A Casa do Senhor

Manual de Sacerdócio Aarônico 1, 1992


Objetivo

Cada rapaz deverá entender o propósito dos templos e por que deve manter-se digno de entrar no templo.

Preparação

  1. 1.

    Materiais necessários:

    1. a.

      Obras-padrão para cada rapaz.

    2. b.

      Gravura 14, o Templo de Kirtland (62431 059); gravura 12, o Templo de Lago Salgado (62433 059); gravura do templo que serve a sua área; gravura 2, a fonte batismal de um templo (62031 059); gravura 15, a sala de ordenanças de um templo; gravura 16, a sala celestial de um templo; gravura 17, um casal selado no templo.

  2. 2.

    Escreva cada uma das seis citações a respeito do templo, encontradas no início da lição, em pedaços separados de papel.

  3. 3.

    Convide o bispo para assistir à reunião do quorum. Se o bispo não puder estar presente, ele poderá pedir a um conselheiro que o substitua. Peça ao bispo ou conselheiro que estude a lição, preparando-se para responder as perguntas que os jovens poderão fazer a respeito do propósito do templo e de como eles podem preparar-se melhor para entrar nele. Você talvez leve duas semanas para apresentar esta aula. Se levar duas semanas, convide o bispo ou conselheiro para participar na segunda semana.

Sugestão para o desenvolvimento da lição

Introdução

Citações

Dê as citações previamente preparadas a respeito do templo para seis jovens. Explique que quando um templo é construído, o edifício é aberto ao público para que as pessoas possam visitá-lo e apreciá-lo, antes de sua dedicação. Os seguintes comentários foram feitos por jovens santos dos últimos dias que visitaram um templo antes de ser dedicado e expressaram seus sentimentos a respeito da visita. Peça a cada jovem que tem uma citação, que a leia para a classe.

  1. 1.

    “Senti algo tão maravilhoso dentro do templo, que não queria mais sair.”

  2. 2.

    “Depois de viajar 900 quilômetros para ver a casa do Senhor e sentir aquela sensação, posso dizer que valeria a pena dar a volta ao mundo para poder visitá-lo.”

  3. 3.

    “O templo todo parecia ser um pedaço do céu.”

  4. 4.

    “Senti a mais profunda paz de toda a minha vida.”

  5. 5.

    “Era inacreditável o Espírito que ali reinava.”

  6. 6.

    “Sei que desejo muito casar-me no templo.” (As citações acima foram tiradas de “Inside a House of the Lord”, New Era, abril de 1972, p.25.)

Se qualquer dos jovens tiver visitado um templo antes de sua dedicação, convide-o a contar como se sentiu na ocasião.

O Propósito dos Templos

Quadro-negro

Na parte superior do quadro-negro escreva: O templo é…

Diga aos rapazes que eles aprenderão cinco coisas sobre o templo durante a primeira parte da aula.

No final da primeira parte da aula, o quadro-negro deve estar da seguinte forma:

O templo é…

  1. a.

    A casa do Senhor

  2. b.

    O lugar onde recebemos as investiduras e fazemos convênios

  3. c.

    O lugar onde é realizado o casamento eterno

  4. d.

    O lugar onde se realizam ordenanças para os mortos

  5. e.

    Um lugar de revelação

Gravura Mostre a gravura do Templo de Kirtland e explique que quando Joseph Smith dedicou o Templo de Kirtland, orou para que a presença do Senhor pudesse estar continuamente no templo e para que todos aqueles que entrassem pudessem sentir o poder de Deus.

Escritura e debate

Peça a um rapaz que leia Doutrina e Convênios 109:12-13, que é uma parte da oração dedicatória do Templo de Kirtland. Peça que os jovens ouçam e tentem descobrir um outro nome pelo qual o templo é chamado nesta oração.

• Qual é o outro nome do templo? (A casa do Senhor.)

Quadro-negro No quadro-negro, escreva

a. A casa do Senhor. Explique que é a casa do Senhor porque sua presença sagrada está lá continuamente.

