco conhecia a respeito da Polônia e nada sabia sobre aquele povo. Cheios de confiança no Senhor, iniciaram sua designação. Era um trabalho solitário, e a tarefa a cumprir era imensa. Naquela época, ainda não havia nenhuma missão na Polônia. A designação confiada aos Fussek foi preparar o caminho para a criação de uma missão.

O élder e a irmã Fussek se desesperaram diante da importância dessa designação? Nem por um segundo. Sabiam que o chamado vinha de Deus. Oraram para receber Seu auxílio divino e dedicaram-se de corpo e alma ao trabalho.

Certa vez, eu, o Élder Russell M. Nelson, do Quórum dos Doze Apóstolos, e o Élder Hans B. Ringger, na época, dos Setenta, acompanhados pelo Élder Fussek, nos reunimos com o ministro polonês responsável pelos assuntos religiosos, Adam Wopatka. Ele nos disse: “Sua Igreja é bem-vinda aqui. Podem construir suas capelas e mandar seus missionários. Esse homem”, apontando para Juliusz Fussek, “serviu muito bem a sua Igreja. Vocês podem ser gratos por seu exemplo e trabalho”.

Assim como os Fussek, façamos o que devemos fazer no serviço do Senhor. Então poderemos, juntamente com Juliusz e Dorothy Fussek, repetir em uníssono o Salmo:

“O meu socorro vem do Senhor que fez o céu e a terra.

(…) Aquele que te guarda não tosquenejará.

Eis que não tosquenejará nem dormirá o guarda de Israel” (Salmos 121:2–4).

Ensinar Usando Esta Mensagem

O guia Ensino, Não Há Maior Chamado declara: “Conte uma experiência pessoal que ilustre como a prática de um princípio do evangelho abençoou sua vida. Convide os alunos para relatarem brevemente suas próprias experiências” (1999, p. 159). Leia esta mensagem e depois pergunte aos membros da família quem, segundo o Presidente Monson, deve servir numa missão. Relate experiências pessoais que você ou outras pessoas tiveram no serviço missionário de tempo integral. Se preferir, fale de seus projetos para sair em missão no futuro. Peça aos membros da família que exponham seus planos e suas experiências positivas.

Jovens

De Bicicleta Rumo ao Futuro

Muitos rapazes se preparam financeiramente para servir como missionários. Na África, parte da preparação consiste em ganhar dinheiro suficiente para tirar o passaporte. Sedrick Tshiambine foi bastante empreendedor para conseguir a quantia necessária: vendeu bananas na traseira de uma bicicleta.

Sedrick mora em Luputa, República Democrática do Congo. É um dos 45 rapazes do distrito de Luputa que estão trabalhando para economizar dinheiro para tirar o passaporte a fim de saírem em missão. Nesse país, um passaporte custa 250 dólares, dois terços do custo de construção de uma casa.

Mas Sedrick não se deixou intimidar. Ganhou essa quantia percorrendo de bicicleta de 15 a 30 quilômetros de Luputa até cidadezinhas do interior, onde comprava as bananas, e depois atravessando a tórrida savana africana de volta para a cidade, com a bicicleta cheia de frutas para vender. Todas as semanas, viajava cerca de 180 quilômetros em estradas de terra e só caiu uma vez, por causa da carga mal distribuída.

Por seu trabalho, Sedrick ganhava cerca de 1,25 dólares por semana — ou 65 dólares por ano. Demorou quatro anos para economizar o bastante para tirar o passaporte, mas agora ele sabe que a missão de tempo integral está garantida em seu futuro, pois está financeiramente preparado para atender ao chamado para servir.

Crianças

Vou-me Preparar Ainda Jovem

Para ajudar as crianças a lembrarem-se do chamado para servir do Presidente Monson, faça uma cópia deste certificado, imprima-o em LDS.org ou confeccione seu próprio certificado a ser assinado pelas crianças e guardado como lembrança, seja na parede do quarto ou no diário.

Vou-me Preparar

Fui chamado pelo Presidente Thomas S. Monson para me preparar para a missão. Vou:

  • Manter-me limpo, puro e digno de representar o Senhor;

  • Conservar a saúde e o vigor;

  • Orar e estudar as escrituras.

Vou me preparar para servir em uma missão.

_______________
_______________
(assinatura)

Ilustrações fotográficas: Hyun Gyu Lee, Matthew Reier e Craig Dimond

Fotografias: Howard Collett e David Newman