A Árvore de Natal

Harriet R. Uchtdorf

De Harriet R. Uchtdorf, “‘Der Weihnachtsbaum’: Memories Linger of Small Tree”, Church News, 12 de dezembro de 2009, p. 11.

Ouvir Baixar Imprimir Compartilhar

O fim da Segunda Guerra Mundial era recente, e a maioria dos alemães tinha pouco alimento ou dinheiro. Meu aniversário estava próximo, apenas algumas semanas antes do Natal. Eu nem tinha esperança de receber presentes de Natal ou de aniversário, pois sabia muito bem — apesar da pouca idade — que nossos pais estavam com dificuldades para atender a nossas necessidades básicas. Em nossa cidade grande, a fome era generalizada. Foi uma época triste e sombria.

No dia de meu aniversário, foi com grande surpresa e prazer que vi um presente maravilhoso — só para mim — na mesa da cozinha. Era o presente mais belo que eu poderia ter imaginado: uma minúscula Weihnachtsbaum, uma árvore de Natal, com apenas 30 cm de altura, coberta de delicados enfeites de papel alumínio. O papel alumínio refletia a luz da sala de modo encantador. Ao observar os enfeites de papel alumínio, percebi com surpresa que estavam cheios de pedacinhos de açúcar caramelizado. Era um verdadeiro milagre. Onde minha mãe conseguira a árvore, o papel alumínio e o açúcar, algo tão raro naquelas circunstâncias?

Até hoje não sei como ela conseguiu realizar aquele milagre numa época em que nenhuma daquelas coisas preciosas estava a nosso dispor. É algo que ficou marcado em meu coração como um símbolo do profundo amor de meus pais por mim e como símbolo da esperança, do amor e do verdadeiro significado do Natal.

No período natalino, ainda temos em casa uma árvore de Natal, agora decorada com iluminação elétrica e enfeites variados. Quando nos reunimos com os filhos e netos, a beleza da árvore e das luzes piscando aquece meu coração e reaviva doces lembranças de um momento feliz passado em família, proporcionado por uma pequena árvore com brilhantes enfeites de papel alumínio.

Ilustrações: Taia Morley