Os Convênios Orientam Nossas Ações

Manual de Sacerdócio Aarônico 1, 1992


Objetivo

Cada rapaz deverá lutar para cumprir os convênios que fez e usá-los para orientar suas ações ao longo da trilha que conduz à vida eterna.

Preparação

  1. 1.

    Materiais necessários

    1. a.

      Obras-padrão para cada rapaz

    2. b.

      Lápis para marcar as escrituras

  2. 2.

    Prepare as seguintes referências de escrituras em tiras de papel: 1 Néfi 11:21-22, 1 Néfi 12:16; 1 Néfi 11:25; 1 Néfi 12: 17; 1 Néfi 11:36 e 2 Néfi 31:18.

  3. 3.

    Treine para desenhar no quadro-negro a ilustração do sonho de Léhi (ver a lição).

  4. 4.

    Peça a um jovem que seja um bom leitor, que se prepare para ler o sonho de Léhi: 1 Néfi 8:2, 5-13, 19-28.

  5. 5.

    Estude o relato do sonho de Léhi encontrado em 1 Néfi 8. Talvez queira ler algumas das referências cruzadas.

  6. 6.

    Esta lição provê as referências básicas das escrituras para ensinar os rapazes a fazerem convênios com o Senhor e guardá-los. Pode acrescentar auxílios em fitas de vídeo ou áudio, disponíveis em sua área.

Sugestão para o desenvolvimento da lição

Introdução

Debate com uso de escritura

• Qual é o maior dom que o Pai Celestial tem para nos dar?

Peça a um rapaz que leia Doutrina e Convênios 14:7 para encontrar a resposta a essa pergunta. Sugira que os rapazes marquem esse versículo.

Explique que aproximadamente seiscentos anos antes do nascimento de Jesus Cristo, Léhi teve um sonho maravilhoso, que nos diz como obter a vida eterna.

Debate

com uso do quadro-negro Peça ao rapaz designado previamente que leia 1 Néfi 8:2, 5-13, 19-28. À medida que ele lê, desenhe no quadro-negro a ilustração encontrada a seguir. Incentive os rapazes a marcarem passagens importantes.

Desenhe o sonho de Léhi, no quadro-negro, na seguinte seqüência:

  1. 1.

    A árvore

  2. 2.

    O rio de águas

  3. 3.

    A barra de ferro

  4. 4.

    O caminho reto e estreito

  5. 5.

    As névoas de escuridão

  6. 6.

    O grande e espaçoso edifício

  7. 7.

    Muitas pessoas: algumas no caminho, outras não

Lehi’s vision

Debate com uso de escritura

Para descobrir o que cada parte do sonho de Léhi representa, distribua as seguintes referências das escrituras. Peça a cada rapaz que procure a escritura e esteja preparado para dizer o que aquela parte do sonho de Léhi representa.

  1. 1.

    1 Néfi 11:21-22 (A árvore e o fruto representam o amor de Deus ou a vida eterna.)

  2. 2.

    1 Néfi 12:16 (O rio representa as profundezas do inferno.)

  3. 3.

    A primeira metade de 1 Néfi 11:25 (A barra de ferro é a palavra de Deus.)

  4. 4.

    2 Néfi 31:18 (O caminho reto e estreito é a trilha que conduz à vida eterna.)

  5. 5.

    1 Néfi 12:17 (Os vapores de escuridão são as tentações do diabo.)

  6. 6.

    A primeira frase de 1 Néfi 11:36 (O grande e espaçoso edifício é o orgulho e a vaidade do mundo.)

Cada Jovem Fez Convênios Sagrados

Escritura, debate e quadro-negro

Como discípulos de Cristo, temos enormes responsabilidades, além de um grande potencial. Léhi viu um caminho reto e estreito que representa o processo pelo qual nos tornamos semelhantes ao Pai Celestial e ganhamos a vida eterna.

Para descobrir como seguir a trilha que conduz à árvore da vida, peça a um jovem que leia 2 Néfi 31:17-18.

Como cada pessoa entra no caminho reto e estreito? (Arrependendo-se e sendo batizada.)

Explique que quando somos batizados fazemos convênio com o Pai Celestial. Ele nos promete que, se fizermos certas coisas, partilharemos do fruto da árvore e receberemos a vida eterna.

Para ajudar os jovens a descobrirem as promessas que fizemos, que nos levarão a permanecer no caminho da vida eterna, peça-lhes que leiam Morôni 4:3 e Mosiah 18:8-10.

• O que prometemos fazer quando fomos batizados? Coloque os seguintes pontos no quadro-negro: (1) tomar sobre nós o nome de Jesus Cristo, (2) lembrar-nos sempre de Jesus Cristo, (3) guardar os mandamentos, (4) carregar as cargas dos outros, (5) chorar com os outros, (6) confortar, (7) servir de testemunhas de Deus.

Debata o significado de cada uma dessas promessas, ajudando os rapazes a entenderem como podem cumpri-las. Saliente que em todos esses convênios, prometemos que colocaríamos Cristo e seus ensinamentos no centro de nossa vida.

• Se cumprirmos essas promessas, o que o Pai Celestial promete dar-nos? (O seu Espírito: o Espírito Santo.)

• Como o Espírito Santo nos ajudará a alcançar a vida eterna? (O Espírito Santo nos guiará e nos ajudará a permanecer no caminho reto e estreito.)

Outros Convênios São Essenciais para a Vida Eterna

Debate

Explique que, à medida que ficamos mais velhos, temos a oportunidade de fazer outros convênios que são essenciais para recebermos a exaltação.

• Quais são esses outros convênios? (Receber o sacerdócio, receber nossas investiduras e casar no templo).

Todos os convênios ou promessas que fazemos ao Senhor nos ajudarão a permanecer no caminho reto e estreito, para que nos tornemos mais semelhantes ao Pai Celestial e alcancemos a vida eterna.

Escritura e debate

Para descobrir o que o Senhor diz a respeito de convênios, peça a um rapaz que leia Doutrina e Convênios 82:10.

• O que a palavra obrigado significa?

• Quando o Senhor não está obrigado a manter sua parte do convênio?

• Por quanto tempo o Senhor está obrigado a nos dar as bênçãos prometidas?

• O que devemos fazer para receber as bênçãos da vida eterna? (Guardar os mandamentos do Senhor.)

Conclusão

Escritura

Peça aos rapazes que leiam Salmos 89:34. Saliente que devemos tomar a mesma resolução de manter nossos convênios. Explique que, embora não sejamos perfeitos, devemos tentar honestamente manter nossas promessas ao Senhor em todos os tempos.

Desafio

Expresse a sua confiança na capacidade de cada jovem de guardar os seus convênios. Explique que o maior desafio que têm pela frente é o de lembrarem-se de que são filhos de Deus e têm o potencial de se tornarem semelhantes ao Pai.

Desafie os jovens a pedirem ao Pai Celestial um maior entendimento dos convênios que fizeram no batismo e a se comprometerem a viver de modo a serem dignos de fazer convênios futuros ao serem avançados no sacerdócio e receberem suas investiduras no templo.