O Seminário nas Florestas do Equador


Numa selva remota, o seminário está fazendo uma grande diferença para esses jovens.

À leste de Quito, Equador, passando os vulcões e a Cordilheira dos Andes, descemos rapidamente para a Floresta Amazônica. Ali encontramos densas florestas, rios caudalosos, macacos, tucanos e até botos-cor-de-rosa.

Também encontramos uma cidade chamada Puerto Francisco de Orellana. É um lugar bem distante de, digamos, todo o restante do Equador. Há quinze anos, havia relativamente poucas pessoas na região. Mas a descoberta de petróleo atraiu indústrias, pessoas à procura de emprego e membros da Igreja.

O Seminário num Pequeno Ramo

Alguns jovens, como Oscar R., já eram membros quando o ramo foi formado, mas a maioria era de recém-conversos. E uma chama arde no coração deles. “Somos fortes”, diz Oscar.

Em setembro de 2010, só um ano depois de ter sido criado, o ramo deu início ao programa do seminário. “Quando começamos a nos reunir, há poucos anos”, diz Oscar, “éramos bem poucos. Eu era o único jovem. Mas continuamos crescendo. Logo tínhamos seis, depois dez, e agora ainda mais jovens”.

Como alguns jovens iam à escola pela manhã e outros à tarde, foram organizados dois horários de aula do seminário — um pela manhã, das 8 horas às 9 horas, e outro à tarde, das 16h30 às 17h30.

Talvez não haja muitos jovens no programa, mas para os jovens que estão frequentando, o seminário mudou sua vida.

Por que Frequentar?

“O seminário é uma grande bênção para mim”, diz Luis V., recém-converso. “O seminário me ajuda a preparar-me para ser um bom missionário. Enfrentei muitos desafios e tentações desde que entrei para a Igreja, mas tenho sido capaz de manter-me firme porque sei que estou fazendo o que é certo.”

E Luis não é o único que se sente assim. “Tornei-me membro da Igreja há pouco tempo”, diz Ariana J., “mas tenho frequentado o seminário desde que fui batizada. Sinto-me feliz por frequentá-lo porque aprendi muitas verdades a respeito do evangelho de Jesus Cristo que enchem meu coração de esperança e minha mente de entendimento”.

A frequência ao seminário ajudou Ariana a alicerçar-se no evangelho. “Para mim, é uma bênção participar dessas aulas”, diz Ariana. “Elas fortalecem meu espírito e me ajudam a preparar-me para que um dia eu possa ser uma boa esposa, mãe, líder na Igreja e talvez uma missionária de tempo integral.”

O irmão de Ariana, Gerardo, sente o mesmo. “Sinto-me grato pelo fato de o seminário ter-se tornado uma parte importante de minha vida”, diz ele. “Está me preparando para servir missão um dia. Aprendi nele sobre o plano de salvação que o Senhor preparou para mim. Cada aula a que assisto dá-me a esperança de que posso herdar o reino celestial e a certeza de que recebi o evangelho de Jesus Cristo.”

Gerardo às vezes fica muito cansado durante as aulas. Ele primeiro tem que levar o irmão caçula à escola e depois volta rapidamente para casa e busca a irmã para poderem ir ao seminário. Mas isso não é um problema para ele.

“Tudo isso é total novidade para mim, mas sinto-me muito feliz”, diz Gerardo. “Sei que estou no caminho certo que vai me dar a oportunidade de voltar a ver meu Pai Celestial. O Espírito Santo me dá essa certeza. Só tenho que me esforçar e perseverar até o fim.”

Sem Necessidade de Ficar Nervoso

Para Walter A., o seminário, a princípio, foi um pouco assustador. “Eu estava nervoso na primeira vez que vim”, conta ele. “Mas quando entrei na sala, senti-me especial, porque percebi o amor que sentimos quando estudamos as escrituras. E quando saí, senti-me fortalecido, com felicidade no coração pelo que aprendi. Uma das maiores bênçãos que o Pai Celestial reservou para os jovens é o seminário.”

“A Igreja de Jesus Cristo dos Santos dos Últimos Dias mudou minha vida”, diz Abel A., que está se preparando para servir missão. “Estou aprendendo sobre os ensinamentos dos profetas. Amo Joseph Smith. Ele foi valente ao levar a efeito a Restauração da Igreja, a despeito de todos os problemas que isso lhe causou. Quero ser valente como ele foi.”

Muitos jovens têm de fazer sacrifícios para frequentar o seminário. Nem sempre é fácil, mas para os jovens de Puerto Francisco de Orellana, Equador, todo o esforço é válido.

“Quando penso em prosseguir com firmeza, como dizem as escrituras”, explica Abel, “acho que isso significa determinar nossas prioridades na vida. O seminário é uma delas. Assim como ele mudou minha vida, pode fazer o mesmo por outros jovens”.

Mesmo nos confins mais longínquos de uma selva do Equador, a Igreja de Jesus Cristo e seu programa de seminário para os jovens estão enriquecendo e mudando a vida daqueles que decidem permitir que isso aconteça.