O Sacerdócio

Manual de Sacerdócio Aarônico 1, 1992


Objetivo

Cada rapaz deverá compreender o grande poder e privilégio que lhe foi dado de poder agir em nome de Deus.

Preparação

  1. 1.

    Materiais necessários:

    1. a.

      Obras-padrão para cada rapaz.

    2. b.

      Papel e lápis para cada rapaz.

    3. c.

      Lápis para marcar as escrituras.

    4. d.

      Frasco ou envelope com comprimidos de aspirina.

  2. 2.

    Talvez você queira fazer um cartaz com a definição do sacerdócio, pelo Presidente Spencer W. Kimball, dada abaixo.

Sugestão para o desenvolvimento da lição

Autoridade e Poder do Sacerdócio

Quadro-negro e atividade escrita

Escreva o seguinte no quadro-negro: “O sacerdócio é…

Dê a cada rapaz uma folha de papel e um lápis. Instrua-os a escrever em sua folha de papel uma pequena definição do sacerdócio. Quando todos houverem terminado, recolha as folhas de papel e peça ao presidente do quorum que as leia em voz alta. Depois, resuma as definições, muitas das quais provavelmente explicarão que o sacerdócio é o poder de agir em nome de Deus.

Peça a todos do quorum que tiverem esse poder, que se levantem. Ajude os rapazes a perceberem que o Pai Celestial compartilhou esse grande poder com cada um deles.

Citação

e cartaz Leia a seguinte declaração do Presidente Spencer W. Kimball: “O sacerdócio é o poder e autoridade de Deus delegados ao homem na terra para agir em todas as coisas concernentes à salvação dos homens. É o meio pelo qual o Senhor age através dos homens para salvar almas. Sem esse poder do sacerdócio, os homens estão perdidos.” (“O Exemplo de Abraão”, A Liahona, dezembro de 1975, p.1.)

Debate

• O que significa delegar? (Dar nossa autoridade para outra pessoa.)

Reporte-se novamente à citação anterior.

• Quais as duas coisas que o Senhor delega a seus servos, quando lhe confere o sacerdócio? (O poder e a autoridade para agir em nome dele.)

História e debate

Conte a seguinte história, pedindo aos rapazes que identifiquem o que está errado nela.

Ronaldo Souza é bispo de uma ala de nossa cidade. Ele é também meu tio, o único irmão vivo de meu pai. Ele e meu pai são muito amigos. Domingo passado, Tio Ronaldo ficou seriamente ferido em um acidente de automóvel. Ele sabia que não poderia dar conta de seus deveres na Igreja, mas meu pai, que é um élder da ala, assegurou-lhe que cuidaria de tudo. Na manhã de domingo, meu pai apareceu na ala de meu tio e providenciou para que a reunião começasse bem na hora.

• O que há de errado nesta história?

Deixe os rapazes responderem, até que alguém explique que nenhum homem pode simplesmente assumir por conta própria o papel de bispo. Explique que, embora o irmão do bispo tivesse o sacerdócio, ele não tinha recebido as chaves nem tinha sido designado para realizar as obrigações de bispo na ala de seu irmão. Ele deve receber essas chaves e ser ordenado para ter essa autoridade.

• Quem tem o direito de se encarregar de tudo na ausência do bispo? (Seu primeiro conselheiro.)

Escritura, citação e debate

Como um homem recebe esse poder e autoridade?

• Peça a um rapaz que leia Hebreus 5:4, enquanto os outros acompanham em suas escrituras. Enfatize que o homem deve ser chamado por Deus e ordenado pela imposição das mãos. Os rapazes devem sublinhar esta escritura.

Peça a um rapaz que leia a seguinte observação de Orson Pratt:

“O sacerdócio de Deus é a autoridade suprema e legal que governa os habitantes de todos os mundos remidos e glorificados. Nele está incluído todo o poder para criar mundos… Foi esse poder que formou os minerais, os vegetais e os animais em todas as suas infinitas variedades.” (Orson Pratt, Materful Discourses and Writings of Orson Pratt, Comp. N.B. Lundwall, p. 316.)

