Falamos de Cristo

Não é Tarde Demais para uma Segunda Chance

Amber Jensen

A autora mora na Virgínia, EUA.

Ouvir Baixar Imprimir Compartilhar

O pai de uma de minhas alunas em dificuldades disse à filha: “Não é tarde demais para você ter sucesso”. O Senhor nos transmite a mesma mensagem.

father and daughter at a parent teacher conference

Ilustração: Kelley McMorris

Sandra era aluna em minha turma de inglês avançado. Por várias semanas naquele ano, ela não fez o dever de casa ou os trabalhos. Ela só sonhava acordada em sua carteira. Dava desculpas por não ter feito as tarefas e não demonstrava a atitude nem o esforço necessários para ter sucesso em uma disciplina tão difícil.

O orientador e eu decidimos marcar uma conversa com Sandra, seu pai e alguns dos outros professores para determinar qual direção ela deveria tomar: Sair dos cursos avançados e fazer os regulares? Mais importante era a pergunta não dita que pairava em nossa mente: Poderíamos encontrar uma maneira de ajudar Sandra a ter sucesso?

Acreditando que Sandra tivera muitas chances de sair-se bem, mas escolhera fracassar, fui à reunião sentindo-me muito desanimada. Secretamente esperava que Sandra decidisse abandonar minha aula para que eu não precisasse mais me preocupar com ela. Sentia que tinha feito tudo a meu alcance e que já era tarde demais.

Na reunião, a linguagem corporal de Sandra revelou que ela também duvidava de sua capacidade de ter êxito na disciplina. Ela olhava fixamente para a mesa enquanto eu falava sobre seu fracasso na aula de inglês. Quando o professor de história confirmou que Sandra também ia mal em sua matéria, ela encolheu o corpo na cadeira e pude ver lágrimas em seu rosto.

Mostrando compaixão, expliquei a ela e ao pai que, se Sandra quisesse sair-se bem nos cursos avançados, teria de mudar o comportamento que a colocara em tal situação e que seria muito difícil se recuperar.

Uma mensagem do pai dela

O orientador então se virou para o pai de Sandra, um homem com pouco estudo e que parecia não estar à vontade no ambiente escolar. O orientador perguntou se ele tinha alguma pergunta a fazer aos professores. Ele respondeu que não e agradeceu por tudo que fizéramos por Sandra. Então falou que tinha algo a dizer à filha.

Meu coração ficou apertado. Em reuniões anteriores entre pais e professores, alguns pais repreenderam severamente os filhos na frente dos professores e orientadores, criticando-os pela preguiça e falta de atenção e motivação. Preparei-me para ouvir isso novamente.

Mas o que ouvi me surpreendeu. O humilde pai de Sandra virou-se para sua chorosa filha de 16 anos de idade, que sentia o peso da vergonha e do arrependimento, e disse: “Não é tarde demais. Não é tarde demais para você ter sucesso. De verdade, não é tarde demais”.

Saí da reunião agradecida por sua reação tão amorosa, mas pensando que ele não tinha noção do que seria necessário para a filha passar de ano naquela situação. Parecia impossível. Mais tarde, recebi a notícia de que ela decidira abandonar o curso de história, mas não o meu de inglês.

À noite, quando me ajoelhei para orar, ao pensar em minhas próprias falhas e pedir perdão ao Pai Celestial, percebi o quanto eu tinha a aprender com o pai de Sandra. Algumas vezes, em minha própria vida, a insegurança e os sentimentos de inadequação fizeram com que eu me perguntasse se era digna ou merecedora de uma segunda chance. Nesses momentos, o Senhor, como o pai de Sandra, escolheu não me criticar, mas em vez disso reafirmou: “Não é tarde demais, minha filha. Não é tarde demais”.

A mensagem do evangelho

Com que frequência acreditamos na mensagem do adversário de que não há esperança para nós? Entretanto, o discurso dos profetas é outro. Isaías proclamou: “O ímpio (…) se converta ao Senhor, que se compadecerá dele; como também ao nosso Deus, porque grandioso é em perdoar” (Isaías 55:7). Mórmon acrescentou seu testemunho: “Sempre, porém, que se arrependiam e pediam perdão com verdadeiro intento, eram perdoados” (Morôni 6:8). A alegria do evangelho é que nunca é tarde demais. Porque sempre que buscarmos o perdão, a redenção do Senhor nos concederá um novo começo.

Sandra, com motivação para tentar novamente, fez mudanças lentas, mas significativas. A transformação não foi fácil — exigia esforço diário para superar seus maus hábitos —, mas ela viu as recompensas de seu empenho quando sua nota melhorou gradualmente.

De uma perspectiva do evangelho, nossa nota final não levará em conta quantas vezes falhamos ou o quanto nos afundamos em algum buraco. Em vez disso, o Senhor julgará nossa vida com base na direção que seguimos, em como nos arrependemos e no quanto confiamos na Expiação de Jesus Cristo.

Em minha compreensão limitada, duvidei da capacidade de Sandra de superar os erros do passado. Ao contrário, nosso perfeito Pai nunca perde a esperança na capacidade de Seus filhos de alcançar a salvação sendo aperfeiçoados em Cristo. Por mais que nos afastemos, Ele sempre vai buscar quem se perdeu. O Senhor nos pede que paremos de percorrer o caminho do pecado e que O procuremos em esperança e desfrutemos das bênçãos de Sua Expiação infinita. De fato, nunca é tarde demais.