Doutrina e Convênios convida todas as pessoas do mundo inteiro a ouvir a voz do Senhor Jesus Cristo (ver D&C 1:2, 4, 11, 34; 25:16). É um livro repleto de mensagens, advertências e exortações encorajadoras do Senhor, dadas por revelação a profetas escolhidos. Nessas revelações, vemos como Deus pode responder a nossas orações fervorosas com mensagens de instrução, paz e advertência.

Em nossas orações, procuramos saber o que Deus deseja que façamos, como devemos proceder para ter paz e felicidade nesta vida e na vindoura e o que nos está reservado. Doutrina e Convênios está repleto de respostas a perguntas como essas feitas por pessoas comuns e por profetas em humilde oração. Pode ser um guia precioso para ensinar-nos como receber respostas para dúvidas sobre nosso bem-estar temporal e nossa salvação eterna.

A humildade e a fé no Senhor Jesus Cristo são o ponto-chave. Oliver Cowdery recebeu uma resposta do Senhor sobre seu desejo de ajudar na tradução do Livro de Mórmon: “Lembra-te de que sem fé nada podes fazer; portanto pede com fé. Não trates essas coisas levianamente; não peças o que não deves” (D&C 8:10).

Repetidas vezes em Doutrina e Convênios, o Senhor exige fé e humildade antes de conceder Sua ajuda. Um motivo disso é que Suas respostas podem não vir da maneira que esperamos. Tampouco serão sempre fáceis de aceitar.

A história da Igreja e a vida de nossos antepassados ilustram essa realidade. Meu bisavô Henry Eyring orou fervorosamente para saber o que devia fazer quando ouviu o evangelho restaurado em 1855. A resposta veio num sonho.

Sonhou que estava sentado à mesa com o Élder Erastus Snow, do Quórum dos Doze Apóstolos, e com um élder chamado William Brown. O Élder Snow ensinou os princípios do evangelho pelo que lhe pareceu ser um período de uma hora. Em seguida, o Élder Snow disse: “Em nome de Jesus Cristo, ordeno que sejas batizado, e este homem [o Élder Brown] (…) vai batizar-te”.1 Minha família sente muita gratidão pelo fato de Henry Eyring ter tido a fé e a humildade de ser batizado às 7h30 da manhã, em um reservatório de água de chuva em St. Louis, Missouri, EUA, pelo Élder Brown.

A resposta a sua oração não veio como uma voz audível do Senhor. Veio em uma visão e um sonho como aconteceu com Leí (ver 1 Néfi 8:2).

O Senhor nos ensinou que as respostas também podem vir na forma de sentimentos. Em Doutrina e Convênios, Ele ensinou a Oliver Cowdery: “Eis que eu te falarei em tua mente e em teu coração, pelo Espírito Santo que virá sobre ti e que habitará em teu coração” (D&C 8:2).

E incentivou Oliver, dizendo: “Não dei paz a tua mente quanto ao assunto? Que maior testemunho podes ter que o de Deus?” (D&C 6:23).

Doutrina e Convênios, a história da Igreja e a história registrada por Henry Eyring de sua missão, pouco depois de seu batismo, ensinaram-me que as respostas podem chegar ao coração na forma de avisos ou como uma sensação de paz.

Em abril de 1857, o Élder Parley P. Pratt, do Quórum dos Doze Apóstolos, assistiu a uma conferência num lugar que hoje fica em Oklahoma, EUA. Henry Eyring registrou que o Élder Pratt “tinha a mente cheia de pressentimentos sombrios (…) , sem conseguir discernir o futuro ou nenhum meio de escape”.2 Henry registrou logo a seguir a triste notícia do martírio do apóstolo. O Élder Pratt tinha prosseguido sua jornada, apesar do sentimento de perigo, assim como fizera o Profeta Joseph ao ir para Carthage.

É meu testemunho que o Senhor sempre responde à humilde oração feita com fé. Doutrina e Convênios e nossas experiências pessoais nos ensinam a reconhecer essas respostas e aceitá-las com fé, sejam elas uma orientação, uma confirmação da verdade ou uma advertência. Oro para que sempre procuremos escutar e reconhecer a voz do Senhor.

Ensinar Usando Esta Mensagem

1. Leiam juntos os parágrafos sobre a oração nesta mensagem. Ao lerem, peça aos membros da família que escutem cuidadosamente para saber como Deus responde às orações. Preste testemunho da importância da oração.

2. Doutrina e Convênios está repleto de respostas a perguntas feitas por pessoas em suas orações. E se as respostas de suas perguntas (as revelações) não tivessem sido registradas? Incentive a família a aprender a reconhecer e a seguir os sussurros do Espírito. Sugira que registrem no diário deles os pensamentos que tiverem a respeito da oração.

À esquerda: Em seu diário, Henry Eyring (foto à esquerda) registrou o que aconteceu após o martírio do Élder Parley P. Pratt (foto abaixo da foto de Henry Eyring). A página do diário, à esquerda, menciona o martírio. Embaixo do diário está uma edição de 1890 de Doutrina e Convênios.

Fotografia de Parley P. Pratt cortesia da Biblioteca de História da Igreja; diário e fotografia de Henry Eyring cortesia da Universidade de Utah, Marriott Library Special Collections; fotografia de objetos: David Stoker

Exibir Referências

Notas

  1. 1.

    “The Journal of Henry Eyring: 1835–1902” [Diário de Henry Eyring] (manuscrito não publicado em posse do autor).

  2. 2.

    “The Journal of Henry Eyring: 1835–1902.”