• Como Orson Pratt descreve o poder e a autoridade do sacerdócio? (Poder pelo qual Deus cria e governa todas as coisas.

Debate com uso do quadro-negro e escritura

Solicite aos rapazes que digam se gostariam de mudar ou acrescentar alguma coisa às suas definições.

Complete a declaração do quadro-negro, escrevendo o seguinte: “Poder e autoridade dados ao homem para agir em nome de Deus. Poder pelo qual Deus cria e governa todas as coisas.”

Peça aos rapazes que troquem idéias entre si sobre a diferença entre autoridade e poder do sacerdócio. Ajude-os a entender que podem receber a autoridade pela imposição das mãos, mas o poder vem através do viver correto.

Peça a um rapaz que leia Doutrina e Convênios 121:36, enquanto os outros acompanham a leitura.

• Como obtemos o poder do sacerdócio? (Por meio de uma vida digna.)

Citação e debate

Peça a um rapaz que leia a explicação dada pelo Bispo H. Burke Peterson a respeito dos dois termos em discussão:

“… Há uma diferença entre autoridade e poder do sacerdócio… Todos os portadores do sacerdócio possuem a autoridade de agir em nome do Senhor, porém a eficácia da nossa autoridade - ou se preferir, o poder proveniente dessa autoridade - depende do padrão de nossa vida, depende da nossa retidão.” (“Autoridade e Poder do Sacerdócio”, A Liahona, agosto de 1976, p. 26.)

• Como recebemos a autoridade para agir em nome do Senhor? (Pela imposição das mãos, ou ao sermos ordenados.)

Honrar o Sacerdócio - Um Privilégio Sagrado

Lição com uso de objeto

Prenda um envelope de aspirina na lapela de seu casaco ou no colarinho de sua camisa. Os alunos sem dúvida ficarão curiosos para saber o que você está fazendo. Diga-lhes que o seu médico mandou-o tomar uma aspirina a cada quatro horas, mas como não gosta do sabor, decidiu, em vez disso, usá-las na roupa. Alguém provavelmente explicará que não lhe farão bem algum, a menos que as tome. Isso lhe dará a oportunidade de explicar que a única maneira de se tirar proveito de alguma coisa é usá-la corretamente, e que muitos portadores do sacerdócio não estão recebendo nem aproveitando o benefício do sacerdócio por essa razão. Eles podem saber o seu valor, mas não estão dispostos a viver de modo a merecerem suas bênçãos e exercerem seu poder.

Ajude os rapazes a entenderem que, quanto mais completamente obedecerem aos mandamentos, mais poder terão e maior será o seu desejo de servir. Quanto mais servirem, melhor entenderão o grande privilégio de portar e honrar o sacerdócio.

Citação e debate

Explique que o Élder James E. Talmage, antigo membro do Quorum dos Doze Apóstolos, escreveu algo a respeito de sua ordenação ao sacerdócio e dos sentimentos que teve ao tentar honrá-lo. Peça a alguém que leia em voz alta as observações do Élder Talmage.

“Logo que fui ordenado, veio sobre mim um sentimento que nunca pude descrever com perfeição. Parecia quase impossível que eu, um menino, pudesse ser de tal modo honrado por Deus a ponto de ser chamado ao sacerdócio … senti-me forte sabendo que era um servo do Senhor e que ele me ajudaria no que era requerido de mim…

O efeito de meu chamado para diácono se fez sentir em todos os assuntos de minha vida de menino. Temo haver esquecido algumas vezes o que eu era, mas estou muito agradecido porque, na maioria das vezes, eu me lembrava e isso sempre me ajudou a ser melhor. Quando brincava na escola e podia ser tentado a trapacear num jogo, quando no meio de uma disputa com um amigo, lembrava-me e o pensamento era tão eficaz como se fosse dito em alta voz: ‘sou um diácono e não é certo, para um diácono, agir dessa maneira.’ Nos dias de exame, quando me seria fácil copiar de outro menino… eu dizia comigo mesmo: ‘eu serei mais iníquo do que eles se fizer essas coisas, porque sou um diácono.’

