Julho: O Templo É a Casa de Deus

Música: “Eu Gosto de Ver o Templo”

(MC, pp. 99).

Esboço para o Tempo de Compartilhar de 2016: Sei que as Escrituras São Verdadeiras, (2015), 14–15


Complemente as ideias apresentadas aqui com outras de sua própria autoria. Planeje maneiras de apresentar a doutrina para as crianças e ajude-as a compreendê-la e aplicá-la em sua vida. Pergunte a si mesma: “De que atividades as crianças participarão para aprender e como vou ajudá-las a sentir o Espírito?”

“As ordenanças e os convênios sagrados dos templos santos permitem que as pessoas retornem à presença de Deus e que as famílias sejam unidas para sempre” (“A Família: Proclamação ao Mundo”, parágrafo 3).

Semana 1: Deus deu a Seu povo o mandamento de construir templos.

Apresentar a doutrina: Mostre a fotografia de um templo e escreva no quadro: “O templo é ______”. Peça às crianças que cantem a primeira estrofe de “Eu Gosto de Ver o Templo” (MC, p. 99). Diga-lhes que, ao cantarem o trecho que completar a frase do quadro, cruzem os braços. Pergunte-lhes o que é o templo (a casa do Senhor). Ajude as crianças a consultarem o verbete “Templo” no Guia para Estudo das Escrituras (página 205). Ajude-as a achar declarações que expliquem que o templo é literalmente a casa do Senhor e que Deus sempre ordenou a Seu povo que construísse templos.

Incentivar a compreensão: Prepare dicas sobre os templos construídos por Moisés (ver Êxodo 25:1–2, 8–9), Néfi (ver 2 Néfi 5:16) e Joseph Smith (ver D&C 124:31) e seus seguidores. Por exemplo: “Nosso templo chamava-se tabernáculo e o deslocávamos ao viajarmos” (Moisés) ou “Construímos um templo depois de sairmos de Jerusalém e atravessarmos o mar” (Néfi). Escolha três crianças para representar esses profetas e peça-lhes que leiam suas pistas às outras crianças da Primária. Peça-lhes que adivinhem quem cada criança está representando. Depois que adivinharem corretamente, mostre uma gravura do profeta ou do templo que ele e seu povo construíram.

Imagens disponíveis em sharingtime.LDS.org

Incentivar a aplicação: Mostre uma fotografia do templo mais perto de sua cidade. Discuta as seguintes perguntas: A seu ver, por que Deus nos dá o mandamento de construir templos? O que vocês podem fazer para preparar-se para ir ao templo um dia?

Solicitar respostas: É mais provável que as crianças respondam a perguntas se lhes for concedido tempo para refletir. Não deixe de anunciar que lhes dará tempo para pensar antes de pedir as respostas (ver ENMC, p. 69).

Semana 2: As famílias são abençoadas por meio das ordenanças sagradas do templo.

Apresentar a doutrina: Peça a uma criança maior que leia para a Primária as últimas duas frases do terceiro parágrafo de “A Família: Proclamação ao Mundo”. Ponha cada uma das palavras e locuções a seguir em tiras de papel separadas: O templo é, um lugar sagrado, onde nós, somos selados, com a família. Ponha-as no quadro fora de ordem. Peça a uma criança que coloque uma tira no lugar correto. Repita a atividade até que todas as palavras estejam em ordem. Cante a segunda estrofe de “Eu Gosto de Ver o Templo” e peça a metade das crianças que identifique duas coisas que fazemos no templo (assumimos convênios e prometemos obedecer) e à outra metade que identifique uma verdade que aprenderam (as famílias são eternas). Ajude as crianças a compreenderem que o selamento aos familiares no templo significa que eles podem ficar juntos para sempre.

Apresente com clareza a doutrina que estiver ensinando. Isso ajuda as crianças a entender e aplicar melhor a doutrina ensinada.

O templo é um lugar sagrado onde nós somos selados com a família.

Tiras de papel disponíveis em sharingtime.LDS.org

Incentivar a aplicação: Peça a uma família ou a algumas crianças que contem como se sentem quando visitam o jardim do templo ou como foram abençoadas por causa do templo e das ordenanças de selamento. Peça às crianças que façam um desenho de sua família em frente ao templo.

Amar a quem você ensina: Ao ensinar sobre a família eterna, seja sensível à situação das crianças que não tiverem em casa o pai ou a mãe. Também seja sensível à situação das crianças que tenham pais ou irmãos menos ativos ou que não sejam membros da Igreja. Incentive todas as crianças a viverem em dignidade e a se prepararem a fim de ter sua própria família eterna um dia (ver ENMC, pp. 31–32).

Semana 3: Os pioneiros trabalharam muito e fizeram sacrifícios para construir templos.

Incentivar a compreensão: Reúna informações sobre a construção dos Templos de Kirtland e Salt Lake e, se possível, do templo mais perto de sua cidade. (Ver Primária 5, lições 25 e 44 ou LDS.org para encontrar informações sobre os Templos de Kirtland e Salt Lake). Peça a alguns adultos que venham à Primária e passem as informações às crianças. Divida as crianças em grupos e peça aos grupos que se revezem para reunir-se com cada um dos adultos. Peça-lhes que cantem “Eu Gosto de Ver o Templo” ao passarem de um orador convidado para outro.

Talvez seja preciso adaptar as atividades às necessidades das crianças da Primária de sua unidade. Se a Primária de sua unidade for grande, por exemplo, você pode pedir aos convidados que se desloquem de um grupo para outro em vez de fazer as crianças se deslocarem (ver ENMC, p. 179).

Semana 4: Posso preparar-me para ser digno de ir ao templo.

Incentivar a compreensão e a aplicação: Mostre “Meus Padrões do Evangelho” e explique às crianças que seguir esses padrões nos ajudará a ser dignos de ir ao templo. Divida as crianças em grupos. Peça a um professor em cada grupo que discuta os padrões que ajudarão as crianças a se prepararem para ir ao templo e testifique do quanto a obediência aos padrões o ajudou. Peça a cada grupo que escolha um dos padrões do evangelho e depois escreva ou desenhe seu compromisso de segui-lo. Convide o bispo ou o presidente de ramo à Primária e peça a cada grupo que lhe conte seu compromisso. Peça ao bispo ou ao presidente de ramo que preste testemunho da importância do templo.

Pôster disponível em sharingtime.LDS.org

Desafio Anual: Lembrem-se de dar oportunidades às crianças de partilhar o que estão aprendendo na leitura das escrituras (ver Janeiro, semana 2).