Consagração e Sacrifício

Manual de Sacerdócio Aarônico 1, 1992


Objetivo

Cada rapaz deverá desejar o crescimento espiritual advindo de se viver as leis de sacrifício e consagração.

Preparação

  1. 1.

    Materiais necessários

    1. a.

      Obras-padrão para cada rapaz

    2. b.

      Lápis para marcar as escrituras

  2. 2.

    Prepare um cartão para cada jovem, no qual esteja escrito: “Não há nenhum entre vós…que não saiba que tem a eterna obrigação ante seu Pai Celestial de entregar-lhe tudo o que tem e é” (Mosiah 2:34).

  3. 3.

    Estude, em espírito de oração, 3 Néfi 9:19-20 e Moisés 5:6-8.

Sugestão para o desenvolvimento da lição

O Sacrifício e a Consagração São Leis Celestiais

Debate

Escreva a palavra sacrifício no quadro-negro.

• O que significa sacrifício?

• Por que é necessário aprender a sacrificar?

• O que é que vocês acham que consagração significa? (Tornar sagrado, devotar ou dedicar.)

Explique que as leis de consagração e sacrifício são eternas e foram dadas ao homem pelo Senhor antes da criação da terra.

Citação

Leia a citação destas leis, do Élder Bruce R. McConkie:

“O sacrifício e a consagração acham-se inseparavelmente interligados. A lei da consagração é aquela pela qual consagramos nosso tempo, dinheiro, talentos e propriedades à causa da Igreja, colocando essas coisas à disposição, à medida que se tornarem necessárias, para promover os interesses do Senhor na terra.

A lei do sacrifício é aquela pela qual nos dispomos a sacrificar tudo o que temos pela verdade – caráter, reputação, honra e aplausos; nosso bom nome entre os homens; nossas casas, terras e família; todas as coisas, até mesmo nossa vida, se for preciso.” (Conference Report, abril de 1975, p.74.)

Explique que devemos estar dispostos a sacrificar nossos desejos, energia, tempo ou bens materiais para edificar o reino do Pai na terra. Às vezes pode parecer difícil viver tais leis. No entanto, à medida que nossa fé e entendimento aumentam, começamos a compreender as bênçãos maravilhosas que estão à disposição dos obedientes.

Escritura e debate

• A quem foi dada a lei de sacrifício primeiramente?

Explique que estas leis foram dadas a Adão por um anjo. Depois de Adão e Eva serem expulsos do Éden, o Senhor ordenou que sacrificassem os primogênitos de seus rebanhos a ele. Adão obedeceu a este mandamento.

Peça a alguém que leia Moisés 5:6-8.

Conte que, depois da crucificação e ressurreição de Jesus, a lei de Moisés foi cumprida e as pessoas já não tinham que oferecer sacrifícios de animais.

Peça a um dos rapazes que leia 3 Néfi 9:19-20 em voz alta. Sugira que a classe sublinhe as palavras-chave.

• Que tipo de sacrifício devemos oferecer? (Um coração quebrantado e um espírito contrito.)

• O que significa oferecer ao Senhor “um coração quebrantado e um espírito contrito”? (Ter um “coração quebrantado” significa sentir-se triste pelo sofrimento do Salvador por nós e pelas coisas erradas que fazemos, a ponto de desejarmos arrepender-nos. Um “espírito contrito” é um espírito penitente, pronto para arrepender-se.)

• Vocês já tiveram tais sentimentos?

Citação

O Profeta Joseph Smith ensinou: “Uma religião que não requer o sacrifício de todas as coisas nunca tem poder suficiente para produzir a fé necessária [para levar] à vida e salvação…É através deste sacrifício, e apenas dele que Deus ordenou que os homens alcançassem a vida eterna.” (Lectures on Faith, 6:7).

O Sacrifício e a Consagração Nos Trazem Alegria e Bênçãos

História e debate

Conte a seguinte história, relatada por um dos antigos presidentes do Centro de Treinamento Missionário em Provo, Utah:

“Certo jovem estava no Centro de Treinamento Missionário…preparando-se para servir no Japão. Havíamos arranjado entrada para todos os missionários assistirem ao último jogo de futebol antes de irem para o campo missionário…Dissemos que todos eles poderiam ir ao jogo na tarde do dia seguinte. O jovem veio me ver e perguntou: ‘Presidente Pinegar, eu tenho que ir ao jogo de futebol amanhã?’

Pensei que ele estivesse doente. Perguntei: ‘Você não quer ver o jogo?’

Ele respondeu: ‘Oh, o senhor não imagina como eu gostaria de ver esse jogo! Joguei futebol na escola por dois anos, mas quando vim para o CTM, prometi a mim mesmo e ao Senhor que aprenderia todas as oito palestras do programa missionário em japonês. Se eu for ao jogo amanhã, não conseguirei alcançar minha meta.’

Bem, não há dúvida que lhe dei permissão para ficar e estudar.

Eu o vi algumas semanas mais tarde. Aliás, cinco dias antes de partir para o campo. Ele se aproximou de mim no restaurante e disse: ‘Presidente Pinegar, lembra-se de mim? Sou o élder que não queria ir ao jogo, porque desejava estudar as palestras. Hoje terminei de decorar a oitava.’ Ele continuou: ‘O senhor precisa saber o que aconteceu no dia em que fiquei aqui e não fui ao jogo. Até aquela data, eu fora capaz de decorar apenas vinte linhas por dia; naquele dia, o dia em que fiz um sacrifício – e realmente senti que era um sacrifício – decorei 120 linhas. Desde aí, continuei a progredir e hoje terminei de decorar minha oitava palestra.’” (Max L. Pinegar, “Serious About the Things to Be Done”, 1978 Devotional Speeches of the Year [Provo: Brigham Young University Press, 1979], pp. 55-56.)