Gravuras Mostre a gravura do templo de Lago Salgado ou do templo que serve a sua área. Explique que o lugar de reunião para uma família terrena geralmente é o lar. Somos filhos de nosso Pai Celestial e o templo é sua casa. Assim, o templo é o lugar onde nós, como membros dignos de sua família, podemos ir para sentir seu Espírito e aprender a seu respeito.

Mostre as gravuras do interior do templo. Saliente que elas nos lembram de outro propósito do templo.

• O que significa a palavra investidura?

Permita que os jovens respondam e depois explique que a investidura é um dom de grande e duradouro valor. O Élder Bruce R. McConkie escreve que “certas bênçãos especiais, de natureza espiritual que são conferidas aos santos dignos e fiéis nos templos chamam-se investiduras.” (Bruce R. McConkie, Mormon Doctrine, 2ª edição [Salt Lake City: Bookcraft, 1966], p.226.)

Quadro-negro e debate

No quadro-negro, acrescente:

b. O lugar onde recebemos as investiduras e fazemos convênios. Saliente que aqueles que recebem as investiduras também fazem convênios ou promessas.

Explique que a seguinte lista mostra alguns dos convênios que são tão importantes para o belo plano de vida do Senhor, os quais nos são ensinados em seus templos sagrados:

  1. 1.

    Amar e obedecer ao Senhor.

  2. 2.

    Ter o desejo de sacrificar e compartilhar nosso tempo, talentos e bênçãos materiais para construir o reino de Deus na terra.

  3. 3.

    Continuar moralmente limpo.

  4. 4.

    Seguir e apoiar aqueles que são chamados para liderar-nos na Igreja, incluindo os pais, os bispos, os presidentes de estaca e outros.

Apresentação pelo consultor

Explique que há um outro convênio que cada um de nós faz com o Senhor, que coroa todos os outros e que pode ser feito somente no templo. É o convênio do casamento eterno.

Gravura e quadro-negro

Mostre a gravura de um casal selado no templo. Acrescente na lista do quadro-negro:

c. O lugar onde é realizado o casamento eterno.

Citação

Leia a seguinte explicação a respeito de ordenanças dada pelo Presidente Spencer W. Kimball:

“As mais importantes…de todas as ordenanças são as seladoras e todas as outras levam a esta. Somos abençoados, batizados, confirmados, ordenados, recebemos as investiduras e finalmente somos selados, sem o que a nossa alma jamais será exaltada…Todo rapaz e moça…devem saber que a ordenança de selamento é vital.” (The Teachings of Spencer W. Kimball, ed. Edward L, Kimball [Salt Lake City: Bookcraft, 1982], p.520.)

Apresentação pelo consultor

Explique que o casamento no templo nos coloca no caminho para participarmos de todas as bênçãos que o Senhor nos pode oferecer nesta vida e na vida futura. Nossos lares serão mais felizes aqui, se honrarmos os convênios que fizermos um com o outro e com o Senhor. Nosso casamento se fortalece, quando voltamos ao templo e nos recordamos de nossos compromissos e convênios.

História

Conte a seguinte história a respeito de um casamento que foi fortalecido pelo selamento no templo.

“Embora eu tenha sido batizado em 1949, minha esposa não se sentiu preparada até quatro anos mais tarde. Durante esse período, eu a ajudei pacientemente. Quando o Templo da Suíça foi dedicado em 1955, tínhamos uma família composta de sete pessoas e a viagem para lá parecia mais dispendiosa do que permitiam nossos recursos. Maud e eu nos ajoelhamos em oração e pedimos ao Senhor que nos abrisse o caminho, e um mês depois meu patrão chamou-me para dizer o quanto estava satisfeito com meu trabalho e para dar-me um aumento substancial. Naquele verão, fomos à casa do Senhor pela primeira vez.

Jamais esquecerei a alegria, a felicidade e a determinação de viver os princípios do evangelho que encheram a minha alma depois daquela visita. Ganhei mais compreensão e discernimento a respeito de meu destino eterno do que jamais sonhei obter em minha vida. O ponto culminante se deu quando nossa família foi selada para o tempo e toda a eternidade.

