Mensagem da Primeira Presidência

O Justo Viverá da Fé

Presidente Dieter F. Uchtdorf

Segundo Conselheiro na Primeira Presidência

Ouvir Baixar Imprimir Compartilhar
President Uchtdorf and his daughter visiting refugees

O Presidente Uchtdorf e sua filha, Antje, visitam um campo de refugiados perto de Atenas, Grécia.

O Rabino e o Fabricante de Sabão

Há um antigo conto judaico sobre um fabricante de sabão que não acreditava em Deus. Certo dia, quando estava caminhando com um rabino, disse: “Há algo que não consigo entender. Temos religião há milhares de anos. Mas vemos maldade, corrupção, desonestidade, injustiça, dor, fome e violência em toda parte. Parece que a religião não melhorou o mundo em nada. Então lhe pergunto: Que utilidade tem ela?”

O rabino não respondeu de imediato, mas continuou a caminhar com o fabricante de sabão. Por fim, chegaram a um parque onde algumas crianças cobertas de sujeira estavam brincando na terra.

“Há algo que não entendo”, disse o rabino. “Olhe aquelas crianças. Temos sabão há milhares de anos, mas veja como aquelas crianças estão imundas. Que utilidade tem o sabão?”

O fabricante de sabão replicou: “Mas rabino, não é justo culpar o sabão por aquelas crianças sujas. O sabão tem que ser usado para cumprir seu propósito”.

O rabino sorriu e disse: “Exatamente”.

Como Viveremos?

O Apóstolo Paulo, citando um profeta do Velho Testamento, resumiu o que significa ser um fiel quando escreveu: “O justo viverá da fé” (Romanos 1:17).

Talvez nessa simples declaração entendamos a diferença entre uma religião que é frágil e ineficaz e outra que tem o poder de transformar vidas.

Mas, para compreender o que significa viver da fé, precisamos entender o que é fé.

Fé é mais do que crença. É a completa confiança em Deus acompanhada de ação.

É mais do que desejar algo.

É mais do que meramente nos acomodar, fazer que sim com a cabeça e dizer que concordamos. Quando dizemos “o justo viverá da fé”, queremos dizer que somos guiados e dirigidos por nossa fé. Agimos de modo coerente com nossa fé — não no sentido de uma obediência irrefletida, mas com confiança em nosso Deus e sincero amor por Ele e pela inestimável sabedoria que Ele revelou a Seus filhos.

A fé precisa ser acompanhada de ação, caso contrário é morta (ver Tiago 2:17). Não é fé em absoluto. Não tem o poder de mudar um único indivíduo, muito menos o mundo.

Os homens e as mulheres de fé confiam em seu misericordioso Pai Celestial — mesmo nos momentos de incerteza, mesmo nos momentos de dúvida e adversidade quando talvez não vejam perfeitamente nem entendam com clareza.

Os homens e as mulheres de fé trilham sinceramente o caminho do discipulado e se esforçam para seguir o exemplo de seu amado Salvador Jesus Cristo. A fé nos motiva e, de fato, nos inspira a voltar o coração para o céu e a auxiliar, elevar e abençoar ativamente nosso próximo.

A religião sem ação é como o sabão que permanece na embalagem. Pode ter um potencial maravilhoso, mas na realidade tem pouco poder para fazer qualquer diferença até cumprir o propósito para o qual foi criado. O evangelho restaurado de Jesus Cristo é um evangelho de ação. A Igreja de Jesus Cristo ensina a religião verdadeira como uma mensagem de esperança, fé e caridade, que inclui o auxílio prestado a nossos semelhantes de modo espiritual e temporal.

Há alguns meses, minha esposa Harriet e eu estávamos numa viagem de família com alguns de nossos filhos na região do Mediterrâneo. Visitamos alguns acampamentos de refugiados e conhecemos famílias provenientes de países arrasados pela guerra. Aquelas pessoas não eram de nossa religião, mas eram nossos irmãos e precisavam urgentemente de ajuda. Sentimos o coração profundamente tocado ao presenciarmos em primeira mão o modo como a fé ativa dos membros da Igreja proporciona auxílio, alívio e esperança a nossos semelhantes necessitados, sem distinção de religião, nacionalidade ou grau de instrução.

A fé acompanhada de ação contínua e constante enche o coração de bondade, torna a mente repleta de sabedoria e entendimento, e a alma, de paz e amor.

Nossa fé pode abençoar e influenciar positivamente as pessoas a nosso redor e a nós também.

Nossa fé pode encher o mundo de bondade e paz.

Nossa fé pode transformar o ódio em amor, e os inimigos, em amigos.

O justo, então, vive da ação na fé, vive da confiança em Deus e do trilhar Seu caminho.

E esse tipo de fé pode transformar pessoas, famílias, nações e o mundo.