Janeiro

As Escrituras São a Palavra de Deus

Esboço para o Tempo de Compartilhar de 2016: Sei que as Escrituras São Verdadeiras

Música: “Se Eu Escutar com o Coração”

(página 28 deste esboço)


Complemente as ideias apresentadas aqui com outras de sua própria autoria. Planeje maneiras de apresentar a doutrina para as crianças e ajude-as a compreendê-la e aplicá-la em sua vida. Pergunte a si mesma: “De que atividades as crianças participarão para aprender e como vou ajudá-las a sentir o Espírito?”

Semana 1: As escrituras são a palavra de Deus.

Apresentar a doutrina: Traga vários livros (como um livro de culinária, um livro de histórias e um livro didático) para a Primária e peça que algumas crianças mostrem esses livros e as escrituras às demais crianças da Primária. Peça-lhes que discutam as semelhanças e diferenças entre os livros, inclusive os autores. Ressalte que as escrituras são únicas, pois foram escritas pelos profetas de Deus e são a palavra de Deus.

Incentivar a compreensão: Diga às crianças que há quatro volumes de escrituras que usamos na Igreja: a Bíblia, o Livro de Mórmon, Doutrina e Convênios e Pérola de Grande Valor. Explique-lhes que os chamamos de “obras-padrão”. Dê explicações sobre cada livro às crianças. Inclua alguns ensinamentos e algumas histórias encontrados em cada volume de escrituras. Faça um jogo da memória (ver ENMC, p. 169) com o nome das obras-padrão e as gravuras que representem uma história ou um ensinamento que se encontra em cada livro.

Incentivar a aplicação: Peça a várias crianças que digam qual é sua passagem ou história favorita das escrituras. Incentive-as a contar o que aprenderam ao lerem as escrituras. Preste testemunho das escrituras.

Semana 2: Devemos banquetear-nos com as palavras de Cristo.

Incentivar a compreensão e a aplicação: Explique às crianças que o Senhor usa palavras de ação para descrever como devemos estudar as escrituras. Exiba as seguintes palavras e locuções em cartazes espalhados pela sala: banquetear-se (ver 2 Néfi 32:3); entesourar (ver D&C 84:85); examinar diligentemente (ver Mosias 1:7); apegar-se (ver 1 Néfi 15:24). Planeje maneiras criativas de apresentar e explicar essas ideias às crianças. Você pode, por exemplo, perguntar às crianças qual é a diferença entre beliscar alimentos e banquetear-se e depois pedir que discutam qual é a relação disso com o estudo das escrituras. Você também pode perguntar-lhes por que devem segurar na mão do pai ou da mãe em um supermercado lotado e depois explicar como elas podem apegar-se às escrituras e por que isso é tão importante quanto segurar a mão do pai ou da mãe.

Incentivar a aplicação: Desafie as crianças e os professores a criarem o hábito da leitura regular das escrituras. Explique-lhes que, semanalmente, as crianças que tenham lido ou ouvido as escrituras poderão escrever o nome em uma tira e adicioná-la a uma corrente de papel. Diga-lhes que à medida que a corrente crescer, também crescerá o conhecimento delas das escrituras. Se desejar, guarde a corrente em um “baú do tesouro” (esta caixa também pode ser usada para ensinar o significado do verbo “entesourar”, citado na atividade anterior). Incentive as crianças a informarem os familiares de sua meta de estudar as escrituras.

Esta corrente pode tornar-se um lembrete visual do crescimento proporcionado pela leitura das escrituras.

Natã

Ana

João

André

Semana 3: As palavras de Cristo nos dirão tudo o que devemos fazer.

Incentivar a compreensão: Vende os olhos de uma criança. Peça a outra criança que fique de pé segurando uma gravura de Jesus Cristo em algum lugar da sala. Peça à criança vendada que tente achar a gravura sem ajuda. Repita a atividade, mas desta vez peça a duas crianças que segurem uma vara, uma corda ou um fio que represente a barra de ferro que vai da criança vendada até a gravura de Cristo. Peça à criança que siga a corda até a gravura. Pergunte: “De que forma segurar a corda se assemelha a ler as escrituras?” (Ver 1 Néfi 15:23–25) Mencione alguns exemplos de sua própria vida em que as escrituras lhe tenham ensinado o que fazer. Explique como a obediência aos ensinamentos das escrituras a ajudaram a aproximar-se do Salvador.

As atividades com objetos ajudam as crianças a compreenderem ideias de modo simples e familiar (ver ENMC, p. 164).

Desafio

Semana 4: Posso saber se as escrituras são verdadeiras.

Incentivar a compreensão: Traga um ou mais objetos sobre os quais as crianças possam aprender usando um dos cinco sentidos. Você pode, por exemplo, trazer uma fruta ou uma flor, ou tocar uma música. Dê a algumas crianças a oportunidade de ver, cheirar, tocar, degustar ou ouvir o que você trouxe. (Se desejar, faça esta atividade em pequenos grupos, a fim de que cada criança tenha a oportunidade de participar.) Demonstre que também podemos ver, tocar, cheirar e ouvir as escrituras, mas para ganhar um testemunho delas precisamos receber uma confirmação por meio do Espírito. Peça às crianças que cantem “Ler, Ponderar e Orar” (MC, p. 66). Ao cantarem, peça-lhes que prestem atenção em três coisas que podemos fazer para convidar o Espírito a testificar que as escrituras são verdadeiras. Peça às crianças que inventem gestos com as mãos para os verbos ler, ponderar, e orar. Repita a música, mas usando os gestos em vez dessas palavras.

Incentivar a aplicação: Mostre uma gravura de Morôni e leia Morôni 10:4–5. Peça a várias crianças que externem seus sentimentos acerca das escrituras. Elas também podem contar o que têm feito para ler as escrituras em casa. (Avise algumas crianças com antecedência, para que tenham tempo de se preparar.) Incentive as crianças a partilhar seu testemunho das escrituras com os pais em casa.