Unidade e Irmandade no Sacerdócio

Manual de Sacerdócio Aarônico 1, 1992


Objetivo

Cada rapaz descobrirá que há uma grande força no desenvolvimento da unidade e irmandade entre os portadores do Sacerdócio Aarônico.

Preparação

  1. 1.

    Materiais necessários: Obras-padrão para cada rapaz

  2. 2.

    Obtenha uma corda de aproximadamente 1 metro e vários filamentos de um outro pedaço de corda (um para cada rapaz).

  3. 3.

    Estude Salmos 133:1; Doutrina e Convênios 38:24 e Doutrina e Convênios 51:9.

Sugestão para o desenvolvimento da lição

Os Portadores do Sacerdócio Devem Ajudar Uns aos Outros a Sentirem-se Benquistos

História e debate

Peça aos rapazes que ouçam a seguinte história, a respeito de um soldado que perguntou a seu oficial superior se poderia entrar numa área perigosa entre as trincheiras, para buscar um companheiro seriamente ferido.

“‘Pode ir’, disse o oficial, ‘mas não vale a pena. Seu amigo provavelmente está morto e você morrerá sem necessidade.’ Mas o soldado foi. Conseguiu chegar até o amigo, colocou-o nos ombros e levou-o até as trincheiras. Os dois caíram juntos no fundo da trincheira. O oficial olhou com muita ternura para o jovem que fora salvar o amigo e comentou: ‘Eu lhe disse que não valia a pena. Seu amigo está morto e você ficou ferido.’

‘Valeu a pena, mesmo assim, senhor.’

‘Como você diz que “valeu a pena”? Eu disse que seu amigo está morto.’

‘Sim, senhor’, respondeu o rapaz, mas valeu a pena, porque, quando eu cheguei lá, ele disse: “Eu sabia que você viria.”’” (A Story to Tell, compilado pela Junta Geral da Associação Primária e pela Junta Nacional das Escolas Dominicais Deseret [Salt Lake City: Deseret Book Company, 1945], p.28.)

• Por que acham que valeu a pena para o jovem soldado?

• De que maneira podem os portadores do sacerdócio mostrar esse mesmo tipo de lealdade uns para com os outros?

História e debate

Narre o seguinte:

Marcos e Alexandre estavam morando na cidade grande havia pouco tempo. Os quoruns do Sacerdócio Aarônico de sua nova ala estavam fazendo uma festa na praia. O Irmão Guimarães tinha acabado de informar que era hora de comer, por isso a maioria dos meninos estava correndo em direção à fogueira. Marcos e Alexandre, que eram novos na ala, estavam nadando além das ondas de arrebentação. Estavam isolados do grupo porque os rapazes da ala pareciam ocupados demais para fazerem os meninos se sentirem à vontade. Nenhum dos dois tinha morado em uma cidade grande antes e ambos sentiam-se perdidos em meio a tantos estranhos.

“Vamos comer”, disse Alexandre.

“Vá você”, disse Marcos. “É a primeira vez que nado no mar e estou-me divertindo muito para parar agora!”

“Bem, eu estou com fome e portanto vou comer”, disse Alexandre, “mas seria melhor você sair logo.” Quando Alexandre saiu da água, pensou ter ouvido um grito estranho.

“Provavelmente foi alguém no acampamento ou uma gaivota”, disse Alexandre para si mesmo.

O Irmão Guimarães deu o jantar a Alexandre, quando ele se juntou ao grupo. “Onde está Marcos? Ele não está com você?”

“Não”, respondeu Alexandre. “Ele quis nadar um pouco mais.”

Demorando-se apenas o suficiente para alertar o resto dos rapazes sobre o perigo que Marcos poderia estar correndo, o Irmão Guimarães dirigiu-se apressadamente para o mar. Viu uma mão acenando desesperadamente na água, a uns cinqüenta metros de distância. Quando o Irmão Guimarães mergulhou na água, deu-se conta de que quatro ou cinco rapazes tinham se juntado a ele na tentativa de salvamento. Com a ajuda dos rapazes, o Irmão Guimarães conseguiu trazer Marcos de volta em segurança para junto do grupo que ficara ansiosamente aguardando na praia.

• Como essa quase tragédia poderia ter sido evitada? (Se alguém tivesse feito amizade com Marcos e ficado com ele. Os rapazes do quorum poderiam ter-se preocupado em fazer com que Marcos e Alexandre se sentissem bem recebidos no grupo.)

• Sabem de alguma ocasião em que alguém foi deixado fora de um grupo?

• Vocês mesmos já foram deixados fora de um grupo?

• Como se sentem, quando são deixados de fora e ninguém parece querer ser seu amigo?

