O Aniversário de 400 Anos da Bíblia É Mais Bem Celebrado com Mais Estudo, Sugerem as Palavras dos Apóstolos

Natasia Garrett


“Não é por acaso ou coincidência que temos a Bíblia hoje”, disse o Élder M. Russell Ballard, do Quórum dos Doze Apóstolos. 1 Ele explica a existência da Bíblia pela obediência de pessoas justas que seguiram a inspiração de registrar experiências e ensinamentos sagrados, bem como pela fé e coragem de outros, inclusive tradutores, que mais tarde sacrificaram muito para “proteger e preservar” a Bíblia.

O dia 2 de maio de 2011 marca o 400º aniversário da primeira publicação da Versão do Rei Jaime da Bíblia. Por todo o mundo, as pessoas já comemoram a publicação da Bíblia com simpósios, celebrações, espetáculos, competições de oratória, entre outras coisas. Os membros do Quórum dos Doze Apóstolos sugerem outra maneira de celebrar a ocasião: desenvolver um amor pela Bíblia ao estudar a vida e o ministério do Salvador e as palavras dos antigos profetas e apóstolos.

“Devemos ser imensamente gratos pela Bíblia Sagrada”, disse o Élder Ballard. “Amo a Bíblia. Amo seus ensinamentos, suas lições e seu espírito. (…) Amo a perspectiva e a paz que advêm da leitura da Bíblia.” 2

O Élder Jeffrey R. Holland, do Quórum dos Doze Apóstolos, concorda. “Amamos e reverenciamos a Bíblia”, diz ele. “É sempre identificada em primeiro lugar em nosso cânon, nossas ‘obraspadrão’.” 3 Ele nos lembrou que a Restauração só ocorreu porque Joseph Smith estudava a Bíblia e teve fé na promessa que se acha em Tiago 1:5, de que Deus responde a nossa oração.

Ao relembrar os eventos que pavimentaram o caminho da Restauração, o Élder Robert D. Hales, do Quórum dos Doze Apóstolos, falou com gratidão a todos os que tornaram possível a tradução e as publicações da Bíblia. Graças a seu trabalho, a Versão do Rei Jaime da Bíblia foi disponibilizada para todos os que quisessem ler — e porque estava disponível a Joseph Smith, a verdadeira Igreja foi restaurada sobre a Terra. “É de se admirar que a versão do rei Jaime seja a Bíblia inglesa aprovada pela Igreja de Jesus Cristo dos Santos dos Últimos Dias hoje?” perguntou o Élder Hales. 4

“Devemos sempre recordar os inúmeros mártires que conheciam seu poder [da Bíblia] e deram a vida para que pudéssemos encontrar nas palavras ali contidas o caminho da felicidade eterna e a paz do reino de nosso Pai Celestial”, disse o Élder Ballard. 5

O Presidente Boyd K. Packer, Presidente do Quórum dos Doze Apóstolos, contou ter tido a oportunidade de ver uma Bíblia que estava numa família havia séculos e, na qual, encontrou uma citação na folha de rosto que dizia: “A melhor impressão da Bíblia é a que fica impressa no coração do leitor”. 6 Em seguida, leu a seguinte escritura: “Vós sois a nossa carta, escrita em nossos corações, conhecida e lida por todos os homens” (II Coríntios 3:2).

Conhecendo e amando a Bíblia e seus textos escriturísticos, podemos demonstrar nosso apreço pela Restauração do evangelho e desfrutar de suas bênçãos.

“Ponderem a grandiosidade da bênção que recebemos de ter a Bíblia Sagrada e outras 900 páginas adicionais de escrituras”, disse o Élder D. Todd Christofferson. “Vamos banquetear-nos continuamente nas palavras de Cristo, que nos dirão as coisas que devemos fazer.” 7

A versão de 400 anos do rei Jaime da Bíblia Sagrada continua a influenciar os membros da Igreja atualmente.

© IRI

Exibir Referências

    Notas

  1.   1.

    M. Russell Ballard, “O Milagre da Bíblia Sagrada,” A Liahona e Ensign, maio de 2007, p. 80.

  2.   2.

    M. Russell Ballard, A Liahona e Ensign, maio de 2007, p. 80.

  3.   3.

    Jeffrey R. Holland, “Minhas Palavras (…) Jamais Cessam,” A Liahona e Ensign, maio de 2008, p. 91.

  4.   4.

    Robert D. Hales, “A Preparação para a Restauração e a Segunda Vinda: Minha Mão Estará sobre Ti,” A Liahona e Ensign, novembro de 2005, p. 88.

  5.   5.

    M. Russell Ballard, A Liahona e Ensign, maio de 2007, p. 80.

  6.   6.

    Boyd K. Packer, “O Livro de Mórmon: Outro Testamento de Jesus Cristo”, A Liahona, janeiro de 2002, p. 73; Ensign, novembro de 2001, p. 63.

  7.   7.

    D. Todd Christofferson, “A Bênção das Escrituras,” A Liahona e Ensign, maio de 2010, p. 32.