Professoras Visitantes: Compreender o Poder de Ministrar

Ouvir Baixar Imprimir Compartilhar

O Pai Celestial precisa que trilhemos um caminho mais elevado e demonstremos nosso discipulado ao cuidarmos sinceramente de Seus filhos.

Durante Sua vida mortal, Cristo ministrou aos outros. Se desejarmos ser Seus discípulos, temos de espelhar-nos em Seu exemplo. Ele ensinou: “As obras que me vistes fazer, essas também fareis” (3 Néfi 27:21). O Novo Testamento está repleto de exemplos do ministério de Cristo. Ele revelou à samaritana que era o Messias. Curou a sogra de Pedro. Devolveu a filha de Jairo a seus pais e Lázaro a suas irmãs, que já estavam de luto. Mesmo durante Seu padecimento na cruz, o Salvador “expressou preocupação por Sua mãe, que muito provavelmente era uma viúva necessitada na época”.1 Na cruz, pediu a João que cuidasse de Sua mãe.

Julie B. Beck, presidente geral da Sociedade de Socorro, disse: “A Sociedade de Socorro [e o programa de professoras visitantes] é onde praticamos como ser discípulas de Cristo. Aprendemos o que Ele quer que aprendamos, o que Ele quer que façamos e nos tornamos o que Ele quer que nos tornemos”.2

Compreender o Poder de Ministrar

Ministrar e oferecer alívio ao próximo sempre foram a missão principal da Sociedade de Socorro. “Ao longo dos anos, as irmãs e líderes da Sociedade de Socorro aprenderam passo a passo e melhoraram sua capacidade de zelar umas pelas outras”, afirmou a irmã Beck. “Houve época em que as irmãs se concentravam mais em concluir as visitas, ensinar a lição e deixar bilhetes quando passavam na casa das irmãs. Essas práticas ajudaram as irmãs a aprender os padrões de como cuidar umas das outras. Assim como as pessoas da época de Moisés se concentravam no cumprimento de uma longa lista de regras, as irmãs da Sociedade de Socorro muitas vezes se impuseram muitas regras escritas e não escritas, em seu desejo de compreender como fortalecer umas às outras.

Com tanta necessidade de ajuda e resgate na vida das irmãs e de suas famílias atualmente, nosso Pai Celestial precisa que sigamos um caminho mais elevado e que demonstremos nosso discipulado cuidando sinceramente de Seus filhos. Com esse importante propósito em mente, as líderes são agora ensinadas a pedir um relatório do bem-estar espiritual e temporal das irmãs e de suas famílias e sobre o serviço prestado. Agora as professoras visitantes têm a responsabilidade de ‘conhecer e amar sinceramente cada irmã, ajudar cada uma a fortalecer sua fé e prestar-lhe serviço’.”3

A história da Sociedade de Socorro, Filhas em Meu Reino e o Manual 2: Administração da Igreja nos ensinam que podemos trilhar um caminho mais elevado e demonstrar nosso discipulado:

  • Orem diariamente pelas irmãs que vocês visitam e pelos familiares delas.

  • Busquem inspiração para conhecer as necessidades de suas irmãs.

  • Visitem suas irmãs regularmente para consolá-las e fortalecê-las.

  • Entrem em contato com suas irmãs com frequência por meio de visitas, telefonemas, cartas, e-mails, mensagens de texto e pequenos atos de bondade.

  • Cumprimentem suas irmãs na Igreja.

  • Ajudem suas irmãs quando se encontrarem doentes ou tiverem outra necessidade urgente.

  • Ensinem o evangelho a suas irmãs utilizando as escrituras e a Mensagem das Professoras Visitantes.

  • Inspirem suas irmãs dando um bom exemplo.

  • Mantenham uma líder da Sociedade de Socorro informada sobre o bem-estar espiritual e físico de suas irmãs.4

Os Olhos Fitos no Ministério

Somos as mãos do Senhor. Ele precisa de cada uma de nós. Quanto mais considerarmos o chamado de professoras visitantes como uma de nossas responsabilidades mais importantes, mais ministraremos às irmãs que visitamos.

  1. 1.

    Criaremos experiências que convidam o Espírito e ajudam nossas irmãs a aumentarem a fé e a retidão pessoal.

  2. 2.

    Vamos preocupar-nos profundamente com as irmãs que visitamos e ajudá-las a fortalecer seu lar e sua família.

  3. 3.

    Vamos agir quando nossas irmãs estiverem em dificuldade.