• De que forma o sacrifício feito por este jovem trouxe alegria e bênção à sua vida?

Citação

“O sacrifício é a própria essência da religião; é a pedra angular de uma vida familiar feliz, a base da verdadeira amizade, o alicerce do viver pacífico em comunidade e das sólidas relações entre pessoas e nações…

Sem sacrifício, não existe verdadeira adoração a Deus. Convenço-me disto todos os dias. ‘O Pai deu seu Filho, e o Filho deu sua vida’, e nós não adoramos a menos que estejamos dispostos a dar – dar de nossa substância, de nosso tempo, de nossas forças, de nossos talentos, de nossa , de nossos testemunhos.” (Without Sacrifice There Is No True Worship, Brigham Young University Speeches of the Year, [Provo, 17 de outubro de 1962], p. 4; grifo nosso.)

Debate

• Por que não podemos adorar verdadeiramente a Deus sem sacrifício?

• Por que o sacrifício é a pedra de esquina de uma vida familiar feliz e a base da verdadeira amizade?

• Quais os tipos de sacrifícios que podemos fazer em nossa vida?

Debata como o sacrifício pessoal pode trazer harmonia ao nosso lar, ao trabalho e à escola. Explique em que sentido o sacrifício de tempo e dinheiro para a obra missionária é uma forma significativa de adoração.

Estudos de caso e debate

Selecione, dos seguintes relatos, aqueles que forem apropriados para a sua classe, ou use situações próprias, que se relacionem mais diretamente aos jovens de sua classe. Depois de ler cada situação em voz alta, peça aos rapazes que debatam as seguintes questões:

• Como é que um jovem se sentiria numa situação dessas?

• O que poderia fazer?

• Como poderia sacrificar-se?

• De que forma seu sacrifício poderia afetar a ele e aos outros?

  1. 1.

    Paulo estava planejando ir a uma festa na casa de um amigo, mas seu pai lhe pediu que ajudasse a limpar o quintal de uma viúva que vivia na vizinhança.

  2. 2.

    Quando ambos estavam com dezessete anos de idade, Miguel e Janete começaram a namorar, mas eles ficaram preocupados com seus sentimentos, pois os dois queriam que Miguel saísse em missão.

  3. 3.

    Depois de se formar, Wilson teve a oportunidade de viajar para o exterior, uma oportunidade única na vida, mas foi aí que seu bispo o chamou para sair em missão.

  4. 4.

    Roberto gostava de jogar futebol, mas tinha estado chovendo quase todos os dias. Num domingo de manhã, seu amigo Paulo telefonou-lhe e convidou-o para ir jogar futebol pois o dia estava ensolarado.

  5. 5.

    Dona Tereza era uma senhora idosa solitária que poderia ficar horas falando sem parar, se encontrasse quem a escutasse. Ela encontrou Francisco na rua e começou a falar sobre seu sobrinho, que morava na Alemanha, mas Francisco queria chegar logo em casa para jantar.

  6. 6.

    Geraldo tinha uma entrevista marcada com o bispo para às dezenove horas e dez minutos e chegou cedo – às dezenove horas. O bispo estava entrevistando outra pessoa. Às vinte horas, ele ainda estava esperando.

  7. 7.

    Marcos estava economizando para comprar uma bicicleta. Domingo, na reunião sacramental, o bispo solicitou fundos adicionais para ajudar a sustentar um missionário da ala no campo.

  8. 8.

    César havia passado sete horas na escola e quatro no trabalho. Quando chegou em casa, jantou, ajudou a arrumar a cozinha, estudou durante duas horas e depois relaxou por alguns minutos num banho quente. Estava pronto para ir para a cama, quando olhou para as escrituras sobre a mesa. Ele queria estudá-las, mas estava muito exausto e queria cair na cama.

  9. 9.

    Carlos recebeu um telefonema de Samuel, dizendo-lhe que não podia jogar tênis com ele, porque seu irmãozinho estava doente. Samuel teve de ficar com o irmão, enquanto os pais iam ao templo.

Conclusão

Escritura e citação

Explique que em seu discurso aos nefitas, o Rei Benjamim debateu extensivamente as leis do sacrifício e da consagração. Ele resumiu essas leis numa sentença: “Não há nenhum entre vós…que não saiba que tem a eterna obrigação ante seu Pai Celestial de entregar-lhe tudo o que tem e é” (Mosiah 2:34).

Por sentir-se em dívida para com o Senhor, o Presidente Brigham Young disse certa vez: “Se meu coração não se entregar completamente a este trabalho (de edificação do reino), darei de meu tempo, talentos, minhas mãos e minhas posses para ele, até que meu coração consinta em sujeitar-se; farei com que minhas mãos trabalhem tanto pela causa de Deus, até que meu coração se incline, submisso” (Journal of Discourses, 1:202).

Lembrete

Dê a cada jovem um cartão, no qual esteja escrita a citação de Mosiah 2:34, e sugira que o coloquem na parede, para lembrar-lhes diariamente que devem guardar as leis da consagração e do sacrifício.