O Último Natal de Linda

J. Audrey Hammer, Utah, EUA

Imprimir Compartilhar

    Durante meu segundo ano de estudos na Universidade Brigham Young, nosso bispado inscreveu a ala num programa de substituição ao Papai Noel, por meio do qual daríamos presentes de Natal a uma família necessitada.

    Contudo, o nome de nossa ala sempre desaparecia da lista de voluntários. O Natal estava chegando e ainda não tínhamos nenhuma família para ajudar. Então um dos conselheiros do bispo nos falou de uma família que poderia beneficiar-se de nossa ajuda. Quando tomamos conhecimento daquela família, todos tivemos certeza de que deveríamos concentrar nossos esforços nela.

    Linda (o nome foi alterado) tinha vários filhos de nove a quinze anos de idade e tinha travado uma terrível luta contra o câncer de mama. Durante o estresse da doença, seu marido a deixara. Ela acabara de mudar-se de outro estado para trabalhar em um novo emprego em Provo, Utah, mas o trabalho não deu certo e ela ficou sem renda nenhuma.

    Quando conhecemos Linda, nós a adotamos imediatamente no coração. Fomos abençoados por vê-la como o Salvador a via — um espírito nobre e valente que superara muitos desafios dificílimos. Ela nunca foi um mero projeto para nós; na verdade, tornou-se uma amiga eterna. Todos os membros da ala contribuíram com algo para ajudá-la, bem como a seus filhos. Nós mesmos éramos todos estudantes universitários jovens e pobres, mas doamos do que tínhamos com alegria, pois a amávamos.

    Linda foi à festa de Natal de nossa ala, e durante esse tempo vários membros foram ao apartamento dela e encheram sua despensa e geladeira de comida. Decoraram também uma árvore de Natal e rodearam-na de presentes para a família inteira. Deixaram ainda quatro pneus novos para o carro e pagaram vários meses do aluguel dela. Não sei como nossas humildes contribuições conseguiram render tanto, mas eu sabia que o Pai Celestial usara nossos sacrifícios para abençoá-la.

    Um ano depois, eu pertencia a outra ala de estudantes, mas voltei na época do Natal para visitar meu antigo bispo. Fiquei sabendo que o marido de Linda voltara ao convívio familiar e que as finanças deles tinham se estabilizado. Mas então o câncer dela voltou e lhe tirou a vida. Percebi que tínhamos ajudado a dar a Linda seu último Natal.

    Ao sentir “o puro amor de Cristo” (Morôni 7:47) de modo tão intenso por meio daquela experiência, aprendi que a verdadeira caridade é uma dádiva espiritual inestimável que nos impele a agir no lugar do Salvador.