O Puro Amor de Cristo

Manual de Sacerdócio Aarônico 3, 1995


Objetivo

Cada rapaz desejará possuir o dom da caridade, o puro amor de Cristo, e aplicá-lo em sua vida diária.

Preparação

  1. 1.

    Estude em espírito de oração Mateus 22:35–39; João 13:34–35; I Coríntios 13; I João 4:20–21 e Morôni 7:47–48.

  2. 2.

    Materiais necessários:

    1. a.

      Obras-padrão (cada rapaz deve ter seus exemplares).

    2. b.

      Gravura 3, “Jesus, o Cristo”, e gravura 14, “Três rapazes resgatam a Companhia Martin de Carrinhos de Mão”.

    3. c.

      Uma folha de papel e um lápis para cada rapaz.

    4. d.

      Lápis para marcar as escrituras.

  3. 3.

    Prepare para cada rapaz uma cópia da folha de trabalho “Perfil da Caridade”, localizada no final da lição.

Sugestão para o desenvolvimento da lição

Introdução

Atividade escrita

Divida o quórum em dois grupos iguais. Identifique os componentes do primeiro grupo por números e os do segundo por letras. Forme pares com os grupos da seguinte maneira: 1 com a, 2 com b, 3 com c e assim por diante. Dê a cada rapaz um lápis e uma folha de papel e peça-lhes que escrevam pelo menos uma coisa que admiram e respeitam no companheiro. Peça que compartilhem suas respostas com o quórum.

Ressalte que a busca de qualidades boas e admiráveis em outra pessoa nos ajuda a aprender a amar como Cristo ama.

A Caridade É Amor Semelhante ao de Cristo

Escrituras e debate

Peça a um rapaz que leia em voz alta Mateus 22:35–39 enquanto os demais acompanham em suas próprias escrituras.

• Quais são os dois maiores mandamentos?

Ressalte que esses dois mandamentos ordenam que amemos. O amor é o tema central do evangelho.

• A quem devemos amar?

Peça aos rapazes que leiam e marquem I João 4:20–21.

• O que significa amar a nosso irmão?

• Por que é impossível amar a Deus e odiar nosso irmão ao mesmo tempo? (Amar a Deus é também amar as coisas que Deus mais ama, e Deus ama Seus filhos acima de tudo.)

Debate

Esclareça que o amor pode ser muitas coisas para diferentes pessoas, mas pode ser classificado em três tipos básicos.

O primeiro tipo está expresso no termo “Amá-lo-ei se…” As pessoas dão esse tipo de amor somente se o outro cumprir certos requisitos. É condicional e sempre possui grilhões.

• Quais são alguns exemplos desse tipo de amor? (Amá-lo-ei se você for popular, se tiver um carro, se freqüentar a igreja, se for bom para mim, se fizer suas tarefas ou se fizer o que eu digo.)

O segundo tipo de amor usa a palavra porque e enfatiza aspectos egoístas ou mundanos. É também condicional. As pessoas amam os outros apenas por causa de suas características ou qualidades atrativas.

• Quais são alguns exemplos desse tipo de amor? (Amo você porque tem lindos olhos, porque tenta fazer-me feliz, porque me ajuda com minha lição de casa, porque me empresta dinheiro quando preciso, porque faz coisas para mim ou porque me coloca em primeiro lugar.)

• O que há de errado com esses dois tipos de amor? (Não são amor verdadeiro, mas sim amor condicional baseado no egoísmo.)

Esclareça que o terceiro tipo de amor é abnegado e incondicional. Não temos que ganhar ou merecer esse amor agindo de certa maneira ou tendo certas qualidades. Esse tipo de amor pode usar a frase “mesmo que”.

• Quais são alguns exemplos desse tipo de amor? (Eu amo você mesmo que discorde do que você faz, mesmo que você tenha fraquezas e problemas, mesmo que você cometa um erro ou mesmo que você nem sempre faça exatamente o que eu quero.)

Ressalte que esse é o tipo de amor que o Pai Celestial e Jesus Cristo dão a cada um de nós. Eles nos amam e aceitam, não importa o que façamos ou quem sejamos. Esse tipo de amor chama-se caridade.

Escritura e debate com uso do quadro-negro

Para ajudar os rapazes a entenderem o que significa ter caridade, peça-lhes que leiam I Coríntios 13. Sugira que marquem os atributos de uma pessoa caridosa.

Depois que os rapazes lerem e marcarem as escrituras, peça-lhes que digam quais os atributos marcaram. À medida que mencionarem cada termo bíblico, debata o termo e ajude os rapazes a encontrarem um sinônimo moderno para ele. Escreva os termos e seus sinônimos no quadro-negro. Os possíveis termos e sinônimos podem incluir:

  1. 1.

    “É sofredor, é benigno” (paciente).

  2. 2.

    “Não é invejoso” (contente).

  3. 3.

    “Não trata com leviandade, não se ensoberbece” (humilde).

  4. 4.

    “Não se porta com indecência” (cortês).

  5. 5.

    “Não busca os seus interesses” (abnegado).

  6. 6.

    “Não se irrita” (de bom temperamento).

  7. 7.

    “Não suspeita mal” (puro).

  8. 8.

    “Não folga com a injustiça, mas folga com a verdade” (honesto).

Devemos Amar-nos Uns aos Outros Como Cristo Nos Ama

Gravura, escritura e debate

Mostre a gravura 3, “Jesus, o Cristo”. Esclareça que Morôni referiu-se à caridade como “o puro amor de Cristo” (Morôni 7:47). Cristo exibiu todos esses atributos e amou-nos incondicionalmente. Enfatize que, para nos tornarmos como Cristo, temos que aprender a amar como Ele ama.

