Por Que Precisamos do Livro de Mórmon?


Bíblia Sagrada, O Livro de Mórmon

Ilustração: Bryan Beach; captura de vídeo © 2001 IRI

Algumas pessoas podem perguntar por que precisamos do Livro de Mórmon se já temos a Bíblia. De fato, Jesus Cristo testemunhou que isso ia acontecer (ver 2 Néfi 29:3). Há muitas razões pelas quais o Livro de Mórmon é importante em nossos dias (ver, por exemplo 2 Néfi 29:7–11). Seguem-se apenas alguns dos motivos pelos quais ele é essencial.

Outro Testamento de Jesus Cristo

As escrituras nos mostram um padrão de utilização de várias testemunhas para estabelecer a verdade na Igreja de Cristo. O Livro de Mórmon acrescenta uma segunda testemunha à Bíblia como um testemunho de Cristo. O Élder Mark E. Petersen (1900–1984), do Quórum dos Doze Apóstolos, disse certa vez: “A principal razão de termos o Livro de Mórmon é que pela boca de duas ou três testemunhas, todas as coisas serão estabelecidas (ver II Coríntios 13:1). Temos a Bíblia e temos também o Livro de Mórmon. Eles constituem duas vozes — dois livros de escrituras — de dois povos antigos bem separados um do outro, ambos prestando testemunho da divindade do Senhor Jesus Cristo.1 O Presidente Ezra Taft Benson (1899–1994) acrescentou: “Não devemos esquecer que o próprio Senhor nos deu o Livro de Mórmon como sua principal testemunha”.2

A Plenitude do Evangelho

Sabemos que “coisas claras e preciosas (…) foram suprimidas” da Bíblia ao longo dos tempos (1 Néfi 13:40). O Livro de Mórmon esclarece a doutrina de Cristo e traz a plenitude do evangelho novamente à Terra (ver 1 Néfi 13:38–41). O Livro de Mórmon, por exemplo, ajuda-nos a saber que o batismo deve ser realizado por imersão (ver 3 Néfi 11:26) e que as criancinhas não precisam ser batizadas (ver Morôni 8:4–26).

Ponto Central da Igreja Restaurada

Joseph Smith declarou que o Livro de Mórmon é a “pedra fundamental de nossa religião”.3 Como sabemos disso, não parece coincidência que A Igreja de Jesus Cristo dos Santos dos Últimos Dias tenha sido organizada em 6 de abril de 1830, apenas 11 dias após o Livro de Mórmon ter sido posto à venda ao público, em 26 de março de 1830. A Igreja só foi organizada quando seu fundamental livro de escrituras estava disponível para seus membros.

Uma Bênção em Nossa Vida

A respeito do Livro de Mórmon, Joseph Smith declarou que “seguindo seus preceitos o homem se aproximaria mais de Deus do que seguindo os de qualquer outro livro”.4 Ele tem o poder de mudar vidas — inclusive a sua, e a vida daqueles com quem você compartilha o Livro de Mórmon. O Presidente Henry B. Eyring, Primeiro Conselheiro na Primeira Presidência, testificou: “O efeito do Livro de Mórmon em seu caráter, em seu poder e em sua coragem de ser testemunhas de Deus é garantido. A doutrina e os valorosos exemplos que lemos nesse livro vão elevá-los, guiá-los e torná-los corajosos. (…) O estudo fervoroso do Livro de Mórmon edifica a fé em Deus, o Pai, em Seu Filho Amado e em Seu evangelho. Ele edifica a fé que vocês têm nos profetas de Deus, antigos e modernos. Ele pode levá-los para mais perto de Deus do que qualquer outro livro. Ele pode mudar sua vida para melhor”.5

Duas Testemunhas

Élder Tad R. Callister

“A Bíblia é uma testemunha de Jesus Cristo, o Livro de Mórmon é outra. Por que essa segunda testemunha é tão crucial? A seguinte ilustração pode ajudar: quantas linhas retas você pode traçar, passando por um único ponto, em uma folha de papel? A resposta é: infinitas. Suponha agora que esse ponto único representa a Bíblia, que as centenas de linhas retas traçadas passando por esse ponto representam as diferentes interpretações da Bíblia e que cada uma dessas interpretações representa uma igreja diferente.

O que aconteceria, porém, se naquela folha de papel houvesse um segundo ponto representando o Livro de Mórmon? Quantas linhas retas você pode desenhar passando por esses dois pontos de referência — a Bíblia e o Livro de Mórmon? Apenas uma. Apenas uma interpretação das doutrinas de Cristo sobrevive ao testemunho dessas duas testemunhas.

Vez após vez, o Livro de Mórmon age como uma testemunha confirmadora, esclarecedora e unificadora das doutrinas ensinadas na Bíblia.”

Élder Tad R. Callister, da Presidência dos Setenta, “O Livro de Mórmon — Um Livro de Deus”, A Liahona, novembro de 2011, p. 74.

Exibir Referências

    Notas

  1.   1.

    Mark E. Petersen, “Evidence of Things Not Seen”, Ensign, maio de 1978, p. 63.

  2.   2.

    The Teachings of Ezra Taft Benson, 1988, p. 204.

  3.   3.

    Joseph Smith, introdução do Livro de Mórmon.

  4.   4.

    Joseph Smith, introdução do Livro de Mórmon.

  5.   5.

    Henry B. Eyring, “Testemunha”, A Liahona, novembro de 2011, p. 68.