Mensagem das Professoras Visitantes

Necessidades Especiais e Serviço Prestado


Estude este material em espírito de oração e, conforme julgar conveniente, discuta-o com as irmãs que você visita. Use as perguntas para ajudar no fortalecimento das irmãs e para fazer com que a Sociedade de Socorro seja parte ativa de sua própria vida.

Necessidades Especiais e Serviço Prestado

“Há pessoas necessitadas em toda parte”, disse o Presidente Thomas S. Monson, “e todos nós podemos fazer algo para ajudar alguém. (…) A menos que nos entreguemos totalmente ao serviço ao próximo, haverá pouco propósito em nossa vida”.1

Como professoras visitantes, podemos sinceramente conhecer e amar cada irmã que visitamos. O serviço às pessoas visitadas será uma consequência natural de nosso amor por elas (ver João 13:34–35).

Como podemos conhecer as necessidades espirituais e materiais de nossas irmãs a fim de podermos prestar serviço quando necessário? Como professoras visitantes, temos o direito de receber inspiração ao orarmos sobre as irmãs que visitamos.

Manter contato regular com nossas irmãs também é importante. Fazer visitas pessoais e telefonemas, escrever bilhetes de incentivo, mandar e-mails, sentar-nos com ela, fazer elogios sinceros, dar atenção a ela na Igreja, ajudá-la por ocasião de doenças ou necessidade e outros atos de serviço, todas essas coisas nos ajudam a zelar umas pelas outras e a fortalecer-nos mutuamente.2

Pede-se às professoras visitantes que relatem como estão as irmãs, quaisquer necessidades especiais delas e o serviço a elas prestado. Ao encaminhar essas informações aos líderes e servir a nossas irmãs, ajudamos a demonstrar nosso discipulado.3

Das Escrituras

João 10:14–16; 3 Néfi 17:7, 9; Morôni 6:3–4

De Nossa História

O serviço ao próximo sempre foi uma das preocupações principais do trabalho das professoras visitantes. Por meio do serviço contínuo, oferecemos bondade e amizade que vão além das visitas mensais. É nossa preocupação e nosso carinho que contam.

“Meu desejo é pedir às irmãs que deixem de imaginar se um telefonema ou uma visita trimestral ou mensal é suficiente”, disse Mary Ellen Smoot, 13ª presidente geral da Sociedade de Socorro. Ela pediu que nos “[concentrássemos] em nutrir almas delicadas”.4

O Presidente Spencer W. Kimball (1895–1985) ensinou: “É vital que sirvamos uns aos outros no reino”. No entanto, ele reconheceu que nem todo serviço precisa ser heroico. “Com muita frequência, nossos atos de serviço consistem em (…) oferecer ajuda em atividades cotidianas”, disse ele, “mas que consequências gloriosas podem resultar de (…) gestos pequenos, mas conscientes!”5

Acesse www.reliefsociety.LDS.org para mais informações.

O Que Posso Fazer?

  1. 1.

    Procuro inspiração pessoal para saber como atender às necessidades espirituais e temporais de cada irmã que me foi confiada?

  2. 2.

    Como as irmãs sob minha responsabilidade sabem que me preocupo com elas e seus familiares?

Exibir Referências

    Notas

  1.   1.

    Thomas S. Monson, “O Que Fiz Hoje por Alguém?” A Liahona, novembro de 2009, p. 84.

  2.   2.

    Ver Manual 2: Administração da Igreja, 2010, 9.5.1.

  3.   3.

    Ver Manual 2, 9.5.4.

  4.   4.

    Mary Ellen Smoot, em Filhas em Meu Reino: A História e o Trabalho da Sociedade de Socorro, 2011, pp. 128–129.

  5.   5.

    Ensinamentos dos Presidentes da Igreja: Spencer W. Kimball, 2006, p. 92.