Ideias para a Noite Familiar

Ouvir Baixar Imprimir Compartilhar

Esta edição contém atividades e artigos que podem ser usados na noite familiar. Seguem-se alguns exemplos.

“Meu Serviço na Igreja Como Solteira”, p. 12: Depois de ler a história da irmã Burdett, coloque em debate as bênçãos que nos advêm por servirmos na Igreja. Convide os membros da família a contar alguma experiência significativa que tiveram enquanto serviam em um chamado.

“A Paz e Alegria de Saber que o Salvador Vive”, p. 18: Pergunte à família o que pode fazer pelo Salvador no ano que vem. Leia os parágrafos finais do artigo, no subtítulo “Nossa Dádiva a Ele”. O que o Élder Nelson diz ser a maior dádiva que podemos oferecer ao Senhor?

“Ó Vinde, Adoremos”, p. 42: Selecione antes da lição, em espírito de oração, a seção ou seções que melhor se apliquem a sua família. Se escolher a seção sobre os pastores, talvez queira citar o conselho do Presidente Monson de que “nunca devemos adiar o atendimento a um sussurro”, e iniciar, com sua família, um debate sobre o significado dessa afirmação. Para demonstrar essa citação com as criancinhas, sussurre em seu ouvido uma instrução e as oriente a cumprirem-na.

“Conhecer o Irmão Joseph”, p. 58: Mostre uma gravura de Joseph Smith enquanto lê a lista dos fatos sobre ele extraída do artigo. Talvez queira propor um jogo depois da lição, para ver de quantos fatos cada um consegue se lembrar.

Essas Palavras”, p. 60: Depois de ler a história em família, coloque em debate o que cada um pode dizer, se alguém ao seu redor usar palavrões. Talvez queira também explicar às criancinhas por que somos ordenados em Êxodo 20:7 a não usar o nome do Senhor em vão (ver também D&C 63:60–64).

Sobre Conversões e o Espírito

Enquanto frequentava uma ala de jovens adultos, minha noite familiar era feita com a família da ala. Uma dessas reuniões, que foi organizada pelos missionários de tempo integral, tornou-se inesquecível para mim.

Os élderes convidaram alguns conversos de nossa ala para contarem como havia sido sua conversão. Conforme cada um fazia seu relato, a presença do Espírito era inegável.

Depois de todos falarem, minha mente voltou-se para minha própria experiência missionária, tanto como missionária de tempo integral quanto missionária pela vida toda. Reavaliei minhas ações ao pregar o evangelho no meu dia a dia e continuei a refletir sobre elas nas semanas seguintes. 

Tempos depois, quando fui chamada para cuidar da noite familiar da ala, fiz questão de continuar a realizar a “noite de histórias de conversões” periodicamente, convidando outros conversos da ala para participarem.

Janna McFerson, Califórnia, EUA