Vejamos a seguir o exemplo de Maria e Gretchen — professoras visitantes que compreendem o poder de ministrar. Aqui podemos ver que as professoras visitantes agora têm a oportunidade de fazer visitas juntas ou separadamente. Podem contar seus “cuidados” mesmo que não façam as visitas juntas nem deixem a mensagem. Podem tomar as medidas cabíveis sem serem impelidas. Ativamente, podem buscar, receber e seguir a revelação pessoal para saberem como atender às necessidades espirituais e temporais de cada irmã que visitam.

Rachel estava esperando seu primeiro bebê e teve de ficar acamada na maior parte da gravidez. Suas professoras visitantes oraram para receber inspiração sobre a melhor maneira de ajudá-la. Maria, que morava perto, conseguiu passar na casa de Rachel para ajudá-la quase todos os dias antes de ir trabalhar. Um dia, limpou parte do banheiro, no dia seguinte, terminou o que faltava. Outro dia, passou o aspirador na sala e, no dia seguinte, deixou o almoço pronto para Rachel. E seu ministério continuou por semanas: lavava roupas, tirava o pó da casa e atendia a outras necessidades de Rachel.

Gretchen telefonava para Rachel com frequência para alegrar seu dia. Às vezes, elas conversavam e riam. Outras vezes Gretchen e Maria conversavam com Rachel em sua cabeceira e prestavam testemunho, liam escrituras ou deixavam a Mensagem das Professoras Visitantes. E depois do nascimento do bebê de Rachel, continuaram a ajudá-la.

Durante todo esse tempo, Maria e Gretchen também trabalharam com a presidência da Sociedade de Socorro para coordenar outros tipos de assistência necessária para Rachel e sua família. A presidência da Sociedade de Socorro consultou o bispo e o conselho da ala para que os mestres familiares e outras pessoas prestassem auxílio adicional.

Ministrar tornou-se mais doce à medida que essas irmãs desenvolveram amor umas pelas outras ao partilharem experiências espirituais. Como professoras visitantes, podemos seguir esses mesmos padrões e princípios de ministrar e receber as mesmas bênçãos.

Ministrar Como Cristo

“Como discípulas comprometidas do Salvador, estamos melhorando nossa capacidade de fazer as coisas que Ele faria se estivesse aqui”, garantiu a irmã Beck. “Sabemos que para Ele é nosso cuidado que conta, por isso procuramos concentrar-nos em cuidar de nossas irmãs, em vez de completar listas de coisas a fazer. O verdadeiro ministério é medido mais pela profundidade de nossa caridade do que pela perfeição de nossas estatísticas.”5

Como professoras visitantes, teremos a confirmação do êxito de nosso ministério quando nossas irmãs puderem dizer: “Minhas professoras visitantes me ajudam a crescer espiritualmente. Sei que minhas professoras visitantes se preocupam profundamente comigo e com minha família e que se tiver problemas, sei que vão me ajudar”. Ao trilharmos um caminho mais elevado, como professoras visitantes, estaremos participando do trabalho milagroso do Senhor e cumprindo os propósitos da Sociedade de Socorro de aumentar a fé e a retidão pessoal, fortalecer a família e o lar e ajudar os necessitados.

Realizar Milagres

Presidente Thomas S. Monson

“Quando nos esforçamos com fé sem hesitar para cumprir os deveres a nós designados, quando buscamos a inspiração do Todo-Poderoso no desempenho de nossas responsabilidades, podemos realizar milagres.”

Presidente Thomas S. Monson, Filhas em Meu Reino: A História e o Trabalho da Sociedade de Socorro, 2011, p. 99.

De Que Forma o Programa de Professoras Visitantes Foi Fortalecido?

Segue um resumo das mudanças efetuadas no programa das professoras visitantes. Incentivamos as líderes e professoras visitantes da Sociedade de Socorro a lerem o capítulo 9 do Manual 2: Administração da Igreja a fim de examinarem os detalhes específicos dessas modificações. Também as incentivamos a lerem o capítulo 7 de Filhas em Meu Reino: A História e o Trabalho da Sociedade de Socorro para adquirirem visão, discernimento e compreensão do poder de ministério e seu papel essencial no programa das professoras visitantes. (Ambos os livros podem ser encontrados on-line em LDS.org.)

Designar Professoras Visitantes

1. A presidência da Sociedade de Socorro, e não apenas a presidente, é responsável pelas professores visitantes.

Ver Manual 2, 9.2.2.

2. Quando uma líder da Sociedade de Socorro dá a uma irmã sua designação de professora visitante, ajuda-a a compreender que esse programa é uma responsabilidade espiritual importante.

Ver Manual 2, 9.5; 9.5.1.

3. A presidência da Sociedade de Socorro realiza treinamentos regulares para as professoras visitantes a fim de ajudá-las a ter mais sucesso ao ministrarem às irmãs sob sua responsabilidade. Os treinamentos podem ser feitos na Sociedade de Socorro no primeiro domingo do mês ou em outra reunião da Sociedade de Socorro.

