Profetas do Velho Testamento

Noé

Ouvir Baixar Imprimir Compartilhar

“Noé (…) é o próximo em autoridade no Sacerdócio depois de Adão; ele foi chamado por Deus para aquele ofício e foi o pai de todos os vivos de sua época.”1 — Joseph Smith

Meu pai me deu o nome de Noé, que significa “descanso”, pois acreditava que eu traria consolo à família. Vivi numa época sombria atormentada pela violência, pelo ódio e por outros pecados.2

Deus me avisou que um dilúvio destruiria os iníquos e me orientou a construir um navio e a reunir alimentos e animais. Com a ajuda de meus três filhos e por meio da inspiração de Deus, dediquei-me à construção do navio nos 120 anos seguintes. Não havia o menor sinal de chuva.3

Também preguei o arrependimento, com a esperança de que algumas pessoas me dessem ouvidos e escapassem do Dilúvio. Desde a época em que Enoque foi transladado até o Dilúvio, muitos fiéis foram levados ao céu sem experimentar a morte, mas outros se recusaram a se arrepender.4

Quando minha família finalmente embarcou na arca, fechamos a porta e só voltamos a abri-la quando as chuvas cessaram e a terra secou, quase um ano depois.5 Quando desembarcamos, Deus fez convênio de nunca mais inundar a Terra. Um arco-íris surgiu no céu como símbolo de Sua promessa. Ele nos mandou ampliar a família e continuar a viver o evangelho, e tornei-me o segundo pai da raça humana.6

Séculos depois, como um anjo chamado Gabriel,7 anunciei ao sacerdote Zacarias que ele seria o pai de João Batista e apareci a Maria e lhe contei que ela daria à luz o Salvador.8

Minha vida demonstra que, mesmo em momentos difíceis, nunca estamos sós se seguimos a Deus. Os dilúvios da vida acabarão por baixar e veremos a beleza do evangelho em nossa vida, assim como o arco-íris que atravessa o céu.

Exibir Referências