Nosso Pai Celestial ordena que sejamos gratos em todas as coisas (ver I Tessalonicenses 5:18) e que demos graças pelas bênçãos recebidas (ver D&C 46:32). Sabemos que todos os mandamentos Dele têm por objetivo trazer-nos felicidade e sabemos também que quebrar os mandamentos resulta em infelicidade.

Portanto, para sermos felizes e evitarmos a infelicidade, devemos ter um coração grato. Já testemunhamos em nossa vida a ligação entre gratidão e felicidade. Todos nós gostaríamos de sentir gratidão, mas não é fácil ser constantemente grato em todas as coisas nas tribulações da vida. Enfermidades, decepção e a perda de entes queridos são provações que por vezes enfrentamos na vida. Nossas tristezas podem diminuir nossa capacidade de enxergar nossas bênçãos atuais e de valorizar aquelas que Deus tem reservadas para nós no futuro.

É um desafio contar nossas bênçãos, pois temos a tendência de não dar o devido valor às coisas boas. Quando perdemos o lar, o alimento ou a presença calorosa de amigos e familiares, damo-nos conta de quanta gratidão deveríamos ter sentido quando gozávamos desses privilégios.

Acima de tudo, às vezes é difícil sermos suficientemente gratos pelas maiores bênçãos que recebemos: o nascimento de Jesus Cristo, Sua Expiação, a promessa da ressurreição, a oportunidade de desfrutar a vida eterna ao lado de nossos familiares, a restauração do evangelho com o sacerdócio e suas chaves. Somente com a ajuda do Espírito Santo podemos começar a sentir o que essas bênçãos significam para nós e para as pessoas que amamos. E só assim podemos esperar ser gratos em todas as coisas e não ofender a Deus com a ingratidão.

Devemos pedir em oração que Deus, pelo poder do Espírito Santo, nos ajude a ver nossas bênçãos com clareza, até mesmo em meio a nossas provações. Ele pode ajudar-nos pelo poder do Espírito a reconhecer as bênçãos que não valorizamos o bastante e a ser gratos por elas. O que mais me ajuda é pedir a Deus em oração: “Poderias dirigir-me a alguém que eu possa auxiliar em Teu nome?” Foi ajudando Deus a abençoar os outros que consegui enxergar melhor minhas próprias bênçãos.

Minha oração foi respondida certa vez quando um casal que até então eu não conhecia me convidou para ir a um hospital. Lá vi um bebezinho tão pequeno que cabia na palma de minha mão. Em apenas algumas semanas de vida, aquela menininha passara por múltiplas cirurgias. Os médicos tinham dito aos pais que mais cirurgias difíceis no coração e nos pulmões seriam necessárias para garantir a vida daquela filhinha de Deus.

A pedido dos pais, dei uma bênção do sacerdócio ao bebê. Na bênção incluí a promessa de que sua vida seria prolongada. Além de proferir a bênção, eu mesmo fui abençoado com um coração mais grato.

Com o auxílio do Pai, todos nós podemos optar por ser mais gratos. Podemos pedir-Lhe que nos ajude a enxergar nossas bênçãos com mais clareza, sejam quais forem as circunstâncias. Naquele dia, senti, mais do que nunca, gratidão pelo milagre do funcionamento de meu próprio coração e de meus pulmões. A caminho de casa, agradeci pelas bênçãos concedidas a meus filhos, as quais consegui constatar com mais clareza serem milagres de generosidade de Deus e de pessoas boas à volta deles.

Acima de tudo, senti gratidão pelos efeitos visíveis da Expiação na vida daqueles pais angustiados e na minha. Eu vira esperança e o puro amor de Cristo brilhar no semblante deles, mesmo em meio a suas terríveis provações. E senti a confirmação a que temos direito quando pedimos a Deus que nos revele que a Expiação pode nos permitir sentir esperança e amor.

Todos nós podemos optar por render graças em oração e pedir orientação a Deus para servir ao próximo em nome Dele — principalmente nesta época do ano em que comemoramos o nascimento do Salvador. Deus, o Pai, deu Seu Filho, Jesus Cristo, e Jesus Cristo deu-nos a Expiação, a maior de todas as dádivas e de todos os dons (ver D&C 14:7).

Render graças em oração pode permitir-nos enxergar a grandiosidade dessas bênçãos e de todas as nossas outras bênçãos. Assim receberemos o dom de ter um coração mais grato.

Noite Feliz, de Liz Lemon Swindle, reprodução proibida