Peça aos rapazes que leiam e marquem João 13:34–35.

Peça aos rapazes que descrevam incidentes das escrituras dos quais se lembrem e que ilustrem como Cristo mostrou as qualidades de uma pessoa caridosa.

Depois que eles responderem, ressalte que os incidentes descritos são apenas alguns poucos exemplos de como Cristo demonstrou a caridade. Tudo o que Ele fazia mostrava Seu amor pelas pessoas. Para ser como Ele, também temos que desenvolver e mostrar amor pelos outros.

Citação

Esclareça que a verdadeira caridade é um dom do Espírito. Não é algo que possamos obter apenas por nossos próprios esforços. Ajude os rapazes a entenderem que a caridade é um dom espiritual que todos deveríamos procurar desenvolver.

Peça a um rapaz que leia a seguinte declaração do Élder Bruce R. McConkie:

“Acima de todos os atributos de divindade e perfeição, a caridade é o que deve ser desejado com maior devoção. Caridade é mais do que amor, muito mais; é amor eterno, amor perfeito, o puro amor de Cristo que dura para sempre. É um amor tão centralizado na retidão que seu possuidor não tem nenhuma pretensão ou desejo além do bem-estar eterno de sua própria alma e da alma dos que o rodeiam.” [Mormon Doctrine (Doutrina Mórmon), 2ª ed. (Salt Lake City: Bookcraft, 1966), p. 121.]

• Por que é tão importante desenvolver o dom da caridade?

Escritura e debate

Peça aos rapazes que leiam Morôni 7:47–48.

• O que esse versículo diz a respeito de como podemos desenvolver o dom espiritual da caridade?

Podemos Mostrar Caridade por meio do Serviço

História e gravura

Esclareça que podemos mostrar amor pelos outros, servindo-os. Mostre a gravura 14, “Três Rapazes Resgatam a Companhia Martin de Carrinhos de Mão”, e conte a seguinte história a respeito de três rapazes que demonstraram a verdadeira caridade:

Quando os antigos pioneiros mórmons foram para o oeste, muitos deles viajaram em companhias de carrinhos de mão. Não tendo dinheiro suficiente para adquirir carroções, eles puxavam com as mãos o pouco que podiam de seus bens terrenos, em carrinhos de duas rodas. Uma dessas companhias foi a Companhia Martin.

A Companhia Martin perdeu-se em meio a uma tempestade no Wyoming e enfrentou a morte certa numa temperatura abaixo de zero, exposta ao frio e à falta de alimento. Brigham Young enviou um grupo de socorro para resgatá-los. No caminho de volta, a Companhia Martin e seu grupo de socorro chegaram a um rio cheio de pedaços de gelo flutuante.

“Atravessá-lo requereria mais coragem e força do que a natureza humana parecia capaz de reunir. As mulheres recuaram, assustadas, e os homens choraram. Alguns conseguiram atravessar, mas outros foram incapazes de enfrentar a prova.

Três rapazes de dezoito anos de idade, integrantes do grupo de socorro, foram ajudá-los e, para espanto de todos os que viram, carregaram quase todos os membros daquela desafortunada companhia de carrinhos de mão através da corrente gelada. O esforço foi tão gigantesco, e tão grande a exposição ao frio, que em anos posteriores todos eles morreram devido a seqüelas. Quando o Presidente Brigham Young soube desse ato heróico, chorou como uma criança e mais tarde declarou publicamente: ‘Esse ato em si garantirá a C. Allen Huntington, George W. Grant e David P. Kimball uma salvação eterna no reino celestial de Deus, mundos sem fim.’” [LeRoy R. e Ann W. Hafen, Handcarts to Zion (Carrinhos de Mão para Sião) (Glendale, Cal.: Arthur H. Clark Co., 1960), pp. 132–33.]

Debate

Ressalte que a ajuda não precisa ser extraordinária ou heróica para demonstrar a verdadeira caridade.

• Quais são algumas maneiras de demonstrar amor pelas pessoas que os cercam?

Conclusão

Atividade e desafio

Distribua as cópias do “Perfil da Caridade” e peça a cada rapaz que avalie a si próprio nas áreas alistadas. Desafie cada rapaz a selecionar uma área, orar a respeito e concentrar-se nela durante a semana.

Peça aos rapazes que leiam Morôni 7:48 novamente e debata como a escritura se aplica a esse desafio.

Testemunho

Esclareça que a caridade, o puro amor de Cristo, é o mais elevado princípio do evangelho. Sendo caridosos podemos tornar-nos como o Pai Celestial e Jesus Cristo. Testifique a respeito do amor do Pai Celestial e de Jesus por cada um de nós.

Atividades e desafios opcionais

Talvez você deseje desafiar os rapazes a escolherem uma das seguintes atividades:

  1. 1.

    Escolha alguém que precise de amor e atenção extras e faça algo por essa pessoa.

    Leia uma história, saia para um passeio ou simplesmente converse com ela.

  2. 2.

    Escolha um rapaz, na Igreja ou na escola, que precise de um amigo, e procure conhecê-lo melhor.

  3. 3.

    Envolva-se em serviço caritativo, como doar tempo para organizações locais de caridade, fazer trabalho voluntário para pessoas com deficiências, ler para os cegos ou servir em hospitais e clínicas.

  4. 4.

    Procure alguém que realiza algo em favor do próximo, presta serviço ou faz outras pessoas felizes. Envie-lhe um cartão de agradecimento ou congratulações.