E a grande honra que representava meu chamado fazia-me aceitar com prazer toda oportunidade de serviço.”

• Como o Élder Talmage se sentia por ser um diácono? (Sentia que era um servo do Senhor e que Ele o ajudaria. Nos momentos de tentação, lembrava-se de como um diácono deveria agir.)

Deixe que os rapazes debatam os sentimentos que tiveram quando foram ordenados ao sacerdócio. Estimule-os a compartilharem quaisquer experiências que possam ter tido semelhantes às do Élder Talmage.

Peça a outro aluno que termine de ler as observações do Élder Talmage.

“As impressões deixadas em minha mente ao ser ordenado diácono nunca enfraqueceram. A certeza de ter sido chamado para um serviço especial do Senhor, como portador do sacerdócio, tem sido uma fonte de força para mim através dos anos. Mais tarde, ao ser ordenado a cargos mais altos na Igreja, tive o mesmo sentimento em cada uma das ocasiões: a certeza de que estava sendo verdadeiramente investido com o poder dos céus e que o Senhor exigia de mim que honrasse sua autoridade. Fui ordenado mestre, élder, sumo sacerdote e por fim apóstolo do Senhor Jesus Cristo. Em cada ordenação renovou-se aquela profunda emoção, a mesma que senti quando fui chamado para ser um diácono no serviço do Senhor.” (“Comemoração da Restauração do Sacerdócio Aarônico”, p.4.)

• Se encarar seu chamado tão seriamente quanto Élder Talmage o fez, como deverá agir em casa? Na Igreja? Na escola?

Explique-lhes que a compreensão de que eles são chamados para o serviço especial do Senhor como portadores do sacerdócio pode ser-lhes uma fonte de força, como foi para Élder Talmage.

Citação e debate

Para sermos dignos portadores do sacerdócio, temos que viver retamente. O Presidente Harold B. Lee fez a seguinte afirmação:

“Temos que dizer: ‘Como portador do sacerdócio do Deus vivo, sou representante de nosso Pai Celestial e tenho o sacerdócio por meio do qual ele pode agir através de mim. Por causa de minha comunhão com o sacerdócio de Deus, não me posso permitir fazer algumas coisas que talvez fizesse se assim não fosse…’

E os portadores do sacerdócio devem dizer a si mesmos: ‘Não podemos ser portadores do sacerdócio e agir como os outros homens. Devemos ser diferentes, porque o sacerdócio significa a comunhão na família real do reino de Deus.’” (Conference Report, outubro de 1973, p.115.)

• Como nós, portadores do sacerdócio, devemos ser diferentes dos outros homens?

Enquanto os rapazes debatem essa questão, escreva no quadro-negro as respostas dadas.

Conclusão

Testemunho

Preste testemunho de que os membros do quorum têm o verdadeiro sacerdócio de Deus. Testifique que eles receberão muitas e grandes bênçãos do Senhor, se honrarem esse sacerdócio todos os dias de sua vida, se usarem-no corretamente e fizerem mais do que lhes é requerido.

Deixe nos jovens a impressão de que receber o Sacerdócio Aarônico não é tão difícil quanto viver dignamente para usar o poder do sacerdócio. Isso requer esforço e trabalho constantes.

Desafio

Desafie cada rapaz a aceitar todas as oportunidades de servir que seus líderes do sacerdócio lhes derem. Além disso, desafie cada um a expressar gratidão pelo seu sacerdócio a seus pais ou outras pessoas adultas, antes da próxima reunião do quorum.