Olhei para os olhos de minha esposa, que se encontrava do outro lado do altar, e vi lágrimas de felicidade rolando-lhe pelo rosto. Eu a amava antes, mas nunca tanto quanto daquele momento em diante. Ela, uma filha de Deus, era a mãe de meus filhos! Senti que nunca havia compreendido aquilo até então. A partir daí, nossas orações se tornaram mais significativas, nosso amor ao Senhor aumentou ainda mais e sentimos maior prazer em servi-lo.

Continuamos a freqüentar o templo, porque temos grande amor pelo trabalho ali realizado e pelo espírito que ali reina. Todas as vezes que voltamos, somos lembrados dos convênios que fizemos, e isso é o que mais nos estimula a viver nossa vida como o evangelho nos ensina.” (Bo G. Wennerlund, “I Had Loved Her Before…”, Ensign, agosto de 1974, p.62.)

Apresentação pelo consultor

Explique que, além das bênçãos que recebemos na mortalidade, há outras que se estendem por toda a eternidade. Casando-nos de acordo com o plano do Senhor, podemos alcançar o mais alto grau no reino celestial. Podemos ser exaltados e receber a plenitude da alegria. Podemos ter nossos filhos por toda a eternidade. Podemos ter também a promessa de aumentar nossa família com filhos espirituais.

Gravura, escritura e debate

Mostre a figura da fonte batismal de um templo.

Explique que ela representa uma outra ordenança que acontece na casa do Senhor.

Peça a um jovem que leia Doutrina e Convênios 127:5-6 e peça à classe que identifique esse outro propósito dos templos.

Quadro-negro

Acrescente

d. O lugar onde se realizam ordenanças para os mortos à lista do quadro-negro.

Explique que muitas pessoas morreram sem ter a oportunidade de ouvir o evangelho. Não foram batizados pela autoridade do sacerdócio, não receberam as investiduras no templo e não se casaram para a eternidade na casa do Senhor.

• O que o Senhor proporcionou para o benefício daqueles que morreram sem receber estas importantes ordenanças?

Permita que os rapazes respondam e explique que os membros dignos da Igreja podem entrar no templo e realizar batismos, investiduras e selamentos em favor de pessoas falecidas.

Se os membros dignos voltam com freqüência ao templo para realizar as ordenanças pelos mortos, eles recebem muitas bênçãos especiais. Uma delas é a paz e reverência que podem encontrar dentro do templo. Como a presença do Senhor é sentida continuamente, o templo se torna um lugar de revelação.

Quadro-negro e citação

Acrescente à lista do quadro-negro o seguinte:

e. Um lugar de revelação.

Enquanto lê a seguinte declaração, peça aos rapazes que prestem atenção a como esta pessoa foi especialmente fortalecida por ir ao templo.

“Cada vez que vou ao templo, recebo forças adicionais para enfrentar os problemas cotidianos. Além disso, é lá que experimento o verdadeiro sentido da reverência, santidade, obediência, ordem, respeito pela linha de autoridade e amor fraternal…

Ser salvador no Monte Sião tem um significado especial para mim. A obra vicária, no templo, é a mais pura forma de amor e sacrifício que conheço.” (Christiane Leblon, “I Came to Understand…”, Ensign, agosto de 1974, p. 67.)

Debate

• Quais são algumas das bênçãos especiais que podemos receber através da freqüência ao templo? (Força para enfrentar os problemas; o sentimento de reverência, ordem, amor; conhecimento e compreensão crescentes do evangelho e do Senhor.)

• Por que você deve planejar e antever o dia em que entrará no templo para receber suas próprias investiduras e casar-se para a eternidade?

Se você der a aula em duas semanas, conclua a primeira parte neste ponto. Depois reveja brevemente o propósito dos templos no início da aula da segunda semana.

