Nativity scene

Day of Joy and Mercy [Dia de alegria e misericórdia], criação de Sara Waddoups Morgan, gentilmente cedida pelo Museu de História da Igreja

A todos os que desejam entender quem somos, como membros de A Igreja de Jesus Cristo dos Santos dos Últimos Dias, ofereço um ponto de partida definido por estas duas palavras: Buscamos Cristo.

Procuramos aprender com Ele. Nós O seguimos para tornar-nos mais semelhantes a Ele.

Todos os dias, durante o ano inteiro, nós O buscamos. Mas especialmente nesta época do ano — o Natal, quando comemoramos o nascimento de nosso amado Salvador — nosso coração se volta mais a Ele do que nunca.

Como parte de nossos preparativos para a comemoração do Natal, vejamos como aqueles que viviam há 2 mil anos se prepararam para saudar o nascimento do Salvador.

Os pastores

Não sabemos muito sobre os pastores, exceto que “estavam no campo, e guardavam durante as vigílias da noite o seu rebanho”.1 É bem provável que os pastores fossem pessoas comuns, como muitas almas dignas de louvor que trabalham para obter seu sustento a cada dia.

Poderiam representar aqueles que, no momento, não estavam ativamente buscando Cristo, mas que sentiram uma mudança no coração quando os céus se abriram e Cristo lhes foi proclamado.

São aqueles que, após ouvirem a voz dos mensageiros celestes, dirigiram-se imediatamente a Belém, querendo ver.2

Os magos

Os magos eram sábios que vinham estudando o advento do Messias, o Filho de Deus. Por meio de seus estudos, identificaram os sinais que apontavam para o Seu nascimento. Quando os identificaram, saíram de casa e viajaram para Jerusalém, perguntando: “Onde está aquele que é nascido Rei dos Judeus?”3

Seu conhecimento de Cristo não ficou restrito ao âmbito acadêmico. Assim que viram os sinais de Seu nascimento, agiram. Saíram em busca do Cristo.

Os magos poderiam representar aqueles que buscam a Cristo por meio do estudo e aprendizado acadêmico. Sua devoção à verdade acaba levando-os a descobrir o Cristo e a adorá-Lo como o Rei dos reis, o Salvador da humanidade.4

Simeão e Ana

Simeão e Ana poderiam representar aqueles que buscam a Cristo por meio do Espírito. Essas almas maravilhosas eram devotadamente religiosas e, por meio de jejum e oração e uma vida de devoção e obediência, esperavam ansiosamente ver o dia da vinda do Filho de Deus.

Com fidelidade, humildade e fé, aguardavam pacientemente a vinda do Salvador.

Por fim, sua fidelidade foi recompensada quando Maria e José lhes apresentaram o bebê que um dia tomaria sobre Si os pecados da humanidade.5

Os fiéis entre os nefitas e lamanitas

A tocante história dos fiéis do Novo Mundo que aguardaram os sinais do nascimento do Salvador é encontrada no Livro de Mórmon.

Você deve lembrar que aqueles que tinham fé em Cristo foram ridicularizados e perseguidos. As pessoas sofisticadas daquela época acusavam os fiéis de se apegarem a tolas superstições. De fato, os descrentes foram tão intensos em seu escárnio que “causaram um grande tumulto” em toda a terra (3 Néfi 1:7). Zombaram daqueles que acreditavam que o Salvador nasceria.

Sua ira e raiva cresceram tanto a ponto de se tornarem obcecados em silenciar de uma vez por todas aqueles que acreditavam no Salvador. O Livro de Mórmon registra sua drástica resolução.6

Os fiéis que viviam naquela época poderiam representar aqueles que buscam a Cristo mesmo que outros riam e zombem deles e os provoquem. Buscam a Cristo ainda que outros tentem caracterizá-los como indivíduos ignorantes, simplórios ou crédulos.

No entanto, o desprezo das pessoas não desencoraja os verdadeiros fiéis de buscar Cristo.

Buscamos Cristo

Durante o ano inteiro e talvez especialmente nesta época de Natal, seria muito benéfico perguntar-nos novamente: “Como estou buscando Cristo?”

Numa época difícil de sua vida, o grande rei Davi escreveu: “Ó Deus, tu és o meu Deus, cedo te buscarei; a minha alma tem sede de ti; a minha carne te deseja muito”.7

Talvez essa atitude de buscar a Deus tenha sido um dos motivos pelos quais Davi foi descrito como um homem conforme o coração de Deus.8

Nesta época de Natal e durante o ano inteiro, busquemos de todo o coração e alma o nosso amado Salvador, o Príncipe da Paz, o Santo de Israel. Afinal, esse desejo, em grande parte, define não apenas quem somos, como membros de A Igreja de Jesus Cristo dos Santos dos Últimos Dias, porém ainda mais quem realmente somos como discípulos de Cristo.