Este pode ser um bom momento para debater a respeito de quaisquer membros inativos do quorum que tenham sido igualmente deixados de lado por alguma razão. Ajude os rapazes a entenderem sua responsabilidade de fazerem com que todos os membros do quorum se sintam bem-vindos.

Escritura e debate

Peça a um rapaz que leia I Pedro 3:8, enquanto os outros acompanham em suas escrituras.

• O que significa serem todos de um mesmo sentimento? (Serem unidos ao fazer as coisas justas.)

• De que maneira o quorum de Marcos e Alexandre não era de um mesmo sentimento? (Eles não incluíram Marcos nem Alexandre no grupo.)

Perguntas para meditar

Faça as seguintes perguntas e peça aos rapazes que silenciosamente pensem nas respostas que dariam:

• Nosso quorum é de um mesmo sentimento?

• Demonstramos compaixão uns pelos outros?

• Somos gentis uns com os outros?

• Preocupamo-nos realmente uns com os outros?

Experiência pessoal

Relate aos jovens uma experiência pessoal na qual se sentiu sozinho. Conte como a experiência o afetou e como foi tudo resolvido. Se possível, o exemplo deve mostrar como um quorum ou membro de um quorum o ajudou a sentir-se integrado ao grupo.

Mostrar Amor e Irmandade Uns aos Outros

Lição com uso de objeto

Dê a cada jovem um dos filamentos que você tirou de um pedaço de corda. Peça-lhes que os arrebentem puxando ambas as extremidades (os filamentos devem ser suficientemente finos para que todos consigam arrebentá-los). Depois, peça aos rapazes que levem os filamentos arrebentados até a frente da sala e os coloquem um ao lado do outro. Mostre o pedaço de corda inteiro e peça aos rapazes que a puxem dos dois lados, para tentar arrebentá-la. Depois de tentarem um pouco, peça-lhes que voltem a seus lugares.

• Por que conseguiram quebrar os filamentos, mas não a corda? (A corda tem mais fios e eles estão entrelaçados.)

Compare a corda ao quorum. Ajude os rapazes a perceberem que, quando se unem, o quorum se torna forte. Quando eles não são do mesmo sentimento, o quorum fica fraco, exatamente como os filamentos separados da corda.

Atividade

• O que podemos fazer para aumentar a irmandade e a unidade de nosso quorum? À medida que os rapazes debatem essas idéias, escreva suas respostas no quadro- negro. As sugestões poderiam incluir fazer projetos de serviço do quorum, praticar esportes juntos, realizar uma reunião de testemunho, trabalhar juntos para reativar um membro do quorum, cumprir uma responsabilidade do sacerdócio juntos, promover atividades recreativas, espirituais e educacionais do quorum.

Escritura e debate

Peça a um jovem que leia D&C. 38:24, enquanto os outros acompanham em suas escrituras.

• De que modo somos irmãos? (Somos todos filhos de nosso Pai Celestial e irmãos no sacerdócio.)

• O que significa ser o guardador de nosso irmão? (Zelar por ele, ajudá-lo.)

Escritura

Peça a um rapaz que leia João 10:17-18.

Diga aos rapazes que nosso Salvador nos amou tanto que deu sua vida por nós. Na verdade, sua maior demonstração de amor e sacrifício ocorreu quando expiou nossos pecados. Saliente que uma das melhores maneiras de demonstrar gratidão por seu amor é mostrar amor a nossos irmãos do quorum.

Conclusão

Apresentação pelo consultor

Explique que os rapazes podem honrar seus chamados no sacerdócio sendo amigos, prestativos e demonstrando interesse uns pelos outros. Devemos respeitar a privacidade e os sentimentos pessoais uns dos outros, mas devemos também nos lembrar de não fazer nada que possa deixar um companheiro, membro do quorum, sentir-se só ou rejeitado.

Conforme ilustrou a história de Marcos e Alexandre, precisamos uns dos outros. Um jovem quase se afogou, porque estava sozinho, sem o apoio do grupo. Os jovens inativos podem “afogar-se” espiritualmente pela mesma razão. Há segurança no companheirismo. Somos todos irmãos e devemos demonstrar bondade uns para com os outros.

Desafio

Examine o conselho sobre amizade dado na página 9 de Para o Vigor da Juventude. Desafie os rapazes a fazerem pelo menos uma coisa durante a semana, a fim de promover a irmandade do quorum. Podem fazer algo em conjunto, no quorum, ou individualmente. Se os meninos fizerem algo individualmente, fale com eles em particular durante a próxima semana, para que relatem seu progresso. Se escolherem uma atividade em nível de quorum, dedique alguns minutos do tempo de instrução do quorum, no próximo domingo, para debater o sucesso da atividade.

Testemunhos

Preste testemunho da importância da irmandade no quorum. Permita que os rapazes que também quiserem prestar testemunho o façam.