Mensagem da Primeira Presidência

Sempre no Meio


Dieter F. Uchtdorf

Sempre no Meio

Em muitos calendários do mundo, o mês de julho assinala o meio do ano. Embora o começo e o final das coisas sejam celebrados e lembrados, o meio delas geralmente passa despercebido.

O começo é a época de tomar decisões, criar planos, extravasar energia. O fim é o momento de desacelerar e pode envolver sentimentos de conclusão ou perda. Mas com a devida perspectiva, o fato de considerar-nos no meio das coisas pode ajudar-nos a não apenas compreender a vida um pouco melhor, mas também a vivê-la de modo mais significativo.

O Meio do Trabalho Missionário

Ao dirigir-me a nossos jovens missionários, costumo dizer que eles estão no meio de sua missão. Quer tenham acabado de chegar na véspera, quer estejam prestes a partir para casa no dia seguinte, peço-lhes que sempre imaginem estar no meio.

Os missionários novos podem sentir que são demasiado inexperientes para serem eficazes, por isso retardam o momento de falar ou agir com confiança e destemor. Os missionários mais experientes que estão próximos de terminar a missão podem sentir tristeza por ela estar chegando ao fim ou podem desacelerar ao pensar no que farão depois da missão.

Sejam quais forem as circunstâncias ou seja qual for o local onde estejam servindo, a verdade é que os missionários do Senhor estão plantando diariamente inúmeras sementes de boas-novas. Se eles imaginarem que sempre estão no meio da missão, isso dará coragem e energia a esses representantes fiéis do Senhor. Isso não se aplica só aos missionários de tempo integral, mas a todos nós.

Sempre Estamos no Meio

Essa mudança de perspectiva é mais do que um simples truque da mente. Há uma verdade sublime subjacente à noção de que estamos sempre no meio. Se olharmos no mapa nossa localização, ficaremos tentados a dizer que estamos no começo. Mas se olharmos mais de perto, onde quer que estejamos é apenas o meio de um lugar maior.

E isso se dá tanto no espaço como no tempo. Podemos sentir que estamos no começo ou no fim de nossa vida, mas se avaliarmos nossa posição no contexto da eternidade — quando percebemos que nosso espírito existiu por um tempo que está além de nossa capacidade de medir e que, graças ao perfeito sacrifício da Expiação de Jesus Cristo, nossa alma existirá por uma eternidade que está por vir — podemos reconhecer que na verdade estamos no meio.

Recentemente senti-me inspirado a refazer a lápide da sepultura de meus pais. O tempo não foi piedoso com o local da sepultura, e senti que uma nova lápide seria mais condizente com a vida exemplar que eles tiveram. Ao olhar as datas de nascimento e de falecimento na lápide, separadas pelo simples uso do hífen, esse pequeno símbolo da duração de uma vida inteira, de repente me encheu a mente e o coração de abundantes lembranças. Cada uma daquelas preciosas lembranças refletia um momento no meio da vida de meus pais e no meio de minha vida.

Seja qual for nossa idade, seja qual for nossa localização no espaço, quando as coisas acontecem em nossa vida, estamos sempre no meio. Além do mais, estaremos para sempre no meio.

A Esperança de Estar no Meio

Sim, haverá momentos de início e de fim ao longo de nossa vida, mas esses são apenas marcos ao longo do caminho do grande meio de nossa vida eterna. Quer estejamos no começo ou no fim, quer sejamos jovens ou idosos, o Senhor pode usar-nos para Seus propósitos se simplesmente deixarmos de lado todo pensamento que limite nossa capacidade de servir e permitirmos que Sua vontade molde nossa vida.

O salmista disse: “Este é o dia que fez o Senhor; regozijemo-nos, e alegremo-nos nele” (Salmos 118:24). Amuleque nos lembrou que “esta vida é o tempo para os homens prepararem-se para encontrar Deus; sim eis que o dia desta vida é o dia para os homens executarem os seus labores” (Alma 34:32; grifo do autor). E o poeta devaneia: “O Para Sempre — é composto de Agoras”.1

O fato de estarmos sempre no meio significa que o jogo nunca chega ao fim, a esperança nunca é perdida, a derrota nunca é final. Porque não importa onde estejamos ou quais sejam nossas circunstâncias, uma eternidade de começos e de fins se estende diante de nós.

Sempre estamos no meio.

Ensinar Usando Esta Mensagem

Converse com a família sobre o fato de estarmos “sempre no meio”, mesmo que estejamos no começo ou no fim de algo. Incentive-os a dar o melhor de si em suas atividades atuais, sem se apegar ao passado nem aguardar a atividade ou o projeto seguinte. Você pode sugerir que escolham uma coisa que possam fazer em família para aplicar esse conselho e estabeleçam uma data em que esperam atingir sua meta.

Jovens

No Meio de Sua Preparação para a Missão

O Presidente Uchtdorf diz aos missionários que imaginem estar no meio de sua missão. Você pode aplicar essa ideia a sua preparação para a missão: quer tenha doze ou dezoito anos, pode preparar-se para servir missão.

Quais são algumas coisas que você pode fazer “no meio” de sua preparação para a missão?

  • Sempre ser digno de frequentar o templo.

  • Aprender a reconhecer os sussurros do Espírito Santo escrevendo a inspiração que teve e colocando-a em prática.

  • Orar pelos missionários.

  • Perguntar aos missionários de sua área o que eles recomendam que você faça para preparar-se para servir missão.

  • Aprender a administrar eficazmente seu tempo, incluindo atividades importantes como a prestação de serviço, o estudo das escrituras e a manutenção de um diário.

  • Ao conversar com um familiar, compartilhe uma escritura que o inspirou recentemente. Explique o que você pensa a respeito da escritura.

  • Pergunte a seus amigos a respeito da religião deles e em que eles acreditam. Esteja disposto a compartilhar suas crenças. Convide-os para as reuniões ou atividades da Igreja.

À medida que você reconhecer que está no meio de sua preparação para a missão, poderá viver de modo a ser mais digno da confiança do Senhor e da companhia do Espírito.

Crianças

Todos Podem Fazer Algo Agora

  1. 1.

    O Presidente Uchtdorf ensina que, seja qual for sua idade, você pode fazer algo para ajudar os outros. Em seu diário ou em uma folha de papel, faça uma lista de seus dons ou de suas habilidades. Pergunte a seus pais quais dons eles acham que você tem.

  2. 2.

    Decida como pode usar seus dons para ajudar os outros nas situações abaixo.

  3. 3.

    No final de sua lista de dons, escreva uma maneira pela qual você pode usá-los para ajudar os outros nesta semana.

Exibir Referências

    Nota

  1.   1.

    Emily Dickinson, “Forever — is composed of Nows”, The Complete Poems of Emily Dickinson, ed. Thomas H. Johnson, 1960, p. 624.