Ver Manual 2, 9.5.

Aconselhar-se Mutuamente

1. A presidência da Sociedade de Socorro reúne-se regularmente com as professoras visitantes para tratar do bem-estar espiritual e temporal dos necessitados e fazer planos para ajudá-los. As professoras visitantes podem auxiliar a presidência da Sociedade de Socorro na coordenação de serviço de curto ou longo prazo para as irmãs em dificuldades.

Ver Manual 2, 9.5; 9.5.1; 9.5.4.

2. A presidência da Sociedade de Socorro reúne-se regularmente para discutir o bem-estar espiritual e material das pessoas necessitadas.

Ver Manual 2, 9.3.2; 9.5.4.

3. Nas reuniões de conselho da ala ou do ramo, a presidente da Sociedade de Socorro aborda informações pertinentes obtidas nos relatórios das professoras visitantes para que os líderes da ala ou do ramo tenham condições de decidir em conjunto como ajudar as pessoas a lidarem com necessidades espirituais e materiais.

Ver Manual 2, 4.5.1; 5.1.2; 6.2.2.

4. O bispo ou presidente de ramo pode convidar a presidente da Sociedade de Socorro para as reuniões de comitê executivo do sacerdócio da ala ou do ramo conforme a necessidade para coordenar as ações dos mestres familiares e das professoras visitantes.

Ver Manual 2, 9.3.1.

5. A presidência da Sociedade de Socorro e a líder das jovens adultas solteiras devem reunir-se regularmente para garantir que o trabalho das professoras visitantes ajude a atender às necessidades das jovens adultas solteiras.

Ver Manual 2, 9.7.2; 16.3.3.

Organizar e Supervisionar o Programa das Professoras Visitantes

1. O bispo ou presidente de ramo e a presidência da Sociedade de Socorro reúnem-se e em espírito de oração avaliam as necessidades locais para determinar a estrutura do programa das professoras visitantes. (As irmãs não devem ser organizadas em grupo no programa de professoras visitantes, pois ministram a necessidades individuais.) O bispo ou presidente de ramo deve aprovar cada designação.

Ver Manual 2, 9.5.2.

2. Sempre que possível, a presidência divide as irmãs em duplas para as visitas. O Manual 2 dá outras opções em função das necessidades locais. A presidência deve consultar o bispo ou o presidente de ramo sobre o uso das seguintes opções:

a. Atribuir temporariamente apenas mestres familiares ou apenas professoras visitantes para determinadas famílias. Os líderes podem ainda alternar as visitas mensais dos mestres familiares e das professoras visitantes.

b. Pedir a missionárias de tempo integral que auxiliem no programa de professoras visitantes, de modo limitado, com a aprovação do presidente da missão.

Ver Manual 2, 9.5.2; 9.5.3.

3. O programa de professoras visitantes não se resume a uma visita mensal — trata-se de ministrar. Para cuidar das irmãs em suas necessidades individuais e fortalecê-las, as professoras visitantes devem manter contato permanente com essas irmãs por meio de visitas, telefonemas, e-mails, cartas ou outros meios.

As líderes dão prioridade especial para garantir que as seguintes irmãs recebam maior atenção: as irmãs que entram na Sociedade de Socorro ao saírem das Moças, as irmãs solteiras, os membros novos na unidade, as recém-conversas, as irmãs recém-casadas, as irmãs menos ativas e as irmãs portadoras de necessidades especiais.

Ver Manual 2, 9.5.1; 9.5.2.

Relatórios das Professoras Visitantes

1. As professoras visitantes são convidadas a relatar as necessidades especiais e o serviço prestado — em outras palavras, seu ministério. Convém levar em conta os cuidados dispensados em vez de apenas contar as visitas.

Ver Manual 2, 9.5.4.

2. A presidente da Sociedade de Socorro transmite ao bispo ou presidente de ramo um relatório mensal das professoras visitantes. Esse relatório inclui as necessidades especiais e o serviço prestado pelas professoras visitantes e uma lista de irmãs não contatadas.

Ver Manual 2, 9.5.4.

Exibir Referências

    Notas

  1.   1.

    Filhas em Meu Reino: A História e o Trabalho da Sociedade de Socorro, 2011, p. 3.

  2.   2.

    Filhas em Meu Reino, p. 7.

  3.   3.

    Julie B. Beck, “O que Espero que Minhas Netas (e Netos) Compreendam sobre a Sociedade de Socorro”, A Liahona, novembro de 2011, p. 112.

  4.   4.

    Ver Filhas em Meu Reino, p. 135.

  5.   5.

    A Liahona, novembro de 2011, p. 112.