Preparar-se para o Templo

História

Explique que muitas vezes os membros da Igreja precisam fazer grande sacrifício para irem ao templo. Ao contar a seguinte história, peça aos rapazes que ouçam, tentando perceber os sacrifícios e os preparativos que a família Cummings fez para ir ao templo.

“O presidente da missão havia desafiado os santos australianos a assistirem à dedicação do Templo de Nova Zelândia. Esse desafio fora dado havia apenas quatro meses…

O desafio do presidente da missão continuava a ecoar na mente de Donald W. Cummings, presidente do distrito de Perth, que ficava a 6500 quilômetros do templo. ‘Se você tiver uma meta justa e orar a respeito dela, o Senhor o ajudará a alcançá-la.’ O Presidente Cummings examinou suas finanças. Ele estava economizando para comprar uma casa para sua família que crescia. Ganhava apenas um modesto salário; não tinha dinheiro no banco, tinha um carro velho. O preço da viagem a Nova Zelândia seria 1.200 dólares…

O Presidente Cummings tinha 26 anos de idade, fora convertido dez anos antes e era presidente do distrito havia oito meses. A área de seu distrito abrangia toda a Austrália Ocidental, com mais de dois milhões e meio de quilômetros quadrados.

Ele começou a fazer os preparativos para a viagem. Tomou dinheiro emprestado, dando os seus móveis como garantia, último empréstimo daquele gênero que a companhia iria conceder-lhe. Vendeu seu carro e começou a andar a pé, de ônibus e até mesmo de carona. Durante os dezoito meses seguintes, jamais deixou de visitar qualquer dos ramos de seu distrito. Ele recorda: ‘Sim, era difícil nós nos locomovermos, mas minha mulher e eu consideramos aquela época como um dos períodos mais felizes de nossa vida. Descobrimos a alegria de nos sacrificar pelo Senhor. Começamos a gostar de andar a pé…’

A viagem de 12.800 quilômetros de ida e volta começou com uma viagem de trem de 3.200 quilômetros e de quatro dias e meio de duração, pela região desértica da Austrália. Em Sidney, a família ficou feliz por encontrar-se com os outros santos que também tinham conseguido passagem no navio para Auckland.

Para seu grande desapontamento, o navio tinha acabado de avariar-se ao chocar-se com o ancoradouro, mas surpreendentemente, conseguiram baldeação para um avião sem custo adicional. Todos assistiram à dedicação e testemunharam esse sagrado acontecimento, vendo o Presidente David O. McKay presidir e orar. O presidente Cummings falou no espaçoso auditório da nova Faculdade da Igreja ao lado do templo. A família recebeu a grande bênção de participar do primeiro dia de investiduras, também fizeram parte do primeiro grupo a realizar as ordenanças pelos mortos.” (Richard J. Marshall, “Saga of Sacrifice”, Ensign, agosto de 1974, p. 66.)

• Por que essa família teve o desejo de sacrificar-se tanto para ir ao templo?

Apresentação pelo consultor

Explique que, assim como essa família fez muitos sacrifícios e preparativos para ir ao templo, nós devemos fazer preparativos especiais para entrar na casa do Senhor. Nossa recomendação para o templo é uma evidência de alguns dos preparativos que precisamos fazer. A freqüência ao templo é reservada para os membros da Igreja que mostraram desejo de viver os princípios do evangelho, incluindo a honestidade, a Palavra de Sabedoria, o dízimo e a lei da castidade. Saliente que leva algum tempo para nos prepararmos para essa experiência especial e sagrada: isso requer fidelidade e arrependimento dos erros passados.

Conclusão

Conversa com o bispo

Se houver tempo suficiente, peça ao bispo que expresse seus sentimentos a respeito da importância de se preparar e freqüentar o templo. Ele poderá também responder perguntas que os jovens queiram fazer a respeito do templo.

Atividades Sugeridas

Se não houver tempo suficiente para que o bispo desenvolva completamente as idéias da conclusão, talvez você queira convidá-lo ou trazer outro convidado capacitado para desenvolver e debater essas idéias num serão domingueiro para jovens ou em outra ocasião semelhante.